História Ceifador de Prata - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Ficção, Mistério
Exibições 7
Palavras 1.471
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Saga, Universo Alternativo

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


E aí pessoal, tudo bem com vocês?

Enfim, essa estória era um projeto que eu iniciei há dois anos mas deletei por bloqueio criativo. Agora decidi reescrever com força total e deixar essa estória melhor do que antes!

Eu vou tentar postar capítulos novos todo fim de semana, logo não precisam se preocupar se demorar muito pra sair um novo.

Capítulo 1 - Gênese


 

Era uma noite de inverno longo e rigoroso, cujos ventos rápidos e congelantes pareciam cortar uma pessoa, na qual estava caminhando dentro de uma floresta um jovem guerreiro.

O jovem rapaz vestia longas calças negras, uma camisa de manga comprida e um sobretudo, ambos de cor branca. Sobre o sobretudo também estava uma alça presa ás costas, que segurava uma espada longa guardada em uma bainha de prata com adornos dourados. No cabo da espada, podia-se notar uma inscrição em dourado que continha o seguinte nome: Invictum.

O indivíduo depois de muito vagar, encontrou uma caverna e nela decidiu passar a noite. Após colocar de lado a sua espada longa Invictum e repousar sua cabeça sobre a parede de pedra, o jovem então fechou seus olhos e enquanto dormia, procurou se lembrar de todos os eventos anteriores ao início de uma missão que mudaria o curso de sua vida e até mesmo do mundo...

 

...

 

-O que pensa que pode fazer contra mim, meu jovem?- Uma sombra disforme e com apenas um par de olhos vermelhos e fumegantes observava ao jovem guerreiro, que avistava o corpo inerte de um homem com uma aparência semelhante a sua atual- Agora que seu irmão gêmeo está morto, não existirá mais ninguém da sua linhagem. Mas eu deixarei que viva... Para que seja a testemunha da minha nova era de glória! Nos veremos de novo, Archan Tenshi!


 

--------------------------------------------//------------------------------------//---------------------------------------------

 

Ao acordar de seu sono profundo, o jovem Archan Tenshi se reergueu e acoplou sua espada Invictum de volta ao seu sobretudo, quando se deparou com o céu daquela manhã, que se mostrava um tanto atípica: Uma gigantesca nuvem negra estava cobrindo todo o céu e diversos raios começavam a cair contra o solo. Algo que para que o indivíduo prateado parecia ser o presságio de que as coisas estavam para se tornar mais interessantes, o que estampou em seu rosto um breve sorriso por alguns segundos.

 

-Parece que hoje eu vou precisar usar um portal para o planeta Raikon... -Archan deu um assobio que ecoou por toda a floresta- Mas para chegar até a Grande Capital vão demorar duas semanas... A não ser que ele tenha escutado meu assobio...

 

E então uma gigantesca nuvem de poeira e sedimentos se aproximava na direção de Archan á uma velocidade mortal. Quando então ouviram-se o barulho de patas freando no solo coberto pela neve e a poeira ia se dissipando, revelando a figura de um lobo enorme. O animal possuía pêlos tão brancos como a neve e estava trajado com uma armadura de batalha adaptada para seu corpo. Os olhos de uma íris azul-claro estavam atentos à tudo que estava ao redor, e seu focinho, também farejava qualquer sinal de perigo. No elmo de sua armadura, podia ser lido o seguinte nome: Albus.

 

-Albus, nós dois vamos á Grande Capital- Archan subiu nas costas do lobo gigante e afagou sua orelha esquerda, como uma demonstração de carinho pelo seu mascote- De lá vamos dar um passeio até o planeta Raikon. Seja um bom menino e vamos!


 

-Woof!- Albus soltou o que parecia ser um latido e começou a correr tão rápido quantos os ventos cortantes que sopravam na floresta.

 

...

 

Depois de uma longa travessia por metade daquele gigantesco vale gelado, Archan e seu leal companheiro de armas chegaram até a Grande Capital: uma cidade que outrora foi o palco da lendária batalha final entre os Oito Arcanjos contra o imperador das sombras, Lord Krieg. Como uma forma de sempre lembrar de seu heróico sacrifício, foi erguido um monumento dos Oito Arcanjos no centro daquilo que ainda seria esta gigantesca cidade.  

Era uma cidade que era repleta de várias construções que possuíam um aspecto vitoriano, os quais também contrastavam com os futuristas arranha-céus, que estavam interligados por pistas conectadas à toda a cidade, suspensas no ar, onde também circulavam naves de vários tamanhos e estilos.

Acima da cidade, estava suspenso por uma imensa plataforma um castelo de proporções descomunais. Na porção Leste da Grande Capital, havia um imenso prédio onde várias naves que se assemelhavam à cruzeiros de luxo aterrissaram. No topo desse prédio, um gigantesco feixe de luz emergia em direção ao céu, criando um gigantesco buraco de minhoca , do qual saíam os cruzeiros aéreos que regressavam à cidade.

