História Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 7


Escrita por: ~ e ~Moon_MinAh

Postado
Categorias 2PM, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, BtoB, Got7, Monsta X
Personagens Chansung, G-Dragon, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Junho, Mark, Nichkhun, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taecyeon, V, Yugyeom
Tags Bts, Cativeiro, Jin, Prisioneira
Visualizações 1.061
Palavras 1.885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá minhas lindas Sweeties....
Então... Aqui estamos com mais um capítulo dessa fic que vcs tanto amam...
E meu deus.... 50 favoritos em 6 capítulos?? vcs querem me matar??
Que felicidade vcs me dão meu povo...
Então vamos lá.... Já sabem né.... Preparem os forninhos, o médico...
E gostaria de avisar que irei começar a trabalhar amanhã... mas farei de tudo para deixar os capítulos adiantados para não deixar vcs, amoras da minha vida, sem suas fics amadas....

Chega de papo Melissa e bora pro capítulo

Boa leitura meu povo....

Capítulo 7 - Casamento


Fanfic / Fanfiction Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 7 - Casamento

Jin P.O.V

 

O dia está mais calmo hoje no escritório. (s/n) fica o tempo todo no meu escritório, não quer me largar. E isso me deixa loucamente feliz. Às vezes ela anda até as vidraças que dão uma bela vista panorâmica de Seul, olhando o movimento da cidade e admirando alguma coisa que passe chamando sua atenção. Ela até conseguiu achar o parque das árvores que fomos ontem à tarde.

Mas o melhor é quando a secretária entra na minha sala para dar algum recado. (s/n) fica de olho para ver quando ela se aproxima e trata de sentar em meu colo, deixando bem claro que eu tenho dona. E quando ela faz isso, eu aproveito para abraçá-la e acariciar suas belas pernas.

Depois de um tempo, estávamos nós dois, no escritório, trocando carícias e beijos, ela sentada por cima de mim com suas pernas ao meu redor, quando somos interrompidos pelas últimas pessoas que eu precisava ver naquele momento. Meus sócios. Eles entram sem se anunciar, mas minha princesa nem se incomoda e continua me beijando. Ela se ajeita sentando de lado em meu colo e limpando meu rosto borrado por seu batom, enquanto atendo os três.

 

J – O que devo a visita de vcs aqui hoje? – Pergunto acariciando as pernas de (s/n). E logo percebo que eles ficaram incomodados com a cena.

Jb – Percebo que atrapalhamos algo hein? – Jaebum fala sem desgrudar os olhos de minha mulher.

J – Princesa poderia nos dar licença um minutinho? Aproveita para retocar esse seu batom para que eu possa tirá-lo de novo depois. – Falo sorrindo maliciosamente, e a vejo devolver o sorriso. Ela se levanta e se direciona ao banheiro do meu escritório. Vejo os três acompanharem os passos dela com olhares maliciosos.

Js – Vejo que conseguiu enfim conquistar a moça. Mas nossa oferta continua de pé.

J – Acho que vcs já estão cientes que irei me casar com ela hoje né?

Jb – Sim, e Sook ficou muito chateada por não ter sido convidada.

J – E nem será. – Digo seco. – Já lhes aviso que se eu vir ela lá, ficarão sem companheira. – Ameaço e os vejo engolir em seco.

Yu – E nossa ameaça continua de pé. Nós ainda a teremos. Nem que seja por uma noite. Mas ela irá para nossa cama. – Sinto meu sangue ferver.

J – Não ouse me ameaçar, muito menos encostar um dedo nela. Você não sabe do que eu sou capaz, Yugyeom. Eu matei seu irmão e não pensarei duas vezes em te matar.

(s/n) – Não meu amor. – A vejo voltar do banheiro nos fitando, seu olhar estava diferente, parecia que estava delirando de raiva. – Eu mesma matarei aquele que ousar encostar em mim. – Ela para ao meu lado, envolvendo seus braços em meus ombros e os fitando ameaçadoramente.

Jb – Você? Uma mulherzinha qualquer? – Debocha olhando para os outros que riem. Vejo-a pegar discretamente um canivete em minha gaveta e andar calmamente até Jaebum.

(s/n) – Você não devia subestimar uma “mulherzinha”. – Rapidamente ela saca a faca do canivete pressionando a mesma contra o membro de Jaebum, que arregala os olhos assustado. Ver esse novo lado da minha princesa me deixava excitado. Fiquei sentado apreciando a visão de minha princesa movendo lentamente o canivete, quase rasgando a calça de Jaebum enquanto os três me olhavam assustados. Esbocei um sorriso orgulhoso da minha pequena e me ajeitei em minha cadeira.

