História Caught In A Lie - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~JessyScoz98

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Namjin, Vhope, Vkook? Yoonmin?
Exibições 96
Palavras 2.904
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Mistério, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - Boy Meets What?


Fanfic / Fanfiction Caught In A Lie - Capítulo 2 - Boy Meets What?

             Irritado já no primeiro dia na nova escola por pedir ao motorista para me deixar perto do metrô, e não dentro da sala como meu pai tinha ordenado, desço perto da estação mais próxima, com o cara me seguindo -  “mas menino, porque não quer ir de carro? Esses metrôs só andam lotados. E você nem conhece por aqui direito. ” -Ele parecia estar mesmo preocupado comigo, mas eu já estava decidido, ainda tinha muito tempo para chegar na nova escola.   Acadêmica Central  de Seoul.

          - “Ahjussi, eu já pesquisei o caminho. Eu fico agradecido por cuidar de mim, mas eu quero muito poder ir sozinho. Pensa comigo, não faz sentido uma pessoa que estuda em uma escola normal do centro chegar em um Maserati e ainda por cima com motorista particular, eu ia chamar muita atenção, não achas?”. -Continuo andando e ele me seguindo.

              - “Mas criança, porque não quer que saibam da sua família? Eu não entendo isso. ”

              -“Ninguém entende, ahjussi, ninguém entende...” -Aceno para que ele vá. Ele a contragosto dá a ré ao carro. Dizendo que vai me esperar no fim da tarde, aceno com a cabeça enquanto sigo para o metrô.

            Depois de mais de meia hora chego próximo da escola, sigo até lá, vendo os vários alunos que também estavam chegando, ainda era bem cedo e parecia que a maioria ali tinha caído da cama. Eu ao contrário estava muito ansioso, não sabia muito bem como deveria me comportar em uma escola pública. Mas ia fazer o meu melhor. Percebo os olhares de curiosidade que algumas pessoas me dão, a maioria eram garotas que ficavam cochichando algo entre si. Não liguei muito para isso e continuei andando. Dei uma olhada no papel para ver onde ficava a secretaria mas,  sinto algo me empurrar com força por trás.

       - “Ave-maria! Olha por onde anda! ” -Digo para o garoto logo atrás.

       -“Aish, foi mal! Mas você não deveria ficar parado aí no meio do caminho que nem um poste”.

         O garoto míope que também tinha cara de arrogante, tinha praticamente a mesma altura que eu, cabelos castanhos, e olhos da mesma cor, estava com um óculos redondo e alguns livros na mão, alguns não, tinha quase uns dez livros enormes.

        -“Você é novato? Eu nunca te vi por aqui” -ele diz desconfiado enquanto me analisa dos pés a cabeça.

        - “Erh...” - olho para os lados para ver se não tinha muitas pessoas olhando, mas, todos pareciam muito ocupados para prestar atenção, então olho para o garoto e respondo, “sim, e eu queria saber onde fica a secretaria, você pode me dizer onde é? ”

          Ele sorri- “ bem que eu desconfiava... eu estava indo para lá, vem comigo. ”

              Ele praticamente me empurra com os livros, me obrigando a oferecer ajuda.

         - “Ah, meu nome é Kim Taehyung, mas pode me chamar de V” - ele diz rindo enquanto divide alguns livros comigo.

         - “Meu nome é Jeon Jungkook. ”.

 

               Seguimos para a sala da secretaria, até que ele do nada pergunta “Você tem namorado, Jungkook? ”-Olho para ele pensando ser uma piada, mas ele estava sério.

               -“Claro que não, aigoo” -ele abre uma porta a nossa frente -  “porque, está perguntando isso? ” -Digo furioso.

              -“Haha, é porque você é bonito demais para ser hétero” - Ele diz se divertindo. Senti vontade de fazer ele engolir aqueles livros. Mas que audácia é essa! Eu mal comecei a conversar com o garoto e ele já me pergunta uma coisa dessas, sei não, mas sinto como se tivesse que me preparar psicologicamente para lidar com meus futuros colegas.

               Entro na sala do diretor, e depois de pegar todas as informações possíveis e pedir a ele para que não comentasse com ninguém sobre a minha família, saio para procurar minha turma.

             A primeira aula é de inglês. O que é uma droga, eu não gosto muito de inglês, era a única matéria que eu achava um saco desde que comecei a estudar. Assim que saio da sala, vejo V, flertando com a moça da secretaria, ele percebe a minha presença e fala animado.

            -“Jessica, esse é o Jeon Jungkook, esse é o primeiro dia dele aqui na escola! .

