História Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~Moon_MinAh

Postado
Categorias 2PM, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, BtoB, Got7, Monsta X
Personagens Chansung, G-Dragon, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Junho, Mark, Nichkhun, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taecyeon, V, Yugyeom
Tags Bts, Cativeiro, Jin, Prisioneira
Visualizações 969
Palavras 2.561
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá Sweeties...
Bom, não seria justo postar capítulo extra nas outras fics e nessa não né...
Já aviso, segurem os forninhos...
Espero muito que gostem desse capítulo..
Esse tá um pouco mais pesado...
Lembrando que eu, SweetieArmy não apoio nenhuma forma de estupro ou abuso...

Boa leitura!!

Capítulo 9 - Armadilha


Fanfic / Fanfiction Cativeiro - Imagine (Jin HOT) - Capítulo 9 - Armadilha

Jin P.O.V

 

Estávamos entrelaçados na sala de cinema, vendo um filme, de princesas. A minha princesa estava lambendo os dedos sujos do caramelo da pipoca, e aquilo estava me excitando de mais. Mas prometi dar um tempo de folga pra ela, já que ela temia precisar de uma cadeira de rodas depois da lua de mel. O que eu posso fazer se só de olhar ela eu já fico louco? Desde o dia em que a vi em minha sala me dando a certeza de que finalmente a tinha só para mim, meu pau não amolece mais. Está sempre prontinho pra ela.

O filme já estava acabando e combinamos de ir na praia depois que ele acabasse. Já estava pensando, será que fodo ela na areia, no mar, ou nas árvores que circundam as ilhas. Bom, talvez eu foda ela nos três. Depois de alguns minutos, o filme finalmente acaba e nos levantamos indo para o quarto vestir roupas de banho. Encomendei pra ela um biquíni brasileiro, já que ela era brasileira e os biquínis de lá são beeem provocantes. Óbvio que ela só usaria comigo.

Pegamos algumas coisas, cadeiras, guarda-sol, entre outros trecos e fomos em direção a areia branca e a água cristalina. (s/n) estava deitada na cadeira se bronzeando e eu decidi ir tomar um banho de mar. Dei um mergulho e escutei um barulho estranho, parecia um motor. Saí de baixo da água, mas não havia nada por ali. Deve ser alguém se exibindo de alguma outra ilha que fazia parte do caribe. Ignorei e voltei a mergulhar. Estava nadando tranquilamente quando escuto uma espécie de grito. Volto para a superfície e quando olho para a areia, minha princesa havia sumido.

Saí correndo de dentro da água, indo em direção a casa, na esperança de que ela tenha voltado pra lá para buscar alguma coisa que tivesse esquecido. Entrei em casa e a chamei. Mas não obtive resposta. Escuto um barulho vindo do segundo andar. Vou correndo para lá, pra ver se ela estava lá. Percebo uma luz vinda de dentro da sala de cinema. Aquilo estava muito estranho. Entro cautelosamente na sala e escuto um som abafado de choro. Aproximo-me da grande cama rebaixada e vejo uma das piores cenas da minha vida.

(s/n) estava toda amarrada e amordaçada com alguns cortes em seu corpo, seu lindo biquíni havia sido rasgado e ela chorava muito. Percebendo minha presença, ela ergue a cabeça e começa a chorar mais, tentando gritar algo que não dava para entender. Antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, sinto uma pancada na cabeça e desmaio.

 

                                 [...]

 

???? – Acorda bela adormecida. – Eu conhecia aquela voz. Só podiam ser eles.

Yu – Olha só quem decidiu acordar para prestigiar nosso showzinho. – Abri os olhos lentamente, dando de cara com aqueles três canalhas em minha frente. Tentei me mexer pra dar uma surra neles, mas percebi que estava amarrado em uma cadeira.

Jb – Calma queridinho, hoje nós viemos aqui fazer um show, de graça, olha que legal! – Fala ele rindo maleficamente.

J – Soltem ela, agora! – Esbravejei.

Js – Pq vc acha que iríamos soltar ela? Olha essa belezinha. Não mesmo, primeiro, vamos nos divertir, e vc vai assistir tudo. – Fala fazendo sinal para Yugyeom que pegou uma fita e prendeu minha cabeça no encosto da cadeira, de maneira que eu fosse obrigado a assistir seja lá o que iriam fazer com a minha princesa.

