História Causa Final - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Comedia, Drama, Mistério, Morte, Originais, Original, Tortura
Exibições 8
Palavras 802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá! Eu voltei...
Desculpem por ter passado um tempo sem postar aqui!!!
Boa leitura!

Capítulo 3 - De advogadas á detetives.


Fanfic / Fanfiction Causa Final - Capítulo 3 - De advogadas á detetives.

Acordei dentro de um armário, minha cabeça doía, eu só me lembro de ver Debby me empurrando para cá, mas depois disso, eu não me lembro mais de nada.

Abri as portas do armário devagar,  olhei para o piano, eu quase desmaiei, tinha sangue entre as teclas do piano...

Passei a mão para ver de o sangue era fresco, mas ele estava endurecido, então me aliviei um pouco, por que se o sangue não era fresco então, não poderia ser da Debby, mas onde ela estava?

Escutei a voz da mesma garotinha que falamos quando estávamos tentado chegar aqui, a voz estava mais grossa, não entendi o que ela estava dizendo, mas escutei o som da maçaneta e corri de volta pro armário, de onde eu pude olhar toda a cena por um pequeno buraco na madeira.

A menina entrou na sala, estava sorrindo, fechou a porta que estava atrás dela e se sentou no piano.

Eu achei que ela iria começar a toca-lo porém, ela parou na frente do piano e um espírito saiu de dentro do piano.

Eu me tremi toda, tenho muito medo de espíritos, mas não pude deixar de ver a cena.

-Você está bem?-Espirito 

-Sim, pai... As advogadas que você contratou estão aqui.-Clara

Que bom, pelo menos assim eu posso descansar em paz...-Espirito

-Hm? Você poderia ter morrido bem mais cedo..-Clara.

-*Riso* eu também te amo, minha psicopata-Espirito.

O espírito foi embora, deixando a menina que se chamava Clara, sozinha, ela começou a rir de um jeito estranho, até que ela falou:

-Eu já senti o cheiro do seu sangue, pode sair do armário..-Clara

Eu me tremi, mas não movi um dedo.

-Você não me escutou? Saia!-Clara

A porta do armário se abriu sozinha e eu senti as roupas que estavam dentro dele me empurrando para fora.

-Ham-m?? O que está acontecendo-o?-Megan

-Nossa, eu achei que você nunca ia sair do armário...não desse jeito!-???

Olhei para o lado do piano, onde outra voz vinha, Debby estava agachada se tremendo toda.

-Debby! Então você estava aí!-Megan

A Clara bateu o pé bem forte no piso de madeira e falou com um voz mais grave:

-NÃO ME IGNOREM!-Clara

Assim que ela disse isso, sangue começou a escorrer dos olhos dela, foi a cena mais assustadora que eu ja vi em toda minha vida e olha que eu já vi "O exorcista" umas mil vezes.

-Jesus, Maria, José, o que é isso?-Debby

-Acho que vocês escutaram a minha conversa com o meu pai, ele precisa da ajuda de vocês...então não vou mata-las agora...-Clara

-O que? Nao to entendendo nada!-Megan

-Sentem-se as duas na minha frente, de joelhos-Clara.

Eu me sentei em frente a ela de joelhos e Debby se arrastou pelo chão ate chegar perto de mim.

-Muito bem... meu pai, quando ele estava vivo, tinha um problema com a minha mãe, eles estavam prontos para pedir o divórcio, quando meu pai foi assassinado, nessa sala, enquanto tocava aquele piano...-Clara

-Por isso ele queria nossa ajuda, ele queria que nós aprontacimos o papel do divórcio....-Debby

A clara deu um tapa na Debby e falou:

-Eu não terminei de falar! Sua puta desgraçada!-Clara

Debby colocou a cabeça no meu ombro e começou a gemer de dor, essa garota é um diabo....

-Continuando, todos estão procurando o assassino, pois ninguém sabe realmente quem o matou e por que...e é aí que eu quero a ajuda de vocês-Clara

-Ham.. eu sou advogada e não detetive...-Megan

Ela me deu um chute na cabeça e falou:

-Que droga, ninguém ensinou que não se pode falar enquanto outra pessoa está falando?!-Clara

Eu caí no chão, mas mesmo assim ainda conseguia ouvir aquela filha da puta falando.

-Então, como vocês já estão contratadas, queremos anular esse caso do divórcio dos meus pais e para não gastar dinheiro com detetives, seria melhor se vocês se encaregassem de cuidar desse caso do assassinato...alguma dúvida?-Clara

-Ham e se a gente não quiser...?-Debby

-Caso vocês não quiserem ou tentarem fugir daqui, vocês duas seram mortas das formas mais dolorosas possíveis, primeiro abrirei o corpo de cada uma de vocês e depois...-Clara

-Já entendemos!-Debby e Megan.

-Otimo...-Clara

A Clara virou-se para o armário, onde eu estava à poucos minutos atrás e de lá peiu uma chave que jogou em cima da minha barriga.

-Essa chave é a do celeiro perto de nossa casa, vocês vão dormir lá, junto com os nossos porcos e galinhas, ah! Lá não tem cama, por isso se virem para tentar dormir numa pilha de feno...-Clara

Ela riu de uma maneira psicopata e chegou perto do meu resto.

-Se vocês tentarem ligar para alguém ou dizer que estão "sofrendo", eu iriei ligar para a polícia e dizer que vocês invadiram minha casa e que estavam torturando hma pobre crianças como, como eu...-Clara

-Você não teria coragem de fazer isso!-Megan

-Sera? Bem, não queria descobrir... Afinal vocês têm um caso para administrar, não era isso que sempre quiseram?-Clara

Ela riu mais uma vez e cuspiu na minha cara, depois saiu do cômodo me deixando com a Debby.

-No que nós fomos nos meter, Megan?-Debby

-Eu não sei...Debby...Eu realmente não sei...-Megan


Notas Finais


Obrigado por terem lido!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...