História Cellbit e a descoberta de sentimentos - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Douglas "Rato Borrachudo", Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Flavia Sayuri, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Flavia Sayuri, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rato Borrachudo, Thiago Elias "Calango"
Tags Cellan, Cellke, Cellmitw, Cellnix, Cellps, Celltw, Felke, Mitw
Exibições 103
Palavras 1.658
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoas! Sim eu tô postando domingo sendo que falei que não ia postar! Mas eu consegui! Uhuuuuuu! O capítulo hoje tá ó, mandando aquele,
Bom
Sem
Enrolação
Bora
Pro
Capítulo

Capítulo 4 - Reconciliação


Fanfic / Fanfiction Cellbit e a descoberta de sentimentos - Capítulo 4 - Reconciliação

       Já se passou um mês que eu estou naquela escola, e mano na moral, aquelas meninas não são humanas, como elas não cansam de correr! Tá voltando no que eu estava falando, lembram daquele menino, o Felipe, pois é estou desde aquele dia tentando fazer o trabalho com ele, e como sempre, ele me trata grosso e também faz brincadeiras sem graças quando passo por ele.
      Hoje como sempre, me arrumei e fui a pé para a escola junto com Pac e Mike, é... nós três estamos bem amigos. O Mike mora um pouco longe de mim  e de Pac mas do mesmo jeito ele vai a pé e sempre nos encontra no meio do caminho. Chegamos no portão da escola e ficamos o encarando
-É vamos lá, 3...2...1-termino de contar e nos três demos um passo para dentro da escola
        O chão já começou a tremer, olhamos para o lado e lá estava a tsunami. Comecei a correr e Mike e Pac corriam logo atrás
         Enquanto corríamos pelo pátio já despistando as garotas, alguém meteu o pé na minha frente, me fazendo cair e ralar meu queixo. E adivinha quem foi o infeliz que meteu o pé na frente? Isso mesmo, o Felipe! Puta garoto chato! Ele me olhava com um sorriso no rosto, aí que deu vontade de meter porrada nele
         Meu queixo começou a sangrar, e Pac e Mike foram me ajudar a levantar, e Felipe? Ainda com um sorriso no rosto
-Qual seu problema comigo? -digo o olhando com raiva
         Ele começou a se aproximar de mim com um sorriso....ainda
-Nada -ele fala ainda se aproximando
-Então porque faz isso? -falo o encarando
-Apenas por diversão -ele continua a se aproximar
-Sério isso?! -falo com um olhar irônico -não velho sai de perto de mim! -falo o empurrando um pouco
-E se eu não quiser, oque você faz, eim? -ele fala me dando um empurrão forte me fazendo cambalear para trás
    Quer saber, cansei! Já me controlei muito
-Isso! -falo dando um soco forte na barriga
-Ah você não fez isso! -ele fala com uma expressão de dor e vindo em minha direção
        Logo ele me deu um saco em meu rosto, acertando em cheio meu nariz, senti uma dor imensa, coloquei a mão em meu nariz e quando a retirei vi sangue. Minha visão começa a ficar turva e só vejo o diretor chegando depois disso, apago...

XXXX QUEBRA DE TEMPO XXXX

   Acordo em uma enfermaria com muita dor na cabeça, olho para o lado e vejo um garoto que aparentava ter uns 20 anos por aí, ele estava com uma roupa branca lavando a mão na pia que se encontrava no quarto, provavelmente ele era enfermeiro, ele logo se vira
-A você acordou! -diz ele se aproximando de mim
-Érrr... Quem é você? -pergunto -e porque meu nariz dói tanto?
-Bom, seu nariz está doendo porque você levou um soco de um garoto -quando ele fala isso eu me lembro oque houve -E bom... Meu nome é Alan -diz ele levantando e pegando uma bolsa de gelo -coloca na sua cabeça, você bateu ela muito forte no chão quando desmaiou
-E o meu nariz? -pergunto já colocando o gelo em minha cabeça
-Por sorte você não o quebrou e nem o torceu, só está dolorido e seu queixo, antes que pergunte, ele só ralou um pouco, é só não ficar o tocando muito para não inflamar
-Ata, obrigado mas, onde estou? -perguntei já me levantando
-Você está na enfermaria da escola -ele fala
-Ta bom obrigado por sua ajuda
       Quando abro a porta da enfermaria com uma de minhas mãos (porque a outra estava segurando o gelo na cabeça), vejo Pac e Mike sentados, me aguardando provavelmente.
-Oi... -falo me sentando ao lado de Pac
-Rafa! -ele fala me dando um abraço de lado
-Calma, por que o desespero? -pergunto se entender nada
-Você demorou muito para acordar, perdeu todas as aulas -falou Mike
-Nossa... -falo colocando minha cabeça na parede, com a mão ainda segurando o gelo na cabeça
-Dói? -pergunta Mike se levantando
-Um pouco... - digo com os olhos um pouco fechados
-Que ódio daquele garoto -fala Mike
-Rafael... - Pac me chama
-Que foi? -pergunto
-E culpa minha isso tudo? Se eu não tivesse tido aquela ideia...  
    - Que?! -o interrompi -nada disso! O único que tem culpa aqui é o Felipe
-Rafael  Lange e Felipe Z., quero vocês agora em minha sala -diz o diretor pelos microfones
-Bom, vou lá me encontrem no pátio - falo saindo da enfermaria

(...)

