História Catfish (Larry!Texting) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Harry Styles, Larry, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Niam, One Direction, Texting
Exibições 118
Palavras 2.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente!
É, demorei um pouco dessa vez, mas a semana foi corrida!
Enfim, meu estágio acabou -- GRAÇAS A DEUS! -- então agora me sinto mais de bom humor para sentar e escrever hahahahaa...
Obrigada por estarem aqui: @ViArice, @PirokaDoHoran, @MrsBarrons, @Tia_Pandinha69, @ninitops, @eusoudodrew, @Belinha96, @Samaya
Beijos meninas!! :D

Capítulo 16 - S01e16


Fanfic / Fanfiction Catfish (Larry!Texting) - Capítulo 16 - S01e16

— E você quer meu carro pra quê? — Gemma perguntou tirando os óculos de grau e encarando o irmão com estranheza.

— Eu já expliquei, Gemma, mas você não presta atenção em nada que eu falo. — Harry disse dando de ombros, sentado na poltrona do escritório de arquitetura da irmã, girando a cadeira em meia-lua. — Vou sair com um cara. — Ele repetiu.

— Ah claro que vai. — Ela riu saindo de sua mesa de projetos e sentando-se ao lado do irmão mais novo.

— Estou falando sério. — Harry reafirmou não muito preocupado com a desconfiança dela. — Ele se chama Louis e é analista de dados do Banco de San Francisco.

    — O que? — Ela disse estupefata. — Harry, pare de mentir. — Ela riu.

    — Vai se foder, Gemma. — Ele revirou os olhos. — É sério, chamei ele pra jantar…

    — Calma… — Gemma fez um gesto engraçado, fechando os olhos como se quisesse se concentrar numa equação matemática. — Você, Harry Edward Styles, chamou um cara super partidão para jantar? Veio até pedir meu carro emprestado? É sério isso? — Ela perguntava abrindo o sorriso cada vez mais, Harry apenas jogou a cabeça para trás com clara expressão tediosa. — Certo, quem é você e o que fez com meu irmão? — Ela explodiu numa gargalhada divertida, e também porque realmente estava feliz por ele.

    — Não é nada demais. — Harry desconversou, mas acabou rindo tímido também.

    — Como o conheceu? — Ela ajeitou-se confortavelmente na poltrona, como se estivesse prestes a ouvir a história mais divertida.

    — Ah é um pouco complexo… — Harry sentiu vergonha só de lembrar da situação. — Eu conto qualquer dia… — Ele desconversou e Gemma adorou o mistério, nunca tinha visto Harry com aquele brilho no olhar.

    — Tem uma foto dele? Deixa eu ver! — Ela pediu empolgada.

    — Tenho. — Harry tirou o celular do bolso e entrou no aplicativo de seu Facebook. Ele entrou na página de Louis e virou o celular na direção da irmã assim que maximizou a foto de perfil de Louis. — Esse é ele.

    — Nossa! — Ela arregalou os olhos surpresa. — Harry, ele é lindo! — Ela disse olhando agora para o irmão, que sorria de um jeito único. Ela, obviamente, reparou, tendo certeza que Harry estava naquele estágio de começar a se apaixonar.

    — Ele é… — Styles disse num tom de voz mais doce. — E não é só isso, ele é realmente um cara super legal… Você nem imagina. — A cada frase dita por ele, Gemma ficava mais feliz por ele.

    — Mas espera aí, você não tem ele de amigo não? — Gemma comentou ao ver que o botão de “Adicionar Amigo” ainda estava ali.

    — Não, eu… — Harry começou a se explicar, mas ela clicou na tela rapidamente, fazendo o pedido de amizade. — Gemma! — Harry gritou desesperado, sabia que agora era tarde demais para desfazer, pois Louis provavelmente já havia sido notificado. — Porra!

    — Que foi? — Gemma arregalou os olhos bonitos, sabendo que fez uma travessura e por isso o sorriso permanecia. — Você vai jantar com ele, qual o problema de adicionar no Facebook?

    — Não acredito que você fez isso! — Harry estava com as bochechas vermelhas, sentia um misto de medo, insegurança, estava constrangido de Louis ver seu Facebook, não tinha certeza ainda se era uma boa ideia, pois sabia que Tomlinson fuçaria em tudo. — Gemma, eu vou te matar.

    — Mas por que? — Ela ainda ria vendo a expressão do irmão mais novo. — Qual é, Harry, pára de dar escândalo!

    Harry respirou fundo, realmente aquilo não deveria ser nada demais. Começou a olhar as próprias postagens pra ver se não tinha falado nenhuma bobagem, começou a revisar rapidamente suas fotos, pensando em deletar algumas que não queria que Louis visse… Tudo isso passou pela cabeça dele em poucos segundos, afinal, ele tinha absoluta certeza que Louis aceitaria o pedido no mesmo segundo que visse.

