História CELLMITW - Don't Wait - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Cellbits, Cellke, Cellmitw, Celltw, Gabieby, Mitw, Tazercraft
Exibições 105
Palavras 1.487
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Saga, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


💙Primeira fanfic Cellmitw
[Sim Akise, foi você que me convenceu.]
👑Visite minhas outras fanfics ❤❤❤
♣Shortfic

Capítulo 1 - As coisas dão errado.


  Eu não sei o que mais pode dar errado hoje. 

Quando o Mike me disse que nós iríamos pra uma festa juntos, eu me animei bastante. Saí separado dele para comprar a minha fantasia. O problema é que eu não tinha nada em mente e acabei dando várias voltas na cidade. 

  A verdade é que apesar de animado, eu estava com um certo medo. Eu não parava de imaginar o que Mike pretendia me levando pra sair em plena quinta-feira. Como vai ser? Será que vou fazer algo de errado, será que não vamos da maneira certa e vou acabar me machucando? Eu sabia que tinha que me acalmar, ficar menos tenso em relação à tudo isso. Afinal, eram suposições. 

  Ergo uma roupa de chapeuzinho vermelho. Muito linda, mas feita pra uma mulher. As melhores fantasias são pra elas, se ele tivesse me falado o que era a surpresa antes eu com certeza teria mandado costurar algo melhor pra mim. 

  Desde que viemos pra cá estudar juntos na faculdade, nossos laços se estreitaram e muito. Começou com um pesadelo meu, e acordei com ele chamando "Cell é só um pesadelo, acorde." e ali estava ele na minha frente recém saído do banho, apenas com uma toalha em sua cintura. Eu nunca me senti tão quente em apenas poucos segundos, apenas encarando aquela visão. Mike não era exatamente a pessoa mais malhada do mundo, nem eu, mas ele tinha uma sensualidade que eu duvidava muito que qualquer mulher teria pra mim. Mas eu me reprimi. É bem mais fácil assim. Só que morando juntos, esse tipo de situação apenas se repetia e eu acabava no banheiro, mordendo minha camisa para abafar meus gemidos solitários. Será que era uma simples atração física? E quando a gente fosse aos finalmentes isso acabaria e voltaríamos a ser amigos? Talvez ficasse ainda pior, e ele nunca mais olhasse na minha cara. 

  Acho que estou ficando paranoico e sonhador demais. Mike nunca deu nenhum sinal de que gostasse de homens, principalmente eu sendo o homem. Era apenas uma saída entre amigos e ele terminaria a noite provavelmente beijando uma mulher. Mike já teve duas namoradas na outra cidade, mas nenhuma delas durou mais de três meses. Queria saber o porque, já que Mike era engraçado, bonito e inteligente. Eu sinceramente não sei. 

   Uma das questões que mais me incomodam é a minha fixação por fazer sexo com ele. Você não sabe o que é ver alguém caminhando pela casa e imaginar essa pessoa te jogando no sofá, ou no chão ou até mesmo na cama o tempo todo. A pior parte era quando alguma mulher vinha pra cima de mim. Mike costumava indicar alguma e eu acabava dispensando a garota. Pior parte? Não... A pior foi quando eu não consegui dispensar a garota. Além de ter feito sexo com ela ela passou a semana inteira me ligando. Não que eu tivesse aversão a mulheres, mas enquanto eu estava com elas eu apenas imaginava onde Mike estaria. 

  Definitivamente eu não soube dizer qual é a pior parte. Porque a pior é quando as mulheres dão em cima dele. Na minha frente. Pensei que algumas coisas fossem óbvias para o instinto feminino, talvez fosse e elas apenas ignorassem. 

  -Precisa de ajuda, rapaz? -uma mulher me perguntou. Ela tinha um sorriso malicioso e MEU DEUS quanto gloss na sua boca. Mulheres. 

  -Da sua não, meu amor. -Eu saí da terceira loja. Será que fui rude? Espero que não fique chateada. 

  Acabei esbarrando numa série de pessoas, eu estava numa rua muito movimentada e com nível zero de atenção. Não parava de pedir desculpas, até que vi um rosto familiar. A pessoa pediu desculpas também virando a rua. Eu apenas vi uma sacola em sua mão, levava o logo de uma loja conhecida. Fui até a loja o mais rápido que pude. Ali encontrei uma fantasia de vampiro. Não iria ser trabalhoso demais parecer com um, já que minha pele era bem clara. Experimentei a roupa e apenas a calça ficou um pouco justa. Pouco importa. 

  Eu podia ter alugado alguma roupa, mas eu não gostava da ideia de imaginar que qualquer pessoa pode ter vestido aquilo. Até mesmo um serial killer paranoico. 

  Saí da loja às pressas. 

Só de pensarbque estava retornando pra casa meu coração trabalhava muito mais rápido. 

  Malditas sejam as férias. Seriam dois longos meses em casa, e eu queria muito saber como poderia me segurar com Mike á alguns passos de mim o tempo todo. 

