História Central Omega - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karin, Kiba Inuzuka, Kushina Uzumaki, Menma Uzumaki, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Shikamaru Nara, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Alto Ajuda, Itanaru, Outros, Sasumen, Sasunaru
Visualizações 303
Palavras 2.319
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Seinen, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Saindo das cinzas, assim espero.

Capítulo 11 - Capítulo XI


    Estou no hospital novamente, dessa vez apenas como visitante, embora eu tenha a sensação que meu pai prefere que seja pra ser internado.
   Se passou três semanas desde o jantar, e o caminho de casa até o hospital foi o recorde de tempo que passamos juntos durante esse período. Não houve palavras ou olhares de apreensão, somos completos estranhos.
   Shizune está me esperando na recepção, minha mãe avisou a ela que eu viria, então assim que chego sou recebido com abraços e beijos de uma tia solteitona. Ela esta mais feliz que o normal, pois seu sorriso está de orelha a orelha e olhos brilhando de euforia.
   __Tenho uma coisa incrivel pra te contar__Shizune me pega pelas mãos e me faz girar com ela, há algo de cômico nisso__Meu afilhado está vindo pra cá. Chega daqui dois dias!
    Acabo sendo contagiado pela alegria dela e logo estou rindo embora meio tonto com os giros, e nem sabia de quem ela está falando.
   __Não saiba que tinha afilhado.
   __Eu tenho!__dessa vez ela segura minhas mãos em concha__E quer saber? Vocês vão se dar muito bem, são as coisas mais fofas que eu já vi.
    Mas uma vez ei queria perguntar se ela acha leões fofos.
   __Onde está Shisui?__pergunto olhando pros lados. A essa hora ele já deveria ter vindo me ver. Me sinto murchar de repente. Não só por saudades mas também por carência. Esse sentimento está ficando cada vez mais claro e angústiante pra mim, por isso vim até aqui depois de semanas trancado em casa.
    Mais pais não me botaram de castigo, foi eu que escolhi me distanciar de tudo até melhorar. Estou bem agora, quase, na verdade não muito.
   __Ele está na sala de recreação. Decidi não  contar que você viria, é pra ser uma surpresa.__ela piscou pra mim.__Vem, temos que te dar a identificação de visitante.
   Antes mesmo de eu chegar a sala algum vulto me agarrou. Meu instinto não valicilou ao me dizer que estava tudo bem,  mas foi tão de repente que me desequilibrei.
   __Neko-chan eu sabia que era você! Ninguém acreditou em mim__era Yumi. Ela era menor que eu mas apertou os braços em volta da minha cintura como se fosse feita de ferro, e como sempre, ela ficou na ponta dos pés para pegar o que mais mais gostava, minhas orelhas.__Eu sabia...o cheiro é inconfundível.__ disse satisfeita consigo mesma.
    __Yumi, poderia leva-lo até a sala de recreação?__Shizune pediu enquanto checava as horas no relógio de pulso__esqueci que tenho uma consulta pra agorinha. Céus como estou atrasada!
   __Claro tia.__confirmou então me encarou com aqueles olhos castanhos sonhadores. Os cabelos estavam um pouco mais cumpridos desde a última vez que a vi, e parece mais alegre__Posso segurar sua mão?
   __Por que não?
   Yumi me fez andar mais devagar, com a intenção de ficar de mãos dadas comigo por mais tempo. O tom rosado das bochechas dela estava ficando cada vez mais intenso.
   __Yumi poderia me dizer se o Gaara ainda está aqui?
   __Quem?__ela fraziu o cenho com o rosto erguido pra mim.
   __O ruivo de olhos verdes__esclareço.
   __Ah...ele já foi pra casa. Mas eu acho que ele não deveria ter ido não, os pais dele são malucos. Doidos de pedra__disse ela sem qualquer resquício de humor na voz. Estamos na ala psiquiátrica com uma paciente dizendo que os "de fora" é que são loucos, talvez eles até rissem do comentário, mas nos vemos exatamente dessa forma.
    Assim que entramos fomos recebidos com uma avalanche de pacientes curiosos. Já me esperando, devem ter sentido meu cheiro como a Yumi.
   __Calma, não precisam se amontor...ele precisa de ar. Naruto vai falar com todos...fiquem calmos__Shisui tenta acalma-los mas posso ver em seu sorriso que ele está quase pra fazer a mesma coisa que eles, que é pular em cima de mim.
    A visão de Shisui me ser tomado por um alívio que não sei explicar, de repente todo peso dentro do meu coração sumiu que eu poderia até levitar.
   __Oi__aceno pra eles__de quem vai ser o primeiro abraço?
    Percebi que disse a coisa errada assim que eles começaram a discutidir.
    Uma hora depois, com a situação controlada, estou sentado com a Sra.Fujihara me penteando. Ela tem uns 85 anos e todos os cabelos dela já são brancos, depois de um tumor no cérebro nunca mais foi a mesma as vezes os filhos trazem ela pra cá até se lembrarem que ela existe. E uma mulher muito legal, que no passado era uma mãe expedida.
   __Filho, você está enfestado de pulgas.
    Shisui me olha e ri do que ela disse, juntamente com os pacientes.
    __Eu não tenho pulgas!__estou indignado com o que ela disse. Acho que ela quis dizer piolhos em vez de pulgas, mas eu não tenho nem um nem outro.
   __Olha gente ele tá fazendo biquinho, que coisa mais linda!__Yumi diz em voz afetada, no mesmo tom que usam quando estão falando com bebês ou gatos. Fecho a cara percebendo que eu estava realmente fazendo biquinho.
    __Isso não é justo.