    — Tudo bem, tudo bem, agora já era mesmo. — Ele disse mais conformado olhando pra ela. — Enfim, posso ter o carro ou não?

    — Pode. — Ela disse mais calma, orgulhosa da postura do irmão, sempre soube que ele tinha muito potencial, mas lembrava-se muito bem das brigas dele com o pai, e também sabia que aquilo tinha deixado cicatrizes na personalidade dele.

    Ela levantou-se e foi até sua bolsa, tirando as chaves do Corolla prata que ela dirigia. Jogou na direção de Harry, que pegou-as no ar levantando-se em seguida.

    — Quer que te busque no trabalho e deixe em casa antes de eu ir jantar? — Harry perguntou guardando as chaves no bolso do jeans claro.

    — Não precisa, eu vou de táxi ou ligo para o Sean. — Ela respondeu referindo-se ao noivo de longa data.

    — Prometo que devolvo inteiro amanhã. — Harry abriu o sorriso.

    — Espero mesmo, já que quero saber como foi! — Ela respondeu animada, vendo-o andar em direção a porta. — Ei… Cuide-se. — Ela não poupou o tom de irmã mais velha.

    — Você também. — Ele disse já abrindo a porta. — Te amo.

    — Também te amo, cabeção. — Ela respondeu rapidamente antes de ouvir ele rindo enquanto batia a porta do escritório sem muita pressa.

    Gemma tinha um bom pressentimento sobre aquilo e sua intuição nunca falhava. Sabia que Harry estava tendo um momento especial e, mesmo que acabasse dando em nada, ficou feliz ao vê-lo pela primeira vez tomando iniciativa de algo.

x.x.x

    Louis ainda encarava a tela de seu computador mostrando o perfil de Harry — ele tinha acabado de aceitar o pedido de amizade. Era impossível pra ele fazer qualquer outra coisa naquela tarde que não fosse olhar pra aquilo — e nem era lá muito do feitio dele, ele não lembrava de olhar o perfil de ninguém, mal checava sua própria linha do tempo, entrava na rede apenas para publicar alguma coisa e olhar comentários. Mas, é claro que devido aos acontecimentos recentes e como tudo se desenhou, ele iria olhar tudo que conseguisse daquele perfil de Styles.

    Checou seus gostos musicais, as páginas que ele acompanhava, as fotos — até viu quem eram os pais dele e que ele tinha uma irmã mais velha —, percebeu que precisava admitir para si mesmo: independente do comprimento dos cabelos, Harry era extremamente sexy e bonito. Ele até sorriu ao clicar em uma foto que mostrava o garoto numa piscina com amigos, sem camisa e com os cabelos um pouco molhados. Louis não se percebia, mas só de olhar para o sorriso largos de Harry nas fotos, ele sorria de volta.

    Não sabia ao certo se deveria, mas sentiu que era praticamente inevitável ter que fazer aquilo. Achou que não deveria ser o primeiro a puxar assunto, mas lembrou-se que bloqueou o número do garoto de seu celular — sentiu-se até um pouco culpado por ter feito aquilo, apesar de saber que Harry mereceu.

    Ele clicou no botão na página de Harry de enviar uma mensagem privada e viu a pequena janela se abrir no canto de seu computador. Ele não queria falar, mas aparentemente seus dedos se moviam no teclado rápido demais.

Louis W. Tomlinson:
Gostei da tatuagem.

    Ele enviou após escrever e voltou seus olhos rapidamente para a foto de Harry que mostrava-o sem camisa com algumas tatuagens espalhadas: o principal, uma borboleta no centro de seu torso.

Harry Styles:
Hahaha… obrigado!
E obrigado também por me aceitar…

Louis W. Tomlinson:
De nada. Você demorou até demais para adicionar.

Harry Styles:
Sei bem.
Desculpe…

Louis W. Tomlinson:
A cada foto sua que vejo, percebo a cada momento menos motivos pra você ter mentido…

Harry Styles:
Não sei se fico lisonjeado com isso ou não…
Suas palavras soam um pouco subliminares agora :P

Louis W. Tomlinson:
Fico feliz que esteja ao menos experimentando um pouco de desconfiança agora! :)

Harry Styles:
Uau, não imaginava que você fosse do tipo vingativo… Hahaha...

Louis W. Tomlinson:
Não sou!
Mas é divertido! ;)

Harry Styles:
Onde está?

Louis W. Tomlinson:
No trabalho.

Harry Styles:
Ainda está bravo comigo?

