História ▶Cellzende é real?!◀ - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange
Personagens Alan Ferreira, Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Mauro Nakada, Pedro Afonso Rezende Posso, Rafael "CellBit" Lange, Zelune
Tags Cellbit, Celluba, Cellzende, L3ddy, Rezende, Youtubers
Visualizações 25
Palavras 3.264
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


É só um One-Shot mesmo! 😁
Espero que gostem! ❤

Preparem-se... 😏

BOA LEITURA! 💗

Capítulo 1 - Amor correspondido.


Fanfic / Fanfiction ▶Cellzende é real?!◀ - Capítulo 1 - Amor correspondido.

Pov Rezende

Eu fiquei sabendo que o Cellbit vai vir para São Paulo. Sinceramente não sei o porquê de estar tão entusiasmado, mas estou. Porque estou em SP perguntam-se vcs, porque eu estive em um evento do YT recentemente. Alguns dos seus e meus amigos youtubers estão agora aqui em SP por causa de um evento que vai haver. Eles são: o Alan, o Zelune, o Luba, o T3ddy e o Mauro.(Aut: Eles realmente foram em um evento!) Eu por acaso não fui convidado para esse evento, mas tbm... Para mim tanto faz. O Cellbit é meu rival e tal, mas por alguma razão eu quero muito vê-lo pessoalmente. 

Deve ser ainda mais bonito ao vivo... O que eu acabei de pensar? 

Pov Cellbit

Cá estou eu no avião indo para SP por causa de um evento. Vou lá encontrar alguns dos meus amigos, inclusive o meu ex, o LUBA. Nós já namorámos durante 6 meses, mas depois nós terminámos porque tanto um como o outro estava começando a gostar de outra pessoa, então nós ficámos de boa, continuámos sendo amigos, grandes amigos. Não vou falar de quem estou gostando porque eu não quero gostar dessa pessoa, ela é minha rival e não é fácil ter coragem para admitir que vc tá gostando dele ne?! Dele, o rival, tá gente?! (Aut: Humhum...sei.) 

Será que vou encontrá-lo? Quê? Eu não falei nada não! Eu não falei que era um "ele".

Merda... Tbm... Vcs já sabem que eu sou gay, por isso... FO-DA-SE! 

Pov Luba

Estou aqui na casa do T3ddy junto com o resto do pessoal, estamos esperando o Cell chegar. Nós decidimos vir de madrugada, mas o Cellbit como é teimoso e preguiçoso preferiu vir de manhã. E o evento é amanhã. 

Alan: Ô amigô! Acho que o Zelune quebrou a sua privada aí.-ele fala saindo do banheiro. 

Zelune: Ué! Porque vc está insinuando que fui eu?-ele pergunta meio bravo. 

Luba: Nananinanão! Briga aqui não!-eu falo fazendo um movimento de "não" com o dedo. 

Alan: Vc foi o último a ir no banheiro, caralho.-ele fala aumentando um pouco mais o volume da voz e falando o óbvio. 

T3ddy: CÊ QUEBROU A MINHA PRIVADA PORRA?! OXI.-ele grita irritado e fazendo alguns gestos. 

Zelune: Mas isso quebrou mesmo?-ele pergunta desistindo de fingir que não foi ele quem partiu a privada. 

Mauro: Então foi mesmo vc?-ele pergunta olhando para o mesmo. 

Zelune: Sim fui. Mas isso tá mesmo quebrado ou não?-ele pergunta já impaciente. 

Alan: Veja vc mesmo!-ele fala dando passagem para ir no banheiro. 

Nós todos fomos para o banheiro e reparámos que a água da privada não parava de rodopiar. 

T3ddy: Sério?! Sério isso, mano?!-ele fala fazendo uma expressão de desapontamento. 

Luba: Cê machucou a privada, cara! Tadinhaaaa...-eu falo brincando e indo em direção à privada de braços abertos para dar um abraço.- Não. Não. Não.-eu falo e volto para o lugar e todos começaram a rir. Já era de se esperar ne?! Kkk... 

Mauro: Chama um mecânico aí, ô.-ele fala fazendo um movimento com a mão apontando para a privada. 