J – Amor pode relaxar agora. Deixa isso para o momento certo. – Ela se vira pra mim fazendo um biquinho chateada e volta em minha direção, dessa vez se sentando novamente em meu colo e enlaçando seus braços em meu pescoço, o canivete recolhido em sua mão. – Acho que já estamos conversados, não é mesmo?

Js – Por enquanto, sim. – Fala e faz sinal para os outros, se retirando de meu escritório. Ao saírem olho para (s/n) que me encarava com um lindo sorriso no rosto. Puxo sua mão, retirando o canivete da mesma e depositando-o em cima da mesa.

(s/n) – Eu quero um desse. – Fala fazendo biquinho.

J – Quantos vc quiser, meu amor. Agora, onde nós estávamos mesmo? Aé, eu tinha que te dar uma recompensa.

(s/n) – Recompensa? – Fala levantando uma sobrancelha.

J – Sim, por ser tão perfeita pra mim. – Falo e ataco seus lábios num beijo possessivo. Com um braço, jogo os objetos em cima da mesa no chão, deixando apenas o canivete, e a deito na mesma. Levanto sua saia e pegando o canivete, saco a faca cortando sua calcinha fora. Escuto ela gemer excitada com minha atitude um tanto selvagem.

 

(s/n) P.O.V

 

Sinto-o cortar minha calcinha com o canivete, o que me faz gemer com o movimento repentino. Ele havia tomado uma postura um tanto selvagem, e aquilo me excitava tanto. Mas eu era sua submissa, e adorava isso. Soltei-me e o deixei ditar as regras. Ele se abaixa e tira meus sapatos, subindo com mordidas por minhas pernas, mordendo mais forte ao alcançar minhas coxas. Ele vai subindo até chegar em minha intimidade, que já estava molhada.

 

J – Assim vc me deixa louco, princesa. Já tá toda molhadinha pra mim. – Fala e logo abocanha minha intimidade. Sua língua se movia freneticamente lambendo toda a extensão da mesma, se concentrando em meu clitóris. Com a ponta da língua, ele rodeia minha entradinha e logo estoca sua língua na mesma.

(s/n) – Aaaww oppa... Me chupa vai... Me chupa todinha... – Como ele conseguia me dar todo esse prazer? Só ele conseguia. E era só ele que eu queria.

 

Logo ele troca sua língua por seus dedos, penetrando três de uma vez, me fazendo gemer alto. Não me importava se a secretária ouvisse, era até bom ela escutar, pra ficar bem claro que ele já tem dona. E uma dona que o satisfaz loucamente. Ele concentra sua língua em meu botãozinho, mordiscando levemente enquanto faz movimentos circulares no mesmo. Ele chupava meu clitóris freneticamente, e eu já podia sentir meu ápice chegando enquanto minha intimidade se contraía ao redor de seus dedos.

Ele rapidamente tira os dedos, voltando a estocar sua língua e lambendo todo meu líquido. Se levantando, ele me puxa mais para a ponta da mesa, me posicionando de um jeito que me deixasse bem aberta. Apoiando uma de minhas pernas em sua cintura e a outra em seu ombro, ele logo me penetra de uma só vez, indo fundo, me fazendo o sentir inteiramente dentro de mim. Solto mais um gemido alto o que o faz começar acelerar os movimentos.

 

J – Geme pra mim, geme. Geme meu nome princesa. – Ele falava com a voz rouca em meu ouvido.

(s/n) – Aaaww Jin oppaaa!! Fode minha bocetinhaa!!

J – Quer que eu foda toda sua bocetinha é?

(s/n) – Quero Jin oppa. – Falo implorando.

J – Então assim será. – Ele enlaça minhas pernas em sua cintura me levantando e me levando até a janela. Saber que corríamos o risco de algum curioso dos prédios ao redor nos ver ali, me excitava ainda mais. Pressionando-me contra o vidro o suficiente para que sustentasse meu peso assim, ele ergue mais minhas pernas me abrindo mais, seu membro me estocando freneticamente e alcançando meu ponto G. Bastaram mais algumas estocadas e alcancei meu ápice. Sinto o membro dele pulsar e ele começa a diminuir os movimentos. – Quero que sinta isso. Quero que sinta minha porra te preencher lentamente. – E assim ele se desfaz dentro de mim lentamente, me fazendo sentir seu líquido preencher cada centímetro do meu interior.

