História Chains - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Zara Larsson
Personagens Justin Bieber, Personagens Originais, Zara Larsson
Tags Comedia, Criminal, Drama, Justin Bieber, Revelaçoes, Romance, Tragedia, Zara Larsson
Exibições 1.830
Palavras 5.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Nudez, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey meus amores! Desculpem pela demora e que ainda não respondi os comentários! Tentarei responder do outro capítulo ainda hoje, ai amanhã respondo os do último! Espero que gostem, e desculpem os erros ou falta de descrição, to com uma dor de cabeça do capeta :(

Capítulo 49 - Her "Development".


 

“Eu pegaria uma granada por você. Jogaria minha mão numa guilhotina por você. Eu pularia na frente de um trem por você. Você sabe que eu faria qualquer coisa por você. — Bruno Mars (Grenade).”

 

Justin Bieber’s Point Of View.

— Sim, eu vou lá agora. — Eu sorrio, olhando pro buquê enorme de flores que eu tinha nas minhas mãos.

— Vai chegar com isso assim e espera que ela já te perdoe? É sério isso? — A Cassie fala segurando a risada e eu rolo os olhos.

— Não interessa, eu ainda tenho algo maior pra ela, mas to programando pra mais tarde. — Falo já sabendo que eu tinha uma reunião importante pra caralho daqui à umas horas, e não, não tinha nada a ver com o tráfico.

— Mas bem, eu entrego as flores pra ela, não se preocupa. — Ela fala e eu estranho, já negando.

— Não, eu quero ver ela. — Não só quero, como preciso.

— Mas eu combinei de sair com ela. — Ela fala bem rápida, mas eu tenho mais do que certeza que é mentira essa porra.

— Não, por que ela sairia contigo?

— Nós somos amigas, não me diga que ela nunca te falou! — E agora a vadia fala com ironia.

— Não interessa. Eu vou dar as flores, quero que ela note que eu to me esforçando. — Eu falo convicto, mas a Cassie já nega e vem até mim, pegando o buquê grande pra caralho das minhas mãos.

— Eu entrego, e acredite, ainda invento umas palavras bonitinhas e digo que você pediu para eu falar para ela. — Ela pisca o olho pra mim, me fazendo ficar reticente, no entanto concordar e olhar pra flores.

— Acha que ela vai gostar? Eu nunca dei flores pra ela. — Coço a nuca e ela concorda.

— Se ela não enjoar desse cheiro de merda, ta de boas. — Ela dá de ombros, mas eu nem me importo, só queria poder ver a reação dela ao receber as flores hoje. 

— Não esquece de falar que ela é linda, sei lá. Que eu gostei dela com o cabelo mais curto e as mechas, que deixou ela bem gata mesmo. — Odeio falar dessas merdas na frente de outras pessoas, diretamente com a Madison é bem mais fácil. — E tenta convencer ela a voltar comigo, fala que eu sou um cara sensacional e mais outras verdades.

— Certo, mais alguma coisa? — Ela pergunta e eu nego, apenas me sentando no sofá da minha sala e a encarando.

— Me fala se ela gostou. — E ela concorda, saindo da sala e eu nem sequer olho pra bunda dele, porque meu sorriso só aumenta ao imaginar o que ia rolar hoje. Vai ser foda demais.

Madison’s Point Of View.

— Cassie, o que está fazendo aqui? — Pergunto ainda surpresa, por ter saído de casa e a ver no seu carro, me esperando.

— Só colocado o cinto e respira fundo, porque a gente ainda vai ter uma longa conversa. — Ela fala sorrindo e eu estranho. Não pela conversa, mas por ela ter dito para mim por o cinto.

— Por que as flores? — Pergunto ao estranhar, olhando para o grande arranjo de flores no meu colo.

— O Justin mandou, mas se eu fosse tu, jogava fora. Esse cheiro ta me deixando enjoada à horas, então só joga no próximo lixo que a gente ver. — Ela dá de ombros e eu sorrio, cheirando as flores e as achando lindas, principalmente o tom de violeta que elas tinham.

Juro que até agora não sei o que estou fazendo com ela, mas tudo bem, veremos no que isso vai dar.

