História Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~Moon_MinAh

Postado
Categorias 2PM, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, BtoB, Got7, Monsta X
Personagens Chansung, G-Dragon, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Junho, Mark, Nichkhun, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taecyeon, V, Yugyeom
Tags Bts, Cativeiro, Jin, Prisioneira
Visualizações 1.177
Palavras 1.928
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá olá Sweeties do meu kokoro....
Então... Sei que disse que ia demorar um pouco mais para postar, porém tive um ataque de ideias e resolvi escrever logo antes que elas me escapem....
Aqui estamos com mais um capítulo... Esse está mais curtinho que os outros, mas vai deixar algumas coisas mais esclarecidas quanto ao nosso querido dominador...
Espero que consigam entender afinal qual a intenção dele com nossa queria (s/n)...
Como eu disse, ele é meio um jocker querendo sua arlequina...
Mas chega de papo antes que eu conte toda a história aqui... euhueheu

Boa leituraaa!!!

Capítulo 5 - Delírio


Fanfic / Fanfiction Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 5 - Delírio

(s/n) P.O.V

 

Ele estava muito diferente. Romântico talvez? Será que ele estava fazendo isso pra brincar com a minha cabeça e meus sentimentos? Pq mais uma vez, ele estava conseguindo. Sim, eu estava me apaixonando pelo louco dominador que me mantinha aprisionada. Já me sentia capaz de qualquer coisa para tê-lo só para mim. Até matar. É, ele tá mexendo mesmo com a minha cabeça.

O caminho todo, ficamos em silêncio, ele não quis dizer para onde iríamos, e isso estava me matando de curiosidade. Ainda não acreditava que ele havia falado aquilo sobre o casamento. E aquelas flores e os chocolates? Meu deus, eu estou ficando louca. Seria capaz de dizer sim se ele realmente me perguntasse se quero casar com ele. Mas isso não será apenas coisa da minha cabeça? Ele tem um harém em baixo da casa, como posso confiar que ele não está apenas me enganando para depois me jogar lá com as outras?

Parei meus pensamentos quando percebo que chegamos ao shopping. Sério? Meu deus, ele tá tentando me conquistar mesmo? Senti meu coração palpitar de felicidade. Olhei pra ele surpresa e ele me olhou de volta com um sorriso nos lábios. Aish, aquele sorriso. O que eu faço hein? Se tudo nele é perfeito pra mim? Achava que essa história de ser submissa fosse loucura, mas depois da noite passada, loucura seria não me render aos comandos dele. Ele estacionou o carro e retirou o cinto. Tirei o meu e antes que ele pudesse sair ou dizer qualquer coisa o abracei.

 

(s/n) – Obrigada! – Percebi que ele havia ficado sem reação. – Desculpe. Não devia ter feito isso eu sei. – Disse me afastando. Mas ele me puxa de volta me enlaçando em seus braços. Aquela era a melhor sensação do mundo.  – Jin? Quero dizer, senhor Jin?

J – Me chama de Oppa, (s/n). – Fala nos separando do abraço e olhando nos meus olhos. – Seu Oppa. – O que esse homem tá fazendo comigo? Puxo ele para um beijo sem me importar com as consequências. Quanto mais o beijava, mais vontade eu tinha de sentir seus lábios carnudos e quentes nos meus. Separo o beijo um pouco ofegante.

(s/n) – Jin oppa, o que viemos fazer aqui?

J – Compras? – Fala como se fosse a coisa mais óbvia. – Talvez um cinema? – Aquilo sim me pegou de surpresa.

(s/n) – Então vamos logo. – Falo e me viro saindo do carro. Ele tbm sai, dando a volta e pegando em minha mão, entrelaçando nossos dedos. Olhei para nossas mãos e sorri.

 

Jin me levou em diversas lojas, me permitindo comprar apenas roupas rosas. Não me importava, afinal era minha cor favorita. Mas tinha que fazer uma façanha. Arrastei ele até uma loja e fiz ele comprar uma roupa de casal, combinando. Rosa, claro. Ficamos andando mais um pouco até que decidimos ir ao cinema. Escolhemos um filme qualquer. Ele escolheu na verdade. Entramos na sessão que estava completamente e estranhamente vazia. Ele me puxou até a última fileira e nos sentamos esperando o filme começar.

