História Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Yugyeom
Tags Bts, Cativeiro, Jin, Prisioneira
Visualizações 367
Palavras 2.741
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá Sweeties lindas...
E com muito esforço para vcs terem a melhor história, ou pelo menos uma das melhores, aqui está mais um capítulo....
Esse ficou mais fofinho, mas tem muitas revelações...
Espero que gostem, pq eu adorei escrever este capítulo....
Esse capítulo vai me ajudar muito a dar uma guinada nessa história..
Nas notas finais deixarei alguns esclarecimentos que se eu colocasse aqui seria spoiler....
heheheh

Boa leitura!! :*

Capítulo 4 - Lembranças


Fanfic / Fanfiction Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 4 - Lembranças

P.O.V Jin

 

Já estava nessa vídeo conferência faziam três horas. Não aguentava mais ouvir tantas baboseiras. Meus pensamentos não paravam de ir para (s/n) e na nossa noite juntos. Quem diria hein senhor Kim SeokJin, que finalmente, depois de tantos anos, vc teria a mulher da sua vida em seus braços, te obedecendo, fazendo tudo o que vc manda do jeitinho que vc gosta. (s/n) conseguia me dar o prazer que mulher nenhuma jamais me deu. Logo logo faria dela minha mulher e minha cúmplice nos meus serviços do Harém.

Colocaria ela no comando de um jeito ou de outro. Já sentia ela se entregando aos meus sentimentos. Sua loucura logo combinaria com a minha e manteríamos os negócios unidos, como o casal que eu sempre desejei que fôssemos. Tudo bem que ela não se lembre de mim, ainda. Até pq naquela época eu era um nerd magrelo e sem graça. Quem prestaria atenção em mim?

 

FLASHBACK ON

 

Nj – Olha lá o Nerjin. Onde pensa que vai esquisiJin. – Namjoon sempre implicava comigo, mesmo eu sendo mais velho que ele, e os outros riam de suas piadas sujas o ajudando a me humilhar. Mas me aguarde Namjoon, um dia eu é quem estarei por cima.

J – Me deixa em paz. – Falei tentando passar reto por eles.

Nj – Óó... vai chorar seu merjin.... – Eles riam cada vez mais. Tento passar de novo por eles, mas sinto alguém colocando o pé na minha frente me fazendo cair no chão e derrubar todo meu material. Começo a juntar quando sinto um líquido quente contra minhas costas. Dou uma olhada pra trás e vejo Yoongi e Namjoon mijando em mim. Ah não. Era só o que me faltava.

??? – Hey, seus pedaços de lixo humano. – Escuto uma voz feminina. – Deixem ele em paz ou vou chamar o diretor.

Yg – Olha só, (s/n), a defensora dos nerdinhos. – Todos começam a rir da garota.

(s/n) – Sério Yoongi? Vai mesmo querer me desafiar? Vc já passou por bons bocados na detenção por minha causa, não foi mesmo?

Nj – Aí pessoal, vamos dar o fora. – Ele se abaixa ao meu lado. – Teve sorte dessa vez Nerjin. – Eles saem e a garota se aproxima. Quando olho para ela, meu coração dispara. Com certeza era um anjo. Desejei ter ela ao meu lado de todas as formas e de qualquer maneira.

(s/n) – Vc está bem? – Ela fala me estendendo a mão. – Está todo molhado. Venha, vc precisa de um banho. – Ela me puxa para fora da escola. Andamos algumas quadras e chegamos no que supus ser sua casa.

J – Seus pais não vão ficar chateados?

(s/n) – Eles estão trabalhando uma hora dessas. Vem, vou pegar umas roupas do meu irmão, espero que sirva. Ele é um pouco mais magro, mas quem sabe né. Algumas peças mais largas podem resolver. – Ela entra em um quarto e volta com algumas peças de roupa na mão, uniformes. – Meu irmão estudou na mesma escola que nós, mas ainda não se livrou do uniforme. Venha, vou te mostrar onde pode tomar banho.

 

Ela me levou até seu quarto, que era muito bonito, e rosa, eu gosto de rosa. É estranho um rapaz gostar de rosa? É. Mas eu não me importo. Ela me levou até seu banheiro me entregando uma toalha limpa e falando para eu tomar um banho rápido para voltarmos para a aula. Apesar de eu achar que àquela altura já não poderíamos mais entrar na classe. Tomei um banho, vesti o uniforme que ficou um pouco mais justo e saí do banheiro, dando de cara com ela sentada em cima de sua cama me esperando.

 

(s/n) – Vamos? – Assenti e saímos de lá.

J – Muito obrigada. – Ela sorriu.

