História Censurado *relatos* - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Álcool
Exibições 1
Palavras 621
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Festa, Orange, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Isso só pode ser doença

Capítulo 8 - Paixonite aguda


Começarei em uma turnê de baladas e álcool tinha a liberdade que eu tanto sonhei, era toda Quinta, sexta, sábado e domingo um lugar diferente ou o mesmo. Não sei com que dinheiro eu e as minhas amigas saíamos sempre retornamos bêbadas e muito chapadas. E sempre ele estava lá para falar que não era para eu voltar louca do jeito que eu estava e outros clichês; ficava muito revoltada já que não tínhamos nada e ele sempre queria me controlar, mas o simples conforto de sair e me "divertir"e quando chegasse ter atenção era um conforto que eu não queria trocar. Nos não éramos tão unidos quanto antes a não relação começou a ficar pior. Minhas amigas não tinha uma boa fama e fui ficando mal falada junto só por andar com elas (quem se mistura com porcos farelos comem) sentir isso na pele. Os colegas dele comentavam coisas absurdas sobre as meninas e sobre mim. Eu não ligava nem um pouco cheguei ao ponto de até acha bom e meu lema estava se tornando 'falem bem ou falem mal mas falem de mim'. 

Um dia que não sai e ficamos na casa dele conversando e bebendo acabei me alterando um pouco e falei que estava apaixonada. Ele teve um acesso de riso e falou que eu estava confusa e se eu gostasse dele não saía tanto para as baladas eu na defensiva falei que era para vê se ele se tocava e chegava até a mim. Chegamos ao consenso de que eu iria parar de sair e ficaria em casa com ele, no começo foi um mar de Rosas. 

Até que a Natália que é sobrinha do Thiago volto sabe-se lá de onde e ele começou a se afastar novamente. Em uma noite qualquer fui no mercado quando eu chego em casa em deparo com ele abraçado com ela e nem fez a menção de solta-lá quando eu cheguei cumprimentei eles e minha amiga que estava me esperando fui em casa deixei as compras e sai de casa fui até uma praça que era próxima e chorei tudo que tinha para chorar e mais um pouco.

Fiquei muito mal mesmo ele não teve a decência de falar que era afim de outra garota ou sei lá o que, não foi homem o suficiente para conversar comigo sobre um "nos" mesmo sabendo o que eu sentia em relação a ele. 

Pode parecer besteira mas ele foi uma pessoa que me compreendia meus medos, defeitos e ambições foi a pessoa a se negar a ouvir e criar comentários, foi meu ombro amigo e até um conselheiro e do nada despedaçou a confiança e a credibilidade que tinha nele. Mas fazer o que estava apaixonada.

Retornei a vida de baladeira para todos estava bem e firme por fora mas por dentro fiquei realmente muito recentida pela falta de consideração e não pela falta de afeto, sabia que desde do começo não  era recíproco. Eu apostei o quase nada em que eu tinha e fiquei sem nada. Minhas crises de Ana aumentaram muito eu sempre voltava para casa (no caso a da minha minha mãe) quando minha vó queria me empurrar comida a força. Minha mãe ficou sabendo que eu não andava me alimentando e também me forçava a comer e assim consequentemente as crises de Mia voltaram eu não queria saber de muita coisa mesmo. Sempre tive poucos amigos e  me isolava com frequência ninguém nunca questionou nada sobre isso. 

Um belo dia ele se foi realmente se foi, a família dele é de Minas e ele voltou para lá sem dá tchau nem nada mais, deixou o recado que um dia voltaria. E para Natália deixou uma carta. 

Isso me mágoa até hoje


Notas Finais


Ps: ainda existe muito mais... não foi tudo tão simples do jeitinho que está escrito


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...