Levou alguns minutos até que as luzes se apagaram e o filme começou. O filme era sobre um casal de psicopatas que tinham negócios sujos, e tinham muitos credores. A mulher ajudava o marido a cobrar as dívidas dos clientes, o que muitas vezes acabava em tortura e assassinato. Porém tinha muitas cenas quentes. Sentia o olhar de Jin sobre mim, mas tentei ignorar. Até que sinto ele se abaixar e passar as mãos por minhas pernas, subindo em direção a minha intimidade.

Suspirei pesadamente tentando me manter calma e não gemer. Ele logo colocou os dedos por dentro de minha calcinha a rasgando em seguida. Dei um pequeno grito quando senti o fino tecido ricochetear em minha perna. Ele logo penetrou dois dedos fazendo movimentos lentos de vai e vem me olhando como que para analisar minha reação.

Soltei um gemido baixo e o mesmo retirou os dedos dando um tapa em minha intimidade, mandando eu ficar quieta. Ele lentamente abre minhas pernas e leva seus lábios até minha intimidade, chupando meu botãozinho enquanto volta a estocar seus dedos em minha entradinha. Ele estocava os mesmos rápido e forte, me fazendo arfar. Eu mordia o lábio tentando conter os gemidos. Logo sinto meu interior se contrair em seus dedos, anunciando meu ápice. Ele logo trata de lamber todo meu líquido e se senta de volta em sua poltrona.

Continuamos assistindo o filme, e aquilo tudo me excitava. O modo como o homem mandava e a mulher o obedecia como se fosse uma cachorrinha. Comecei a me imaginar assim com Jin. Num impulso da minha excitação, levei minha mão até seu membro, que já estava rígido. Sentindo aquilo, o olhei com malicia, e logo foi minha vez de escorregar descendo da poltrona. Abri sua calça lentamente puxando sua cueca junto e vendo seu membro saltar.

Sem demora, abocanhei o mesmo o chupando freneticamente, como se fosse o pirulito mais delicioso do mundo, o que de certa forma era. Eu chupava e lambia sua extensão loucamente, os sons do filme me instigando ainda mais. Sinto seu membro pulsar e ele derrama todo seu líquido em minha boca, que logo trato de engolir sem deixar escapar uma gotinha se quer.

Quando ia voltar para minha poltrona, ele pega em minha cintura e me joga contra a poltrona da frente, me fazendo ficar empinada pra ele. Ele se levanta e se debruça por cima de mim, me penetrando de uma vez, uma de suas mãos estavam em minha boca, me impedindo de soltar qualquer gemido. Ele me estocava rápido e forte, me fazendo atingir o segundo orgasmo com apenas algumas estocadas. Eu não sabia como ele conseguia, mas com ele eu sentia um prazer que jamais havia sentido com qualquer outro homem.

Logo ele se desfaz dentro de mim me puxando para seu colo e me mantendo ali até nossas respirações voltarem ao normal. O filme já estava acabando, e Jin continuava me provocando, beijando meu pescoço e mordiscando o lóbulo da minha orelha.

 

(s/n) – Isso é excitante. – Disse ainda ofegante.

J – O que? – Falou ainda beijando meu pescoço.

(s/n) – O filme. Nunca pensei que essa situação de submissão pudesse ser tão excitante. – digo virando meu rosto para beijá-lo.

J – Que tal se tornar minha submissa como o filme? Case-se comigo, e poderá ter isso para o resto de sua vida.

(s/n) – Aah Jin oppa. Não brinque assim comigo. Vc já mexe de mais com a minha cabeça e com meus sentimentos.

J – Então vou foder de vez com a sua cabeça. Aí sim, vc será minha. – Disse nos levantando e me puxando pela mão pra fora daquela sala. – Mas antes, tem mais um lugar que eu quero te levar. – Continuou me puxando até estarmos de volta no carro.

 

Ele deu novamente a partida e dirigiu por mais uns quarteirões, parando em frente de uma sorveteria. O olhei incrédula e feliz ao mesmo tempo. Vi seu sorriso se iluminar satisfeito por ver o quanto eu estava feliz apenas por estar ali. Saí correndo do carro, o fazendo sair desesperado atrás de mim. Deve ter achado que eu iria fugir.

Parei em frente a sorveteria esperando ele me alcançar. Assim que ele parou ao meu lado, peguei em sua mão e o puxei as pressas para o balcão para escolher meu sorvete. Pegamos cada um seu sorvete de morango e fomos nos sentar nas mesinhas do lado de fora da sorveteria.