(s/n) – Não tem de quê. Sei como é ser atormentada por eles. No seu caso, quem pega no seu pé é o Namjoon, enquanto eu tenho que me virar com Yoongi.

J – Pq? Vc é muito bonita. Pq eles pegam no seu pé?

(s/n) – Pq sou uma nerd. Uma nerd bonitinha. E isso faz com que eles se deliciem me incomodando. Mas eu não me irrito mais. Já aprendi a lidar com eles. – Ela me olha sorrindo. – Se quiser eu posso te ajudar.

 

FLASHBACK OFF

 

E foi assim que eu me apaixonei por ela. Mas meu pai me achava um frouxo e me mandou para o colégio militar. Depois de alguns meses de treinamento e muita disciplina já era chefe de monitores e comandava praticamente todos os alunos lá. Até o dia que Namjoon e seus amigos entraram na mesma escola. Vi ali minha oportunidade. Se eu aproveitei? Bom, hoje eles são meus empregados, então acho que não preciso responder.

Herdei o ramo imobiliário do meu pai, e a prostituição apareceu na minha vida por um acaso. Fiquei com uma casa enorme e vira e mexe acabava trazendo uma garota pra casa. Até que uns amigos começaram a perguntar onde eu arranjava garotas tão boas, e me ofereci para conseguir pra eles. E assim foi, quando vi já estava com um cardápio bem caprichado de belas moças, e a grana entrando fácil.

Tive uma ajuda de alguns sócios, como Jaebum, Jackson e Yugyeom, que se encarregavam de testar a mercadoria. As boas nós mantemos em nosso cardápio especial, enquanto as outras nós vendemos para algum velho rico que só quer uma companhia para afogar seus velhos perus. E assim a vida segue.

Cheguei a viajar com meus três sócios principais para ver como estavam as coisas em um de nossos haréns fora do país e quando voltei, Yoongi deixa escapar que estava estudando novamente com (s/n). Quando ouvi o nome dela meu coração disparou e comecei a traçar um plano para tê-la em meus braços. Comecei então a construção do sótão, pois sabia que não poderia simplesmente trazê-la para cá esperando que ela aceitasse viver comigo assim de repente. Teria que conquistar ela aos poucos. Claro que meu estado mental e minha necessidade de ser um dominador poderiam não me ajudar. Por isso tinha que ser um plano perfeito.

Quando Yoongi me disse do teste final e que depois dele seria a formatura, me desesperei e decidi colocar o plano em ação. Mas infelizmente tive que manter ela trancada numa sela fechada até que a obra do sótão estivesse concluída. E assim que terminou tratei de mandá-la para lá. Não podia deixar ela naquelas péssimas condições das celas. Ela não seria como as outras. Ela era única e minha.

Terminei a vídeo conferência e fui direto para casa. Estava louco para voltar a vê-la e tocar aquele corpo maravilhoso dela. Nossa noite passada havia sido maravilhosa, e precisava repetir aquilo. Queria mesmo fazer aquilo em meu quarto. Mas tenho medo de ela tentar fugir. E se ela conseguir, não sei o que aconteceria comigo. Já tinha ido à loucura quando descobri que Namjoon havia tocado nela, marcado ela. Mas ele teve o que mereceu. Uma bela surra. E tive o prazer de deixá-lo trancafiado na solitária do porão. Uns dias, ou semanas, quem sabe assim ele aprende a não me desafiar mais.

Entrei em casa e fui para a cozinha tomar um copo de água. Estava tudo muito calmo naquela casa hoje. Fui para a sala e encontrei os garotos lá, menos o Taehyung. Eles estavam assistindo TV, como sempre. Me sento em minha poltrona e fico assistindo com eles e pensando em uma maneira de conquistar (s/n). Até que me veio na memória que ela queria ir tomar sorvete. Decidi então que faria uma surpresa e a levaria ao shopping e de quebra passaria em uma sorveteria. Essa tarde seria muito proveitosa. Primeiro iria preparar o almoço pra ela. E depois faria a surpresa.

 

J – Hoseok, quero que vá até uma floricultura e encomende um buquê de rosas pra mim. E peça para colocarem junto uma caixa daqueles bombons especiais.

Jh – Eita, quem é a mulher de sorte?

J – A única mulher da minha vida. Agora vá. E nada de rosas vermelhas, vc sabe bem qual que eu gosto.

Jh – Ok chefia. – Ele ia se retirando, até que resolvo ir até ele e pedir alguns conselhos. De todos, Hoseok era o que mais tinha a cabeça no lugar.

J – Hoseok, espera. – Ele se vira pra mim fazendo sinal para que eu falasse. – Vc, acha que seria possível ela se apaixonar por mim?

Jh – Eu diria que ela já está sentindo algo pelo senhor.