         Aceno sem graça para a noona a minha frente. Ela esboça um sorriso malicioso, percebo então que ela era bonitinha e provavelmente uma estrangeira. Apenas comprimento com a cabeça eu sigo reto por eles, saindo da sala o mais rápido possível.

            Percebo que V vinha atrás de mim me pedindo para esperá-lo - “Jungkook para qual aula você vai?!” -Ele puxa minha mochila me fazendo voltar.

          -“Inglês” - digo sem expressão voltando a andar, e ele me acompanhando.

          -“Ah que sorte a sua! Estamos na mesma turma. Você já ganhou um amigo. ” - Ele diz rindo enquanto mexe no meu cabelo. Tento não me irritar e apenas sorrio amarelo.

           - “Jungkook? Qual é o shampoo que você usa? Seu cabelo é muito bonito, é bem brilhoso...”.

          -“Não sei, não presto atenção na marca, mas eu sei que tem um cheiro bom”.

          -“Deixa eu ver! ” -Ele do nada puxa minha cabeça na sua direção, quase me fazendo tropeçar, me esquivo dele rapidamente, olhando para os lados e vendo as pessoas rindo da situação -  “Nossa, e é bom mesmo, né? ” - Ele diz admirado.

             - “Ah V pelo amor de Deus né?!” -Digo um pouco irritado, enquanto ele apenas fica rindo.

        Chegamos na sala, e já havia vários alunos ali. Todos ficaram me encarando, mas eu meio que me senti seguro tendo conhecido alguém ali.

             Taehyung me chama para o fundo da sala e senta perto de um garoto debruçado, que provavelmente estava dormindo. Ele o sacode abruptamente, fazendo o garoto levantar assustado olhando ao redor.

           - “Ahn? Quem me abusa??” - Apenas rio da cara amassada dele e sento na cadeira a sua frente - “quem é esse menino, aí? ”- ouço o garoto perguntar a V, mas não olho para trás.

           - “Ele é o Jeon Jungkook, é novato, então, seja legal com ele hyung. Sorte que ele me conheceu vindo para a sala” -Ouço Taehyung falando orgulhoso.

             Sinto um soco de leve nas costas. E me viro para trás.

           - “Oi, Jungkook, sou o Jung Hoseok. ” -O garoto segura no meu ombro, e encaro seus olhos ainda vermelhos de sono.  - “Eu sinto muito por você ter chegado aqui e ter conhecido logo de cara o V, corre que ainda dá tempo” -Olho para Taehyung que lança um olhar de raiva para Hoseok, que olha para mim com um toque de compaixão, como se lamentasse algo.

           -“Cala a boca, Hobi, porque você não vai lavar essa sua cara de bêbado, hein? ” -Taehyung dá socos de leve em Hoseok enquanto ri para mim.

          -“Ignora esse retardado, Jungkook, eu sou normal tá? ” -Vejo um flashback do V cheirando meu cabelo e cogito a ideia de ele ser normal. Então, apenas aceno com a cabeça enquanto olho para frente, dando de cara com um garoto estranho, com cabelo quase platinado,cor de grafite, mas meio loiro, (era difícil distinguir a cor), vindo em minha direção, ele parecia chamar a atenção de todos ali na sala. Tinha uma face bem bonita, mas um ar de foda-se e vinha acompanhado de outro garoto de cabelo negros.

            Eles sentam um ao lado do outro na minha frente. O garoto que tinha o cabelo platinado meio loiro olha na minha direção e eu desvio o olhar para meu caderno que de repente pareceu interessante. Começo as desenhar umas coisas meio sem noção ali.

            O professor entra na sala com cara de poucos amigos e começa a chamada. Respondo na minha vez e vejo que os garotos a minha frente se chamavam Park Jimin e Min Yoongi.

           Yoongi me encara por alguns segundos e cochicha algo para Jimin. Sinto uma pontada de constrangimento mas prefiro ignorá-los. O professor explica um assunto aleatório no quadro e em seguida diz que vai dividir a turma em dupla e começa a fazê-lo. Ouço burburinhos em desaprovação.

          E então o professor se aproxima de mim – “Você é o garoto transferido, Jeon Jungkook? ” –Apenas confirmo com a cabeça – “ certo, você vai fazer dupla com o Park Jimin, ele vai ajuda-lo com os assuntos que você perdeu. ”

           Park Jimin olha em minha direção como se não tivesse gostado nem um pouco da ideia. Levanta e vai até o professor conversar com ele. Depois de me encarar novamente com ar de impaciência caminha em minha direção. Senta ao meu lado sem dizer uma palavra. Tento dizer alguma coisa mas fico sem coragem. 

