História Cellbit e a descoberta de sentimentos - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Douglas "Rato Borrachudo", Felipe "Febatista" Batista, Felipe Z. "Felps", Flavia Sayuri, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, TazerCraft, Thiago Elias "Calango"
Personagens Alan Ferreira, Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, Flavia Sayuri, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Pedro Afonso Rezende Posso, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange, Rafael "Guaxinim" Montes, Rato Borrachudo, Thiago Elias "Calango"
Tags Cellan, Cellke, Cellmitw, Cellnix, Cellps, Celltw, Felke, Mitw
Exibições 45
Palavras 2.749
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi pessoas!
Postei capítulo hoje uhuuuuuu!
Eu estava estudando pra minha última prova e acabou dando tempo para eu escrever pra vocês
Caralho tô feliz
Bom o capítulo de hoje gente....nem sei o que falar
Só leiam
Vejo vcs na s notas finais <3

Capítulo 9 - Precisamos conversar


Fanfic / Fanfiction Cellbit e a descoberta de sentimentos - Capítulo 9 - Precisamos conversar

Depois de discutir muito com Pac de onde que tinha que passar o remédio, acabou que ele colocou em toda a minha cara. 

Agora eu estou no meio da aula tentando aguentar a ardência que estava em meu rosto. E outra, cada expressão que eu faço ou o Mike deixa escapar uma risada ou o Pac

-Ou! -Falo com a voz baixa - para de rir porra, serião esse negócio tá queimando meu rosto, aposto que a essa hora as minhas espinhas já morreram! 

Pac deixa escapar mais uma risada

-Para de frescura Rafa... - o Mike fala

-Parar de frescura? Então coloca esse negócio todo em sua cara, quero vê se aguenta! - falo

-Quer saber...melhor não... - ele fala e eu lanço um olhar como se estivesse falando "ta  vendo" 

-Pac oque tinha nesse negócio? - pergunto

Ele tira o potinho  e ler as instruções e avisos em voz alta :

-Aqui diz que é feito com gel e as outras coisas não faço a mínima ideia do que é, só tem uma frase falando "não é aconselhado passar em lugares sensíveis como, perto dos lábios, nas pálpebras inferiores, têmporas e côncavo... Ops ...foi mal cell... - ele fala

-Depois a gente se acerta com isso, agora eu preciso tirar esse negócio do meu rosto -Falo e estendo a mão no alto-Professora posso ir ao banheiro? 

-Claro - ela fala e continua o registro

Me lavanto, e vou em direção  a porta, a abri e assim que passei para o corredor a fechei

O corredor da minha sala tem janelas viradas para a quadra onde aconteceria o evento, e já estava tudo ganhando a forma do evento, já estava montado o palco e as mesas e as cadeiras de plásticos já estavam em seu devido lugar e dentro da quadra, onde havia o palco, as pequenas barracas onde provavelmente teriam comidas ou entretenimento para nós, já estavam montadas, mas apenas as bases

Chegando no banheiro, me olhei no espelho e meu rosto que, normalmente é pálido estava com um tom avermelhado

-Porra Pac... - Falo para mim mesmo

Liguei a torneira da pia e joguei a água em meu rosto tirando o remédio que estava um porre. Desliguei a pia, e peguei o papel para enchugar meu rosto

Sai do banheiro feliz, por que meu rosto tinha parado de arder e já, já ele ia voltar para a coloração normal 

Entrei na sala, fui para o meu lugar e me sentei na cadeira continuando o registro

(...) 

"TRIMMMMMMMMMMM"

Era o sinal anunciando o fim da última aula. Graça a Deus, minha mão já tava pedindo para morrer

Taquei minhas coisas na mochila, olhei para Felps, e ele já estava se despedindo da namorada

-Gente... - chamei atenção de Pac e Mike - eu preciso resolver uma coisa com o Felps e já encontro vocês no portão 

-Tá bom! - fala Pac sorrindo e puxando o Mike antes que ele questiona-se alguma coisa

Fechei a mochila e fui em direção do Felps, que já me olhava, me esperando aproximar provavelmente 

-Oi -Falo e sorrio

-Oi - ele fala e também sorrir - oque queria me falar? 

Em minha mente eu falei assim:

"-Sabe a puta da sua namorada, então ela tá te traindo com um dos caras mais safados da escola! "

Mas o que saiu foi isso:

-Errr...sabe a Gabs? - Falo coçando  minha nuca

-Sim o que foi? - ele fala ainda sorrindo

-Então... - olho para o chão - com posso começar... 