(…)

— Cassie, por que veio me ver? — Me pergunto após o garçom sair da nossa mesa com os pedidos já anotados.

— A verdade ou o que o Bieber pediu pra eu te falar? — A olho de maneira séria e ela sorri. — Bem, digamos que eu meio que provoquei o Justin ontem antes do assalto, ele diz que é culpa minha ter dado merda, mas ele sempre culpa os outros, sabe como é. — Ela dá de ombros e eu concordo.

— É o que ele faz de melhor! — Falo e ela concorda.

— Enfim, eu escutei o lado dele da história, ou seja, o mentiroso. Então preciso apenas ouvir sua versão.

— Cassie, por quê? Eu realmente… Eu sei que vou soar estúpida, mas eu não quero que seja você a fazer ele perceber que eu jamais faria algo baixo assim com ele, por que sequer quer mudar algo que não entra na cabeça dele?

— Porque ele me ajudou com a Sun quando eu mais precisei dele, assim que ela nasceu. Então por mais que eu deteste dizer ele realmente… Eu devo essa pra ele e preciso mesmo tentar ver se posso ajudar ou vocês são um caso perdido.

— Ele é um estúpido, arrogante, cabeça-dura, manipulador…

— Egocêntrico, irônico, frio e idiota? — Ela completa e eu concordo na hora, o que faz ela sorrir. — Ótimo, então ele continua sendo igual a mim. — Ela fala e eu nego na hora.

— Você consegue ter uma conversa civilizada, ele não. Ele sempre grita e não me escuta, ele realmente me cansa. — Eu falo e ela ri.

— Então por que não consegue esquecer ele?

— Eu já esqueci. — Falo tentando soar séria e ela ri.

— Sabe, eu tenho uma amiga. — Ela começa falando e eu já ergo a sobrancelha.

— Essa amiga seria você?

— Sim, não tenho amigas. Enfim, como o Justin é contigo, eu sou com o Liam, ou pelo menos era. Nesses namoros sempre tem um que dá mais do que o outro, é inevitável. Só… O que aconteceu? — Ela pergunta e eu suspiro.

— É complicado, ele já não gosta do meu amigo, o Matt.

— O cara com quem ele disse que tu dormiu, que ele achou que tu tinha dormido.

— Sim. Eu e o Justin para variar havíamos discutido mais cedo naquele dia. Então eu fui para casa e como combinado, a minha amiga e o Matt foram até a minha casa para conhecermos a nova namorada dele. — Falo e o garçom traz nossa comida, logo agradeço e ela mesma continua.

— Ele falou algo sobre você ficar dizendo que ele tinha namorada, mas que ele não ia engolir aquilo.

— Havíamos pedido pizza e ela ficou mal, então ela praticamente apagou no banheiro depois, desmaiou, ela estava muito mal mesmo. — Eu falo bebendo mais do meu chá gelado e ela tenta repassar os passos na mente dela.

— Então o Justin só entrou lá e quando viu vocês três…

— Não, minha amiga teve que ir para casa para ficar com a irmã dela. Então eu me deitei no colchão e deixei o Matt e a Lucy na cama. — Eu falo e ela ri na hora.

— Ele chegou e tava o Matt na cama e não te viu no colchão?

— Não, eu levantei e o Matt achou que era eu, então me chamou de amor bem na hora que o Justin chegou. — Falo finalmente colocando um pedaço do frango na minha boca e ela me olha surpresa.

— Porra, é melhor do que roteiro de novela mexicana, sério. Deviam ter filmado! — Ela fala rindo, mas juro que não acho a mínima graça nessa situação.

— Cassie, é sério.

— Ta eu sei, foi mal. Só… Ta, deixa eu ver. Ele não matou o cara nem nada? Atirou ou…

— Ele atirou, mas não acertou ele.

— Não acertou porque não quis né, porque sério, até se tu entrasse no quarto e visse essa cena tu ia surtar.

— Eu sei, mas a diferença é que eu escuto. — Falo e ela dá de ombros.

— Na hora da raiva ia escutar? — Ela segue a sobrancelha e eu bufo. — Quando pegou ele com a sua mãe, escutou? — Ela questiona e eu nego na hora.

