História Catch Me If You Can - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Delfina, Gaston, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nina, Simón
Tags Ámbar Smith, Drama, Lutteo, Michael Ronda, Romance, Simbar, Simón Álvarez, Sou Luna, Soy Luna, Valentina Zenere
Visualizações 70
Palavras 1.113
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie pessoas. Eu sei que eu demorei. Me perdoem. Sério. Mas finalmente me inspirei pra um novo capítulo desta fanfic. Gostaram da nova capa? Eu amei. Agora vamos falar sobre Simbar na novela. Gente, eu apoiava e ainda apoio Simbar. Ok, Âmbar vai se apaixonar de verdade? Pode ser. Mas to com tanto ódio dela que por enquanto ela não merece o Simón. Mas isso não quer dizer que eu deixei de apoiar o casal. Eu somente acho q ela tem que sofrer um pouco e pagar um pouco por suas maldades antes de ser feliz.
Enfim. Chega de papo e boa leitura galera..

Capítulo 3 - "Te Amo Mais Que Tudo"


Simón Álvarez

— O que disse, Simón? - Ámbar disse, com desespero na voz e lágrimas nos olhos, ainda sem crer no que eu havia dito.

Eu simplesmente olhei para a loura que era a mulher da minha vida e minha esposa desde minha cadeira de rodas com o coração partido. Lágrimas também molhavam meu rosto. Doía ve-la sofrer. Doía também em mim fazer isso. A amava demais e não sabia se poderia viver sem ela, contudo era o melhor a se fazer.

— Me perdoa, Âmbar. Por favor. - Pedia, em meio ao choro que embargava minha voz. - Eu te amo. Muito. Mas não posso te prender a passar uma vida inútil ao meu lado agora que virei um paraplégico imprestável. Eu nunca mais andarei. Preciso de cuidados sempre. Dependo de alguém para tudo agora. Só vou atrasar sua vida, meu amor. Acabamos de nos casar. Lutamos contra muita coisa para realmente ficarmos juntos. Estamos casados a poucos meses. Você é jovem, tem a vida toda pela frente. Pode formar família e ser feliz com outro homem. Já eu, minha vida tá completamente destroçada. Por isso, eu quero o divórcio, Ámbar. - Voltei a repetir com meu coração sangrando de dor - Quero te libertar desse tormento que terá se ficar ao meu lado.

Eu e Âmbar nos conhecemos a quatro anos, nos apaixonamos à primeira vista. Finalmente depois de muita luta o nosso amor venceu. Estávamos felizes e tinhamos muitos planos. Mas esse maldito acidente de carro estragou tudo. Agora estou preso a uma porcaria de cadeira de rodas pelo resto da minha vida, nunca mais poderia andar ou simplesmente ter a maravilhosa sensação que é firmar seus pés no chão. Nem sentir mimhas pernas sinto mais. Pra mim é como se não estivessem ali. Meio como um vazio. Estarei sujeito a cuidados vinte e quatro horas, nada posso fazer sozinho. Preciso sempre de ajuda. E isso me faz sentir um completo inutil. Minha Âmbar não tem vocação nenhuma para ser enfermeira de plantão, sei que ela cuidaria de mim com todo o empenho e amor que ela está disposta a me oferecer. Entretanto não posso e não irei prende-la comigo. Por mais doloroso que seja pra mim me separar de meu grande amor.

- Não, Simón. Eu não te darei o divórcio. - Ela me responde, decidida enqunto enxuga uma lágrima. - Eu seria a pior pessoa do mundo se te abandonasse agora quando você mais precisa. Fora que eu te amo, meu moreno. Te amo mais que tudo. Não me importa se terei que cuidar sempre de você. Não importa se não teremos filhos nem construiremos uma família. O que importa é que estaremos juntos. E isso é o que me trará mais felicidade do que qualquer outra coisa no mundo.- Ela sorri pra mim.

Aquele sorriso e aquelas palavras derreteram meu coração. Mas não posso e não irei fraquejar. Já tomei minha decisão. E agora é tarde para mudar.

- Mesmo se eu quisesse já não poderia mais ficar com você. - Digo, frio. - O divórcio já foi feito. Não somos mais casados, Âmbar.