Louis W. Tomlinson:
Nunca estive bravo com você, Harry…

Harry Styles:
Ah não?
Tem certeza?
Porque sua cara na primeira vez que conversamos não era muito amigável…

Louis W. Tomlinson:
“Bravo” não é a palavra…

Harry Styles:
Então qual é?

Louis W. Tomlinson:
Decepcionado talvez?
É, acho que sim.

Harry Styles:
Eu só quero reafirmar que não menti pra você sobre meus sentimentos.

Louis W. Tomlinson:
Não acho que devamos falar disso agora.

Harry Styles:
Você ainda gosta de mim?

Louis W. Tomlinson:
Não acho que devamos falar disso agora!

Harry Styles:
Mas só me responde isso.
Gosta ou não?

Louis W. Tomlinson:
Eu não sei o que te dizer.

Harry Styles:
Tudo bem… Eu entendo como se sente.

Louis W. Tomlinson:
Na verdade não, Harry, não entende.

Harry Styles:
Eu não vou desistir de você mesmo assim.

Louis W. Tomlinson:
Por que?
Você gosta de mim mesmo ou só quer se redimir pela mentira?

Harry Styles:
Eu te amo, Louis! Eu quero que você entenda isso, nada mais.
Se eu não for correspondido por você, tudo bem, mas eu preciso primeiro ter a chance de te mostrar que isso é real… Que eu sou real.

Louis W. Tomlinson:
Eu já te dei essa chance…

Harry Styles:
Então estou pedindo outra!!!

    Louis sorriu um pouco com aquela resposta, parte dele gostava de ver esse esforço, era meio que tudo que ele queria, afinal, certamente seus sentimentos também não mudaram. Mas agora tudo ainda estava um pouco nublado e confuso, ainda assim ele queria saber no que aquilo ia dar.

Harry Styles:
Te vejo daqui a pouco?

Louis W. Tomlinson:
Estarei te esperando…

    Em resposta, Harry apenas mandou um coração. Ele não estava nervoso até o momento, meio que não queria esperar nada daquela noite — colocou tanta expectativa no decorrer dos dias que conheceu Styles que agora tinha receio de fazer novamente e se machucar. Porém, ao fechar a janela de conversa com Harry, ainda permaneceu na página dele, olhando suas fotos e se perguntando se era aquilo que Harry fazia quando os dois se conheceram e ele vivia mencionando coisas que Louis publicava. Era um tanto divertido pra ele aquela fase, mesmo que ainda tivesse receios.

    — Com licença. — Liam apareceu na porta do escritório com a fisionomia um pouco cansada.

    — Entre, Liam. — Louis disse gentil. — E é bom que esteja aqui pra avisar que está indo embora! — Ele brincou ao ver que Payne estava fazendo muitas horas extras aquela semana.

    — Na verdade, é o oposto, chefe. — Liam disse com um breve sorriso. — Preciso terminar algumas coisas e…

    — Liam, vá pra casa! — Louis disse cuidadoso, como quem realmente se importava. — Não há nada aqui que não possa ser resolvido amanhã. Além do mais, eu já estou indo também…

    — Mas já? — Liam olhou no relógio. — Você é sempre dos últimos a sair…

    — È, mas hoje… — Louis pigarreou e sorriu de canto. — Eu tenho um jantar.

    — Ah é? — O estagiário surpreendeu-se com a notícia.

    — Harry. — Louis disse suspirando ao dizer o nome do outro, Liam ficou ainda mais surpreso.

    — Mas eu achei que…

    — É, eu sei, mas… Eu quero… Eu quero conhecê-lo. — Tomlinson admitiu e seu funcionário ouvia atentamente. — Acho que devo pelo menos isso a ele.

    — Entendo… — Liam respirou fundo.

    — Tenho uma certa história com ele, e eu gosto dele, Liam… Mesmo sendo estranho, mesmo eu ainda não entendendo o que ele fez e também tendo toda essa questão do Niall… — Tomlinson comentou sem querer pensar muito a respeito. — Não é como se eu realmente achasse mais importante como ele se parece…

    — Você está certo, sabe disso, não é? — Payne incentivou. — Eu não sei se conseguiria, mas te admiro por saber que é assim que devemos ser.

    — Claro que consegue. — louis disse sorrindo dando dois tapinhas no ombro de Liam. — E pare de ficar bravo com Niall. — Ele concluiu e viu Liam baixar os olhos. Mesmo sem ele ter dito abertamente, Tomlinson sabia que Liam estava pronto para abrir mão de Niall se ele pedisse. — É um bom garoto, tenho certeza que vocês dois igualmente merecem a tentativa.

    — Vou pensar. — O estagiário foi honesto. — E me conte como foi esse jantar?

