História Caught In A Lie - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~JessyScoz98

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Vkook? Yoonmin?
Exibições 119
Palavras 1.297
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, essa é minha primeira fanfic na vida
Espero que esteja entre o meio merda e o meio bosta
Vejam as mensagens subliminares e criem suas próprias teorias
é isso
Infires

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Caught In A Lie - Capítulo 1 - Prólogo

            Já estava anoitecendo quando chego em casa. Sentia um pouco cansado e ofegante de ter andado tanto. Havia tido apenas três tempos de aula mas tinha aproveitando para ficar vagando por aí.  Fiquei próximo a uma praia observando as pessoas de longe, apenas pensando na vida. Podia ter ficado com meus colegas de turma, mas não conseguia ter proximidade com alguém ali naquela escola.

               Percebo que meu pai já havia chegado, já que vejo uma luz vindo do seu escritório, porém não dou muito a mínima. Sigo sorrateiramente para o meu quarto, esperando que ele não perceba minha presença. Entro e tranco a porta cuidadosamente. Largo a mochila em qualquer lugar e sento na cama, observo em volta e faço uma cara feia. Meu quarto está uma bagunça. Jogo meu corpo na cama e contemplo o teto. Não queria saber de mais nada. Estava sentindo o sono já chegando e pensava na possibilidade de tomar banho só no dia seguinte.

               No entanto, ouço uma batida na porta e a conhecida voz do meu pai do lado de fora.

            - “Jungkook? Está ocupado? ”.

              Reviro os olhos. Eu não queria conversar com ele agora, não depois da nossa última discussão. Eu havia dito a ele que queria mudar de escola. Queria sair da escola particular que ele havia me colocado assim que chegamos em Seoul. Era uma escola onde só estudavam filhos de empresários, famosos, ou seja, que tinham seus vários zeros na conta bancária.  E eu não me sentia bem ali. Mesmo que meu pai fosse um Ceo de uma empresa muito conhecida na Coreia.

              Eu queria escolher minha própria escola. Queria poder fazer amizade com pessoas comuns, verdadeiras e não que falassem comigo por causa de prestigio e fama.

             Porém, quando eu mencionei essa ideia a ele, só faltou eu ser espancado na frente do amigo dele e dos empregados. Disse que eu era idiota, irresponsável e prepotente, e que não sabia valorizar aquilo que ele podia me dar e que milhares de crianças queriam estar no meu lugar. Eu fiquei magoado com aquelas duras palavras, mas não ousei discutir, já que sabia que não ia adiantar muito, conhecendo meu velho do jeito que ele era.

             Fui para a escola normalmente e aproveitei para pensar sobre isso pelo caminho. Só que mesmo eu não estando zangado com ele por ter pego um não eu tinha o meu orgulho e não queria conversar.

              Levanto a contragosto e vou até a porta.

           - ”O que você quer? ” -Digo emburrado.

           - “Abra a porta. Precisamos conversar” -sua voz era grave, mas terna, quase sem emoção, como costumava ser. Destranco a porta e o vejo me encarar com uma cara de preocupação. Em seguida ele entra e observando meticulosamente a bagunça que eu tinha deixado. Caminha com dificuldade até a minha cama.

                  -“Meu Deus do céu, parece que um tornado passou por aqui!... você precisa ser mais organizado Jungkook! Eu não criei você assim, não é porque tem empregada que vai sair espalhando o caos por onde passa”. Apenas reviro os olhos, já me arrependendo de tê-lo deixado entrar.

                  -“Sobre o que quer falar? ” -Minha voz rouca sai um tanto ríspida. O encaro ainda parado perto da porta, cruzo os braços enquanto fico esperando sua bronca diária.