— Eu sei o que os meus olhos viram!

— E os dele também. Não to querendo defender, ele é um imbecil! Mas a questão é, na mente dele, tu tava fazendo a mesma coisa que ele fez, entende?

— Mas eu não dormiria com o pai dele.

— Ele não sabia que era sua mãe.

— Eu sei, só é difícil superar isso e o fato de ele realmente achar que eu trai ele. Cassie, eu… Eu sou louca por ele, é sério. Eu conheci esse novo menino que é muito gente boa e está saindo comigo faz uns dias, eu queria poder ficar com ele e começar a esquecer o Justin, mas não consigo, só… Eu não consigo. — Confesso e ela concorda ainda meio nervosa.

— Certo, então nós…

— Cassie, ele acha que eu traí ele, e sinceramente ele não se importa. Ele já seguiu com tudo então…

— Seguiu? O cara ta maluco, ele ta usando tudo que é tipo de droga, até injetando. — Ela fala e eu arregalo os olhos.

— O que?

— Parece que o cigarro não ta sendo suficiente. — Ela fala e eu a olho nervosa.

— Mas ele… Todos os dias?

— Madison, faz quase um mês, às vezes até umas 3 vezes por dia. — Ela fala simples e eu nego. Não pode ser, ele… O Justin está acabando com ele mesmo aos poucos.

— Ele está se destruindo mais, mas… Mas não tem o que eu fazer, ainda estou muito machucada mesmo com ele, sério.

— Olha, eu já confiei profundamente em alguém que era um tira e ia me prender.

— Eu entendo, mas… Céus, minha mãe. — Falo largando os talheres para secar a lágrima antes que ela escorregasse pelo meu rosto. — Não quero ter que ser eu a correr atrás dele. — Eu falo convicta e ela concorda.— Ele já me fez sofrer muito e eu percebi que tenho que me dar mais valor, mas…

— O sexo era bom né? Ele é divino com aquela língua. — E eu definitivamente não gostei nem um pouco de ouvir isso. — Ta, foi mal, mas voltando aqui, eu não quero que tu rasteje pra ele, mas eu preciso que tu perceba que ele se importa contigo, e também preciso que ele note isso. — Ela fala e eu suspiro. — Qual é, o cara mandou flores hoje, ele tava todo nervoso pra ver como tu ia reagir. Sem contar que ele só pensa em ti. Tu conhece o Bieber, sabe como é difícil ele por esse tipo de coisa pra fora, mas ele ta tentando, por ti. Porque te quer de volta e viu o quanto de machucou.

— O que quer que eu faça? — Falo realmente nervosa, pois não entendo onde ela quer chegar.

— Hoje eu e o Justin vamos atrás do Aiden, ou seja… — Eu travo ela na hora, já arregalando os olhos.

— Por que ele vai trás do Aiden?

— Não sei, ele apenas me falou que é algo pessoal. — Ela fala e eu não vou entrar em detalhes, mas céus, só de ouvir o nome eu já fico com mil e um calafrios.

— Mas ele vai matar ele?

— Eu acho que não, apenas aquela tortura básica, como…

— Eu não quero ouvir, sério. — Falo esfregando as mãos uma na outra e ela sorri.

— Como tu fica com ele sabendo o que ele faz, se odeia tanto? — Ela pergunta e eu não tenho sequer resposta, eu sei que é errado, mas o errado é sempre o que mais nos puxa. — Enfim, amanhã eu organizei uma festa antes de ir embora e viajar, então quero que vá você, o Matt e a namorada, e ah, não esqueça do menino que está gostando de você. — Ela fala bebendo mais do vinho dela e eu nego na hora.

— Está louca? Se o Justin ver o Matt na frente dele, ele literalmente o espanca até a morte.

— Nossa, e isso que ele não se preocupa com você!

— Cassie, eu não posso fazer isso, sério, é uma péssima ideia.

— Leva o boy e vê se o Justin fica com ciúmes ou algo, dá uns beijos na frente dele e tal, ele vai ficar louco e vai ter que se controlar porque eu vou estar do lado dele. — Ela fala e eu nego.