Alan: Era impossivel vc chegar aqui e não fazer besteira, ne?!-ele pergunta ironicamente. 

Luba: Relax, gente! Se acalma... É só chamar um engenheiro, mecânico, como quiserem chamar e pronto.-eu falo simplista. 

T3ddy: E o dinheiro vou buscar aonde?! No meio do meu cu?!-ele fala irónico e se fingindo de bravo. Sei que eu não o irrito tão facilmente. 

Mauro: Até parece. Cê é youtuber e não ganha dinheiro?! Kkkk...-ele fala tentando segurar a risada, mas não conseguiu. 

Ouvimos a campainha tocar.

Zelune: A campainha tocou, gente!-ele fala acenando para chamar a atenção. 

O T3ddy foi até à porta e abriu a mesma. Era o Cellbit, carregando 1 mochila às costas e agarrando 1 mala com rodinhas. 

Zelune: Quem é?-ele pergunta curioso e sentado no sofá junto com o Alan e com o Mauro. 

T3ddy: É O CELLBIT, GENTE!-ele grita como resposta e abre passagem para ele. 

Pov Cellbit

Finalmente cheguei nê?! 

Cellbit: Oi pessoal!-eu fala e entro no apartamento, em seguida o T3ddy fecha a porta. 

Alan: Cellbichaaaaa!-ele grita indo em minha direção. 

Cellbit: Lixoooooo!-eu grito de braços abertos. 

Nós nos abraçámos e depois nos separámos. Em seguida todos eles me cumprimentaram. 

Cellbit: Como este apartamento tem espaço para todo mundo dormir, hein?-eu pergunto confuso e olhando para todo o lado. 

T3ddy: Simples... O Luba dorme comigo na cama, o...-ele é interrompido. 

Zelune: Hum... Safrado!-ele fala sorrindo maliciosamente  e segurando a risada. 

T3ddy: Qual é? Nós somos namorados afinal de contas.-ele fala abraçando o Luba de lado. 

Fiquei com ciúmes? Nem um pouco. Eu estou de boa com o Luba e já não gosto dele daquela maneira, por isso só quero que ele seja feliz. 

Alan: SÉRIO QUE VCS SÃO UM CASAL?! MEU DE... Mentira gente, eu sabia já. Kkk...-ele fala/grita e nós morremos de rir. 

Ficámos um tempo discutindo onde cada um iria dormir e depois decidimos almoçar no shopping. Entretanto, como o Luba e o Zelune foram em outro uber e da maneira que eles são, acabaram por se enganar no shopping. Ficámos uns 15 minutos esperando eles já no restaurante, que no caso era o McDonald's. 

Enquanto almoçávamos... 

T3ddy: Aquele alí não é o Rezende?!-ele fala sussurrando no ouvido do Luba, mas eu acabei ouvindo. 

Luba: Puta merda! Verdade.-ele fala um pouco nervoso por saber que eu e ele não nos damos bem de todo. 

Eu nunca vi, nem conversei com o Rezende pessoalmente. Mas tivemos aquelas brigas todas por causa das tumbnails dos seus videos de Minecraft e outras coisas. Pode já ter passado basicamente 1 ano, mas nunca esquecemos o desprezo que sentimos um pelo outro. Ele é a pessoa por quem me estou apaixonando... Eu quero me apaixonar novamente, mas não por ele, não pelo meu suposto rival. 

Luba: Gente! Já volto.-ele fala e eu o vejo ir em direção a outra mesa. 

Ele vai falar com o Rezende? Sério? Quer dizer... Eles são amigos e não é só por eu não gostar dele que eles não podem se falar... Realmente estou sendo carente demais. 

Pov Rezende

Decidi ir no McDonald's do shopping almoçar. Sozinho é claro, nenhum dos meus amigos mais próximos pode vir para me acompanhar. Sentei em uma mesa sozinho e comi tranquilo, sempre pensando no Cell. 

Porque ele não me sai da cabeça? Porque não paro de pensar nele? Deve ser a raiva toda que eu sinto. Ou não... 