                  -“Muito bem” -ele me encara de volta, “Hoje você me veio com aquela conversa de querer mudar de escola, eu não gostei dessa ideia. Sua escola é uma das melhores de Seoul e eu pago um preço muito caro para conseguir uma boa educação para você lá, você tem tudo o que precisa e praticamente sua faculdade já está definida por aquela escola. ” -Seu tom estava um pouco exaltado, mas ele não parecia tão zangado assim, o que era um milagre quando se tratava de suas conversas. “Quero que você me diga exatamente o que está acontecendo para que você queira sair de lá e ir para uma escola comum, deve estar acontecendo alguma coisa para você querer sair de lá...”. Ele de repente encurta o olhar e me analisa desconfiado, “Jungkook, você está sofrendo bullying por seus colegas? Por que se for me diga porque eu mando dar um jeito neles seja lá quem for. ”

                  Eu deixo sair uma gargalhada, depois me contenho. -“Por que você acha isso? ” -Digo ainda tentando não rir da cara seria dele. -“Pai, eu já disse que não gosto daquela escola porque as pessoas de lá são tão superficiais e mesquinhas. Só querem exibir o que tem e questionar sobre qual tipo de colher é a sua. Eu não me importo com isso, e também não consigo mais olhar na cara delas. Por favor, deixe eu ir para outra escola, só para eu saber como é, se eu não sobreviver você pode me colocar onde quiser, por favor! ”. Fico ali implorando feito uma criança birrenta.

                 Ele passa as mãos no cabelo, sempre fazia isso quando estava nervoso ou pensativo.

              -“Jungkook, eu realmente não entendo você, eu sempre fiz de tudo para te dar o conforto que você merece, as melhores escolas, os brinquedos mais caros, mas nada disso você queria. Desde pequeno você tem isso. Você sempre queria as coisas mais simples, e ainda é teimoso igual como era sua mãe” ele sorri e depois abaixa a cabeça pensativo. Engulo em seco. Não queria lembrar dela agora.  A história era muito triste e eu não tinha superado ainda.

               Depois de um longo silencio entre nós, ele volta a dizer - “Mas eu não quero que faça algo contra sua vontade. Você é jovem e eu entendo que queira viver como as pessoas da sua idade vivem, não é mesmo? Embora, eu tema pela sua segurança, eu sei que você vai saber se virar sozinho, afinal de contas você já é criança quase adulta, já tem 16 anos. Eu pensei muito sobre isso, então tomei uma decisão de pedir ao meu secretario Park para cancelar sua matricula e transferir para a melhor escola pública de Seoul. ”

                Fico ali olhando para o chão ainda tentando processar a informação, de que ele vai me transferir para uma escola pública.

              Espera aí...  Eu ouvi direito? Ele disse Escola pública.

            Depois de alguns longos segundos olhando para o vácuo, finalmente a ficha cai. -“Serio mesmo? Você vai deixar eu ir para uma escola comum? Você está brincando comigo, né? ” -Digo exaltado ainda não acreditando. Ele acena com a cabeça sério. “Ai meu deus, obrigado pai, eu nem acredito que você é mesmo real. ‘Você é o melhor pai do mundo, aí caramba, obrigado, obrigado, obrigado” vou até ele e o abraço o mais forte que posso.

                 -“Que isso menino? ” -Ele tenta se desvencilhar de mim - “Você está amassando meu paletó! ” - Diz rindo e ajeitando a roupa.

                    -“Oh, vou logo avisando”, ele levanta e segue até a porta, “se eu perceber alguma mudança no seu comportamento, e sequer imaginar que você está se metendo com gente marginal e usando drogas...Vou pessoalmente até lá e te arrasto pelo nariz, está me entendendo garoto?!”.          

                   Fico em posição de sentido e afirmo com a cabeça. Ele apenas me olha desconfiado- “Amanhã você conversa com o Joong sobre o que precisa para sua nova escola, ele vai te explicar tudo. Sua aula começa amanhã mesmo. Tenha um bom descanso” -ele sai fechando a porta. Me jogo na cama quase surtando de felicidade. Mas a porta abre de novo “ e arrume a droga desse quarto agora, ou eu me aborreço de uma vez e te mando estudar num mosteiro! ” -E bate à porta de novo.

                Apenas o xingo em silêncio, e começo a juntar as coisas do chão, já imaginando como vai ser interessante fazer pela primeira vez alguma coisa que eu quero. ­­­



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...