Ficamos ali nos deliciando com o sorvete enquanto eu olhava o movimento da rua. Fazia tempo que eu não via como estava o mundo fora daquela casa. Fiquei olhando tudo ao redor como se fosse a primeira vez que via tudo.

 

Jin P.O.V

 

Ela estava radiante. Sabia que conseguiria conquistar o coração da minha pequena. E logo a tornaria minha oficialmente. Já podia sentir isso. E quando ela falou aquilo sobre o filme, tive a certeza que já tinha a mente dela pronta pra mim. Só precisava dar uns últimos retoques. Estava a admirando, ela olhava tudo ao redor, como se tentasse captar todas as coisas e guardar para si antes de voltar para casa. Mas se tudo desce certo, ela não precisaria ser mantida trancafiada.

Fico distraído em meus pensamentos quando de repente ela se levanta, ainda com o sorvete em mãos, e sai correndo. Meu deus, ela ta fugindo. Levanto-me e corro atrás dela. Aproveito minhas pernas compridas para alcançá-la, quando ela de repente para e me olha com o maior sorriso no rosto e aponta para frente.

Direciono meu olhar para onde ela estava apontando e vejo um enorme parque com as árvores completamente floridas. Ela volta a correr e para admirando as mesmas de perto. Eu estava realmente apaixonado por essa mulher. Ela é incrível. E tão linda. E tão minha. Eu precisava tomar a mente dela de vez. Transformá-la em minha psicopata. Terminamos nossos sorvetes e fomos embora.

Chegamos em casa e vejo algumas garotas andando soltas pela casa. Avisto Jungkook andando tranquilamente com as mãos no bolso e o chamo.

 

J – O que está havendo? Pq tantas garotas soltas?

Jk – Clientes. – Responde o mais novo dando de ombros. – Os quartos estão lotados.

J – Todos? Até o presidencial?

Jk – Não, aparentemente é o único livre.

 

(s/n) P.O.V

 

Aquelas garotas andavam seminuas pela casa como se fosse a coisa mais natural do mundo. Sempre que passavam por mim, me lançavam olhares de ódio e inveja. Mas quer saber? Já não dava a mínima, segurei na mão de Jin e fiquei esperando ele terminar de conversar com Jungkook. Logo ele termina a conversa e me abraça, passando seu braço por minha cintura e me guiando até algum lugar que eu ainda não sabia onde.

Paramos em frente a uma porta grande emoldurada em ouro. Ele me olhou de uma maneira maliciosa e abriu a porta entrando no quarto escuro e me estendendo a mão para que eu entrasse também. Peguei sua mão o seguindo para dentro daquele quarto escuro. Ele fechou a porta, a trancando, fazendo com que mergulhássemos na escuridão total. Senti suas mãos alisando a lateral de meu corpo e enlaçando minha cintura, me puxando para trás em direção ao seu corpo. Já podia sentir sua ereção contra minha bunda.

 

J – Hoje eu vou te enlouquecer de vez. E depois, vc será minha pelo resto da sua vida. – Disse com sua voz rouca de prazer, rente ao meu ouvido, me fazendo sentir sua respiração quente contra aquela área. – Você quer isso? Você confia em mim? – Senti ondas de prazer tomarem meu corpo. Eu queria aquilo mais do que tudo. Ele dizia que ia me enlouquecer, mas eu já estava louca. Desde a nossa noite passada.

(s/n) – Eu quero. É o que eu mais quero. – Respondi com a voz trêmula de desejo. – Eu confio em vc oppa. Me faça sua. Me enlouqueça.

J – Então assim será. – Num movimento rápido ele rasga meu vestido seguido de minhas peças íntimas, me deixando completamente nua. Ele coloca uma taça em meus lábios me fazendo beber o líquido que ali tinha.

Um líquido expesso e quente com leve sabor de morango com chocolate invadiu meu paladar, aquecendo todo meu corpo e fazendo meu prazer aumentar ainda mais. Podia sentir meu clitóris clamando por atenção, então ele me pega no colo, ainda no escuro e me deita em uma superfície macia. Fecho meus olhos sentindo o sono me invadir. Seja lá o que ele ia fazer, já podia sentir que minha sanidade não existiria mais depois daquela noite. Ele enfim me enlouqueceria de vez da forma dele, e só pra ele.


Notas Finais


Ai ai ai.... quantas emoções...
até eu queria me perder completamente por esse ser... quem não?
Espero que tenham gostado....
E não esqueçam daquele comentário, é, aquele comentário maroto que alegra tanto meu coração...

Beijos e até o próximo capítulo!! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...