Ela arregala os olhos.

- Como? Se eu não assinei nada. - Ela está genuinamente magoada e confusa e me sinto um idiota por fazer-lhe isto, mas já não há volta atrás.

- Você assinou sim. Se lembra do papel que eu te dei para a venda da nossa casa e você assinou sem ler? Era o nosso divórcio. Revelo com pesar, e encarando aqueles olhos azulados que tanto amo e admiro minha mente volta a quatro anos atrás, quando a conheci.

QUATRO ANOS ANTES..

- Er, você está bem, Moça? - Volto a repetir, saindo do transe. Realmente nunca vi ninguém tão linda antes, nem mesmo Luna. Essa garota é de uma beleza extraordinária, incomum. Pelo menos para meus olhos.

- Ahn, sim. Obrigada. - Percebo que ela está um quanto encabulada e envergonhada. Por isso evita me olhar. Querendo ver aqueles lindos olhos e rosto anegelical uma vez mais viro delicadamente seu queixo com o indicador. Nos olhamos intensamente. Respirações ofegantes se misturando. - Bem, preciso voltar para dentro. - Ela responde.

- Você mora aí? - Aponto para a entrada do orfanato atrás de nós dois. 

Ela acena afirmativamente com a cabeça. Me surpreendo. Como uma moça tão encantadora como ela não tem família? Sinceramente isso é algo inacreditável. Me vejo totalmente curioso para saber mais sobre ela. Ela se vira para entrar e minha voz a para.

- Espere. - Peço, e ela sorri levemente. Me incentivando a continuar. - Me chamo Simón Álvarez, e você? - Noto que estou muito ansioso para saber seu nome. Até mais que deveria.

Ela parece hesitar um pouco antes de responder. 

- Ángel. Me chamo Ángel Zenere. - Responde, antes de abrir a porta e entrar. Fazendo assim com eu a perca de vista. Sorrio. Além de cara de anjo também tem nome. Suspiro, virando-me para ir embora quando meu pé pisa em algo. Me abaixo e vejo que é uma medalhinha dourada em formato de Sol e Lua. Deve ser dela. A guardo em meu bolso, convicto que isso é a desculpa perfeita para passar aqui depois da faculdade e ve-la novamente.

Luna Valente

Matteo beija meu pescoço e eu estremeço, adorando as carícias dele. O moreno sabe como fazer para me deixar completamente louca. Ele faz menção de tirar minha blusa, mas eu o empurro quando um lampejo de consciência vem a mim.

Matteo arqueia a sobrancelha, deixando explícito seu incómodo para com minha atitude. - O que foi, amor? - Pergunta em tom manhoso. - Tá tão bom aqui. Você quer e eu quero também, qual o problema?

Engulo a seco. Sei que ele não gostará nada do que direi a seguir. - Matteo, você sabe que eu te amo, mas ainda não terminei com o Simón. - Solto e baixo minha cabeça, lágrimas já vindo.

- Como não? Eu pensei que me amasse como te amo, no entanto vejo que não. - Seu tom de voz é rígido. Não é necessário levantar meu rosto e ver sua cara para saber que ele está furioso.

- Eu te amo. Muito. E você sabe disso. Mas também amo o Simón. Meu coração não consegue escolher. - Sou sincera. Ainda sem olha-lo nos olhos.

Ele levanta meu rosto com o queixo e nos olhamos. Me dói ve-lo bravo, mas acima de tudo triste. E tudo por minha culpa. - Pois está na hora de ver por quem seu coração bate mais forte, Luna. Por mim ou por ele. Não voltarei a ficar contigo até que se decida. Te amo. E por isso quero uma relação séria e não escondida. - Matteo me dá o último e respiro fundo. Não sei o que fazer.


Notas Finais


Bem, sei que nesse capítulo não teve muitos acontecimentos, mas ele será extremamente importante para o curso da história. Me cortou o coração a primeira cena Simbar. Muito triste.
No passado vemos que Saimon já está encantado pela nossa loirinha. Porque será que ela mentiu sobre seu nome?
E Luninha dividida. Se decida, Mulher!
Espero que tenham gostado..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...