-Fala logo Rafa - ele fala

-Bom, ela é sua namorada, né? - pergunto para confirmar o que eu ia falar

-Sim... - e logo a cara dele fica emburrada -não vai me dizer que você gosta dela, né?! 

-Que?! Não nada a ver... - Falo - pelo o contrário... 

-Como assim: "pelo ao contrário"? -ele pergunta

Me aproximo mais dele, agora nos dois estávamos em pé não era só eu, e nossa mochilas se encontravam nas mesas

-Olha, eu sei que você a ama, e eu dou mó 10 por você amar alguém, mas...  Do que adianta amar alguém, sendo que esse alguém pouco se importe?... - Falo o olhando

-Do que você tá falando Cellbit? - ele pergunta

-Do que adianta amar uma pessoa, dar todo seu carinho e conforto para ela, sendo que ela nem liga? -continuo perguntando

-Cellbit oque tá acontecendo?! - ele pergunta em um tom mais alto

-A Gabs tá te traindo! - Falo rápido - um dia vi ela beijando um cara na rua, e hoje vi de novo

Assim que falei toda a bomba que estava dentro de mim, ele ficou paralisado, seu rosto não emitia nenhuma expressão, logo ele coloca suas mãos em sua cabeça 

-Olha eu sei como é difícil... - Falo me aproximando

-Cala a boca Rafael! - e logo ele me empurra para longe dele 

O olho estranho

-Por favor acredita em mim! Você só está se machucando por dentro negando isso... - Falo me aproximando de novo

-Velho cala a boca! Como posso acreditar em você, se nem me mostrou provas?! -ele diz me afastando dele novamente

-Por confia talvez? - Falo me aproximando novamente

-Tá vendo esse é o seu problema! Você acha que com um rostinho assim, você pode falar qualquer coisa! Cara se toca, você tá falando da minha namorada, uma pessoa que já conheço faz tempo. Toma vergonha na cara! - ele fala e já sinto meus olhos começarem a marejar

-Por favor, confia em mim, eu não quero te ver sofrer mais ainda quando perceber e ver que ela está te traindo! - Falo me aproximando dele novamente

-Para de falar dela assim! - ele aponta para meu rosto

-Do que você tá falando, eu não xinguei ela nenhuma hora que eu estive em sua frente, por que te respeito! - falo

-Então você fala mal dela por minha costas?! - ele pergunta

Começamos a gritar um com o outro

-Não! Eu só tô falando que te respeito! - falo

-Para! Para de mentir, para de se fazer de coitadinho aqui, para de falar essas coisas, para com seus problemas! - ele grita

Dou uma risada sarcástica 

-Então eu sou o único com problemas aqui é?! Até parece que você é santo. Você quer e ser o dono da verdade - olho para o lado depois volto a encará-lo - Quer saber?! Posso ter problemas? Posso! E é isso que me faz errar na vida, aprender o que é certo e errado. É ISSO QUE ME FAZ TORNAR HUMANO. É isso que me faz tornar o Rafael que eu sou! 

-Ótimo, mais um de seus discursos -ele fala revirando os olhos 

Perdi a paciência. 

-Caralho! Não dá para conversar com você! Eu  vim aqui na maior paz, tentando te avisar de algo que vai acontecer e você fica grosso assim comigo, vai tomar no cu junto com aquela vadia! 

Por um momento ele ficou assustado com o que eu disse. Depois começou a se aproximar me deixando com medo. Fecho meus olhos com medo da pancada que ele iria me dar, mas na verdade oque eu escutei foi um barulho de uma coisa tendo impacto no chão 

Abro meus olhos e vejo minha mochila jogada no chão. O olhei indignado com meus olhos lacrimejando

Me abaixo rapidamente e abro minha mochila para conferir se algo tinha quebrado. E algo realmente tinha quebrado. Não sabia oque era, então peguei e quando tirei da minha mochila e vi oque era não aguentei e deixei as lágrimas  escorrerem ainda mais. Era minha câmera. O olhei. Tudo se concentrava dentro de mim

Raiva, tristeza, ódio... 