— Quer que eu vá lá para fazer ciúmes nele e nós brigarmos mais? Não, é sério, eu estou bem assim. Eu realmente gosto dele, mas já entendi que eu e ele não tem como dar certo, deveria fazer isso também. — Falo e ela em olha já mais irritada.

— Olha, é a última vez que eu peço.

— Por que quer tanto isso? Ele é um sócio seu.

— Ele é meu amigo e como já falei, eu devo isso pra ele, então to tentando me redimir da melhor forma que eu sei, me metendo na vida dele e vendo que eu tornei ela melhor ao reparar os erros dele. — Ela fala séria e eu suspiro.

— Cassie, eu acho que ainda precisamos de mais tempo.

— Eu não to te pedindo pra ir pra cama dele, to só pedindo pra ir e se divertir com os teus amigos enquanto ele cai na real e ai vai tentar te escutar, se arrepender mais.

— Ele nunca se arrepende, e você sabe disso, então sinto muito, mas não. — Ele vai descontar a raiva em mim e no Matt, e sem contar que até o Tyler vai…

— Madison, não me faça tirar a porra da minha arma da bolsa e ter que te ameaçar. — Ela fala erguendo a mão e chamando o garçom para trazer a conta. — Eu espero vocês amanhã, prometo que não vai ter com o que se preocupar, apenas vá e se divirta, se divirta da mesma forma que ele anda fazendo. — Eu e ela levantamos e eu fico reticente. Eu tenho certeza que isso vai dar 100% errado.

— Certo, então amanhã nós nos vemos e…

— Nós não acabamos ainda. — Ela termina de pagar e sai, fazendo eu a seguir e estranhar. — Não vou te sequestrar, relaxa. O Justin me mata se eu fizer algo contigo. — Ela ri e sobe no carro, eu apenas subo com ela e fico refletindo sobre tudo o que ela falou, enquanto ela dirige para o nosso próximo destino, o qual eu não faço a mínima ideia de qual é.

Eu… Merda, por que logo agora ele teve que voltar? Aparecer e me fazer repensar tudo? Eu estava certa de minhas ações e sentimentos, mas agora é só imaginar seu rosto na minha mente, que eu tenho vontade de me jogar nos seus braços e o o encher de beijinhos.

Quero poder ter finais de tarde com ele, nem que seja para andar naquela porcaria de barco. Quero poder agir como se fossemos um casal normal, como éramos. Queria poder apagar tudo da minha mente, mas as feridas ainda são recentes. A merda do meu coração quer acabar comigo, porque eu sei que o correto é eu o odiar, mas depois de ontem e hoje, parece que tento me por cada vez mais em seu lugar.

Ele não sabe o que é amar, pelo menos é o que ele diz. Ele me machucou, mas então vem com as lindas palavras e quer que eu me sinta bem. 

Ele é simplesmente uma das pessoas mais egocêntricas e prepotentes que eu já conheci, mas ao mesmo tempo, sei que ele me daria o mundo se pudesse. E sim, isso só torna ainda mais difícil a minha decisão de o odiar.

— Hey querida, é pra hoje. — A Cassie fala e eu estranho, só então notando que havíamos chegado, mas não entendo.

— Por que viemos nessa academia? — Eu pergunto e ela dá de ombros, vindo comigo e antes de trancar o carro, pega uma bolsa grande da parte de trás.

Nós as duas entramos na academia e eu sigo com ela até os vestiários, onde ela abre a mala e me estende um top e um short, sorrindo ao pegar umas luvas também e outros equipamentos.

— Cassie, o que estamos fazendo aqui? — Ela começa a tirar a roupa e vai falando.

— Eu quero que tu volte pra ele, mas também quero que tu tenha total controle e saiba como o colocar no seu lugar às vezes. Então vim aqui pra te ensinar umas coisas básicas de defesa pessoal, pra nunca deixar nenhum inimigo dele te machucar, ou quem quer que seja. Tu tem que saber ser independente e não precisar do Justin pra isso, então vamos aumentar a tua resistência e vou te ensinar uns golpes, coisas bem básicas mesmo. — Essa mulher é louca, sem sombra de dúvidas.

— Certo. — Falo sorrindo e ela estranha.