J – Você acha? – Senti meu coração acelerar com essa possibilidade.

Jh – Não estou lhe dando certeza, mas acho que vc mexe sim com os sentimentos dela.

J – Humm.. Ok. Muito obrigado. Pode ir. – Fiquei pensando naquilo. Se fosse verdade, eu só precisaria virar a cabeça dela de vez.

 

Fui ao meu quarto, tomei um banho e coloquei uma roupa mais confortável. Uma calça de moletom preta, uma camisa e meu moletom rosa. Passei um perfume leve, e fui em direção ao cafofo dela. Essa garota não existe. Cafofo. Ainda me perguntam pq eu gosto tanto dela. Comecei a subir as escadas em direção ao sótão e ouço risadas altas vindas de lá. O que será que eles estão aprontando?

Abro a porta e dou de cara com os dois caídos no sofá e tudo sujos de algo que parecia ser chocolate. Taehyung apontava a língua para (s/n), enquanto ela tentava se esquivar dele. Acho que estavam em uma guerra de comida.

 

J – O que está acontecendo aqui? – Pergunto e os dois logo se sentam, tentando se recompor e segurar as risadas. – Taehyung, pode ir, e lava esse rosto. – Ele assentiu e passou por mim de cabeça baixa ainda rindo. (s/n) estava sentada no sofá e deixava algumas risadinhas escaparem. Me sentei ao seu lado e passei o dedo por uma gota daquele chocolate grudado na bochecha dela. Levei o dedo à boca e experimentei. Aquilo era muito bom. – Isso é muito bom, o que é?

(s/n) – Brigadeiro. – Respondeu levantando o rosto ainda rindo. – Ainda tem na panela, quer? – Ela me olha com aqueles olhinhos brilhantes.

J – Prefiro o seu. – Digo e me aproximo lambendo o chocolate de seu rosto. Sinto ela tentando se afastar mas a seguro pela cintura, não deixando ela escapar.

(s/n) – Faz cócegas. – Fala ainda rindo. Puxo mais ainda ela pra perto de mim e começo a dar leves chupadas em sua pele, tratando de limpar todo aquele chocolate. Terminei levando meus lábios a sua boca, fazendo-a sentir o sabor do chocolate que acabara de limpar de sua pele. Ela correspondeu ao beijo de imediato, acho que Hoseok estava certo, ela já sente algo por mim.

J – Preciso fazer nosso almoço. – Disse interrompendo o beijo com certa dificuldade. Realmente não queria parar, mas ainda continuava a querer pôr em prática meus planos para aquela tarde.

(s/n) – Ah sim. Eu vou ao banheiro terminar de limpar meu rosto. – Falou um tanto envergonhada. E assim eu me levantei indo em direção à cozinha, enquanto ela se dirigiu ao banheiro.

 

Fiquei distraído pensando no beijo e no que Hoseok disse. Meu coração batia cada vez mais descompassado. Agora só precisava conquistar de vez o coração dela e virar aquela linda cabecinha. Ok, eu pareço um psicopata. Mas quando se trata dela, eu viro um. E ela será a minha psicopata tbm. Minha parceira de cobranças. Terminei de preparar o almoço e coloquei dois pratos em cima da mesa. Logo ela entra na cozinha e se senta na mesa comendo.

 

J – Está bom? – Sei que cozinho bem, mas adoro ouvir os outros elogiando minha comida, principalmente ela.

(s/n) – Está muito bom. Onde aprendeu a cozinhar assim tão bem?

J – Sempre foi um hobi. Quando estou nervoso ou ansioso, ou até mesmo chateado com algo, cozinho e isso me faz sentir melhor.

(s/n) – Hum. Já pode-se dizer que dá pra casar. – Fala rindo timidamente. Sim, já da pra casar, mas eu quero casar com ela.

J – Dá sim, se vc aceitar. – Digo e a vejo engasgar com a comida. Suas bochechas coram, e que linda que ela fica assim corada.

(s/n) – Já terminei, se o senhor me der licença, vou ao banheiro escovar meus dentes. – Fala e se levanta ainda envergonhada. Assinto e ela sai da cozinha. Onde eu estava com a cabeça? Não deveria ter sido tão direto. Termino de comer e limpo a louça. Vou até o quarto dela e vejo a mesma sentada na cama olhando pro nada.

J – Quero que vc se arrume, vamos sair hoje à tarde. – Digo e a vejo pular assustada.

(s/n) – Aonde vamos? Mais um encontro de negócios? – Diz ela arregalada.

J – Não, vc verá quando formos. Vc já sabe que roupas usar. Tem 2 horas pra se arrumar. Eu venho lhe buscar. – Falo saindo e a deixando sozinha.

