História Chained Up - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias VIXX
Personagens Leo, N, Ravi
Tags Hyukbin, Keo, Navi, Neo, Romance, Tortura
Exibições 129
Palavras 2.880
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E Finalmente fim!
Não, Baekhyun não vai descobrir sobre o passado dos pais.
Nao Ken nao vai aparecer aqui. Ele e o Ravi ja tiveram o final feliz, pronto!
E sim, o cap é focado nesse casal, mas tentei ao máximo colocar todos aqui kkkkk
Espero que gostem. Obrigada por tudo. Amei de coração escrever essa fic!
Beijos amo vocês.
Espero que gostem
Perdoem os erros.

Capítulo 27 - O crush do Baekhyun


Fanfic / Fanfiction Chained Up - Capítulo 27 - O crush do Baekhyun

- Eu não tenho culpa do seu namorado ser um chato! - gritei e fiz bico.

- Eu acho que vocês foram trocados na maternidade.

- Concordo com Jongin, Kyungsoo é sério, neutro! Tem mais cara de ser o filho do tio Leo.

- Taemin fica na sua, ninguém chamou a galinha de macumba aqui, vai procurar um altar.

- Baekhyun por favor, olha o nível do seu vocabulário! Como você quer ser respeitado pelos seus dongsae? - Kyungsoo se intrometeu, sentando no colo do Jongin, vugo Kai, irmão da galinha de macumba.

- Baek, Omma tá chamando! - Tae apareceu no terraço e após me comunicar, foi embora.

Acenei para os demais e corri para dentro de casa. Quando N-omma descobriu que estava esperando o Taehyung, Leo-appa comprou uma casa grande para podermos brincar, se bem que eu ja não faço isso a muito tempo, muito menos Yanni, basicamente a casa ficou apenas para Taehyung e seus coleguinhas, tendo em conta que ja tenho 19 anos, minha irmã 17 e Tae apenas 9.

- Omma, o que minha honorável presença tem a lhe servir.

- Uma comédia você Baekhyun, daqui a pouco sua irmã vai chegar com o namorado dela e o irmão dele, então por favor comporte-se e faça sala para o convidado - fala tudo calmamente, enquanto corta o queijo em cubos.

- Por quê o irmão do Sehun vai vim? - perguntei colocando alguns cubos na minha boca, recebendo um tapa na mão.

- Pelo que eu entendi, Sehun aprontou algo na escola e está de castigo, só sai com o irmão mais velho.

Gargalhei alto. Meu cunhado era realmente uma figura. Concordei e voltei para o terraço, não sem antes roubar mais queijo o ouvindo reclamar.

- Qual a boa?

- Kai você não vai acreditar, Sehun está de castigo e só sai com a companhia do irmão.

Todos gargalhamos alto, quase ficando sem ar. Sehun era o mais novo do nosso grupinho e fui eu que o apresentei a minha irmã. Nunca conhecemos de fato o seu irmão, mas sabíamos que ele era um exemplo de filho, ja Sehun.... Bom, você ja pode tira suas conclusões.

- Veja pelo lado bom, finalmente vamos conhecer o misterioso irmão mais velho de Park Sehun! - Taemin deu de ombros e eu concordei.

Uma buzina me chamou atenção e fui abrir o portão, dando de cara com uma picape, quatro portas, branca. Terminei de abri o portão, dando passagem ao carro, que estacionou atrás do carro do meu pai e logo depois Sehun desceu pelo banco de carona.

- Baek-hyung - antes dele continuar, um ser alto, moreno, muito gostoso e de orelhas grandes saiu do lado do motorista e parou ao lado de Sehun, se curvando levemente - Esse é meu irmão, Park Chanyeol, que cuidará de mim hoje.

Meu queixo despencou. Senhor que homem lindo, preciso que ele seja meu!

- Tudo bem, Yanni ta la dentro ajudando N-omma, Chanyeol se quiser pode ficar aqui fora com a gente - sorri sugestivo e ele corou, fazendo Sehun rir.

- Vou cumprimentar os mais velhos e depois voltarei.

Se curvou mais uma vez e seguiu o irmão para dentro de casa, mordi os lábios enquanto o olhava caminhar, notando o volume grande na parte de trás.

- Fiu, Fiu, ter bunda grande é coisa de família.

- Baekhyun apaixonado, tenho que filmar e mandar pro Tao.

- Fica na tua anão!

- Falou o senhor gigante!

- Ainda sou mais alto que você Kyungsoo.

- Só nos seus sonhos!

