História Certo e Errado (Larry Stylinson) (Edição 2017) (CORREÇÃO). - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Louis Tomlinson
Tags Larry, Stylinson
Visualizações 77
Palavras 1.053
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo Três.


Louis. 

''Estou saindo para trabalhar. Nos vemos mais tarde.'' 

''Okay! Bom trabalho!''

''Irei te trazer uma torta de limão hoje, para o jantar.''

''Obrigado, te agradeço.''

''E trarei também vários outros doces para que você leve para Vancouver.''

''Eles não vão estragar?''

''Acredito que se você comê-los no avião, não.'' Ash juntou-se de suas coisas e se despediu, logo saindo do apartamento. Sentei-me no chão e comecei a guardar os sapatos dentro de caixas, acessórios em outras, roupas, livros, e preparei uma mala para passar umas horas dentro do avião. 

A campainha começou a soar levemente. Bati as mãos na calça, tentando limpá-las, e levantei-me do chão, logo indo atender quem quer que fosse. 

''Ah...'' Escorei-me na porta e aquele buquê de flores vermelhas quase foi ao meu rosto. ''É você.''

''Estou incomodando?''

''Não, entra. Eu queria mesmo conversar com você qualquer dia.'' Dei espaço e Mark entrou, entregando-me as flores. ''São lindas.''

''Por quê tem milhares de caixas espalhadas pela sala?'' Ele me encarou, os castanhos e intimidadores olhos me encarando. 

''Era justamente isso que queria te dizer.'' Deixei as flores sobre o sofá e juntei as mãos, como se quisesse pedir perdão antes mesmo de dizer. ''Consegui um emprego na América, talvez hoje mesmo ou amanhã estarei indo embora de Londres.'' Ele sentou-se sobre o sofá, como se não acreditasse nisso. 

''Então... Não vamos mais nos ver?''

''Eu não sei, não dou certeza de que tudo vá ser como antes... Entre nós.'' O coração apertava no peito. ''Me desculpe, Foster, por mim ficaria aqui em Londres, mas preciso desse emprego.'' 

''Tudo bem, eu te entendo, Louis. Ashellen me disse algo parecido com isso ontem...''

''Ela te telefonou?''

''Eu não deveria ter dito isso.''

''Vadia.'' Murmurei. ''De qualquer maneira, odeio despedidas, então quero ir embora sem nenhum abraço ou irei ficar com a consciência pesada.'' 

''Sempre egoísta.''

''Não é questão de egoísmo, é que... Deixe para lá.'' Dei-me por vencido. Mark levantou-se, como se tivesse disposto a ir embora.

''Boa sorte na América, espero que faça muito sucesso, que tenha uma ótima carreira.''

''Não vai me dar um abraço?''

''Você disse que odeia despedidas.''

''Não se faça de insensível. Sei que sentirá minha falta, assim como sentirei a sua.'' Demos um abraço rápido, coisa de 'amigos', nada mais que isso. ''Espero que você fique bem.''

''Te desejo o mesmo.''

Foi difícil vê-lo passar por aquela porta. Sentei-me no sofá e abracei aquele buquê lindo de flores, como se pudesse me reconfortar. 

~*~ 

''Puta que pariu...''

''Que pariu...'' Repetiu Ted, encarando todas aquelas caixas. ''De onde você tira tantas coisas assim? Não pode levar tudo isso para Vancouver, terá que se desfazer de algumas coisas.''

''Nem fodendo!'' Reclamei.

''O avião nem é capaz de carregar todas essas coisas, eles vão cobrar seus dois rins e mais o coração por isso.''

''Eu sei, Ashellen, mas não quero me desfazer de meus vasos árabes ou de minhas bugugangas européias.''

''Vai ter que dar um fim nisso, Louis. Faz uma vendinha, anuncia na internet, irá dar um dinheirão.''

''Já disse que não, Teddy!'' 

''Certo, garotos, calma. Marcus ou Patrick te telefonaram hoje?''

''Sim. Eles me perguntaram se aceitei. Disse que sim, disseram-me que alguém passaria aqui por volta das nove para me buscar.'' 

''Mas que porra! Eu nem tive tempo de fazer a festa de despedida.''

''Falei que odeio isso! Não me irritem cada vez mais! Daqui a pouco estarei saindo, não querem que saio daqui com ranço, hm?''

''Não.'' Disseram ambos.

''Se eles quiserem que eu vá para Washington, terão que transportar todas minhas coisas, até o último nó dado na última linha de minha camisa!'' 

''Certo, então se acerte com eles, já são sete da noite. Vou preparar um chá de ervas para acalmar todos nós.'' Ted saiu e deixou-me sozinho com Ash. 

''Você ligou para o Mark, não foi?''

''Eu senti pena dele... Você sabe que...''

''Ele é apaixonado por mim, sei, mas não sinto o mesmo! É isso, desculpe.'' 

''Ao menos se despediu dele?''

''Daquele jeito, né.''

''Coitado... Sinto muito por ele. Espero que encontre uma pessoa melhor que você.''

''Também espero. Não mereço isso, não faz meu tipo. E de qualquer maneira, estando em Londres ou não, nós nunca ficaríamos juntos.'' 

''Chega desse papinho. Estou cansada. Já que você não gosta de despedidas, irei dormir para quando acordar, não te encontrar aqui.'' Ela levantou-se, mesmo sem ter tomado o chá de Ted, e foi-se embora para o quarto. 

E mais uma vez aquela dúvida cruel. Ir ou não ir? Estava enrascado mais uma vez. Pensando melhor, era uma nova vida, novos amigos, novo lar. 

~*~

''Seu impotente!''

''Impotente é você, idiota!'' Marcus e Patrick brigavam, como sempre, nem pareciam que eram amigos. Coloquei a mala pequena no porta-malas e umas caixas. ''Ah, Louis!''

''Oi, Marcus, como vai?''

''Bem. Preparado para sua viagem até Washington?''

''Digamos que estou nervoso.''

''Não se preocupe com isso! Vai ser bem divertido.'' Patrick se juntou a nós. 

Mas não pareceu nada do que me disseram. Já no avião, coloquei os fones de ouvido para ouvir um áudio que Ash e Ted haviam me deixado. 

''Você não deixou suas caixas para trás e nem levou os docinhos que trouxe da cafeteria para você.'' Ashellen parecia cansada, e com voz chorosa. ''Foi mesmo embora, nos abandonou... Só espero que fique bem, que nunca perca o contato com a gente. Ted quer falar... Nós sentiremos sua falta, eu estava brincando na hora que disse que não queria se despedir, tínhamos preparado uma surpresa, mas levou a sério, como sempre.''

Era difícil ter que controlar lágrimas naquele momento. Olhei para os lados, todos dormiam, não me importei em aumentar mais o volume do fone. 

''Oi, sou eu, Ted. Desde que você veio morar aqui, em Londres, no meu apartamento junto da Ash, era como se eu tivesse encontrado um irmão da mesma idade que eu. Foi um mês maravilhoso, Louis, nós não vemos a hora de te ver novamente, de te ter aqui com a gente, rindo, bebendo, fumando, essa casa não tem graça sem você, mesmo que faça apenas cinco horas que foi embora. Nós estamos bêbados, Ash já desmaiou, nós vamos sentir sua falta, desgraçado.''

Sorri daquilo. Deixei uma música lenta e aleatória rolar, enquanto recostei-me no vidro da janela, olhando por ela, e rapidamente peguei no sono.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...