  Chega de pensar nisso. Melhor focar na tal festa. Entrei em casa, e ele provavelmente saiu para comprar sua fantasia também, porque havia um bilhete bem á vista. Decidi ler depois, afinal eram quase sete da noite e eu não estava nada pronto. 

  Entrei para o banho, lavando calmamente todo o meu corpo. Depois de me secar, voltei até a sala. 

  "Te espero lá. "

  Ele não iria comigo? Eu vou ter realmente que chegar num lugar desconhecido, sozinho??? 

porra, Mike. 

Encaro meus olhos azuis no espelho. Quanta olheira num lugar só. E eram arroxeadas, em função de minha brancura. Que merda. 

Cobri aquilo com a maquiagem que comprei, deixando meu rosto mais branco. As próteses encaixaram razoavelmente bem em meus caninos, ao menos isso deu certo. Puxei os cabelos com as mãos tentando arrumar o máximo possível. Assim está bom. 

Vesti a roupa que consistia em calça -justa, por sinal- uma camisa preta e uma capa. Eu mesmo deveria ter feito essa roupa, ao invés de gastar dinheiro. Mas é claro, Mike me avisou tarde demais. 

  Mike. Já voltei a pensar nele. Meu celular toca com uma mensagem. Obviamente eu havia personalizado o toque para quando viessem dele. Acredito que apenas para me deixar ansioso sempre que aquela curta melodia tocasse. 

  Era perguntando onde eu estava. Caralho... Eu não vi a hora passar e já era pouco mais de nove. A gente combinou às oito e meia. 

E ele odiava atrasos. 

Saí às pressas trancando a chave e a colocando na fissura da porta, como sempre fazia. E adivinha? Óbvio que o que nunca aconteceu antes tinha que acontecer naquele dia. A chave caiu pra dentro. 

  Tomara que Mike esteja com sua cópia. Se algo acontecesse e a gente acabasse trancado pro lado de fora eu iria bater na minha cara. Bom, espero que não... 

Espero que alguma coisa dê certo. 


Onde Cellbit está? Eu não parava de me perguntar. Há algumas semanas ele foi assaltado e desde então eu ficava extremamente preocupado com sua segurança. Ele era distraído apensar de inteligente, e facilmente se metia em problemas. Ele visualizou a mensagem mas não chegou a responder. 

  Bom, ao menos estava vivo. 

Fiquei um bom tempo esperando próximo à porta. Recebi uma mensagem sua e... Ele ficou preso NO trânsito. As férias haviam começado e os estudantes de fora estavam tentando voltar para suas casas. Pelo visto, todos ao mesmo tempo. Que falta de sorte. 

  Eram quase dez horas e eu não tinha aproveitado nada. Claro que estava apenas começando mas eu queria aproveitar cada momento depois daquele trimestre estressante. Tomei um gole de minha bebida, tentando afastar o calor. Haviam muitas pessoas ali, e todas fantasiadas 

  -Meu amigo está aí dentro, com meu convite... -Eu reconheci a voz de Cellbit. Merda. Esqueci de deixar o convite dele com ele mesmo. Ele acabou tendo problemas com o segurança. Nossos olhos se encontraram. Os dele pareciam cheios de frustração. Não pude deixar de dar uma pequena risada. Me desculpe, Cell. 

  -Ele está comigo. Aqui está o convite dele. 

O homem analisou o papel cartão e seu carimbo, entregando uma pulseira para Cellbit. O mesmo passou com um bico por mim. 

Eu fui atrás dele, que só parou do outro lado da casa. 

  -Hey... -segurei seu braço. -Tudo bem?  

Ele me encarou. Analisou minha fantasia de lobo com seus olhos azuis, que se não houvessem tantas luzes coloridas em meio à escuridão eu juraria que estavam avermelhados segurando choro. 

  -Devia ter comprado aquela. -Falou em voz baixa se afastando de mim. Qual era o problema com ele? 

Talvez estivesse estressado por conta da festa. Pelo covite. Tentei ir atrás dele mas o perdi de vista num instante. Não queria Cellbit no meio de tanta gente. Eu sabia o qie rolava nas bebidas e não queria que ele acabasse a noite mal. Procurei em todo o andar de baixo da casa de Tim, mas não o achei. Subi as escadas passando direto pelos quartos, dos quais saíam gemidos e barulhos estranhos. No fim do corredor, estava super escuro. Mas havia alguém sozinho ali. 

  Não custa perguntar. 

  -Oi, você viu um loiro fantasiado de vampiro? 

A pessoa se virou para mim, vestia uma calça jeans vermelha, estava sem camisa e com uma capa também vermelha. No chão, uma cesta com duas garrafas de alguma bebida. 

  -Se está falando do Cellbit, também estou procurando ele. 

  -Pac? 

  -Como vai, Mike? -Perguntou sorridente. 


Notas Finais


Obrigada pelo fav e/ou comentário se você deixou.
Ative o ícone :observar/seguir usuário e não perca nenhuma atualização minha.
Beijos e até o próximo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...