História Certas Liberdades - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hashirama Senju, Itachi Uchiha, Madara Uchiha, Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, Shisui Uchiha
Tags Drama, Hashimada, Madahashi, Narusasu, Romance, Sasunaru, Sasunarusasu, Shiita, Shisuiita, Uchihacest, Yaoi
Exibições 249
Palavras 3.844
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, FemmeSlash, Ficção, Lemon, Mistério, Orange, Romance e Novela, Slash, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Oii amoresss!

Estou aqui com mais um capítulo fresquinho e tenho algumas coisitas para falar, então me acompanhem.

Em primeiro lugar, sobre o capítulo eu gostaria de dizer que não foi revisado (pra variar) porque eu realmente tenho dificuldades em rever, sei que se fizer isso vou me desanimar muito com meus erros, é muito complicado, tenho uma certa vergonha de ler algo que escrevi, mas um dia vou tomar vergonha na cara e encontrar alguém nesse vasto mundo que possa revisar para mim.

Eu decidi que iria variar e inseri no meio da história uma música e vou tentar fazer mais disso novamente, afinal, é o meio que mais me identifico. A canção se chama Quase Sem Querer - Legião Urbana. Pois é, não esperem muito de mim pois eu só ouço essas coisinhas mais antigas e nacionais, sou extremamente chata para músicas, mas acho essa daí um amorzinho e ela é específica para Shiita. Isso mesmo! Tem Shiita hoje, vocês me pediram muito e eu atendi, principalmente porque estamos entrando numa fase da história onde não sei se poderei atender muitos pedidos, hihihi! Deixarei o link dessa lindeza nas notas finais! sz

Esse capítulo tá saindo hoje e, normalmente deveria sair amanhã, mas eu havia planejado para ontem (confuso, né?) e não consegui postar, vem aí um lindo e breve desabafo:

Era uma hora da manhã e eu estava me dedicando a um trabalho que tinha de entregar hoje, de fato, o terminei, e fiquei muito chateada comigo por não ter atualizado a fanfic justamente por causa disso. Então hoje de manhã me vêm o cúmulo: minha professora me humilhou por ter errado em um detalhe deste mesmo trabalho. As pessoas andam mesmo sem empatia, não é?

Calma gente, não quero que morram de pena e nem vou entrar em detalhes, mas queria deixar isso dito aqui, porque deixei minha atualização de lado por conta disso e, partindo de hoje, não farei mais algo assim, tentarei me dedicar mais aos meus trabalhos pessoais para que situações como esta não aconteçam novamente.

Falando em trabalhos pessoais, vocês são muito lindes! Eu sei que não foi todo mundo aqui que viu (e se não viu, vai lá que ainda dá tempo), mas eu escrevi uma Fanfic comemorativa ao aniversário do Naruto e recebi um retorno maravilhoso! Sério, a-m-e-i que vocês gostaram, isso me motiva muuuito a continuar escrevendo!

Enfim, acho que já ocupei vocês demais, né? Vamo ler esse capítulo logo!

Capítulo 10 - Capítulo X


Capítulo X

 

 

 

 

Os braços de Shisui se entrelaçaram ao redor dos quadris de Itachi e passaram a ser guiados pelo corpo do menor, que caminhava ao redor do quarto ritmadamente ao som da música que ecoava pelo ambiente. Janelas fechadas e cortinas encobrindo a luz solar eram o suficiente que, para com a iluminação fraca do notebook posicionado sobre a estante, aparelho de onde advinham as canções que ambos ouviam, o ambiente se tornasse propício para os primos Uchiha.

As mãos do Uchiha mais novo foram passadas ao redor da nuca do maior e os dois rapazes se encaravam com os mesmos olhos misteriosos e decifravam as palavras que os olhares emitiam naquele instante.

A leveza na expressão facial de ambos era um contraste do estresse que haviam passado no dia anterior, onde as exigências do trabalho obrigavam-os a agirem conforme a regra, com postura firme e fria, indiferente aos problemas que hora ou outra precisavam de solução dentro de uma empresa.