Vejo o... Luba? Se aproximando de mim.

Luba: Oi cara!-ele fala sorrindo e se sentando na minha frente. 

Rezende: Oi! Cê não deveria estar com os outros?-eu pergunto seco. Eu estou feliz por vê-lo, mas não quero demonstrar. 

Luba: Eles estão ali na outra mesa.-ele fala apontando para a mesa onde estavam.- Passou-se alguma coisa cara?-ele pergunta preocupado e segurando na minha mão. 

???: Que nojo!-um homem fala ao olhar para as nossas mãos. 

Luba: Primeiro: Senhor, tem algum mal ser gay? Segundo: Ele é só meu amigo e está passando por um problema pessoal, tá?! Com licença!-ele fala olhando para o homem que já estava indo embora agora e no fim olha para mim de novo.- Pode falar.-ele fala virando toda a sua atenção para mim. 

Rezende: Wow! Vc mandou bem, velho!-eu falo e dou um soquinho em seu ombro. 

Luba: Auto-confiança amigo! Kkk...-ele fala rindo e eu o acompanho. 

Rezende: Então... Voltando ao meu "problema"...-eu falo. 

Luba: Sim?-ele fala insistindo para eu continuar. 

Eu respiro fundo... 

Rezende: Eu estou gostando do Cellbit...-eu falo com medo da sua reação. 

Eu falei sem pensar duas vezes. Eu o odiava, mas esse ódio todo se transformou em amor...em desejo. 

Luba: Sério? Como vc chegou a esse ponto, cara?!-ele pergunta surpreso. 

Rezende: Eu não sei... Eu simplesmente comecei a gostar dele e não a odiá-lo.-eu falo meio com vergonha. 

Luba: Ok... Calma... Não é por vc gostar dele que eu estou assim. Quer dizer... Mais ou menos...-ele fala indeciso e confuso. 

Rezende: Como assim, vei?-eu pergunto extremamente confuso. 

Luba: Como vc deve saber, eu e ele chegámos a namorar.-ele fala. 

Rezende: Sim...-eu acinto. 

Luba: O motivo de nós termos terminado era porque eu estava gostando do T3ddy e ele estava gostando... gostando... gostando de vc, cara...-ele fala nervoso e eu fico em choque. 

Ele gosta de mim? Ele gosta de mim desde que eles terminaram? Mas isso já foi à 4 meses... Deus... É sério isso? 

Rezende: S-Sério?-eu falo gaguejando, ainda não tinha digerido a informação. 

Luba: Sério. E ele ainda gosta de vc, de certeza! Eu fiquei muito surpreso porque finalmente o amor do Cell foi correspondido. Kkkk...-ele ri de leve. 

Rezende: É uma informação muito pesada para a minha consciência, calma...-eu falo massageando a minha cabeça. 

Luba: Preciso voltar para junto deles. Depois nos falamos. Abraço!-ele fala, se levanta da cadeira e volta para perto deles. 

O Rafael Lange gosta de mim... 

Enquanto isso... 

Pov Cellbit

O que será que eles estão conversando? O Luba ficou surpreso do nada... A curiosidade está me matandooooooo.... Deus! 

Cellbit: Alan! Posso falar com vc em privado?-eu pergunto começando a me levantar da mesa. 

Alan: Claro, amigô!-ele fala se levantando junto comigo. 

T3ddy: Obrigada pela confiança aí!-ele fala ironicamente e fazendo um joinha. 

Cellbit Foi mal, mas o Alan é quem eu mais tenho confiança a não ser o Felps que não está aqui.-eu falo e levo o Alan para um canto do Mc. 

Alan: O que se passa?-ele pergunta curioso e confuso. 

Cellbit: Eu acho que estou gostando do Rezende... MAS EU NÃO QUERO!-eu grito me exaltando. 

Alan: Vc tem que cair na realidade.-ele fala passando a mão nas minhas costas. 

Cellbit: Eu não quero gostar dele. É suposto eu odiá-lo...-eu falo deixando cair uma pequena lágrima. 