Jb – Olha só que delicinha. – fala se abaixando ao lado dela. – Eu vou tirar sua mordaça, mas se ousar gritar ou fazer qualquer coisa, seu maridinho morre. – Fala segurando os cabelos dela e tirando uma arma de sua cintura. Ela arregala os olhos e me olha como se pedisse desculpas. Pisco pra ela tentando tranquilizá-la, afinal, que culpa ela tinha se eu não a protegi direito?

 

Jaebum tira a mordaça dela e logo ela começa a suplicar baixinho pra ele não fazer nada comigo. Ele começa a acariciar os cabelos dela, pedindo pra ela ficar quietinha. Jackson se aproxima com uma taça na mão, a entregando para Jb. Eu sabia muito bem o que tinha naquela taça, afinal, eu dei a mesma coisa pra ela na noite em que finalmente a fiz ser minha, de corpo, alma e mente.

 

J – Jaebum, isso já é covardia. Isso não! Não dê isso pra ela! – Ele me olha sorrindo debochado e ergue a cabeça dela, levando a taça aos lábios da mesma. Ela se nega a abri-los.

Jb – Beba ou eu atiro no lindo peru do seu marido. – Ela me olha com os olhos arregalados e marejados, e logo bebe todo o líquido da taça.

J – Vc exagerou na dose. – Bufei pra ele.

Js – Nós somos três, uma dose extra é mais que necessária.

 

Logo ela adormece. Eu sabia os efeitos daquela bebida. Ela era capaz de deixar qualquer um entregue ao prazer. Quem bebia, caía em um sono relaxante, e acordava com o corpo ardendo em desejo e excitação. Não podia ver minha pequena assim, não com outros. Eles a desamarram, pois já sabiam que assim que ela acordasse faria tudo o que pedissem. Isso era de mais pra mim. Não sei se suportaria ver aquilo. Não demorou muito para que ela acordasse, se contorcendo com o prazer ardendo em seu corpo.

Ela tentou engatinhar até mim, e aquilo me deixou tão feliz e admirado, mesmo estando sob efeito de uma droga, e sendo torturada, ela me procurava, pois eu já era o único capaz de satisfazê-la. Ela me pertencia, agora já não me restavam dúvidas. Quando ela estava chegando perto de mim Yugyeom, que até então ainda estava atrás de mim, vai até ela a pegando pelo cabelo e a arrastando de volta para o meio deles. Ela gritou manhosa com aquele ato violento.

Ele a jogou entre Jb e Jackson que logo trataram de prendê-la com seus corpos. Os vi revezando, beijando sua boca como se fossem comer seus lábios, e ela correspondia. Aquilo me doía, mas tinha consciência que ela não tinha mais controle sobre seus atos. Sabia exatamente quem deveria ser punido depois daquilo. Jackson levou quatro dedos até sua intimidade, penetrando sem dó nem piedade. Ela deu um grito de dor, mas ele continuou forçando seus dedos dentro dela, fazendo-a berrar de prazer.

Yugyeom logo tratou de chupar seu clitóris, enquanto Jackson ainda a estocava com seus dedos violentamente. Ela gemia cada vez mais. Aquilo estava me matando. Tentei forçar as amarras, mas as mesmas estavam muito apertadas. Fiquei ali tentando afrouxá-las, enquanto continuava a assistir tudo, forçado pela fita prendendo minha cabeça. Jb se posicionou enfiando seu membro na boca dela até a garganta, forçando-a a mantê-lo assim por alguns segundos. Ela começa a se espernear pela falta de ar, e ele sai da boca dela, dando espaço pra ela tomar fôlego. E então começa a foder a boca dela.

Pela posição que eles estavam, dava de ver seu pau chegando à garganta dela. Suas unhas cravadas nos lençóis da cama. Ouço seus gemidos e logo ele goza na boca dela. A minha boquinha. Mas ele continua estocando, procurando um segundo orgasmo. Os outros dois intensificam seus movimentos a fazendo se contorcer e gozar, espichando seu líquido no colchão. Eles se afastam masturbando seus membros e vendo Jb foder a boquinha dela sem dó. Ele logo chega ao seu segundo orgasmo, mas dessa vez ele tira seu membro, derramando seu gozo no rosto dela.