Fazia-se um bom tempo que haviam se mudado, mas as adaptações dentro do emprego ainda não haviam chego, detalhe que estava estressando o humor de ambos, fazendo-o se afastarem e permanecerem reclamando dos empecilhos comerciais sempre que se viam.

Estavam distantes por conta de toda a movimentação de meses atrás e a frustração prevalecia, afinal, haviam se mudado justamente para que pudessem estar mais próximos um do outro. Porém, como ambos sempre foram muito sensíveis ao afastamento, principalmente emocional, naquele dia em questão aproveitaram a folga para se esquecerem de todos os problemas.

Não havia porquê acordarem cedo, então simplesmente permaneceram na cama até mais tarde. Era quase horário de almoço quando realmente se levantaram, mas estavam despertos fazia um bom tempo, apenas contemplando os olhares sonolentos um do outro.

Itachi sabia da falta que aquele olhar lhe fazia, Shisui também sabia da falta que sentia dos olhos negros do primo, e ambos sabiam da reciprocidade dos sentimentos envolvidos naquele abraço desajeitado que compartilhavam no meio dos lençóis. Foi por esse motivo que o mais velho, não satisfeito com a perspectiva de permanecer deitado o dia inteiro, levantou-se, um pouco relutante é claro, e seguiu em direção ao armário em frente à cama, abrindo uma de suas gavetas e retirando de lá o próprio notebook.

Itachi observava movimentação com curiosidade, tentando descobrir através de sua visão embaçada o que seu namorado aprontava com o computador em mãos, mas foi somente quando o quarto fora tomado pelas melodias preferidas dos dois que o Uchiha se deu conta da atitude do maior, agradecendo aos céus por possuir Shisui ali, só para ele.

Em seguida, estavam ali, dançando de um jeito cômico ao redor do cômodo, tropeçando em móveis e errando diversos passos seguidos, como se estivessem liberando todo o estresse dos dias anteriores naquela sensação confusa de distração por conta do sono e alegria, por finalmente aproveitarem um bom momento a sós.

 


Tenho andado distraído
Impaciente e indeciso
E ainda estou confuso só que agora é diferente
Estou tão tranquilo e tão contente

 

 

Em pensar que, meses antes da mudança, uma simples dança como aquela era feita com muita tensão dentro do quarto com as portas trancadas e medo de serem descobertos, o alívio no peito lhes tomava conta. Finalmente não precisavam mais fingir ser o que não eram, provar coisas para os familiares que sequer eram verdadeiras, mentir e omitir cada ato de carinho ou tentarem dar um tempo, alegando que aquilo era apenas uma crise de adolescentes, tudo isso invadiu a mente dos dois Uchiha e se esvaiu tão rapidamente quanto chegou apenas pelo calor do momento, enquanto ambos continuavam aquela dança ridiculamente engraçada.

 


Quantas chances
Desperdicei
Quando o que eu mais queria
Era pra provar pra todo mundo
Que eu não precisava
Provar nada pra ninguém


Como um anjo caído
Fiz questão de esquecer
Que mentir pra si mesmo
É sempre a pior mentira

 

 

Shisui interrompeu os passos em frente ao guarda-roupa e, intrigando Itachi, retirou lá de dentro uma cartelinha de chicletes, abrindo-a rapidamente e entregando uma das gomas sabor morango para o namorado, que o encarou como se não houvesse entendido.

- Pra quê? - segurava o doce em mãos como se tentasse transmitir um pensamento de "Por que paramos para isso?".

- Nós acabamos de acordar, amor. Eu amo você, mas sabe como é, né? - o Uchiha mais novo gargalhou alto ao ouvir a resposta do maior, que fez questão de rir conjuntamente e em seguida, apoderando-se do chiclete nas mãos de Itachi e colocando-o delicadamente nos lábios do namorado. Repetiu o gesto com outra goma, colocando-a na própria boca e tomando o corpo do rapaz para si novamente, puxando-o para a retomada da dança.