    __Como está...quero dizer, depois daquilo.__ele balançou a cabeça para colocar os pensamentos em ordem__depois do meu primo?
   __O Sasuke?__dou de ombros.__Eu estaria mentindo se dissesse que não pensei no assunto. Ele me parece um cara legal mas de boas intenções o inferno está cheio.
   __Não confia nele?
   A sala de recreação está vazia, os pacientes já estão em seus quartos. Eu e Shisui estamos sozinhos. Ele está sentado em uma cadeira vermelha de maderia com um ursinho na mão, o jaleco dele está levemente amarrotado, e espera que eu responda a sua pergunta. Já eu, ainda estou sentado onde a Sra.Fuji "catou minhas pulgas", ainda não enguli essa.
   __Em ninguém__respondo sinceramente então o semblante dele fica triste e magoado, me fez sentir culpa. Levanto e vou até ele. De todas as pessoas  foi a única que não abracei ainda, então farei esse ser o melhor de todos. Com meus braços em volta dele descubro porque Yumi abraça tão forte. O cheiro dele é tão bom, e o calor do corpo tão aconchegante que eu poderia passar a vida aqui__Exceto em você.
    Quando nos afastamento vejo que ele está vermelho até se orelhas, e sinto meu rosto esquentar na mesma medida.
    Então percebo, que minhas palavras não poderiam ser mais sinceras. Uchiha Shisui é a única pessoa em que confio.
¤¤¤

    Eles pensaram que seria melhor os filhos romperem a marca de uma vez, que seria mais fácil, só que um deles quase morreu no processo. A mancha negra no corpo de Gaara serviria como um lembrete da imprudência de ter feito tudo pelas costas dele.
    Gaara não conseguia dormir direito, tinha pesadelos, e alucinações com Kamkurou algumas tão reais que por uns instantes acreditava que era mesmo ele ali. Não era preciso muito para saber que eram as sequelas lhe confundindo. Pelo menos ele não ficou deformado, com músculos atrofiados tortos em ângulos estranhos, indefeso como um recém nascido, inútil como um vegetal no coma, ou morto, mas Gaara sentia que não tinha escapado da demencia.
   Porque justo com ele? O que tinha feito para merecer? Sempre foi um bom filho, era obedinete, não dava problemas ou se metia em brigas. A única explicação foi azar demais em um único dia e as consequências depois fizeram o resto.
    __Ainda acordado? Quer que eu cante pra você dormir mais rápido?__Kankurou estava sentado na ponta da cama novamente, usava roupas sociais de trabalho. Gaara não podia ver o rosto dele porque estava escuro, contudo sábia que ele estava usando porque o alfa sempre aparecia da mesma forma. A voz dele era sempre calma e envolvente, tão aveludada quando um doce afago.
   __Quero que você suma,  que me deixe em paz, quero esquecer que você existe. Vai embora.
   __Você não quer isso, ainda me quer aqui.__Kankurou soou convencido__não pode fugir do que realmente deseja.
   Gaara riu com vontade amarga.
   __Bem diferente de você, que me abandonou sem nem pensar duas vezes. Desgraçado.Podia ter esperando um pouco mais pelo menos?__ele se encolheu na cama, e depois se virou para não ter que ver aquilo__ Sabe o que eu quero?
   __O que?
   __Que você morra.
   Gaara apertou bem os olhos para não ver mais nada além da escuridão, tapou os ouvidos para ouvir as batidas descompensadas do próprio coração. Quando relaxou, virou o corpo novamente. Respirou fundo ao constatar que seu fantasma havia ido embora.
    Passou uma hora e nem a noite, o cansaço, ou sua vontade fizeram ele dormir. Gaara levantou da cama, calçou suas pantufas e foi até o armário buscar um casaco.
    __Desculpa mamãe e papai, mas eu preciso ir.