- Eu não acredito que depois de anos, finalmente encontramos o famoso Chanyeol que o Baek-oppa quase matou no berçário - o grito da minha irmã nos tirou da nossa briguinha e entramos correndo, encontrando todos sentado no sofá da sala.

- O que é isso? Reunião familiar e ninguém me chama.

- Nada demais, só estávamos contado ao Chanyeol o que você fez a ele quando criança - meu pai falou escondendo o riso atrás da cabeça do Omma.

- Tio Hyuk me ajude.

- O que posso fazer é a verdade.

- Mas tadinho, ele disse que não se lembra - tio Hongbin falou entrando na brincadeira.

- Acho que a pancada foi forte por que o Chanyeol esqueceu que você o jogou do escorregador, só por que ele tinha medo de você - Omma falou entre risos e todos o acompanharam - Bom, crianças vou terminar o almoço, Yanni vá namorar no jardim, Suki e Hyuk venham me ajudar, Baekhyun cuidem bem do Chanyeol, se eu souber de algo, você ja sabe não é.. - sorriu diabólico e eu me encolhi. Sim, tanto eu quanto meus irmãos morremos de medo do N-omma - Chanyeol, fique à vontade, precisar de algo, estou na cozinha.

- E eu no meu escritório com o Hongbin - appa e omma saíram nos deixando sozinhos.

Todos foram para os cantos que Omma designou, sem reclamar, mas também quem seria louco?

- Então... Yoda, qual sua idade?

- Yoda... Sehun não tem jeito - suspirou e revirou os olhos, ele sabe o irmão que tem - Tenho 18, faço 19 daqui um mês.

- Hummm.. por quê você mal aparece com seu irmão?

- Na verdade estamos quase o tempo todo juntos, só nos separamos quando ele está com vocês, ou quando saiu com o JongDae.

Não sei por que mais esse nome não me agradou nenhum pouco, ou na verdade sei, Chanyeol vai ser meu, não importa como e nenhum JongDae cai atrapalhar meu caminho.

(XxxxxxxxxX)

Depois da visita inesperada do irmão do Sehun, não foi mais possível vê-lo. O almoço foi tranquilo, rimos bastante, claro que meus pais mais falaram das minhas peripécias do que outra coisa. Sehun ja foi liberado do castigo e não sai mais da minha casa, o que fez meu pai querer mata-lo, por que tudo indica que ele e Yanni ja.... Vocês estenderam! Meu pai é muito ciumento em relação a minha irmã z Sehun que cuide do pinto. Taemin conheceu um carinha chamado Jonghyun e esta saindo com ele e Suki namorando um tal de Yifan. Taquepariu, todo mundo namorando, pegando, o escambau e esse orelhudo nem me nota, tomar no brioco ninguém quer. Mas hoje às coisas vão mudar!

- Baek anda logo, vamos chegar atrasados.

- Tô indo piranha, affs.

Desci as escadas, encontrando miss estressada batendo o pé, de cara amarrada. Estarei língua pra ela e fui até meu pai, que negava com a cabeça e sorria de lado.

- Tem dinheiro na sua carteira, não fique bêbado, não deixe Yanni sozinha com o Sehun e aproveitem a festa.

- Tudo bem.

- Vamos meninos - Omma chamou e corremos para o carro.

A caminho foi tranquilo, apenas risadas. Toda família estava no carro, inclusive um amiguinho do Tae, o Yoongi, o menino era magrinho, nem dava pra notar que ele estava no meu colo. Para não deixar o Taehyung triste por não poder ir com a gente para festa e, aproveitando o fato do amigo do Tae ir dormi la em casa, meus pais decidiram leva-los para passear. Nos deixaram de frente a casa dos Park e foram pro passeio em "família"

- É o seguinte, minha intenção é ir para um motel com Channie e voltar antes das 3:30h da manhã, faça o que quiser com Sehun até esse horário, que isso fique só entre nós, caso contrário....

- Beleza, adeus virgindade!

- Adeus virgindade!

Depois do trato com minha irmã, zanzei pela casa até achar o aniversariante. Era muito cedo para agir, então deixei a horas passarem, dançando e conversando com meus amigos. Não ingeri bebidas alcoólicas, queria estar sóbrio para o momento exato, se bem que tenho quase certeza que ele não vai querer ir até o final, é certinho demais pra isso.

00:00h, eu puxei Chanyeol pela gola da camisa, minha irmã ja havia me dado a chave do seu carro, então o joguei no banco do motorista e entrei no de carona. Ele me olhava pasmo e eu apenas dei de ombros e botei a chave no gancho.

- Dirija.

- Você ficou maluco.

- Ainda não, dirija Park Chanyeol.