Finalmente se beijaram, após alguns segundos cambaleando pelo quarto, Shisui pendeu os dois corpos, derrubando-os na cama, e Itachi aproveitou sua posição dominante para tomar os lábios do primo para si voluptuosamente. Puderam sentir o sabor de morango que dividiam por conta do chiclete, e se divertiam com a briga que realizavam para ganhar a dominância do beijo.

Porém, um barulho advindo da cozinha tomou a atenção dos dois, fazendo-os interromperem o ato em conjunto e prestarem atenção no que ouviam.

Puderam escutar a porta da frente ecoar num baque estrondoso e o silêncio ser tomado, exceto pela música, agora distante da mente dos primos, que ainda ecoava.

Passaram-se alguns segundos, talvez mais de um minuto, e o casal se encarava sem reação, Itachi com as mãos apoiadas sobre o colchão e Shisui, abaixo de si, deitado no mesmo, fitando o olhar preocupado do namorado. Até que ouve-se, igualmente distante, o celular de Sasuke, com seu toque específico, tocar e se atendido com arrogância.

 

"Eu não tenho mais nada para-!"

 

A voz raivosa do irmão mais novo de Itachi era assustadora, mas fora interrompida por algo, provavelmente pela pessoa do outro lado da linha, e o silêncio novamente se instalou.

Itachi estava prestes a se levantar, mas Shisui segurou seus braços e o impediu, logo em seguida a porta da frente se abriu e fechou, dessa vez sem agressividade, arrancando um suspiro de frustração da parte do mais novo.

- Me deixa saber o que aconteceu com Sasuke, Shisui! - o Uchiha tentou se livrar do toque, mas acabou cedendo ao compreender o olhar específico que o namorado lhe dirigiu em seguida.

 


Mas não sou mais
Tão criança
A ponto de saber tudo

 

 

Aquele era o Itachi que Shisui vivia tentando corrigir, o mesmo Itachi que tentava sempre tomar as rédeas de tudo, arranjar solução para os mais variados problemas e encontrar motivos e teorias em coisas simples. Apenas mais um Uchiha com seu complexo de superioridade achando, ingenuamente, que encontraria as respostas para tudo e poderia salvar a humanidade de um desastre natural. Essa pequena mania que o mais novo tinha de tentar se envolver e solucionar tudo passou a tirar Shisui do sério a partir do momento em que ele tentou encontrar razões para que os dois primos, ao invés de simplesmente gostarem um do outro, possuírem algum outro problema qualquer que não fosse homossexualidade e incesto.

Era exaustivo aturá-lo se afastando, fazendo suposições, tentando esconder os próprios sentimentos mesmo depois do beijo que deram espontaneamente. Nos dias que se passaram sem que se falassem todas essas mesmas idéias iam e vinham pela mente de Itachi e o mais velho, mesmo sabendo disso de uma forma incrivelmente intuitiva, já que não trocavam mais que duas palavras por dia, havia se dado conta dos pensamentos do primo e decidiu dali em diante que corrigiria essa atitude autodestrutiva do parceiro.

Havia funcionado, afinal, e Itachi logo se esqueceu, embora seus instintos lhe clamassem para que saísse dali correndo, de se preocupar com os problemas de adolescente do irmão, rendendo-se aos carinhos cada vez mais intensos que recebia de Shisui.
 

 


Me fiz em mil pedaços
Pra você juntar
E queria sempre achar
Explicação pro que eu sentia

 

 

 

Ambos os primos, até aquele dia, não haviam encontrado respostas para seus paradigmas, para seus ideais, mas agora que cresceram, deixaram de lado a ânsia por respostas que a adolescência trazia. Haviam amadurecido e, por fim, um relacionamento maduro era tudo o que precisavam.

Itachi apertou fortemente a cintura do mais velho, remexendo-se abaixo dele para que pudesse entrar em maior contato com o primo, mesmo que ainda encobertos pelas roupas.