    Era a primeira vez que saia durante aquele horário, ao contrário do que a maioria das pessoas pensavam ele não gostava de festas ou baladas no final de semana, mas achou divertido fazer isso agora. O ar noturno era novo e um tanto elétrico.
   Ele andou bastante e nem sabia onde estava agora. Tinha visto um monte de pessoas indo para uma boate onde havia uma fila enorme na entrada. A música era baixa do lado de fora, boa o suficiente para ele gostar mas não o bastante para fazê-lo se aproximar do lugar, então apenas permaneceu observando de longe o fluxo da fila, encostado no muro de uma loja com os braços cruzados para manter algum calor. O capuz cobria o rosto dele, e o frio entrava através do tecido fino da sua calça verde de dormir. O que mais contribuiu para que ele ficasse ali foi um aroma delicioso que ele não soube dizer o que era. Então ficou imaginando o que fez aquelas pessoas rirem até ali, a música, diversão, sexo, qualquer coisa.
   __Você não deveria está aqui.
   Gaara ficou irritado por se importunado mais uma vez.
   __Vai pro inferno!__nem olhou para Kankurou. Por sorte estava com capuz sobre a cabeça, e a proteção impedia de vê-lo pelo canto do olho. A voz já era o suficiente.
   __É sério, o que você está usando, um pijama?
   __Me dando dicas de moda Kankurou? Meus modelitos não te agradam mais?
    A fila havia diminuído, a música mudou para uma que ele não gostava. Contudo ainda estava intrigrado com aquele perfume que de repente ficou mais forte.
   __Olha, o pijama até rola, mas você acabou de me confundir com esse cara.
    Gaara encarou o sujeito modificado e cheio de vergonha. Ele tinha cabelos loiros num tom sujo, olhos não muito diferentes. Vestia uma jaqueta preta por cima de uma camisa branca, e um jeans desbotado daqueles saídos direto da loja. Tinha uma expressão entre amável e ranzinza. A pele dele era perfeita, todo ele parecia tingido em uma única e harmoniosa cor. O cheiro dele era marcante, sandalo, não era perfume, era o odor próprio mesmo. Gaara soube que era dele que vinha. Mas voz era parecida com a de Kankurou. O alfa estranho era realmente bonito, na verdade tinha um quê de perfeição que fez Gaara se arrepiar. Um alfa aqueles só poderia ser uma coisa.
   __Mais um fantasma.__ele retorceu o canto da boca em desgosto__Ótimo, que maravilha!
    Andou para lonje do estanho, tentando se lembrar qual era o caminho se casa.
   __Quer companhia?__o outro lhe seguiu. Ele era alto e forte também, Gaara percebeu.
   __Sim__aceitou rapidamente antes de pensar melhor e mudar de idéia__ Não. Desde de que você suma tão rápido quanto o último não vou me importar.
   __Você tomou algum remédio?__o alfa brincou.
   __Meio a meio, uns eu tomei e os outros eu cuspi fora__falou rispido.
   A boate ficou para trás, o fluxo de pessoas diminuiu consideravelmente também. Gaara não reconhecia o lugar, nem casas, nem as pequenas lojas. Sentiu vontade de se estapear. Por que não tinha marcado na memória pontos de referência?  Alguns minutos depois  chegaram a uma praça onde sem dúvidas ele não tinha passado antes. Sua sombra o seguiu silenciosamente, as vezes os braços dele se esbarravam, o que deixava Gaara sem jeito, tanto que não falou nada.
   O omega sentou num banco, cansado, os pés dele estavam coloridos e as pantufas estragadas. Estava com vontade de dormir agora, então simplesmente deitou ali sem se importar com a alucinação do alfa lhe encarando com curiosidade.
   __Eu to perdido.__choramingou arrependido. Ele pôs as mãos no rosto desejando que aquela pequena escapada fosse também parte daquela alucinação inicial. Tentou fazer aquilo novamente para "acordar", fechou o olhos, tapou os ouvidos e se concentrou no coração até o ritmo se acalmar. Então sentiu um toque morno no seu rosto afastado o capuz.
   __Você é um rompido__Gaara de espantou e se levantou as presas estapeando o estranho no processo. Em uma distância segura, ele notou o rosto surpreso que o outro tinha. Gaara tocou o pescoço incomodado com o olhar do alfa. Mas parecia que ele podia ver toda a extensão daquela mancha que se propagava por parte da bochecha, do ombro, das costas__Que crueldade, não imagino alguém sendo capaz de jogar você fora.
    Não houve repulsa na voz dele quando disse "rompido". Um omega que tinha sua marca quebrada de uma forma abrupta tinha uma conotação degradante.
    __A maioria diria que provavelmente foi minha culpa ter sido trocado.__ele voltou a colocar o capuz. Inspirou fundo o ar, ao mesmo tempo que sentia a presença confortável daquele alfa lhe cercando. Não podia ser verdade__Digamos que ser rompido fudeu com minha mente. Então, você é real?
   __Sim.__ele respondeu se aproximando devagar, até ficar a centímetros de Gaara, prestes a toca-lo.__Pode me sentir?__perguntou ele, já tocando com o polegar a bochecha marcada por veias negras.
   __Sim__Gaara fechou os olhos, entre o alívio e vergonha.
   __O que deseja que eu faça por você hoje, baixinho?
   __Me leva pra casa?__O alfa respondeu, simplesmente erguendo o corpo leve nos braços. Gaara nem protestou, encostou a cabeça no peito para sentir mais daquele aroma tranquilizador. Num fio de voz ainda fez mais uma pergunta__Como se chama?
   __Shukaku. Vou te levar pra casa, é só me dizer onde.
   Acabei de achar



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...