Mesmo indignado, ele ligou o carro e saiu da casa, dirigindo devagar pelas ruas desertas até parar perto de uma praça. Ele tirou o cinto e se virou para falar algo comigo, mas eu me agarrei no seu pescoço e o beijei.

- Vamos Yoda, ponha ação nesse beijo, ou te jogo por esse carro e reativo o seu trauma de infância.

- Por quê está fazendo isso?

- Pensei que ja estivesse óbvio!

- Eu não posso.

- Uma coisa que eu herdei do meu pai, foi a possessividade, não ainda me dizer que está namorando, porquê agora você é meu!

Pisquei o olho esquerdo e voltei a beija-lo. Do pescoço ao queixo, do queixo ao lóbulo da sua orelha, do lóbulo ao canto da sua boca, deslizei minha mão direita pelo seu corpo até chegar no volume ainda adormecido da sua calça. Ele gemeu abafado e aproveite essa deixa para beijar sua boca. Quente.. uma mistura de doce com salgado, algo como queijo com goiabada, várias sensações numa só boca. Ainda mato o desgraçado que a beijou antes de mim!

- Hum..

Ele gemeu contra minha boca quando me sentei em seu colo e rebolei. Suas mãos foram a minha cintura e ele colocou sua língua para trabalhar na minha boca. Cada canto vasculhado, o entorno que ela fazia na minha era delirante, mas aí o ar faltou e tivemos que nos separar. Maldita seja a hora que não nasci com pulmões anfíbios.

- Tudo bem, confesso que me sinto atraído por você, mas preciso pensar, por favor, não quero ultrapassar disso, não hoje - falou embargado, pois ainda tentava recuperar o fôlego.

Sua maneira de falar me fez ficar corado, eu não conhecia esse lado do Chanyeol, muito menos sabia que meu sentimento era recíproco. Voltei a sentar no meu banco e me inclinei para seu colo, abrindo a braguilha da sua calça a puxando para baixo.

- Baekhyun!

- Não vou passar disso, só quero te ajudar.

- Não, irei me sentir culpado depois, ainda tenho o JongDae, meu Deus, o que eu estou fazendo? - colocou as mãos na cabeça e fechou os olhos com força. Confesso que me senti culpado.

- Tudo bem, me desculpe.

- Vamos voltar?

- Ainda não, prometi a minha irmã que ela poderia fazer o que quisesse com Sehun hoje.

- Está dizendo que eles vão fazer... - concordei com a cabeça e soltou uma risada gostosa - Foi por isso que ele me pediu as camisinhas, Sehun seu safado - gritou e voltou a sorrir - Preciso conversa com Chen.

- Eu sei, desculpe por isso.

- Não, eu também sou culpado, ma preciso me sentir livre, sabe? - me olhou  e eu concordei - Você é lindo, assustador as vezes é com muita energia, acho que sei o motivo de ter me apaixonado - corei dos pés à cabeça, como assim Chanyeol está se declarando? - Você fica ainda mais lindo corado. Eu me lembrava de você, acho que na época eu tinha um ano e oito meses, você falava muito e isso me assustava, todos da minha família são bem calmos, Sehun é o mais falante.

- Então você mentiu? - concordou rindo debochado - Que feio Chanyeol.

- Eu ainda tenho medo de você, mas agora é um medo diferente.

- Diferente como?

- Antes era de você não gostar de mim, agora é de não ser o suficiente pra você.

- Só o fato de você dirigir uma picape, poder pagar os luxos que meu pai paga e beijar bem, acho que da pro gasto, só falta saber na cama, qual sua competência.

- Você é muito intenso Baekhyun.

- Você não viu nada, vamos la Channie, sem penetração não é traição, vamos imaginar que você está se masturbando com a mão de uma amiguinho de infância.

- Baekhyun não me tente, não sou de ferro.

- Mas.. - apertei seu volume já aparente - Está tão duro quanto um - passei a língua pelos meus lábios e o vi gemer em antecipação - Você quer foder minha boca, não quer?

- Minha sanidade foi pra puta que pariu, eu vou fazer isso, mas depois não se arrependa! - puxou os cabelos da minha nuca, empurrando minha cabeça na direção do seu quadril, onde ele ja havia abaixado a calça e cueca - Você ja fez isso? - neguei e ele riu soprado - Então imagine um picolé, que você vem desejando, mas não pode morder - acenti e olhei para seu membro teso a minha frente. Será que eu devo? - Coloque a língua pra fora e tome cuidado com os dentes.

Obedeci e seguindo sua ordens, coloquei pouco a pouco seu pênis na minha boca.

- Há! Quente!

Fui onde minha garganta permitia e para minha surpresa, só faltou um dedo para seu membro está todo dentro.