Me levantei, fechei a mochila e a coloquei em meu ombro, depois coloquei a alça da câmera em meu pescoço 

-Nem sei por que eu me importei tanto com seu sentimentos, vai ver era por que realmente eu gostava de você. VOCÊ ACABOU DE PERDER UMA PESSOA QUE CONFIAVA EM VOCÊ FELIPE - e logo saio da sala chorando pra caralho

Várias meninas me paravam e perguntavam se estava tudo bem, eu apenas as ignorava e continuava andando

Entrei no banheiro, e joguei um pouco de água na minha cara. Tentei enxugar minhas lágrimas, e o resultado que obtive foi um ser com olhos totalmente vermelhos por causa das lágrimas 

Sai do banheiro e fui em direção de onde ficava o portão, para encontrar as duas pessoas que eu mais precisava nesse mundo. Pac e Mike 

Chegando lá  só avistei Pac. Me aproximei dele

-Cadê o Mike? - perguntei quando já estava perto dele

-Oi para você também - ele fala -O Mike hoje foi de Van 

-Hum... - Falo encarando o chão 

-Rafa tá tudo bem? - ele pergunta levantando meu rosto - Você estava chorando?  

Eu não falei nada, apenas o abracei. Abracei como se o mundo estivesse acabando nesse instante. Eu precisava dele. Precisava do abraço dele. Ficamos no abraço por um tempo até que nos separamos

-Calma, hoje depois do meu inglês eu vou para sua casa e você me explica tudo o que aconteceu ok? - ele pergunta e eu apenas concordo com a cabeça - bom oque acha de esquecermos o que aconteceu lá dentro por um tempo? 

-Acho uma ótima ideia... - o respondo fazendo nos dois rimos com a minha resposta

(...) 

Fomos conversando até o inglês dele, chegando lá me despedi e fui para casa

Me joguei na cama e fiquei pensando  em como eu ia arranjar dinheiro, Felps não iria me emprestar nem R$1,00 depois da nossa discussão.... Já sei. Vou fazer o que minha mãe disse. "Um mini lava jato"

Me levantei, e comecei a trocar de roupa, colocando um bermuda jeans verde escuro, e uma blusa branca escrito às magias que tem no filme Harry Potter e para finalizar uma faixa verde em minha testa

Eu estava engraçado, mas como tá calor e eu ia me cansar, resolvi usar roupas confortáveis 

Coloquei os chinelos, peguei um quadro de lousa que eu tinha e  escrevi  "Lavagem do carro por R$15,00",desci as escadas e fui até a área de serviço, peguei um balde, uma esponja média e sabão, depois coloquei meu telefone no bolso da minha bermuda e sai do apartamento segurando um monte de coisa 

Desci pelo elevador, e quando cheguei no térreo eu perguntei para o porteiro se eu poderia usar o estacionamento da frente do prédio. Depois de muito explicar acabou que ele autorizou e me emprestou uma mangueira, falando que ia ser mais fácil para mim

Chegando no estacionamento, apoiei  minha placa num banco de plástico, conectei a mangueira na torneira  e depois fiquei  sentado esperando algum cliente aparecer 

(...) 

Depois de muito tempo, surgiu um carro

-Ei  garoto!Vem cá - Falou um idoso abrindo a janela do carro provavelmente para conversar comigo - Como isso tá funcionando? 

-Bom... - coloco a mão em meu pescoço e respondo sorrindo -você estaciona bem ali, me paga R$15,00 e eu lavo seu carro em troca 

-Pois bem, eis aqui o seu primeiro cliente -ele fiz sorrindo

Me afasto do carro e ele o estaciona. Logo ele sai do carro

-Bom aqui está a chave do carro - ele fala a jogando para mim

-O senhor quer que eu lave tudo? - pergunto

-Sim, por favor -ele me responde, sorri e entra no prédio 

-Bom vamos lá, eu consigo lavar um carro!  - Falo para mim mesmo e aperto a faixa que estava em minha testa

Aperto o botão de abrir o carro, abro as portas e resolvo começar por dentro. Tiros os tapetes e começo a lavar um de cada vez. 

Depois que terminei, deixei eles secando no sol enquanto eu ia começar a limpar os bancos. Peguei um pano e joguei dentro do balde de água, o peguei de volta, entrei na parte de trás, e comecei a limpar

(...) 

-Assim não dá!  - reclamo sozinho - me sento no banco do motorista e coloco minha cabeça no volante -só demorou meia hora na parte de dentro... Imagina na parte de fora! Se eu continuar assim nessa lerdeza vai ser um inferno para mim,sem falar que tá um calor de matar

Eu estou dentro do carro, com todas as portas abertas, tentando pensar em soluções para o meu problema com o tempo

-Será que o rádio tá pegando? - pergunto mexendo nos botões 

De repente começou a tocar uma música, provavelmente vinha do rádio do carro

Era um estilo meio índice,  tava bom, combinava com o clima que eu estava

Resolver voltar minha cabeça para o volante. Fico olhando para baixo, na verdade fico mais é pensando na vida, até que alguém se apoia na porta do carro

