História Cavaleiros do zodíaco- Universo caotico - Capítulo 241


Escrita por: ~

Exibições 25
Palavras 1.397
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Sobrenatural, Super Power, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá, como vão? Espero que bem. E aqui estamos proximos ao fim dessa saga!!!!!!!!!!! E para terminar eu vou lançar um capitulo sabado e no domingo!!!! Fiquem espertos ;)

Capítulo 241 - A armadura feita do sol!


Fanfic / Fanfiction Cavaleiros do zodíaco- Universo caotico - Capítulo 241 - A armadura feita do sol!

Os quatorze solares já haviam sidos derrotados pelos cavaleiros de ouro, um a um foram caindo perante aos santos dourados, no entanto não foi uma batalha fácil, deixando os cavaleiros de Athena fora de batalha. No entanto ainda restavam dois guerreiros de Apollo, os gigantes azul e vermelha. Tsuki, a amazona de touro lutou bravamente contra Mira a gigante vermelha, ate que chegou ao ponto de despertar seu cosmo herdado de Artemis a deusa da lua, e assim chegando a seu limite a amazona de touro conseguiu derrotar a gigante vermelha usando todas suas força em uma supernova titânica. Enquanto isso Gabriel, o cavaleiro de libra, travava uma batalha intensa contra o gigante azul Rigel. O confronto entre os dois foi feroz, com golpes incríveis, ate que o santo de ouro reunir forças e acertou um poderoso cólera do dragão no guerreiro do deus do sol, o lançando contra sua própria estrela azul, a destruindo-a juntamente com o gigante azul. Restava agora apenas a divindade do sol e da luz, Apollo, Kai de sagitário chegou ao seu templo e lá ele estava pronto para encarar o grande deus.

Kai o cavaleiro de sagitário foi o único cavaleiro de ouro no grande templo do deus do sol, onde Apollo estava sentado em seu trono. A grande divindade tinha acabado de conversar com sua irmã, a reencarnação da deusa Athena, e em um debate de ideias contrarias eles definiram que a guerra estava prestes a acabar. O santo de ouro estava ferido, mas não ao ponto de sair de batalha, ele segura seu arco dourado em sua mão direita e em sua mão esquerda aos poucos ia surgindo uma flecha feita de pura energia.

Kai- Eu vou impedir seus planos Apollo! Pare agora com a grande onda de calor! E retire seus soldados da terra!!!

Apollo continua calado, com os olhos fechados, mas algo o incomodava. A falta de postura do cavaleiro de sagitário perante a divindade irritava profundamente o deus do sol, mesmo que não demonstrasse era visível no fundo dos olhos de Apollo, que a atitude de Kai querer desafiar um deus o incomodava.

Apollo- O que pensa que pode fazer humano tolo...? Você é apenas um mortal criado por nos, os deuses. Nos somos superiores, e vocês no devem respeito... Pelo menos era assim que deveria ser.

Apollo se levanta e conforme ele fica de pé seu cosmo começa a se elevar. Quando a energia do deus do sol chega a seu ápice gera uma imensa pressão sobre todo o local, deixando o cavaleiro de sagitário paralisado. A flecha de energia que Kai havia criado se desfez imediatamente em luz.

Kai- O que? De onde vem essa energia!? Chega a ser maior ate mesmo que a da senhorita Athena. Esse é o poder de Apollo?

Apollo- Garoto insolente, vou lhe ensinar a obedecer os deuses!

Apollo dispara uma pequena, no entanto poderosa rajada de energia contra Kai, acertando o cavaleiro de sagitário em cheio o lançado contra a parede com força, abrindo rachaduras no local de impacto. O santo de ouro cuspiu sangue e ao mesmo tempo ficou sem fôlego com apenas um único movimento da divindade do sol. Apollo continuava parado na frente de seu trono, olhando o cavaleiro de sagitário caído no chão com um olhar de desprezo.

Apollo- Cavaleiro de Athena. Aqueles que arriscam suas próprias vidas para lutar pelos humanos... Mas vale apena lutar por algo tão imundo quanto a vida humana? Vale a pena se sacrificar para algo tão impuro e corrompido?

Apollo lança outra rajada contra o cavaleiro de sagitário que estava quase se levantando. Ao ser atingido novamente o santo de ouro quebra a parede com suas próprias costas, e devido ao grande poder da energia de Apollo, acabou quebrando uma de suas asas douradas. Kai sentia uma grande dor, mas ainda sim segurava seu arco dourado na mão direita. Aos poucos o santo de ouro ia se levantando, seu sangue pingava no chão, enquanto ele ainda era alvejado pelos olhos de desprezo de Apollo.