          O professor passa as instruções e Park Jimin apenas o fica observando, eu pelo contrário, vou anotando tudo o que ele dizia.

          -“Você é lerdo? Porque você está anotando isso? ” –Sou surpreendido pela voz do garoto ao meu lado, me encarando com menosprezo. Me viro para ele e engulo em seco.

          -“Por que eu não deveria anotar? ” –Digo em contra-ataque. Ele arqueia a sobrancelha de um lado.

         -“ Porque ele não pediu para você anotar isso, pediu? ” –Olho para o quadro e vejo a frase "tem tudo na folha que eu dei para vocês" ,  olho para o professor  que estava apenas falando algo enquanto entregava os papeis para uma dupla. Olho sem graça para Jimin, que muda o olhar para frente – “Apenas espere ele dar o papel”.

           Já vi que esse garoto tem um gênio difícil, eu não gosto de pessoas assim, é a mesma coisa que eu estar na minha antiga escola. Mas você deve estar pensando. Ah, mas você deveria ser assim também, você é rico e essas coisas. Mas eu digo que nem todos os ricos são arrogantes e egoístas. Eu não consigo ser assim. Deveria, mas, sei lá, não consigo e pronto. Na verdade, eu não consigo lidar com as pessoas, talvez por ter passado a maior parte do tempo em casa na infância e brincando sozinho, sem ter contato com as pessoas da minha idade que eu me tornei esse garoto idiota que não sabe nem conversar direito.

           O professor deixa uma folha na minha mão me fazendo desligar meus devaneios, olho para o papel e dizia algo sobre montar um texto com suas experiências com alguém que você gostasse. Pedia que fosse verdadeiro e tudo em inglês. No mínimo 100 páginas digitado. E um monte de outras regras. Eu fiquei olhando o papel com desânimo. E quando vi o prazo era para daqui a uma semana eu quase surtei.

          Jimin pega o papel da minha mão e analisa aquilo sem reação. Depois pergunta ao professor -“Podemos entregar isso hoje? ”.

           Todos voltam o olhar para ele. Eu também, logico que ele devia estar brincando, era impossível, alguém escrever cem páginas de um texto em algumas horas e ainda em inglês. A não ser que Jimin fosse fluente, mas mesmo assim, ele devia ser muito seguro de si para achar que conseguiria.

          -“Seria interessante receber isso hoje Sr. Park, mas não, quero esse trabalho para a data que marquei, assim terão mais tempo para fazer algo mais sofisticado, vocês estão livres para fazer o que quiserem, desde que seja feito igualmente pela dupla, eu escolherei a melhor história e o vencedor ganhará um prêmio surpresa”.

         A sala toda fica agitada. Mas Jimin parece o único frustrado ali.

        -“É, infelizmente vamos ter que nos encontrar para fazermos esse trabalho, apesar de eu poder fazer isso hoje mesmo...” –ele parecia falar mais para si do que como se estivesse conversando comigo – “E ainda vou ter que te passar os assuntos passados por que o professor pediu, aigoo”.

        Ele pega meu caderno e escreve alguma coisa ali. Fico observando sua ousadia. Ele empurra o caderno na minha direção. – “Esse aí é o meu número, você me liga depois da aula para combinarmos o dia para fazer esse negócio aí, se quiser ir adiantando alguma coisa, faça”.

       -“Porque não fazemos isso no sábado na sua casa? ” –Sugiro imediatamente. Ele olha em reprovação.

      -“Não. ” –Ele diz enquanto me olha sério – “está com pressa para que? Quando faltar um dia para entregar, nós fazemos, isso não é tão difícil para você ou é? ” -Seu tom parecia desafiador e sarcástico, o que me deixou um pouco irritado. Ele espera minha resposta, mas como não digo nada, solta um ar impaciente e me encara com o mesmo menosprezo. –“Tudo bem, faça como quiser. Mas digo logo que você quem vai digitar isso. ”

           O sinal toca e ele levanta, indo sentar na cadeira da frente. Depois começa a conversar com o garoto do lado, mudando praticamente a expressão. Nem parecendo o garoto chato que estava do meu lado alguns segundos atrás. Me viro para trás para ver como Taehyung estava. Ele parecia se divertir muito com seu parceiro. Mas somente ele parecia rir, Hoseok estava mais com cara de irritado enquanto, V ficava puxando mexas do seu cabelo. Eu ainda acho que Taehyung tinha um fetiche estranho por cabelos.

           Ele se volta para mim, enquanto pergunta – “e aí? Você conseguiu se entender com sua dupla? Você tem sorte em ter ficado com o Jimin Hyung, mas ao mesmo tempo, tem azar também”.