— Não vai reclamar ou me xingar?

— Não, eu realmente acho que isso é importante. Sem falar que assim se ele me irritar, posso bater mais nele. — Sorrio e ela já ergue a sobrancelha.

— Isso quer dizer que vai voltar pra ele?

— Não, em nenhum momento eu disse isso. Apenas… Vamos logo com isso. — Sorrio animada e vou me trocando enquanto escutava sua risada.

Essa mulher é maravilhosa.

Após estarmos vestidas, vamos em direção a uma sala com colchões e vários daqueles sacos para treinos.

— Certo, o que vamos fazer primeiro? — Eu pergunto e ela ri, se alongando.

— Já recebeu um soco bem dado? — Ela pergunta e eu paro para pensar. — Já deu um soco bem dado? — E agora sim eu nego.

— Não.

— Certo, então eu e tu vamos meio que revezar. Tu tenta me acertar e eu recuo, vice-e-versa. — Eu concordo e já ergo os meus braços, fazendo ela rir. — Se eu te machucar, me fala. — E eu concordo, erguendo os braços e esperando, mas antes que eu faça algo, recebo um soco enorme na barriga. 

— CASSIE! — Eu ponho a mão sobre a barriga e ela me dá outro soco forte no ombro, fazendo eu recuar. — Você mandou avisar caso doesse!

— Sim, mas não falei que ia parar! Anda, tenta me socar e deixar o mínimo do teu corpo desprotegido. — Ela segue me acertando e eu me irrito, indo puxar o cabelo dela, o que a fazer rir e com a ajuda da perna, deitar meu corpo para trás e ficar sobre mim. — A gente deve ta gostosas pra caralho nessa posição, mas anda logo, senão tu vai ficar roxa! — Ela aumenta o tom de voz e eu tento erguer o joelho para a acertar, mas é óbvio que não adiantou de nada.

— Eu vou te bater! — Berro e ela ri.

— É isso que eu quero, anda! — Ela ri e eu ergo o braço, acertando um soco em cheio no seu rosto. — Vadia! — Ela fala com raiva, mas se acalma e eu consigo nos virar, mas sei que no fundo ela está deixando.

— Para de tentar chutar a minha barriga! — Falo ofegante e ela ri.

— Quando teu corpo ta sobre alguém, tu tem que tentar de forma mais ereta o possível, pois se não tiver curvada, vai ser difícil eles acertarem o teu estômago. Tenta segurar uma das minhas mãos nem que seja, porque com as duas eu tenho mais chance de te tirar de cima e nos virar. — Ela vai falando com mais calma, e eu tento fazer isso. — Não faz com raiva, tem que usar a lógica, é sério. Tenta fazer um gancho direito. Coloca o braço pra trás, elevando o cotovelo e depois tentando me acertar de forma cruzada, dando no meu queixo e fazendo eu erguer o rosto. — Ela não termina de falar e é isso que eu faço, com o máximo de força que consigo.

— Assim? — Não termino de falar e ela ergue o joelho com tudo, fazendo eu cair de costas para trás.

— Falei pra sentar ereta. — Ela ia me segurar e eu a chuto, não segurando o riso ao levantar e sair correndo pela sala. — Madison Turner, volta aqui agora! — Ela fala com raiva, me fazendo rir mais e negar.

— Cansei disso, você não sabe brincar! — Falo séria, pois minha barriga realmente dói.

— Deixa de ser idiota. Anda. — Ela bate o pé e eu paro de correr, a olhando e indo de forma lenta até ela.

— Vai me bater mais? — Eu pergunto e agora quem ri é ela.

— Não, vou te ensinar a dar chutes da forma certa. Falando nisso… Já viu aquele filme, miss simpatia? — Ela pergunta  eu concordo, já pensando no que ela ia falar.

— O que ela faz pra se livrar do cara…

— Aquela técnica funciona de verdade. Tu precisa saber como se soltar de alguém que é mais forte que tu. Tem que usar técnica e saber onde acertar a pessoa. — Eu concordo pondo os braços na cintura e ela ergue os dois braços na altura do seu peito. — Chute as minhas mãos, erga as pernas de forma alta, mas precisa. Quero que dê um giro com o quadril e acerte em cheio. — Ela fala e eu concordo, indo para trás e indo fazer isso, mas juro que perco o equilíbrio e caio de bunda no chão, o que faz ela rir.

