História Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias 2PM, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, BtoB, Got7, Monsta X
Personagens Chansung, G-Dragon, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Junho, Mark, Nichkhun, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taecyeon, V, Yugyeom
Tags Bts, Cativeiro, Jin, Prisioneira
Visualizações 233
Palavras 969
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá minhas armorinhas tão amadas e idolatradaaas...
Sei que o capítulo tá pequeno, mas esse foi pra acabar com todos os forninhos sobreviventes..
Peguem os lencinhos, chamem o médico, e se segurem, pq esse final de temporada tá cheio de emoções.
Não briguem comigo, please!! Mas a logo já vem a Season Finale, sim, a próxima já é a última.... agora que morro de vez...
Enfim... Espero que estejam preparadas para o que está por vir.
Boralá...

Boa leitura!!

Capítulo 27 - Uma Semana - Final Season 2


Fanfic / Fanfiction Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 27 - Uma Semana - Final Season 2

 

 

Jin P.O.V

 

 

 

Jm – Tem certeza que esse plano vai dar certo? Por que não vai conosco Jin? – Jimin alisava os cabelos preocupado.

J – E correr o risco de eles acabarem nos seguindo? Jimin, eu tenho uma família pra proteger.

Jm – Eu sei, mas se algo der errado, já pensou em como a s/n vai ficar? Vocês tem sete filhos Jin, sete.

Yg – Uuuu... o sétimo filho é sempre um lobisomen.

Nj – Cala a boca zumbi. Vai dormir. – Yoongi bufa e se escora de novo na cadeira, baixando o gorro até os olhos.

J – Eu sei quantos filhos eu tenho, fui eu que fiz. – Yoongi ri baixinho da cadeira dele, levando um tapa de Namjoon. – Já ta tudo esquematizado. Namjoon e Jungkook vão ficar pra me ajudar na fuga. Vocês vão pra ilha com meus seguranças e minha mulher e meus filhos. Cuidem muito bem deles até eu voltar. Se eu voltar.

Jh – Pelo amor de santa Sehuna Jin, não fala isso. Tu não é louco de deixar s/n sozinha nesse mundo. Acho que ela morreria se algo acontecesse com você.

Th – Ela só não se mataria por causa dos filhos. – Todos na mesa concordam. Sinto um peso no peito, eles tinham razão, mas precisava zelar pela segurança da minha família.

J – Chega, o plano é esse e ponto final. Temos uma semana até o ataque. Irei aproveitar ao máximo a minha semana com minha esposa e meus filhos. Na noite de sexta feira vocês irão para a ilha. Agora estão dispensados. – Vejo os rapazes saírem cabisbaixos resmungando contra aquele maldito plano. Olho para o porta retratos em minha mesa com a foto de minha amada esposa com nossos filhos. Sinto as lágrimas me invadirem e aproveito aquele momento sozinho em meu escritório para deixar elas desabarem. – Eu te amo tanto minha querida. E cada um de nossos Jinzinhos.

 

 

 

[...]

 

 

 

 

s/n – Aaaw Jin... – Estava tentando não pensar no quanto sentiria falta desses gemidos. – Assim... assim não dá Jin.... – Rio soprado enfiando o quarto dedo naquela bucetinha apertadinha.

J – Geme pro oppa, meu amor, minha princesa. – A beijo calorosamente sentindo seu corpo contorcer debaixo do meu, seu líquido escorre entre meus dedos, mas eu continuo estocando-os, fazendo seu corpo estremecer e suas unhas arranharem minha nuca de uma maneira desesperada. – Aah minha princesa, sempre tão gostosa.

s/n – Jin, tem certeza que não irá conosco? – Sinto um nó se formar em minha garganta. Ela fecha os olhos suspirando. – Por que eu sinto que esconde algo de mim? – Ela volta a me olhar em súplica para que eu desabafasse. Mas não podia. Sabia que se o fizesse ela insistiria em ficar ou me arrastar com ela.