Ao entrar no edifício junto de Albus, o jovem guerreiro andou até chegar á um local que continha sete gigantescos portais dos quais várias pessoas entravam e saíam. Os portais continham os seguintes nomes respectivamente: Raikon, Vulcania, Techno, Shinsei, Mettalia e Castelia.

 

-Já sabe qual vamos pegar, não?- Archan correu junto de Albus para dentro do portal que levava ao planeta Raikon, sentindo que o seu corpo começava a se dissipar em vários pedaços conforme ele passava pelo portal.

 

Passaram-se dez segundos dentro do portal para que Archan e seu lobo gigante Albus estivessem diante da entrada da capital do planeta Raikon. Era um local que possuía uma atmosfera cuja coloração era azul com nuvens arroxeadas que cobriam todo o céu. As árvores assim como toda a vegetação daquele planeta possuíam possuíam uma coloração azul, só que suas folhas se aproximavam de um tom marinho.

Os edifícios da cidade também tinham um aspecto futurístico e posicionados ao topo de cada um deles, havia uma gigantesca torre de energia que liberava raios azulados que se conectam ás duas torres de transmissão do Palácio Imperial de Raikon. Archan então decidiu ir á esse palácio tentar buscar informações sobre o primeiro descendente dos Oito Arcanjos que ele tentaria recrutar para seu grupo.

No momento em que adentrou a gigantesca e suntuosa sala do trono cujo piso era de marfim e as colunas feitas de mármore com adornos dourados em suas extremidades, sem contar com a gigantesca pintura em tamanho real de uma paisagem sombria e a silhueta totalmente coberta de luz do que aparentava ser um homem coberto por raios, que estava atrás do trono. A figura nele sentada era a de um jovem adulto, que observava ao visitante com certo desdém.

Esse monarca era como os outros habitantes daquele planeta: Possuía os cabelos brancos, espetados e longos. Sua pele tinha um tom azul-celeste com algumas marcas ao redor de seus braços, as quais aparentavam ser tatuagens tribais.  Suas orelhas pontudas como as de um elfo, seus olhos puxados e de uma íris castanho-clara, seu nariz arrebitado e sua boca larga. Sua altura de um metro e oitenta e cinco fora evidenciada quando se levantou do trono e apontou seu cetro contra o rosto de Archan.

 

-Diga quais são os seus negócios no meu mundo, forasteiro- O imperador de Raikon ainda observava ao jovem guerreiro em sua frente com um certo desdém, o que indicava que aquele sujeito era um tanto esnobe e muito autoritário- Pois sou eu, o imperador Hizashi Eléktron serei aquele que decidirá o seu destino!

 

-Eu apenas procuro por Hideki Eléktron, o herói lendário deste planeta- Archan arqueou uma das suas sobrancelhas e observava Hizashi da mesma forma- Eu preciso alertá-lo sobre uma ameaça iminente!

 

-Desculpe-me, meu caro- Hizashi se mostrou espantado ao ouvir o nome do herói lendário e sentou-se novamente no trono com uma das mãos sobre o rosto- O meu pai já não é visto desde que era um simples garotinho. Dizem que ele ainda está nesse planeta, observando a tudo e todos. Tudo que posso lhe desejar é boa sorte na sua empreitada para encontrá-lo.

-Obrigado, Vossa Majestade!- Archan fez uma breve reverência e saiu do palácio.

 

 

Em algum local nos campos, próximo ás montanhas...

 

-Então quer dizer que existe alguém aqui, me caçando no meu território?- Uma voz profunda e grave ecoava e ressoava pelo ar enquanto o mesmo começava a se carregar com partículas de eletricidade- Vamos ver se esse indivíduo é um oponente à altura…

 

Archan caminhou pelos campos junto de Albus, até que então o lobo gigante começou a farejar e então dirigiu seu olhar para cima, o que fez com que começasse a rosnar. O jovem guerreiro então saltou para o chão e levou sua mão direita ao cabo de sua espada Invictum, pressentindo o que estava por vir.  

Foi nesse mesmo momento em que um enorme buraco se abriu entre as nuvens, que estavam fechadas, o que abriu espaço para que uma série de pequenos raios caírem contra o solo e projetarem então um indivíduo de um metro e noventa e dois, que estava silente e parado, apenas observando Archan Tenshi com certa curiosidade.

 

-Albus, fique fora dessa batalha!- Archan recuou sua perna esquerda para trás e fechou o punho direito, ainda com sua outra mão segurando o cabo da Invictum, mostrando que estava posicionado e pronto para lutar.

 

-Woof!- Albus mexeu sua cabeça como se concordasse com a ordem e mexeu sua longa cauda branca para a direita, o que o fez desaparecer do local.

 


Notas Finais


Esse foi o primeiro capítulo!

Qualquer dúvida e/ou sugestão, me mandem uma solicitação e eu vou responder via inbox.

Um abraço e até mais! XD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...