— Não tem a mínima graça. — Falo emburrada ao cruzar os braços e ela ri.

— To vendo que ainda temos muito trabalho pela frente, porra. — Ela estica a mão e me ajuda a levantar.

Justin’s Bieber Point of View.

— Sim, em torno de 4,5 milhões. — O meu advogado fala e eu olho sério pro empresário na minha frente.

— E se eu quiser mudar depois de novo, eu posso? — Pergunto e ele concorda.

— É a oferta final do meu cliente. É pegar ou largar. Sem contar que ele jamais queria vender o nome da empresa, mas você o convenceu. — Claro, com essa grana toda é bom mesmo que ele esteja mais do que convencido.

— Ta, então ta tudo certo? — Eu pergunto já irritado com essa porra.

— Você só tem que assinar esse documento, e então, a maior empresa de arquitetos e engenheiros do país, terá um novo nome. — Ele fala esticando o documento e eu concordo, lendo uma última vez antes de assinar e sorrindo.

— “Madison Turner’s Development”. — Eu sorrio e assino o documento, finalmente terminando essa merda que eu tinha marcado de última hora.

— Você sabe que é louco, não sabe? — Meu advogado fala e eu dou de ombros.

— Espero que ela goste, pelo menos isso. — Pego uma cópia oficial do documento e ponho em uma pasta. Acho que agora de noite ela já deve ta em casa, então vou resolver a porra com o Aiden e a Cassie, ai depois vou até a casa dela e dou isso pra ela. 

Ela vai ficar doida, sem sombra de dúvidas.

— Foi um prazer fazer negócios com você, senhor Bieber. — O dono na empresa estende a mão, a qual eu cumprimento.

Com um esforço à mais eu poderia ter comprado a companhia toda pra ela, mas eu só queria algo mais simbólico, depois que ela se formar eu compro a companhia em si, ai ela vira a chefe e manda na porra toda.

— Digo o mesmo. — Agradeço e saio do escritório, chamando o elevador e esperando já bem animado. Louco pra que chegue mais tarde e eu possa ver ela e dar isso. 

Quero ver ela feliz, e sabendo o amor que ela tem pelo curso, acho que ia ser algo sensacional. Então porra, espero mesmo que ela goste dessa merda. Porque não consegui pensar em nada mais grandioso para o momento.

(…) 

— Onde tu tava? — Falo irritado ao ver a Cassie saindo do carro e todos nós aqui fora já, só esperando ela.

Ela já tinha terminado com a Madison à quase duas horas, não sei que porra tava fazendo que até agora não tinha chegado.

— Liguei pro Liam pra ver como a Sun tava. — Ela fala e eu já não acredito na hora.

— Ah sim? E precisava sair por 2 horas pra fazer essa porra? — Falo nervoso e ela ri.

— Calma Justin, por quê essa raiva toda? O Aiden vai continuar vivo, sem pressa.

— Cala a boca. — Falo indo sair e ela segura meu braço, fazendo eu me virar e olhar ela.

— Ah, e amanhã eu vou dar uma festa antes de ir embora. Vai ser algo grande, acredite. — Ela fala saindo e eu nem dou bola pra essa merda, porra.

— Chefe. — O Jared chega e eu entro no meu carro irritado, fechando a porta e abrindo a janela pra esperar e ver o que ele ia falar.

— Se for alguma coisa ruim que vai sair da tua boca eu não quero nem ouvir. — Eu falo e ele suspira.

— O Nolan já ta no lugar onde o Aiden combinou de se encontrar com a Benson. — Ele fala e eu concordo.

— Eu sei disso.

— Sim, mas… Tem um problema.

— Porra, por que vocês até pra me contar merda ficam cagados? Acho que te matando eu ganho mais.

— É uma armadilha, tinha umas bombas armadas lá e… — Ele fala e eu o olho sério na hora.