        -“Porque? ”-  me aproximo mais de Taehyung, curioso em saber porque ele disse isso. Eu não me importo muito com as pessoas, mas estava realmente curioso em tentar entender aquele hyung.

           -“Nada demais, ele só é um chato mesmo... Ah, Jungkook! Vamos jogar vídeo game depois da aula? ” – V muda de assunto rapidamente, Hoseok que estava conversando com um garoto da outra fila se vira para nós, interessado na conversa.

           -“Olha, você não está forçando demais o garoto não Taehyung? Ele mal chegou e já está até convidando ele para sua casa. Você nem conhece ele direito”.

          - “Claro que não, eu sinto que o Jungkook é uma boa pessoa. E ele vai querer jogar sim, quem não gosta de vídeo game? ” Ele se defende afetado.

            Resolvo entrar na conversa - “eu não vejo problema em ir para sua casa..., mas não posso demorar muito”.

       -“Tudo bem então, Hobi leva a gente no carro dele” – Hoseok olha entre V e eu como se quisesse bater nossas cabeças uma com a outra.

          -“Mas tu é folgado, hein porra? ”. V dá de ombros, e eu apenas deixo escapar um sorrisinho.

          Fico ali durante o restante das aulas aguentando as briguinhas dos dois atrás de mim, e olhando de vez em quando para os garotos a minha frente que pareciam alheios a tudo.

          No final da aula, Taehyung e eu fomos para o estaciomento esperar Hoseok, enquanto ele ia ao banheiro. Ficamos em um parte próxima a saída mas que ainda sim era pouco iluminada. Olho ao redor e percebo que o lugar era bem grandinho para o estacionamento de uma escola pública. Me sento esparramado no chão, pego o celular da mochila e  escolho algumas músicas de funk  coreano para tocar. V senta ao meu lado e começa a riscar a parede com estilete. Olho  no relógio, já eram 17:56 da tarde. 

          -Esse viado, vai querer cagar agora, pqp... - V diz emburrado uns dez segundos depois de sentarmos ali  - Jungkook-ah...?

         -Que foi? 

        -Você sabia que nesse estacionamento morreu um cara? .

           Olho para ele com cara de sarcasmo - Sabia não? me conta ai seu louco, tenho interesse. 

           Ele ri da minha cara e então começa - Há alguns anos um vigilante que trabalhava aqui a noite teve um infarto enquanto fazia vistoria por aqui. Era numa sexta a noite, então ninguém estava mais aqui para salvá-lo. Na segunda, uma professora que havia chegado cedo, sentiu um fedor horrível vindo daqui de dentro,  quando ela estacionou o carro e abriu a porta,  vê um corpo caído perto do pé dela. Imagina o grito que ela deu, a coitada!" 

              -oh, que merda hein? E a família do cara não deu falta dele, não? - pergunto curioso e já um pouco incomodado. 

              -Ele morava só... tadinho dele, né? E ainda tem a pior parte? -  ele diz com cara de paisagem dando um longo suspiro.

               -q-que parte? - engulo em seco, já querendo voltar pro útero da minha mãe.

             -depois disso, alguns alunos que ficavam até tarde aqui na escola, disseram que viram um homem estranho que vagava pelo estacionamento que nem um zumbi. Outros, disseram que quando estavam chegando, um vulto aparecia na frente deles do nada e soltava um grito horripilante e depois saia correndo! Algumas pessoas até pediram transferência para outra escola.

              -aish... eu prefiro não acreditar nisso. Fantasmas não existem, tá? - falo aquilo mais para ele do que pra mim, não que eu fosse um medroso mas essas coisas me deixavam agoniado.

               -Você que escolhe se acredita ou não... - ele se volta para parede e começa a riscá-la novamente com a lâmina do estilete. 

              Xingo-o mentalmente enquanto volto a pegar  meu celular, trocando a música por uma de Jesus. Começo a cantarolar com todo meu louvor, mesmo que minha voz  esteja um pouco trêmula, olho de lado para V e vejo sua cara de filho da puta segurando um sorrisinho. 

               -V... 

               -que? 

               -vai tomar no cú, tá? u.u.

          Ele começa a gargalhar feito uma hiena engasgada, até que seu sorriso some, quando ouvimos um barulho de  passos arrastados e uma silhueta vindo do escuro em nossa direção. Meu cú fechou.

              

 


Notas Finais


E ai galera?
Espero que tenham gostado da minha historinha. Eu meio que sou uma escritora lagarta tá? Mas, espero evoluir futuramente para uma buterfly ~risos

beijos no coração de vocês suas lokas... ate a próxima! ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...