       Chegando na sala do diretor Felipe já se encontrava lá dentro em uma das cadeiras
-Rafael por favor sente-se -pede o diretor e eu o obedeço
        Me sento ao lado de Felipe que me olha e depois volta a atenção para o diretor
-Meninos, para que isso? -fala o diretor virando a tela de seu computador mostrando o vídeo de nossa briga
-Não sei pergunta para ele -diz Felipe cruzando os braços e revirando os olhos
-Eu?! Ah, vai tomar no meio do seu... - sou interrompido pelo diretor
-Que saber! Vocês vão ficar aqui a tarde na escola para arrumar a sala de vocês para ver se param de brigar, agora saiam de minha sala
       Eu e Felipe nos levantamos ao mesmo tempo com raiva e saímos daquela sala, Felipe foi para uma direção e eu fui para o pátio para encontrar os meninos, que estavam a minha espera
-O que aconteceu? -pergunta Pac percebendo que eu estava com raiva
-Vou ter que ficar a tarde aqui na escola para arrumar a nossa sala com aquele inferno -falo me referindo ao Felipe
-Quando eu encontrar aquele menino ele vai se ver comigo! -fala Mike
-Não! - diz Pac -não quero ver vocês brigando com outras pessoas, não podemos nos rebaixar ao nível delas
-É você tem razão... - falo
-Bom gente eu tenho que ir já são 3 horas da TARDE - fala Mike pegando a mochila dele
-Mas já? -pergunto
-É! Só para você ver com apagou de vez -diz Pac pegando a mochila dele
-Nossa... Para onde você vai? -pergunto
-Vou com Mike para casa! Olha como o céu está! Provavelmente vai chover e eu não quero me molhar -ele fala
-Tá bom então tchau -digo
-Tchau! -diz Pac dando um beijo em minha bochecha me fazendo corar levemente fazendo com que ele acaba rindo baixinho de minha situação enquanto se aproxima de Mike
-Bom, tchau Rafa! -diz Mike acenando para mim
-Tchau -falo retribuindo o aceno
         Assim que eles saem da escola vou em direção a nossa sala para começar a arruma-lá. Chegando lá vejo que já tinha começado chover e que Felipe já estava lá
-Seguinte, eu vou ficar com esse canto e você com aquele -ele fala
-Ok...-Falo pegando meu telefone e o fone de ouvido colocando play numa música da banda Nirvana
         Começamos a arrumar as coisas, afastamos todas as mesas e cadeiras para tirarmos a sujeira, depois tiramos as coisas que se encontravam debaixo das mesas dos alunos, jogamos as coisas fora e vejo que Felipe tinha dado um sorriso
-O que foi? - pergunto me virando para ele
-Nada, eu só vi que você gostava das músicas da banda Nirvana, eu achava que era o único dessa escola que escutava -ele fala olhando para mim
-Caraca, eu pensava o mesmo, meus amigos me chamam de velho por causa disso -falo tirando os fones e rindo com ele
-Então, que tipo de música você gosta? -ele me pergunta
-Ah... Sei lá, as que me agradam eu gosto, e você de que tipo gosta? -pergunto
-Gosto de rock e algumas românticas - ele fala, a essa hora já não estávamos fazendo mais nada
      
      (A partir de agora coloquem a    musica: I won't give Up - Jason mraz)

-Sabe, eu não te entendo, você parece um cara tão legal, por que está me tratando daquele jeito? - pergunto
-Sei lá, acho que é por ciúmes... -ele fala
-Ciúmes?! De mim?! - pergunto sem entender
-É, antes de você chegar, as meninas eram loucas por mim, aí quando você chegou elas me deixaram de lado-ele fala
-Nossa... Ciúmes por causa das garotas? - pergunto indignado
-Não, não era só das garotas, é de como você é -ele fala
-Que? - pergunto eu não tinha entendido
-Do jeito de como você trata as pessoas, de como ser tão... Extrovertido, e mesmo quando as pessoas são mal educadas com você, você ainda as tratam educado... Eu tenho ciúmes de sua vizinha perfeita! -diz ele me encarando
-Vidrinho perfeita... -digo me sentando no chão e encostando a costas na parede -quem me dera se eu tivesse uma
-Como assim? -agora ele perguntou
-Minha vida não é tão perfeita Felipe -falo o olhando sério -se não fosse por essa porra de problemas eu nem estaria aqui
-Eu não estou te entendendo -diz ele se aproximando
-Então agora você vai entender...tudo começou quando meu pai saiu de casa e me deixou só, junto com minha mãe, ela tinha começado a trabalhar dia e noite, só que esse trabalho foi em vão.... Outro dia ele foi demitida e para piorar -falo deixando uma lágrima sair -a nossa gata, a Mina, tinha morrido! -não aguento mais me segurar e começo a chorar
       Sinto ele se aproximar e sentar ao lado me puxando para um abraço
-Calma,não precisa chorar, tá tudo bem -ele fala enquanto faz carinho em minha cabeça -me desculpe de como te tratei
-Tudo bem... E Felipe, obrigado, eu precisava desabafar -digo ainda em seu abraço
-Pode me chamar de Felps -e logo depois ele da um beijo em meu nariz -desculpa mesmo pelo murro que te dei, agora que sei de sua história só sinto que devo te proteger
        Depois ficamos assim por um bom tempo, eu em seu abraço enquanto ele me fazia cafuné e o som da chuva ecoava lá do lado de fora

   


Notas Finais


Tô apaixonada por esse capítulo!
Espero que tenham amado que nem eu! Não esqueçam de comentar e de favoritar a fic, já estamos chegando a 10 favoritos, parece pouco mais é muito pra mim!
Bom beijão até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...