Pensei que era Pac, levantei minha cabeça com um sorriso, mas quando vi que não era ele e sim a pessoa que menos queria ver no mundo, meu sorriso se desfez e eu retviro os olhos

-Oque você quer? - pergunto o mais seco possível 

-Vim te entregar algo... - ele fala

Saio do carro, vou até a torneira e a ligo fazendo a mangueira soltar água 

-Você vai me ignorar? - ele pergunta

-Não, eu só estou bravo com você... - Falo pegando a mangueira

-Por favor me desculpa, só me de um minuto de seu tempo -ele pede 

Largo a mangueira com raiva e me aproximo dele

-Para o que? Para mais uma briga? - pergunto

-Não...por favor só me escuta Rafa... - ele fala olhando

-Felipe escutar eu te escuto, mas e você? Você me escuta -Falo dando ênfase no "me"

-Claro que eu te escuto! Se não te escutasse eu não tinha comprado isso para você ! - ele fala e tira uma câmera da sacola que ele estava segurando -Eu nunca fiquei tão arrependendo na minha vida de ter quebrado algo. Eu sei que você adora tirar fotos, e quando sua câmera quebrou eu percebi o quão  babaca eu estava sendo -ele da uma pausa - me arrependi principalmente por ter te perdido... 

Eu não sabia o que falar. Apenas o abracei, dei o abraço mais sincero que eu pude dar. Ele retribuiu o abraço e apoiou sua cabeça em meu ombro

-Por favor me perdoa por ter sido um babaca - ele fala

-Perdoar eu te perdoo, só que aos poucos -Falo e sinto ele me apertar mais no abraço 

-Bom... - ele falou e nos separamos do abraço -no que eu posso te ajudar

-Vai ensaboando o carro com aquela esponja que eu vou molhando o carro - falo

-Tá bom - ele responde, pega a esponja e começa a ensaboar o carro 

Ele começa a lavar e eu a molhar, até que teve um momento que  eu não resistir de  jogar água nele e acabei o molhando com a água que saia da mangueira. 

Ele virou para mim e eu ainda o molhava rindo

-Não, agora você vai ver! - ele fala e começa a correr atrás de mim

Ficamos nessa de ele correr atrás de mim e eu fugir,  até que ele sumiu 

-Felps?! - o chamo

Começo a procurá-lo até que sinto um ser molhado me abraçar por trás 

-Rá! Te peguei! - ele fala ainda me segurando

-Me solta Felps, por favor... 

-Não agora você vai ter que me pagar - ele fala e paga a esponja com sabão 

Ele começa a passar o sabão em meu cabelo e eu comecei a tentar fugir gritando para ele parar, até que acabou que nesse meio termo de ele ficar passando espuma no meu cabelo e  eu tentando fugir,  que nós dois caímos. Ele por cima e eu embaixo. 

Ficamos nos encarando até que ele começou a aproximar seu rosto  lentamente para perto do meu, até que me beijou

Ele iniciou o beijo já pedindo passagem, e eu apenas me rendi ao seu beijo. Ele aprofundou o beijo e meu deus, aquele estava sendo um dos melhores beijos que eu já dei eminha vida. Esse lábios carnudos que ele tem, e seu doce cheiro de pétalas só melhoraram ainda mais a situação. 

Uma de suas mãos estava em minha cintura fazendo com que cada movimento que lê fizesse com aquela mão me dar um arrepio, a sua outra mão estava o apoiando impedindo de ele fazer muito peso em cima de mim

Nossos lábios se moviam em perfeita sincronia, sua língua explorava cada canto de minha boca, não  queria nunca mais sair dali. Aquele beijo estava tão bom, sentir a sensação de seus lábios nos meus me faziam tão bem... Mas infelizmente o ar se fez necessário fazendo nós dois nos separar 

Quando abri meus olhos e vi Felps me encarando, eu corei rapidamente o fazendo dar uma risada

-O que foi? - pergunto

-Você é fofo corado -ele diz sorrindo

-Ah vai se fuder! - Falo e o empurro fazendo ele cair ao meu lado

-Rafa... - ele me chama

-Hum... - respondo 

-Oque foi que a gente acabou de fazer? - ele pergunta

-Sei lá, foi você que começou -Falo fazendo nos dois cairmos na risada





Notas Finais


Meu deus
Para tudo
Cellps? Será?😍
O que tá acontecendo Deus?! 😭
Eles estão juntos? 😱

❤️u❤️

O que acharam desse capítulo?
Espero que tenha gostado como eu gostei...
Não esqueçam de comentar
Vou indo que eu tenho que almoça
E vejo vocês no próximo capítulo pessoinhas do meu coração
❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...