 



Já não me preocupo
Se eu não sei por quê
Às vezes o que eu vejo
Quase ninguém vê
Eu sei que você sabe
Quase sem querer
Eu vejo o mesmo que você

 

 

 


(…)

 

 


 

- Sakura, Sakura! - a figura loira correu em direção à amiga com sua voz inconfundivelmente empolgada, pisando na areia com um certo arrependimento ao sentir seus pés descalços queimando no chão quente.
 

Atrás do Uzumaki estava Sasuke com sua mesma expressão neutra de sempre, mas visivelmente mais relaxado do que o normal, como se estivesse feliz e pudesse até sorrir se não fosse um Uchiha.


 

- O que vocês estão fazendo? - perguntou, encarando os dois amigos de cima à baixo como se julgasse a empolgação dos mesmos.
 

- Viemos te agradecer! - o loiro comemorou e Sasuke virou a cabeça para o lado oposto, evitando olhar nos olhos da rosada por conta da vergonha.
 

- Agradecer por…? - fingiu que não havia compreendido a afirmação, por mais que já imaginasse a resposta, apenas para ter o gostinho de ouvir aquilo pelos lábios do Uzumaki.
 

- Bem… - o loiro passou os olhos em volta da praia e viu apenas algumas pessoas distantes deles, o que era praticamente um milagre para um dia ensolarado como aquele, mas o Uzumaki viu aquilo como uma oportunidade que não se poderia deixar escapar e puxou Sasuke, que estava mais para trás e tentava não prestar atenção na conversa, até ele, pegando o Uchiha pela mão como se fossem enamorados e beijando sua bochecha docemente.

Parecia que desestabilizar o moreno era o passatempo preferido de Naruto, pois assim que o beijara, por mais que fosse um gesto singelo e inocente, fez com que as mesmas bochechas do Uchiha queimassem e adquirissem um tom avermelhado por conta da vergonha, e como Sasuke era orgulhoso que só, sentiu vergonha por estar envergonhado, era até cômico de se assistir e a Haruno não pôde deixar de vibrar em contentamento.

- Isso é ótimo, rapazes! - levantou-se da esteira que havia estendido sobre o chão tão rapidamente que o próprio livro que estava em suas mãos caiu para o lado, fechando-se e fazendo a rosada perder sua página, mas a mesma parecia não dar a mínima, seus pulinhos de diversão e as palminhas infantis constrangeram, dessa vez, tanto Sasuke quanto Naruto, e a mesma não pôde deixar de achar cômica essa reação. - Finalmente! Agora me contem, demorou quantos minutos para se acertarem?! - sentou-se novamente, puxando Naruto e Sasuke para baixo também e fazendo ambos praticamente caírem sobre a esteira.

Ambos os rapazes se aproximaram da Haruno, que por sua vez aproveitava a sombra de uma palmeira para se sentar de frente para a praia e ler um livro.

 



 

A brisa forte daquela tarde batia contra a pele machucada do Uchiha e gerava um certo incômodo em sua face. O rapaz caminhava rapidamente de volta para casa, fugindo dos próprios pensamentos e sentimentos.
 

Sua raiva e fúria estavam estampadas no olhar e ao chegar na própria residência, bateu a porta com extrema força para de encontro ao batente, procurando descontar todo seu nervosismo no objeto que não possuía envolvimento algum com seu temperamento agressivo.
 

Tomou o celular do bolso com a mesma rispidez de gestos e enviou uma mensagem rápida para Sakura, onde digitara algo como "Você está de parabéns, Sakura! -'-".
 

Bloqueou a tela do mesmo e passou a dar atenção ao ambiente ao redor. Sua casa estaria completamente silenciosa se não fossem pelos ruídos peculiares que ouvira por alguns instantes vindos do quarto de Itachi e Shisui.
 

Só o simples ato de imaginar o que os dois estavam fazendo, em junção com seu estado alterado de emoções, fez com que Sasuke pensasse em agir naquele mesmo instante, escancarando a porta do irmão e lhe dirigindo todos os palavrões existentes na face da Terra, porém, seu autocontrole fora maior e, mesmo que relutante, permaneceu parado em seu lugar, tentando distinguir uma movimentação diferente. Sabia que se Itachi estivesse em si teria percebido sua fúria e iria lhe consolar, aquele era seu irmão e era exatamente de seu colo que o adolescente mimado precisava naquele instante.
 