Alan: Vc anda muito sentimental senhor Lange Severino.-ele fala sorrindo e enxugando a minha lágrima com o seu polegar. 

Cellbit: O que eu faço?-eu pergunto nervoso e rindo de leve por causa do comentário do Alan. 

Alan: Primeiro: Aceita que vc tá gostando dele. Segundo: Tenta falar com ele. Terceiro: Confessa tudo.-ele fala como se fosse simples assim. 

Cellbit: Não é tão simples assim...-eu falo com medo do que pode vir a acontecer. 

Horas mais tarde... 

Pov Rezende

Realmente não sei como criei coragem para convidar o Cellbit e os outros a virem a minha casa. Estou muito nervoso... Eu estou pensando em lhe contar o que sinto por ele hoje, mas primeiro vou perguntar o que ele tem contra mim. 

Rezende: Cellbit... Posso falar com vc?-eu falo respirando fundo pelo meio. 

Cellbit: Claro...-ele fala e se levanta do sofá, vindo em minha direção. 

Rezende: Podemos falar no meu quarto? Já que eles estão em todo lado!? Kkk..-eu sussurro e riu tentando não comparecer segundas intenções. (Aut: Hum... Safado!) 

Cellbit: Tá...-ele falou meio corado. 

Tão fofinho... 

Entrámos no quarto e nos sentámos na cama. (Aut: A arma da safadeza!) (Rezende: Cala a boca e continua.) 

Rezende: O que vc tem contra mim?-eu vou direto ao ponto. 

Pov Cellbit

Sério que ele está me perguntando isso? Ai, ai... Vida, vida... 

Cellbit: Já falei que não é nada pessoal, até porque é a primeira vez que estou com vc pessoalmente. Tipo... Sei lá... O seu conteúdo... As thumbnails...-eu paro de falar, pensando se eu falei algo muito pesado ou não. 

Acho que não... 

Rezende: Eu falei para vc não julgar o video pela thumbnail, vei...-ele fala em tom de voz pré-irritado, digamos assim. 

Cellbit: DESCULPA, MAS EU NÃO SEI COMO EXPLICAR O PORQUÊ!-eu gritei quando me exaltei. 

Já fiz merda... Vai dar merda... 

Rezende: COMO ALGUÉM NÃO SABE EXPLICAR O PORQUÊ DE TER INSULTADO UM YOUTUBER?!-ele tbm começa a gritar. 

Cellbit: EU TE ODEIO, REZENDE!-eu grito e começo batendo nele. 

Me dá um aperto no coração gritar com ele e bater nele, mas é o impulso e a impaciência.

Pov Rezende

Porque tu me faz isso? Porque me bate? E porque isso me está deixando excitado? É o seu toque? Será? 

Rezende: ME ODEIA? OU ME AMA TAL COMO EU TE AMO?-eu falei e o prensei na cama, fazendo ele parar de me bater e corar.

Cellbit: ME SOLTA, PEDRO!-ele fala se debatendo.- Por favor...-ele fala parando de se debater e corando ainda mais. 

Tão inocente. Tão sexy. Tão lindo. Esses seus olhos azuis tão penetrantes. 

Rezende: Me desculpa por isso, mas eu sei que vc quer...-eu falo e selo os nossos lábios. 

Foi um beijo calmo e suave. Sem ao menos eu pedir passagem, consegui sentir a sua lingua explorando cada canto da minha boca. As nossas linguas dançavam em harmonia.

Ele beija melhor que qual quer garota que eu já tenha beijado. Um beijo tão doce, molhado e excitante. Um beijo TÃO bom! 

Separo as nossas bocas... 

Cellbit: E-Eu te amo, Rezende.-ele fala ainda surpreso pela minha atitude. 

Rezende: Eu tbm te amo, Cell.-eu falo e beijo o seu pescoço, sentindo o mesmo arfar e gemer baixo. 

Cellbit: Awn.. A-Agora não, Rezende... Awn... N-Não estamos sozinhos...-ele geme enquanto eu deixo chupões em seu pescoço branquelo. 