Apollo- Fique no chão cavaleiro! Pare de sujar um lugar sagrado como meu templo com esse sangue sujo!

Kai limpa o fino fio de sangue que escorria de sua boca e encara Apollo com um olhar corajoso, ele não recuaria perante a divindade do sol por nada nesse mundo. O cosmo do santo de ouro aos poucos vai se elevando, surgindo uma aura dourada envolta de seu corpo.

Kai- Porque você pensa que os humanos são horríveis? Acha que não somos capazes de fazer bondades e compaixão. Isso é algo que um imortal, um deus como você pensa? É isso que é ser um deus? Eu vou resolver isso!!!

Kai eleva ainda mais seu cosmo, o queimando ate o infinito, no entanto nada parecia surpreender o deus do sol. O cavaleiro de sagitário então estende seu braço, almejando uma poderosa flecha feita de pura energia contra a divindade do sol.

Apollo- Ousa apontar uma arma para mim...?

Kai- Desapareça Apollo! Flecha da justiça!!!

Kai concentra todo seu cosmo em seu arco, deixando ele com um brilho dourado, e então o cavaleiro de sagitário dispara seu ataque demonstrando uma imensa força, formando um enorme pilar de luz no ar. A flecha de sagitário avança em direção a testa de Apollo, no entanto aquilo não assustava nenhum pouco, e quando o projétil chegou a milímetros da tiara dourada do deus do sol, a flecha parou no ar, deixando Kai pasmo.

Kai- O que!?

Apollo- Um humano não pode encostar em um deus, muito menos o ataca-lo! Você pergunta o que é um deus?... Um deuses é algo que os mortais não podem entender... nem ao menos tentar compreender. Mas acabarei com essa inquietação em sua mente! Morra!!!

Apollo lança a própria flecha de sagitário contra Kai, atingindo ele bem em seu peito, jogando o cavaleiro de ouro para longe, quebrando inúmeras paredes. Kai vai ao chão, formando uma poça de sangue, quase inconsciente.

Kai “Esse é o poder de um deus...? É tão distante de nos, mortais...? Estou ficando fraco... Vou morrer... Eu não posso! Não posso permitir que os deuses julguem nos mortais como se fossemos apenas peões de um jogo doentio! Não posso cair perante Apollo!!!”

Kai se levanta, chamando a atenção de Apollo que ainda olhava o cavaleiro de sagitário com desprezo.

Apollo- Ousa se levantar...?

Kai- ... Que tipo de mundo os deuses querem criar? Qual a imagem que os deuses querem ver!!?

Apollo- Que absurdo... Um mortal elevando seu tom de voz contra um deus...

Kai- Você se engana Apollo!!! A algo imortal em mim também! A minha vontade de proteger esse mundo que tanto critica, faz com que meu cosmo queime ate o infinito! Assim nos adquirimos poder! Nos unindo ao universo, tornando nosso espírito imortal!!!

O cosmo de Kai explode, aumentando infinitamente sua aura. O cavaleiro de sagitário retira a flecha de seu peito deixando cair algumas gostas de sangue. Ele volta a armar sua flecha contra Apollo. O deus do sol continuava parado.

Kai- Flecha da justiça... Traga a luz para o mundo que nos protegemos! Traga a luz dos humanos para os olhos cegos de Apollo!!!

Kai dispara sua flecha dourada formando um grande pilar de luz. Desta vez o ataque era mais poderoso ainda, no entanto Apollo se manteve confiante, confiante ate demais. A divindade do sol só percebeu a gravidade do golpe quando tentou rebater novamente o ataque do cavaleiro de sagitário, no entanto a flecha não parou seu curso e acabou acertando a tiara dourada do deus do sol, abrindo um pequeno corte na testa de Apollo, fazendo seu sangue divino escorrer pela sua testa.

Apollo- O que!?

Kai- Acertei...

Kai parecia ter retomado suas forças, quando de repente um enorme cosmo faz com que ele vá para o chão.

Kai- O que!?

Apollo- Ate o momento eu estava brincando com você cavaleiro... Mas agora você ousou a encostar em mim! Isso é imperdoável! Você morrera aqui!!!

Apollo eleva ainda mais seu cosmo, e aos poucos sua túnica branca começa a pegar fogo. Um intenso brilho surge destruindo o teto do templo de Apollo, caindo sobre o deus do sol, era a armadura dourada da divindade, vestindo seu corpo, era como se o cavaleiro de sagitário estivesse de frente ao próprio sol e sua luz imponente sobre os humanos. Apollo começou a lutar seriamente.


Notas Finais


proximo capitulo sabado 26/11


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...