Porém a atitude do mais velho tardou a vir e Sasuke, ao invés de sentir rancor por isso, fora distraído pelo toque de seu celular, que passou a ecoar incessantemente até que fosse atendido.
 

Sua raiva triplicou no momento em que leu o nome do loiro sobre o visor, mas ousou atender simplesmente para mandá-lo à merda.
 

- Eu não tenho mais nada para-! - a voz enfurecida estava pronta para destilar veneno, mas Naruto o interrompeu com uma neutralidade bem oposta aos sentimentos de antes.
 

- Me desculpe, Sasuke. Errei, podemos começar de novo? Venha aqui por favor, precisamos conversar. - todo o ódio do Uchiha se transformou em inveja pela capacidade tão plena de pedir perdão sem dificuldades que o Uzumaki possuía, coisa que seu orgulho não lhe permitia.
 

Desligou o telefone na cara do loiro, mas ao invés de se rebelar novamente, apenas abriu a porta e fez como foi aconselhado, repetindo o mesmo trajeto de minutos atrás para se encontrar com Naruto e, quem sabe, resolver suas desavenças.
 

O caminho até a casa do outro rapaz parecia muito mais harmonioso do que quando viera, Sasuke pôde até perceber os pássaros cantando e todo o clima ao seu redor, sentindo-se totalmente constrangido ao perceber o quanto aquele otário conseguia alterar seu humor com uma ou duas palavras.
 

Ao chegar na casa do mesmo não fez cerimônia alguma, simplesmente abriu o portão e em seguida a porta principal, percorrendo novamente o local com os olhos e buscando a figura loira.
 

Naruto se encontrava esparramado sobre o sofá com uma expressão acabada, seus olhos azuis fitaram os de Sasuke com devoção, como se agradecesse mentalmente aos céus por ver a figura do Uchiha em sua frente.
 

Fez um gesto para que o mesmo se sentasse ao seu lado, dando batidinhas leves sobre o assento. Sasuke cooperou com o sinal e se sentou ao lado do amigo numa distância mínima para que pudesse olhar no fundo dos olhos do rapaz.
 

- Sasuke, por que fez aquilo? - os mesmos olhos que eram fitados com firmeza se encheram de lágrimas, mas o loiro forçou para que não piscasse e consequentemente as derramasse. O Uchiha fez menção de responder, mas Naruto prosseguiu com a fala. - Eu sinto muito por tudo isso, sabe? Eu estive confuso durante todo esse tempo, você era meu melhor amigo e do nada me beijou, do nada, Sasuke! Mas não, isso não é um problema para mim, você sabe disso! É só que, bem… Eu venho conversado comigo mesmo durante todo esse tempo e só posso chegar em uma conclusão, que é que você destruiu toda a possibilidade que eu tinha de sentir alguma atração romântica e sexual¹ por mulheres com aquele simples beijo. Isso é assustador, Sasuke! - o Uchiha ouvia atentamente sem acreditar nas palavras que ouvia, comemorando internamente e pulando de alegria, não conseguia sequer interromper a fala de Naruto pois seus sentimentos e confusões eram grandes demais para agir. - Sabe por que é assustador?! Porque eu não sei o porquê de você ter me beijado, seu maldito! Só a simples ideia de que você só estava zoando com a minha cara parte meu coração em pedaços, Sasuke! Eu não consigo mais evitar sentir isso! - a voz do loiro quase falhou durante a última frase devido ao fato de que ele sequer respirara enquanto jogava para fora todos aqueles sentimentos entalados em seu peito, e as lágrimas que estavam em seus olhos percorreram por toda a extensão de sua face quando o rapaz exprimiu sua emoção na própria expressão facial.
 

A única reação de Sasuke foi guiar suas mãos até o rosto deprimido do loiro, enxugando as gotas salgadas com delicadeza e sentindo-se um monstro por ter feito o Uzumaki passar por tudo o que descreveu por sua culpa. Depois de alguns segundos contemplando sua própria burrice, decidiu que seria mais aliviador se falasse algo para o outro.
 