Rezende: As paredes do meu quarto são à prova de som. Ninguém vai ouvir a gente...-eu sussurro a última parte próximo ao seu ouvido.- E sim... Eu já tranquei a porta...-eu continuo sussurrando junto ao seu ouvido.

Cellbit: Vc é tão perfeito assim?!...-ele fala encarando os meus olhos. 

Rezende: Só existe uma maneira de descobrir...-eu falo e selo os nossos lábios em um beijo quente e necessitado. 

Ele sorri entre o beijo. 

Pov Cellbit

Isso só pode ser um sonho... O Rezende gosta de mim? Deus! Muito obrigado por isso, Deus! 

Eu comecei retirando a sua camisa, interrompendo o nosso beijo caloroso. Seu abdómen definido... Tudo nele é P-E-R-F-E-I-T-O! Logo em seguida ele retira o meu moletom, eu passo a minha mão pelo seu peitoral e reparo que só o estava excitando ainda mais. Ele começou beijando e marcando o meu abdómen, descendo lentamente, fazendo uma trilha de beijos e chupões até chegar ao cós da minha calça jeans. 

Rezende: Vc quer mesmo continuar?-ele pergunta preocupado e encarando os meus olhos. 

Cellbit: Isto é tudo o que eu mais quero, Rezende...-eu falo dando um sorriso malicioso. 

Ele começa tirando a minha calça com cuidado, me deixando só de cueca. O meu membro já estava bastante excitado, já estava pulsante... Eu me sentei na cama e ele se ajoelhou na minha frente. 

Rezende: Nossa! Tá muito excitado, hein?!-ele fala de modo safado e mordendo o seu lábio inferior. 

Cellbit: V-Vai logo!-eu falo impaciente e extremamente louco. 

Rezende: Sim senhor.-ele fala e retira a minha cueca. 

Ele abocanha o meu membro, me fazendo gemer alto e tombar a cabeça para trás de prazer. Ele começou gemendo baixo enquanto me fazia um boquete delicioso. 

Cellbit: R-Rezende eu vou...-eu falo e me desmancho em sua boca. 

Ele engoliu todo o liquido e me beijou em seguida, me fazendo sentir o meu próprio gosto. 

Cellbit: É a minha vez agora.-eu falo com um sorriso malicioso no rosto. 

Empurrei ele na cama, o fazendo se sentar na mesma. Retirei a sua calça e a sua cueca, me ajoelhei no meio de suas pernas e comecei a lamber a glande do seu pénis. Ele gemia de prazer. 

Rezende: Awn... Faz logo o serviço... Awn...-ele pede entre os gemidos e eu logo abocanhei o seu membro. 

O seu pénis estava bastante ereto e pulsante. Eu fazia movimentos de vai e vem lentamente até sentir uma mão entre meus cabelos me fazendo aumentar a velocidade dos movimentos. 

Rezende: Cell... Awn... E-Eu vou g-gozar...-ele fala entre os gemidos e eu paro de o chupar.- P-Porque parou...-ele me olha confuso. 

Cellbit: Vc não quer animar as coisas?!-eu pergunto de um modo safado. 

Rezende: Entendi...-ele fala e me puxa para cima dele e troca as posições em seguida, ficando em cima de mim.- Eu te imaginei tanta vez nessa posição.-ele fala e morde o meu lábio inferior. 

Cellbit: Me fode logo, Rezende...-eu falo bastante impaciente e com bastante vontade de sentir o seu pénis dentro de mim. 

Rezende: Será um prazer.-ele fala.- Quer que eu te prepare?-ele pergunta preocupado e roçando o seu membro em minha entrada. 

Eu nego e ele me penetra lentamente até eu sentir o seu membro completamente dentro de mim. 

Pov Rezende

Eu o penetro lentamente e espero ele se acostumar, quando ele se acostumou, deu uma rebolada no meu pénis. Eu comecei a estocá-lo mais fundo e mais rápido, fazendo o mesmo gemer alto. 

Cellbit: Awn... P-Pedro... Awn...-ele geme o meu nome, me fazendo ficar cada vez mais excitado enquanto o estoco. 

Eu começo o masturbando no mesmo ritmo em que dou estocadas mais rápidas e mais fundas, até que eu o acerto em um ponto que o faz gemer bastante alto. 