- Nossa que boca Baek, eu posso comandar? - eu queria sorrir, quem vê Chanyeol por fora, jamais seria capaz de imaginar que ele seria um safado. Como não podia falar, mas para dar ênfase na minha escolha, fiquei parado e ele acariciou meus cabelos, logo os agarrando - Vou interpretar como um sim.

Empurrou minha cabeça pra baixo e depois puxou, me tirando totalmente do seu pênis. Me levantou até estar a altura da sua boca, onde ele lambeu meu queixo, até chegar na minha boca, sugando meu lábio inferior e mordendo no final. Não vou mentir, estou adorando conhecer esse lado do Chanyeol. Sorrindo safado ele me colocou de quatro do banco e me fez voltar a chupar seu membro, mas dessa vez, com mais rapidez, quase me fazendo engasgar. Enquanto sua mão esquerda controlava minha cabeça, a direita encontrou caminho até minha bunda, onde ele desferiu um tapa e gemeu manhoso, colocando a mão dentro da minha calça e cueca, passando o dois dedos pelo corredor da minha entrada. Gemi abafado e ele riu sarcástico.

- Eu também Baek, mas ainda não é a hora, termine seu trabalho, que eu vou começar o meu.

Sua mão saiu da minha bunda, para o meu pênis ereto, abriu o zíper e baixou um pouco minha calça, apenas o suficiente para tirar meu membro de lá. Começou um movimento de vai e vem, que me fez contrair o corpo e para de chupa-lo.

- Ah não! Estou fazendo isso para ficar mais divertido, você não pode parar - me levantei corado e com pre-gozo escorrendo pelos cantos dos lábios - Fique sentadinho.

Obedeci e ele acelerou a masturbação. Me segurei no estofado de couro da cadeira, mordendo os lábios para não gemer alto. Caralho como isso é bom! Em pouco minutos na sua mão, eu gozei. Melhor que se masturbar assistindo pôrno.

- Hora de beber leitinho.

Assenti e voltei a me abaixar, colando todo seu membro na minha boca. Isso que chamam de garganta profunda. Desci e subi várias vezes naquele membro, deixando sons escrotos escaparem da minha boca, quando sua mão segurou meus cabelos, me fazendo parar. Lavem, senhor! Serei capaz de beber?

Ele levantou minha cabeça, mas ainda me deixou próximo ao seu membro, GOZANDO NA MINHA CARA! HÁ EU MATO ESSE ORELHUDO.

- Não se preocupe, eu tenho lenços umedecidos e hidrante.

- Você por acaso ja fez isso com JongDae nesse carro? - perguntei irritado, pegando os lenços no banco de trás.

- Não, você é o único, pra falar a verdade ele e eu nunca transamos, nunca passou de beijos e carícias, mas sobre isso, eu prático karatê e nem sempre da pra tomar banho, pelo menos não fico tão fedorento depois do treino.

- Então esse corpo tem um treinamento pesado, gostei disso, agora vamos voltar.

- Sim, vou pegar sua irmã e deixar vocês em casa, que horas são?

- 2:20h acho que eles ja fizeram o que tinham que fazer.

Concordou e pegou o retorno pra sua casa.

(XxxxxxxxxX)

Segunda-feira, depois de um dia infernal de faculdade, quero minha cama, mas não, meu Omma gritou para eu descer rápido ou iria ficar sem, sabe-se la o quê! Desci desanimado, sem olhar para ni, cheguei ao lado do meu pai e perguntei o que houve.

- Chanyeol acabou de me pedir permissão para te namorar - arregalei os olhos e levantei a cabeça, encontrando um Yoda sorridente, mostrando suas covinhas para Deus e o mundo - Bom, eu permito, contanto que ele lhe faça feliz.

- Ele ja faz.. - sorri largamente e corri para seus braços, estava emocionado, depois de 4 dias não imaginava que ele quisesse me ver - Eu te amo sabia.

- Espera, falta a aliança - ele tirou do bolso da calça uma caixinha de veludo com duas alianças de prata - Desculpe a demora, estava esperando elas ficarem prontas - Colocou uma no meu dedo e eu coloquei a outra no seu  - A de ouro, cravada com nossos nomes, será pro nosso casamento - deixei algumas lágrimas escaparem e o puxei para um beijo - Eu também te amo, pequenino.

- Yoda orelhudo.


Notas Finais


Nao não, nada de lemon, não estava inspirada o suficiente, mas espero que "isso" tenho sido.bom.
Mais uma vez obrigado!
Amo vocês!
Doi muito colocar uma fic como concluída.
Chuuu da Babi!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...