Jackson se aproxima a puxando pelo cabelo e fazendo ela ficar de quatro. Ele posiciona seu membro na boca dela, ordenando que ela faça o mesmo que fez com Jb. Yugyeom se abaixa atrás dela abrindo suas nádegas e lambendo sua outra entrada, em seguida penetrando três dedos, fazendo ela gritar de dor. Jackson dá um tapa forte no rosto dela, repreendendo-a por ter parado com seu boquete. Ela logo continua. Depois de um tempo assim, Jackson se levanta trocando de lugar com Yugyeom enquanto Jb senta em frente à ela a colocando sentada no colo dele.

Já sabia o que iriam fazer. Nesse momento tratei de fechar meus olhos. Não aguentaria mais ver aquilo.

 

P.O.V Narradora

 

Jb a colocou por cima dele, se sentando sobre suas próprias pernas penetrando seu membro na bocetinha encharcada dela enquanto Jackson se encaixava por trás. Ajeitaram-se dentro dela e começaram a estocar com força e rapidez, a fazendo gritar cada vez mais alto. Yugyeom se aproxima, forçando seu pau na boca dela, abafando seus gritos. Eles ficam assim por uns minutos, até que Yugyeom goza, derramando seu líquido no rosto dela.

Jackson sai dela enquanto Jb se levanta, com ela ainda em seu colo, enlaçando as pernas dela em sua cintura, deixando-a mais exposta. Logo Jackson volta a penetrá-la por trás, enquanto Yugyeom os ronda, se masturbando com a cena. Os dois a apertam entre eles, pegando impulso e estocando cada vez mais forte, sem nem ao menos se importar se estavam machucando ela. Yugyeom puxa Jackson o tirando de dentro dela e tomando seu lugar, a penetrando ainda mais fundo, uma vez que seu membro era maior. Eles permancem assim, gemendo, gritando, estocando-a violentamente, até que sentem seus orgasmos. Eles a largam deitada e jogam seus líquidos por seu corpo.

O sangue já escorria de suas entradas, manchando o colchão. Ela ainda estava delirando com o efeito da bebida e da dor em sua vagina e ânus e acaba desmaiando. Jb se aproxima de Jin que permanecia de olhos fechados, seu rosto encharcado de tanto chorar ouvindo os gritos de sua mulher. Ele tira uma seringa do bolso injetando no braço de Jin, o desamarrando em seguida. Ele tenta se levantar pra agir contra eles, mas logo cai tbm desmaiado.

 

Jin P.O.V

 

Acordo com o choro desesperado de minha princesa. Abro os olhos com dificuldade e a vejo deitada numa poça de sangue, toda melada com a porra daqueles três filhas da puta. Eles iam me pagar ainda por terem maltratado minha princesa. Me levanto ainda zonzo e vou me arrastando até ela. Quando eu ia tocar nela, percebi o quanto ela estava suja e saí de lá. Pude ouvir o choro aumentar, ela já estava soluçando.

Vou até o banheiro e pego uma toalha a molhando e volto para onde minha princesa estava. Ela havia se arrastado até um canto se encolhendo de dor. O rastro do sangue a seguindo pelo colchão. Senti meus olhos marejarem vendo aquela cena. Minha princesa, minha linda princesinha, toda machucada, trêmula e sangrando num canto da cama. Ela tampava seu rosto com vergonha, com nojo de si mesma.

Puxei suas mãos delicadamente e comecei a passar a toalha por seu corpo, tirando aquele melado dela. Ela chorava cada vez mais e eu não suportei e comecei a chorar junto. Depois que tirei tudo dela, larguei a toalha de lado e a peguei no colo. Ela se agarrou em mim, escondendo seu rosto em meu peito. A levei até o banheiro e a coloquei dentro da banheira, enchendo a mesma. Ela logo começa a berrar de dor quando a água entra em contato com as intimidades dela, fazendo as mesmas arderem. Entrei com ela na banheira, me sentando atrás dela e recostei sua cabeça em meu peito.

Precisava primeiro acalmar ela e limpar seus machucados pelo resto do corpo. Depois ligaria para meu piloto, que ficara de plantão no continente e solicitaria que viesse nos buscar para levá-la para o hospital. Fiquei acariciando seus cabelos, lavando seu corpo delicadamente, enquanto ela tremia ainda chorando, recostada em mim. A água estava ficando turva por causa do sangue que ainda escorria de suas partes. Aquilo me doía muito. Prometi a mim mesmo que quando voltássemos para casa, iria atrás daqueles três, já ligaria para os garotos mandando que eles os encontrassem e prendessem.