Cellbit: AWN... A-Ali de novo...-ele geme e eu começo a acertar só na sua próstata. 

Rezende: Vc é muito apertadinho!-eu falo me inclinando e sussurrando em seu ouvido. 

Essa entrada tão apertadinha. Hm... Que delicia! 

Cellbit: Awn... E vc é muito gostoso...-ele fala fazendo a expressão mais sexy que eu já vi na minha vida, ele estava com os lábios semiabertos, olhos fechados, sombrancelhas arqueadas e cabeça minimamente inclinada para trás de tanto prazer. 

Eu continuei masturbando e estocando ele. Até sentir o meu ápice chegando... 

Rezende: R-Rafa eu vou g-gozar...-eu falo quase em meu ápice. 

Cellbit: Só se vc me fizer gozar junto... Awn... -ele fala entre os gemidos e eu começo o masturbando cada vez mais rápido. 

Passado pouco tempo, ele goza em minha mão e em seu abdómen. Eu sinto a sua entrada se contraindo e acabo gozando logo em seguida dentro dele. Nós caimos na cama ofegantes... 

Cellbit: Dorme de conchinha comigo?-ele pergunta me olhando e sorrindo. 

Rezende: Claro, mas... E os outros?-eu pergunto com medo do que pode acontecer se fizermos isso. 

Cellbit: Relaxa! Só vão ter que aceitar que eu e vc nos amamos...-ele fala e me dá um selinho.- Agora vamos tomar um banho...-ele fala e me levanta da cama, em seguida fomos para o banheiro.

Pov Luba

Eles estão demorando muito... Ou tiveram a conversar pra caralho! Ou eles os dois ficaram!... Acho que... Segunda opção... Da maneira que conheço os dois... Kkkk...

Alan: Eles estão demorando muito... Eles estão ficando? Kkkk...-ele ri da sua própria pergunta. 

T3ddy: Não se vai saber ne?!-ele fala dando de ombros e continuando a jogar video-game com o Mauro. 

Zelune: Vai saber ne?!-ele fala irónico. 

Luba: Acho que é melhor contar para vcs... Só para não ficarem tão surpresos assim se algo tiver rolado entre eles... O Cellb...-eu sou interrompido. 

Alan: Olhem a porta está aberta agora...-ele fala e abre a porta.

Puta merda... 

O T3ddy e o Mauro pararam de jogar, o Zelune e eu nos levantámos do sofá e por fim todos nós olhámos para dentro do quarto. O Cellbit estava dormindo de conchinha com o Rezende o abraçando por trás. 

Que lindo... 

Alan: Já rolou, gente?! Kkk...-ele fala e ri.

Zelune: Cês não se odiavam?!-ele fala confuso e surpreso. 

Mauro: Sou o único que estou boiando?-ele pergunta ironicamente e admiradamente. 

T3ddy: Cês estão ficando?-ele pergunta confuso. 

Zelune: Porque vcs não estão admirados?-ele pergunta olhando para mim e para o Alan. 

Luba: Eu já sabia que o Cellbit gostava do Rezende e depois o Rezende me contou que ele gostava do Rafael...-eu falo simples. 

Alan: E o Cell já tinha me contado que estava gostando dele. Naquele momento do almoço...-ele fala sorrindo. 

Cellbit: Nós nos amamos e ponto final.-ele fala e se aconchega nos braços de Rezende. 

T3ddy: Cê não estava com o Felps? Kkk...-ele fala rindo. 

Cellbit: Isso é o que os fãs querem, mas eu não vejo o Felps para além de um melhor amigo.-ele fala e o Rezende beija o seu pescoço. 

Luba: Isso vai ser interessante...

Alan: Uma nova jornada... 

Zelune: Cellzende... 

T3ddy/Mauro: É real... 


Notas Finais


Espero que tenham gostado desse amor e dessa safadeza! ❤ 😏
Deixem o vosso favorito e o vosso comentário aí em baixo. 😘

Obg e Bjs! 💋

Falouuuuuuu....! 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...