— Como é que é? — Eu desço do carro na hora e já empurro ele pra trás. — Eu to desde de manhã dizendo pra tu ir lá e ver o movimento, tudo, e tu vem me dizer isso só agora que eu tenho todos aqui? Tu ta falando sério? — Eu tiro a minha arma e já destravo a mesma. — É SÉRIO ESSA PORRA JARED?

— A CULPA NÃO É MINHA! — Ele levanta as mãos desesperado e eu fico mais puto ainda.

— Maldito covarde. — Falo pra mim mesmo e jogo a arma com raiva pro chão, o que faz todos em olharem sem entender. É claro que ele ia chamar a Cassie, ele sabia que ela ia me falar, só… — Manda o Nolan sair de lá antes que eu algo mate ele. — Falo puto e já entrando em casa sem nem querer ouvir uma merda que seja, mas quer saber, já sei exatamente o que eu vou fazer.

Eu to irritado porque ele fez o que fez com a Maddie e ta até agora sem ter sofrido, isso não é justo, ainda mais depois do jeito que ela ficou. Por isso essa porra de vingança é tão importante pra mim.

Mas só… Eu tenho que ficar calmo, porque agora vou até a Maddie e não quero que ela se assuste. Quero dar o presente e espero que ela se surpreenda, vendo que eu literalmente faria qualquer porra mesmo por ela e que to arrependido.

A porra do meu celular começa a tocar e eu me irrito. Pego o mesmo, rindo sem acreditar quando vejo que era ninguém mais do que o próprio Aiden.

— Sabe, a coragem que tu não tem de aparecer aqui na minha frente tu tem em me ligar. — Falo já acendendo um cigarro e ele ri.

— Relaxa Bieber, o maior ainda ta por vir, tu sabe que eu sempre gostei desse jogo de gato e rato, sabe como é que é.

— Tu tem é medo de mim.

— Ou eu e o Peter nos juntamos, pensei que soubesse que um inimigo já era ruim, mas dois? — Ele fala e eu rio.

— Eu tenho mais sozinho do que vocês os dois juntos, mas sabe, já que preferem fugir por mim tudo bem, afinal, já decidi que vou fazer uma visitinha pra tua irmãzinha, tenho certeza que ela sente minha falta. — Falo e quando escuto a risada dele, eu me surpreendo.

— Ah sim? A Hilary ta mais do que bem escondida, não tem com o que te preocupar, mas e a tua namoradinha? Ou devo dizer, ex-namorada? — Ele fala e eu respiro fundo. — Deve ser um porre tu me perseguir com mais raiva por eu ter tocado nela e ter levado um pé na bunda, afinal, garanto que o estudante de medicina deve ser melhor que tu na cama. — Ele fala e eu fico sem entender absolutamente nada. Como ele sabe do Matt? Mas não, não ia dar essa satisfação pra ele.

— Não se preocupe com a minha raiva, ela vai muito além do que  tu fez com ela, isso já é de anos.

— E vai continuar assim, então só sugiro que tu pare de me perseguir e deixe eu ganhar o meu dinheiro. — Ele fala e eu rio.

— Com medo do que eu possa fazer contigo? Pensei que tu e o Peter tivessem juntos nessa, não tem com o que se preocupar, garanto. — Eu falo e ele faz um som negativo com a boca.

— Eu e ele nos juntamos pra derrubar você, mas não matando, e sim dominando o território.

— E quer que eu assista isso de camarote sem fazer absolutamente nada? Porra Aiden, depois de todos esses anos tu ainda me subestima, não acha?

— Tu é um garoto que ainda tem muito pra aprender, acredite.

— Um garoto que tem mais que tu?

— Mas a namorada não tem mais?

— Aiden, precisa parar de ir por esse caminho, se quer ser tão homem assim, tu devia começar por parar de te esconder e propor falsos acordos com a Benson com isso, sabe, ela vai ficar bem puta.

— Quando se é perseguido, a gente foge.

— E quando se tem medo também, medo de algo que é maior que a gente. — Eu falo e ele ri.

— Quero que pare com essa paranóia de nos perseguir, antes dessa vadia chegar tu seguia com os teus negócios e eu com os meus.

— Pois é Aiden, mas ai que ta o problema… — Falo indo pro quintal e jogando o cigarro no chão enquanto pisava no mesmo. — O fato de tu ter mexido com ela foi algo meu, bem pessoal.