 

Chego ao andar de baixo e escuto algumas vozes vindas da sala, vou até lá e dou de cara com meus sócios acompanhados daquela megera, Sook, uma ex-puta minha que foi comprada pelos três. A melhor coisa que fiz foi me livrar dela. Ela só sabia causar intrigas entre as outras putas dizendo o quanto ela era minha preferida. Iludida, fui para a cama com ela apenas duas vezes e ela realmente se achou mais importante, já que não costumo passar do teste da primeira noite com as garotas. Mas isso foi antes de (s/n) chegar. Agora passo essa tarefa para os garotos, e às vezes para meus sócios.

 

J – A que devo essa visita repentina? – Digo cortando a conversa deles.

Jb – Boa tarde Jin. Viemos tratar de negócios. Mais precisamente sobre a nova garota. Temos uma oferta por ela que não terá como recusar.

J – Já disse que ela não está disponível para negócios.

Sk – Jin, vai me trocar por uma garota que nem conhece?

J – Essa era a oferta? – Falei gargalhando. – Não sabem mais como negociar pelo visto.

Js – Sook nos contou que ela era sua preferida.

J – Sook é muito iludida. – Digo e a vejo abrir a boca em indignação. – Foi apenas duas noites querida, a do teste e na segunda eu precisava descontar minhas frustrações em alguém. Agora, se era só isso que tinham para tratar comigo, me deem licença que tenho um compromisso essa tarde.

Yu – Nós ainda iremos testar ela Jin. Vc não pode negar isso aos seus sócios. – Ignoro e continuo andando até meu quarto. Tranco a porta e vou para o banheiro tomar um banho e me arrumar.

 

Saio do banheiro e vou procurar uma roupa para me vestir. Decido colocar uma roupa menos formal, afinal, queria fazê-la se sentir mais a vontade com minha companhia. Coloquei uma calça jeans preta, uma camisa rosa bebê e uma jaqueta. Calcei meus tênis e voltei para a sala esperando dar a hora. Logo vejo Hoseok chegar com o buquê e os chocolates. Pedi para ele ir ver se ela já estava pronta. Estava muito ansioso por nossa tarde.

Jh – Senhor, ela já está pronta para sair. – Hoseok fala me tirando de meus pensamentos. Me levanto, pego as flores e os chocolates e vou em direção ao cafofo dela. Abro a porta e entro, encontro ela no quarto me esperando. Ela olha para mim e para os itens em minhas mãos.

J – Desculpe, são para vc. Espero que goste. – Ela me olhou por um instante com curiosidade e abriu seu sorriso tímido, pegando as flores e as cheirando.

(s/n) – São lindas. Obrigada. – Entrego os chocolates que ela analisa com cuidado. Ela passa por mim indo até a cozinha e colocando as flores num vaso e os chocolates na mesa perto das flores. Foi então que reparei na roupa dela. Ela havia escolhido um dos meus vestidos preferidos. Lembro de o ter escolhido pensando nela. Ele era justo no busto e marcava a cintura, a saia era mais solta, dando um leve movimento ao tecido, era rosa, claro, e todo bordado com flores de cerejeira. Ficara tão lindo nela que a fazia parecer um anjo. Ela escolhera um par de saltos nude, deixando o look mais leve. Seus cabelos cacheados caindo em cascata por suas costas me deixava louco para possuí-la naquele momento. Mas tinha que me conter.

J – Vamos? – Digo e estendo a mão, esperando ela pegar, e assim ela faz. Sem hesitar. Eu devo estar perdendo o resto da minha saúde mental. Descemos e fomo em direção a garagem. Abri a porta do carona para ela entrar e em seguida dei a volta no carro me ajeitando no meu lugar, dando a partida no carro. Espero mesmo que ela goste do passeio.


Notas Finais


Que fofo né genteee... Deu um pouco de pena dele tbm....
Esclarecendo alguns fatos sobre nosso princeso rosa....
Sim, ele é maluco.... Tipo o Coringa sabe, porém mais sutil...
Sim ele tbm é um assassino sanguinário quando se trata dos devedores....
E sim, ele pretende transformar a (s/n) em sua Arlequina, mas claro que aqui os nomes mudam e a maneira como tudo ocorre tbm... Estou explicando pq tratei isso de uma forma tão sutil que não dá de perceber muito né...
Espero que tenham gostado dessas revelações... pq muitas águas vão rolar ainda.... E muito hot tbm.... Quem sabe no próximo já nos deliciemos com mais uma cena desse Jin dominador que tanto amamos, hein?
Não esqueçam de dizer nos comentários o que acharam das revelações e do capítulo...

Beijinhos e até o próximooo!!! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...