- Naruto, eu jamais brincaria com seus sentimentos dessa forma! Agi por impulso, não quis te machucar, mas nada do que sinto é mentira, eu gosto de você desde muito tempo atrás! Desde quando éramos amigos apenas pela internet, desde quando você falava sobre a garota que gostava e me enchia de ciúmes! - o olhar perdido do Uzumaki se arregalou ao ouvir a declaração do outro, sem que mais reações pudessem ser tomadas pelo próprio corpo. - Mas veja só, se não fosse por essa garota, Sakura, minha melhor amiga, eu não estaria falando tudo isso para você agora! Naruto, é muito difícil que eu peça desculpas e até agora eu não disse essas palavras claramente, mas você sabe que isso é um pedido informal de perdão, não me faça dizer mais que isso e ferir meu orgulho mais do que feriu quando eu me descobri apaixonado por você! - não aguentando mais a distância, Sasuke puxou o loiro para um abraço e se permitiu chorar baixinho no aperto dos braços do outro.
 

- Sasuke, por favor, fique comigo! - o Uzumaki praticamente implorou ao moreno, afastando-se do afago e fitando o rapaz com felicidade. - Eu estou tão feliz! Então fique comigo! - sorriu largamente para o Uchiha como se nada daquele drama houvesse acontecido instantes antes.
 

- Posso? - Sasuke perguntou ao se aproximar do rosto de Naruto a ponto de ouvir sua respiração descompassada.
 

O loiro assentiu com um breve "Sim" e o Uchiha não viu mais motivos para manter qualquer distância, acabando com a mesma ao tocar seus lábios nos lábios da pessoa que amava pela segunda vez em toda sua vida. Foi apenas um selar de lábios que fora aprofundado logo em seguida, as mãos do Uchiha percorreram instintivamente a cintura do loiro e o trouxeram para si com delicadeza, fazendo o mesmo ficar sobre seu colo e reduzir cada vez mais a ânsia que os dois corpos tinham um do outro. Naruto circundou o pescoço do moreno, agarrando-se em sua nuca para que pudesse dar mais profundidade ao beijo. As bochechas quentes e as faces úmidas por conta do choro se tocaram e trouxeram borboletas ao estômago dos dois adolescentes, afinal, não havia mais medo, rejeição ou qualquer sentimento ruim envolvido, eram apenas Naruto e Sasuke partilhando de um beijo recheado de saudades.
 

 

 

(…)

 

 

- Isso é ótimo rapazes! Vocês são tão fofos juntos! - a Haruno passou seu braço esquerdo ao redor do pescoço de Sasuke e o direito ao redor do de Naruto, abraçando-os de forma incômoda.

- Obrigado, Sakura. Você nos ajudou muito! - Naruto exclamou contente.

- Eu não fiz mais que minha obrigação! - sorriu animada com o clima descontraído que todos haviam adotado.

- Fez sim Saky, você foi muito além, obrigado mesmo. - dessa vez fora Sasuke quem agradeceu e, encarando Naruto por um instante, os rapazes combinaram algo com o olhar que Sakura não notara.

- Meninos! - a rosada fora surpreendida ao receber dois beijos na bochecha ao mesmo tempo, vindo de ambos os lados, e seu rosto se tornou tão rosa quanto seus próprios cabelos. - Ei! - gargalhou após o gesto, exibindo sua felicidade ao ver os dois melhores amigos juntos.

- Vocês deveriam se casar! - pôs-se do outro lado da esteira, encarando os dois frente a frente e observando a perplexidade no olhar do casal.

Pegou o mesmo livro que estava lendo em mãos e abriu em uma página qualquer, pondo-se em uma postura ereta, digna de meditação, e pigarreando, como se preparasse a voz para um discurso.

- Estamos aqui reunidos esta tarde para realizarmos o matrimônio sagrado entre Naruto Uzumaki e Sasuke Uchiha… - iniciou sua primeira frase e aguardou que um dos dois se opusesse, mas ambos permaneceram sérios, portanto, continuou.