J – Eu não escondo nada de você. Nunca escondi, e nunca esconderei.

s/n – Nunca escondeu vírgula. Eu não me esqueci daquela vaca. – Emburra fazendo biquinho que eu logo trato de abocanhar tirando meus dedos de dentro dela e me ajeitando sobre seu corpo. Hoje, nossa última noite juntos antes do ataque, eu iria fazer diferente. Iria amá-la como ela merecia. Como se fosse a última vez que o faria.

J – Eu só posso dizer que cada minuto longe de você é como se fosse uma eternidade. Não sei quanto tempo vou levar pra encerrar os negócios aqui, só lhe peço paciência e compreensão. – Ela suaviza sua expressão antes séria. Volto a tomar seus lábios, dessa vez com carinho, transbordando todo o amor que sentia por ela. Entrelaço nossas mãos a penetrando devagar, ouvindo um baixo suspiro vindo dela, abafado pelo beijo.

 

Quando finalmente havia enfiado toda a minha extensão nela, começo a me mover lentamente, embalando nossos corpos em um ritmo tão excitante quanto aqueles em que eu a estocava de maneira frenética. Naquele momento pude ter a certeza de que fomos feitos um para o outro, que nossos corpos se encaixavam como peças de quebra cabeça, nossas respirações seguiam o mesmo fluxo. Pela primeira vez em todos esses anos, estávamos fazendo o mais belo e puro amor. Sem palavras sujas ou joguinhos, apenas amor preenchia o ar à nossa volta.

 

 

 

 

 

 

Narradora P.O.V

 

 

 

Jq – Fala seu desgraçado, onde está sua família? – O sangue escorria dos machucados em seu rosto. Jin preferia morrer do que colocar a vida de sua família em risco. – Não vai falar? Ótimo, amarrem ele na cadeira elétrica. – Jin sentiu seu corpo ser arrastado brutamente pelo chão e logo se viu amarrado em uma cadeira.

 

Descargas elétricas corriam por seu corpo, e a cada nova onda de choque, ele via toda a vida ao lado de sua esposa passar em sua mente. Desde o dia em que ela a salvou na escola, o dia em que WiHam surgiu, quando Yoongi anunciou que estava estudando com ela na faculdade. O olhar dela para ele quando a sequestrou. O primeiro café da manhã que ele preparara para ela e o quanto ele teve que aguentar para não desabar em sua frente e revelar quem ele era e tudo o que sentia por ela. Seu sorriso ao correr por entre as árvores floridas em Seul. O anúncio de sua primeira gravidez, e consequentemente a segunda. Ele sentia aquelas lembranças serem drenadas de sua mente, como se ele começasse a deixar de existir. E nesse momento ele realmente deixaria de existir, ou pelo menos ficaria preso em algum canto daquele corpo já vazio. O que restara? O puro assassino sangue frio que ele tanto segurara dentro de si.

 

Jq – Vai abrir o bico? Cadê a sua esposa e os seus filhos?

Wh – Eu não tenho esposa e nem filhos. Eu não sou o Jin. Jin está morto. – Usando toda sua força WiHam arrebenta as cordas que o mantinham presos na cadeira derrubando todos que tentassem o segurar. Jing-Quo ficou fascinado com a habilidade e a força dele e deu sua última ordem.

Jq – Prendam-no. Encontrei o soldado perfeito!


Notas Finais


Chorei.... Muito... chorei mesmo escrevendo esse capítulo...
Emocionada aqui... Estou tão ansiosa para a season finale.... Será que Jin morreu de vez mesmo?
Será que só nos restará WiHam?
Será que ele se submeterá a ser um soldado do Jing-Quo?
E a s/n? Como ela vai ficar quando descobrir o que realmente aconteceu com Jin?
Ouxeee... tantas perguntas a serem respondidas... Só nos resta aguardar a próxima temporada...
Espero que tenham gostado armorinhas minhas e não esqueçam daquele comentário maravidigno que só vcs sabem deixarrr....

Beijão, amo muito vocês viu?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...