— E o que fez com a minha irmã?

— Qual é, depois do que tu fez com o Jake, a vadia merecia. 

— E a tua merece? Porque eu vendo ela aqui agora to bem impressionado. — Ele fala isso e nesse exato momento eu paro até de caminhar.

— O que?

— Se não quer que nada aconteça com a vadia da senhorita Turner, suponho que não tente roubar mais nenhuma entrega minha ou estragar. Eu tenho olhos e ouvidos contigo Bieber, então cuidado com o que faz.

— Ta me ameaçando mesmo? Sério? — Rio descrente, mas ainda nervoso.

— Sabe, ela tem essa bunda divina, tu realmente perdeu. Mas olha, que mulher que chora. Tu não tem noção de como anda sendo difícil acompanhar os passos dela e dos amigos, principalmente do namoradinho novo que ta sempre na cola. — Ele fala e eu não me controlo.

— Namoradinho novo? — Escapa antes mesmo de eu pensar.

— Opa, a senhorita Benson não te falou? Que engraçado, porque hoje ela almoçou com ela e a largou na casa da amiga dela, a namorada do Ryan, conhece? Onde nesse exato momento, o namorado dela ta aqui pegando ela, e olha, até ele não consegue parar de olhar pra bunda dela quando anda com ela que conversa empolgada. — ele ironiza rindo e eu fico sem acreditar.

— Se tu chegar perto dela só mais uma vez, eu juro que…

— Me ameaçando mesmo? Sério? — Ele repete minha fala e ri. — Eu cansei de sempre segui teus passos Bieber, então sugiro que apenas fique com o olho aberto e cuide da tua vida, porque se seguir andando só atrás da minha, eu vou ter que me certificar de que o corpo da gostosa Madison ganhe algumas marcas novas pra serem lembradas, tu vai amar! Posso até desenhar um “J” na vagina dela com uma faca, em tua homenagem. — Ele fala e eu fervo, chutando a cadeira daqui de fora e virando a mesa de vidro toda no chão.

— Aiden, tu ta indo por um caminho que…

— Que tu tomou anos atrás e eu nunca consegui revidar, mas agora com o Peter do meu lado, eu consigo. — Ele fala e eu vou já até a saída, passando pela Cassie e os meninos na sala sem dar bola. Vou até o meu carro e subo no mesmo apressado.

— Se tu encostar nela, eu juro que…

— Oh Bieber, eu não preciso. O novo namorado dela já ta fazendo isso, e poxa, vou ser teu parceiro, o nome dele é Tyler. Tyler Johnson. — E com isso quem desliga a própria ligação, sou eu.

Não, perto dela ele definitivamente não chega… E muito menos esse merda de Tyler, quem é esse viado de merda? Só me faltava essa agora. Decido correr atrás dela e fazer de tudo, pra que? Pra ela estar com outro. Mas não, dessa vez eu não vou brigar com ela ou largar de mão. Vou fazer ela abrir os olhos e ver que só eu sou homem o suficiente pra ela, que só eu sei dar o que ela merece.

CONTINUA...


Notas Finais


Cassie tentando juntar o OTP, amo muito <3
Gente, o Justin comprou mesmo o nome de uma empresa enorme pra ela, SEM OR! Não quero que pensem como algo material, ele apenas pegou algo que ela gosta e queria que ela ficasse surpresa, então né... Parece que alguém está correndo atrás.
E agora sim, o querido sabe do Tyler, sinto cheiro de merda no ar.... Mas pelo último parágrafo, acho até que pode sair algo não tão merda, mas que ele vai ficar louco, vai...
Aiden mais perigoso e venenoso do que nunca! Será que o Justin vai deixar ele quieto, com medo do que pode rolar com a maddie? Só deus sabe! O bixinho ta apaixonado e só ele não se ligou ainda hahahahah
Espero que tenham gostado! Desculpa a demora e a ausência, mas juro que to com a vida bem corrida! E obrigada com a reação em relação ao "jogo", fiquei feliz que gostaram!!! <3
Espero que tenham gostado, até o próximo meus amores <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...