 Ainda dentro de mim, ele me carrega até o sofá que havia ali sentando comigo em seu colo. Ele continua estocando lentamente, garantindo que seu líquido preenchesse todo meu interior por completo, sem escorrer uma gota. Ele acaricia meu rosto, colocando as mechas soltas do meu cabelo para trás de minha orelha e distribuindo beijos por meu rosto. Ergo o rosto e tomo seus lábios num beijo calmo. Ficamos ali até conseguirmos controlar nossas respirações.

 

Jin P.O.V

 

J – Princesa, que tal almoçarmos em um restaurante hoje? Sei que prefere minha comida, mas ainda terei que voltar para o escritório depois do almoço. – Pergunto dando um leve selar em sua testa.

(s/n) – Tudo bem oppa, desde que eu esteja ao seu lado, vou para qualquer lugar contigo. – Ela diz e mais uma vez, sinto uma alegria me invadir.

J – Então vamos lá, pois já está na hora do almoço. Pode ir ao banheiro se recompor se quiser. – Eu falo e a vejo lentamente se levantar, fazendo com que eu finalmente saia de dentro dela.

 

Quebra de tempo

 

Já estava tarde, quase na hora de irmos para casa e para nosso casamento. Ligo para os rapazes para saber se estava tudo ok, dou mais uma última checada em meus e-mails e me levanto, indo acordar minha princesa que cochilava no sofá. Ela conseguia ser linda de qualquer maneira, até dormindo. Me abaixo ficando próximo do rosto dela, beijando levemente sua bochecha e acariciando seu rosto.

 

J – Minha princesa acorda. Está na hora de irmos para casa. Temos um casamento, lembra? – Falo e a vejo arregalar os olhos, sentando-se rapidamente no sofá.

(s/n) – Meu vestido de noiva? – Fala arregalada.

J – Os garotos já providenciaram, e terá uma pessoa encarregada por fazer seu cabelo e maquiagem. – A vejo suspirar aliviada enquanto se levanta, enlaçando nossos braços para sairmos dali. Saímos de dentro do escritório e nos despedimos de minha secretária. Pegamos o elevador em direção à garagem, e assim, após embarcarmos no carro, voltamos para casa.

 

Chegamos lá e estava realmente tudo como havia planejado, como seria para poucas pessoas, não havia necessidade de muito exagero, apenas uma leve decoração e um coquetel para os poucos convidados. Claro que providenciei a lua de mel tbm. Nas ilhas do Caribe, mais precisamente, em uma ilha particular minha. Planejava possuí-la em cada canto daquela ilha. E quem sabe, depois de tudo isso, venha um Jinzinho para nos alegrar. Sorrio pensando nisso. Nunca pensei em ser pai, mas com (s/n), eu quero tudo.

A cerimônia já havia começado e (s/n) estava linda no seu vestido de noiva. E não, eu não tinha visto o mesmo, pois quem escolheu foi Hoseok. O vestido era lindo, parecia ter sido feito especialmente para ela. Era um cropped todo rendado branco, de mangas longas e decote canoa, deixando os ombros de fora. A saia tinha uma barra de seda rosa na cintura e caía perfeitamente por seu corpo, a renda branca modelando suas curvas.

A cerimônia chegou ao fim, e finalmente eu podia dizer para o mundo todo que (s/n), minha princesa, era minha esposa. Ficamos um tempo curtindo o coquetel com os rapazes e meus sócios, que estavam mais comportados depois da ameaça de minha querida esposa. Mas já estava chegando a hora de irmos para o aeroporto embarcar em meu jato particular, ou melhor, nosso jato particular, e irmos para nossa lua de mel.

 Jungkook havia ficado responsável por deixar nossas malas prontas, e eu tinha dado dinheiro para o mesmo comprar algumas peças de roupa para minha esposa, mais precisamente, lingeries, já que eu pretendia fazê-la vestir apenas isso durante as próximas duas semanas em nossa lua de mel. Despedimos-nos dos garotos e fomos para o aeroporto. Entramos no jato, a viagem seria um pouco longa, então falei para (s/n) aproveitar para descansar, já que a partir do momento em que pisássemos naquela ilha, eu não daria descanso algum para ela.


Notas Finais


Ufaaa.... esses dois tem bultaoreune no rabo
E esses sócios chatos hein??
Algo me diz que eles ainda vão aprontar....
Espero que tenham gostado amorinhas...
Não esqueçam daquele comentário maravilhoso que só vcs, minhas lindas Sweeties, sabem deixar....

Beijão procês!! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...