Saímos da banheira, ela ainda no meu colo, já que não podia andar por causa dos ferimentos. Coloquei um roupão felpudo nela e fui até o quarto, sentando-me com ela na cama. Comecei a analisar seus machucados pelo corpo que não eram tão graves quanto o de suas partes e de seu psicológico.

 

                                 [...]

 

Já estávamos a caminho do hospital e ela havia cochilado. Às vezes ela dava umas soluçadas, chorando ainda, e eu apenas acariciava seus cabelos na tentativa de acalmá-la. Chegamos ao hospital e ela foi logo atendida. Os médicos a levaram para uma bateria de exames e a sedaram por conta das fortes dores que ela sentia. Finalmente liberaram para que eu pudesse entrar no quarto.

 

(s/n) P.O.V

 

Acordei com fortes dores por todo meu corpo, principalmente em minhas partes íntimas. Comecei a me lembrar do que aconteceu e logo voltei a chorar desesperada. Jin com certeza não me olharia ou amaria como antes. Ao mesmo tempo um ódio me invadia, eu tinha que me vingar deles. Olhei para o lado e vi Jin dormindo numa poltrona próxima a mim.

 

(s/n) – Jin. – Ele logo acordou.

J – Minha princesa, que bom que acordou.

(s/n) – Eu vou entender se não me quiser mais.

J – O que? Da onde vc tirou essa besteira? Eu nunca te deixaria.

(s/n) – A Jin oppa. Vc mal deve conseguir olhar pra mim, depois do que eu fiz..

J – Não fale isso, não foi culpa sua, eles te drogaram meu amor, vc não fez nada, não estava ciente do que estava fazendo.

(s/n) – Como pode ter tanta certeza?

J – Pq mesmo drogada vc quis a mim. Vc veio até mim meu amor. Mesmo sem ter consciência, seu amor por mim falou mais alto. – Podia ver seus olhos marejarem.

(s/n) – Aah meu amor. Eu sou louca por vc, sempre te escolherei. – Falei beijando sua mão que acariciava meu rosto. Logo somos interrompidos pelo médico entrando em meu quarto.

Md – Bom, vc sofreu alguns ferimentos profundos, mas já cauterizamos todos, apesar de ter sido um procedimento extremamente delicado e perigoso, os bebês continuam saudáveis, então eu recomendo que vc fique em extremo repouso a partir de hoje mocinha.

(s/n) – Bebês? – Pergunto espantada não acreditando no que ouvi.

Md – Sim, vc está grávida de gêmeos, de uma semana. Parabéns. Mas recomendo que vcs fiquem pela região, pois não são muito aconselháveis viagens longas na situação em que vc se encontra. Pelo menos até o terceiro mês de gestação.

J – Bebês? Gêmeos? – Um sorriso se formava nos lábios do meu oppa. Seus olhos brilhavam e ele já estava chorando de alegria. – Jinzinhos? – O médico ri assentindo e se retira do quarto. – Ah meu amor, minha princesa. Vc viu? Teremos Jinzinhos. Uma ótima notícia pra aplacar essa tragédia. – Ele estava tão feliz, que acabei me deixando contagiar por sua alegria.

(s/n) – Não se engane amor, podem ser Jinzinhas. – Falo deixando um sorriso tomar conta de meus lábios. Ele me beija apaixonadamente alisando minha barriga.

J – Ou quem sabe um Jinzinho e uma Jinzinha! – Fala depositando um beijo na minha barriga. Eu só desejo que essa notícia possa aplacar nossa tragédia.

Iríamos voltar para a ilha, para que eu pudesse ter o descanso necessário. Jin disse que iria uns dias para Seul cuidar de uns negócios, mas eu sabia exatamente o que ele ia fazer, e se ele estava indo é pq eles já haviam sido pegos pelos garotos. Ele deixou vários seguranças comigo na ilha e foi. Eu ficaria três meses aqui. Três meses com meus Jinzinhos, ou Jinzinhas, ou Jinzinho e Jinzinha. E eu não podia estar mais feliz!!


Notas Finais


Postei e vazei...
Brincadeira... Foi pesado, foi, mas foi um grande passo pra história...
E sim, agora ela fica louca de vez.... O trauma pode mexer tanto com a cabeça de uma pessoa, que ela fica louca de vez, mas ela vai ser uma louca com filhos e um marido lindooo!!
Espero que tenham gostado e não esqueçam de deixar seus comentários, sim, esses comentários lindos que eu amoooo!!

Beijão!! :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...