- Sasuke Uchiha... - olhou fixamente para os olhos negros do amigo, que imaginava o que viria a seguir. - Você promete amar e respeitar Uzumaki Naruto na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença… - dava ênfase e eloquência às frases, fingindo que lia o livro "sagrado" em mãos. - Até que a morte os separe? - o Uchiha gargalhou alto ao ouvir a sentença da amiga, mas logo readquiriu sua postura séria e respondeu-a em tom neutro.

 


"Prometo."

 

- E você, Naruto Uzumaki? - fora a vez do loiro se empolgar com os votos dirigidos à si. - Promete amar e respeitar Sasuke Uchiha na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza, até que a morte os separe? - fechou o livro com força e fitou o Uzumaki profundamente.

 


"Prometo!"

 

- Eu vos declaro, marido e… Marido! - sorriu ao dar-se conta do pequeno detalhe. - O noivo pode beijar o noivo!
Neste instante Sasuke e Naruto se encararam na mesma dúvida, olhando em seguida ao redor e sentindo o peito aliviar ao verem que não havia ninguém dando atenção ao trio. Sakura percebera a movimentação e o seu motivo, sentindo-se, por um instante, deprimida pelos dois garotos.

Porém, Naruto recobrou o clima leve rapidamente, constatando mais depressa que Sasuke a ausência de pessoas, puxou o Uchiha para perto e lhe surpreendeu com um selinho nos lábios.

A rosada se encantou com a cena, deixando escapar um gritinho de contentamento.

 

 

 

(…)

 

 

 

Sasuke contemplava o céu estrelado com devoção. A mesa fora da área de lazer onde os familiares estavam sentados trazia uma visão propícia para observar as estrelas e dessa vez o Uchiha se encontrava disperso por conta da felicidade, então vez ou outra deixava-se sair da conversação com os outros apenas para sorrir feito um idiota e encarar qualquer ponto que não fosse os olhos de seu irmão.

Todos haviam notado seu estado de espírito, Madara e Hashirama, que antes lhe dedicavam olhares preocupados, mas que não ousavam interferir por acharem que não deveriam, o que na verdade era um completo equívoco, agora estavam mais calmos e relaxados com o sobrinho.

Shisui e Itachi também haviam notado a diferença e seu Nii-san encontrava-se infinitamente mais leve ao ver a fluidez do Otouto. Também já possuía um veredito sobre quem era o dono de todos aqueles risos espontâneos que nada condiziam com a conduta do adolescente.

Shisui notara a percepção do namorado e sentiu-se orgulhoso por ter impedido que o mesmo interferisse nas questões do irmão mais novo naquele dia anterior, afinal, valia muito mais a pena ver o moreno levando mérito por conseguir dar conta de seus próprios problemas.

 


Tão correto e tão bonito
O infinito é realmente
Um dos deuses mais lindos

 

 

 

 

 

Continua…
 


Notas Finais


Então gente, o que acharam? Eu quero que comentem! Sério, os comentários são minha fonte de inspiração, vamos colaborar com a irmãzinha? s2

Esse capítulo tá ótimo hein gente? Já é a terceira vez que edito as notas finais, da primeira vez esqueci de colocar a notinha na fala do Naruto, depois coloquei a nota errada. Me perdoem, têm acontecido muita coisa e eu simplesmente ando muito afobada, mas enfim ¹.:

Existem diferenças entre atração romântica e sexual que são bem simples de entender, uma pessoa pode ser, por exemplo, arromantica e ser incapaz de se apaixonar, mas ser capaz de sentir atração, por isso existem orientações românticas como panrromantico, birromantico, homorromantico, etc, e orientações sexuais, pansexual, bissexual, homossexual, e inclusive uma pessoa assexual, incapaz de sentir atração sexual, pode ser capaz de se apaixonar, são duas coisas que independem uma da outra.

Acho que todos os recados foram dados! Então, aqui está o link da música: https://youtu.be/hZiS3agpM3U


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...