    — Claro, amanhã conversamos. — Louis disse preparando-se para sair de sua sala. — E não fique até tarde, sou seu chefe, é uma ordem. — Ele disse rindo, mas falando sério. Liam concordou dizendo que iria embora também.

x.x.x

    Harry estava tão nervoso que suas mãos suavam quando ele as tirou do volante. Ele desceu do carro para esperar Louis na porta de seu prédio e, mesmo sabendo facilmente como chegar no endereço enviado pelo analista, Harry saiu de casa mais cedo pra ter certeza de que não se atrasaria — lembrou-se do fato de Tomlinson ser britânico e aquilo deveria mesmo contar muito pra ele.

    Ele mordia os cantos das unhas encostado no carro após mandar uma mensagem para Louis de que havia chegado e, como resposta, recebeu um “estou descendo”. Encarava a entrada principal do prédio de Louis e, a cada segundo, precisava acalmar a si mesmo. Não tinha certeza se tudo aquilo funcionaria e, pra ele naquela hora, ele dizia que tudo bem se não desse certo, mas a verdade era que ele não tinha a menor ideia de como conseguiria superar se de fato aquilo desse em nada.

    Quando Louis apareceu, ele segurou a respiração por vários segundos. O analista conseguiu a façanha de vestir-se impecavelmente, mas sem nenhum exagero. Ele tinha um blazer preto discreto por cima da camisa azul escura, os primeiros botões abertos e uma calça social da mesma cor do blazer. Não usava gravata e os sapatos eram adequados, formais, mas ainda assim não eram os mesmo que Louis usaria para trabalhar. Harry, com sua simplória camisa branca toda fechada por fora do jeans preto colado e mesmo com todo aquele tamanho, sentiu encolher-se praticamente.

    — Desculpe se te fiz esperar. — Louis abriu um meio sorriso ao ficar de frente para Styles. O viu novamente jogar os cabelos para trás como se quisesse ajeitá-los e passou a língua pelos lábios.

    — Não fez. — A voz rouca saiu um pouco falha e Harry pigarreou. — Eu acabei de chegar.

    — Vamos? — Louis fez menção de entrar no carro, mas Harry se contrapôs, passando na frente dele e abrindo a porta do lado carona.

    — Vamos sim. — Styles disse fazendo Louis rir com vontade. Certo, estava bem óbvio o esforço exagerado que Harry estava fazendo. Mas ele não fez comentários, apenas entrou no carro rapidamente e esperou Harry tomar o assento do motorista ao seu lado.

    — Onde vamos? — Louis perguntou colocando o cinto de segurança enquanto Harry fazia o mesmo.

    — Conhece um chef chamado Gary Danko? — Harry disse com um sorriso de canto, fazendo Louis deitar a cabeça no banco e lembra-se obviamente no restaurante que Harry tinha recomendado a ele nas primeiras conversas dele. — É o bicho! — Ele concluiu fazendo uma referência engraçada a gíria que Louis usou para se referir ao lugar depois de ter ido.

    — Por acaso conheço sim, me foi recomendado. — Louis respondeu de um jeito engraçado fazendo Harry rir, sentindo-se um pouco menos nervoso.

    Styles seguiu até o centro de San Francisco, ligou o som do carro numa seleção de músicas que tinha feito apenas com bandas que Louis gostava — e Tomlinson percebeu no momento em que Santeria, da extinta banda Sublime começou a tocar. Harry sorriu de canto ao ver que Louis virou o rosto para encará-lo, pronto para perguntar se era proposital, mas não precisou. Com o canto dos olhos, Harry olhou para ele sem dizer nada.

    Ele estava satisfeito, qualquer detalhe que fizesse, qualquer coisa que pudesse ressaltar sobre o quanto estava interessado em fazer aquilo funcionar, servia para que ele se sentisse cada vez mais reconectado com Louis — especialmente porque tê-lo tão perto ali ainda era um pouco demais para Styles assimilar. O perfume daquele homem, sutil mas marcante, o fazia perceber que precisava dele cada vez mais.

    Louis, por sua vez, tentava acalmar seu coração aos poucos, mesmo que parte dele achasse tudo loucura, e sua razão colocava empecilhos em tudo — desde a mentira de Harry até sua idade, era jovem demais pra ele de certa forma, aquilo poderia ser um problema no futuro. Mas o silêncio dos dois não era constrangedor e nem estranho, era como se ambos precisassem daquele tempo para si, para estarem perto sem dizer nada, deixando apenas que os olhares tímidos e alguns sorrisos pelos espelhos retrovisores falassem mais do que todas as palavras poderiam de fato expressar.


Notas Finais


Link do Facebook do Harry: https://goo.gl/y4X2Ov


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...