História Challenge - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel
Tags Fadatail, Headcanon, Nalu, Ryuukaji, Troublemaker
Visualizações 552
Palavras 1.734
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello (≧∇≦)/
Vou ser breve aqui, porque deixei o textão para o fim fufufu!
A única coisa que irei falar, é que esse headcanon foi feito com todo o carinho do mundo em comemoração a UM ANO de Troublemaker! YEEEEEY!
Espero que gostem(⌒▽⌒)

Capítulo 1 - Capítulo Único


Eu observava Lucy, em sua cama, coberta até o pescoço, com sua face de fora, totalmente corada. Zeref colocava um pano molhado na testa da mesma, e seus olhos fechados, estremecer um pouco.

   Ela tinha pego um resfriado, e desmaiado na escola, me deixando desesperado.

   Poderíamos tê-la deixado na enfermaria, mas a enfermeira tinha faltado, e por isso a diretora teve que contatar alguém para vir nos buscar. Sim, "nos" buscar, afinal, eu me recusava ficar naquela escola sem saber como Lucy estava.

    Acabou que o único adulto "responsável" que estava em casa era Zeref, e de certa forma, foi bom, porque ele era a única pessoa que me permitiria matar aula sem precisar apelar para desculpas esfarrapadas.

   — Natsu, preciso falar com você, pode vir aqui embaixo comigo? — Zeref pediu sério, e eu engoli seco, assentindo. Será que era algo pior que um simples resfriado?

   Vi ele sair, e antes de o seguir, fui até Lucy, depositando um beijo no topo de sua cabeça, murmurando "Até logo!", mesmo sabendo que ela estava dormindo e não escutava nada.

   Quando desci as escadas, vi que meu irmão ajeitava a pasta dele com concentração, e aquilo fez com que eu franzisse minha testa confuso. Ele iria sair?

    — O que está fazendo? — Perguntei, apoiando minhas costas na parede para poder vê-lo melhor.

   — Ajeitando minhas coisas para trabalhar, oras. — Ele respondeu de maneira óbvia e eu o olhei horrorizado.

   — Como assim? E Luce? Vai deixá-la aqui sozinha? — Disparei as perguntas uma após a outra, e Zeref revirou os olhos.

   — Aqui sozinha, não. Aqui com você. — Ele corrigiu como um perfeito sabichão, e foi minha vez de revirar os olhos.

   — Você entendeu... Não sei cuidar de pessoas doentes, não vou saber o que fazer! — Exclamei me desencostando da parede. Estava desesperado. — E se a febre dela aumentar? E se ela delirar? Ou pior, se ela sentir fome?

   — Natsu, você vai ter que aprender a se virar. Tenho que ir, não posso faltar assim do nada. Layla e Erza saíram para resolver alguns problemas, e o papai foi para uma reunião com um cliente. — Ele disse sério. — Querendo ou não, você é o único que pode cuidar da Lucy agora.

   — Mas eu não sei o que fazer! — Tentei mais uma vez por juízo na cabeça dele. Deixar Lucy em minhas mãos, doente, era uma péssima ideia.

   — Já disse, aprenda. — Ele falou. — Ela é sua namorada, você deve cuidar sempre dela.

   — Não somos namorados. — Falei, um pouco desconfortável com aquele assunto. Lucy e eu não tocamos nesse assunto, o que é bom, porque para mim, pelo menos por enquanto, estávamos indo perfeitamente bem, sem rótulos. Sem estresse...

   — Hum, bem, tanto faz. Mas seja lá o que vocês são, ela é importante para você, certo? — Perguntou.

   — Nem precisa perguntar isso, é claro que ela é! — Respondi sem nem muito pensar.

   — Então cuide dela. — Ele disse passando por mim e dando tapinhas em meu ombro. — Agora vou me arrumar ou irei me atrasar. — Falou e me deixou sozinho.
   — Estou perdido.

(...)

   Fui até a cozinha, e comecei a olhar tudo na dispensa e geladeira, a procura de algo para para fazer pra comer. Já tinha cerca de uma hora que Zeref havia ido, me deixando com Lucy, que ainda dormia.

   Eu tentaria fazer uma sopa, e mesmo que eu detestasse, achei que era uma boa pedida para Lucy que estava resfriada.

   O único problema, é: eu nunca fiz uma sopa na minha vida. Ma verdade, eu não sabia fazer um ovo sem transformar a cozinha em um verdadeiro caos.

   Pensei em ligar para Layla, mas não queria incomodá-la. Então, fiz o que eu sempre faria em qualquer outra ocasião.

   Liguei para o meu pai.

   Houve cinco toques até que caísse na caixa postal, me fazendo bufar.

   — Por Kami, pai! Você tem esse celular de enfeite, não é possível. — Resmuguei baixo, e tive minha atenção tomada por um barulho de tosses que se aproximava da cozinha.

   E segundos depois fui privilegiado com a imagem de Lucy, enrolada no corbertor, bocejando de uma maneira muito adorável para quem estava doente.

    — O que está fazendo? — A voz dela saiu rouca, e eu não sabia se era devido ao resfriado ou ao seu recente despertar.

   — Estou procurando algo para cozinhar. — Disse, ao observar ela se sentar no banco em frente ao balcão.

    — Você cozinhando? — Ela perguntou descrente, e riu em seguida.

    — Eu posso fazer algo legal, certo? — Retruquei e ela assentiu com um sorrisinho desdenhoso. Não podia julgá-la, nem mesmo eu estava botando fé em mim.

   — Certo, estou pagando para ver, ou para experimentar. — Lucy disse, e tossiu de novo. — Argh! — Resmungou. — Vou por uma máscara, espere um momento. — Ela falou se levantando e saindo da cozinha.

   Demorou alguns minutos procurando algo para cozinhar, até que achei um pacote de sopa instantânea, e por mais que aquilo não fosse a coisa mais saudável para dar a alguém doente, era o mais prático, e seguro para o estômago de Lucy.

   Então, fui seguindo as instruções uma por uma, e logo a sopa instantânea estava no fogo, cozinhando, enquanto eu torcia para que ficasse tudo bem.

   Olhei para um lado, olhei para o outro, e achei estranho que Lucy ainda não havia voltado.

   E lembrando que ela tinha desmaiado na escola, larguei tudo no fogão, e sai correndo de maneira desesperada atrás dela.

   Entretanto, todo aquele desespero para nada, já que assim que entrei em seu quarto, vi a mesma deitada em sua cama, largada de qualquer jeito, sem máscara alguma, enquanto jogava algo em seu celular.

    E percebendo minha presença, Lucy me encarou confusa, e deu um sorriso enorme.

    — Que foi? — Perguntou, deixando seu celular de lado.

    — Nada, só... Er, achei que tinha desmaiado, porque você meio que demorou muito. — Falei sem graça, passando minha mão em meus cabelos, envergonhado por ter agido de maneira exagerada.

    Lucy por sua vez, soltou uma risadinha em meio a tosses.

    — Não se preocupe tanto, Natsu. — Ela disse. — É só un resfriado, e logo passa, sem falar que tenho um ótimo enfermeiro. — Ela disse, lançando uma piscadela para mim.

    Espera. Lucy. Lucy Heartfilia estava flertando comigo por livre e espontânea vontade? Sem ao menos corar?

   — Luce, isso foi um flerte? — Perguntei, com um sorriso, achando graça.

   — Talvez. — Outra piscadela e sem coloração alguma no rosto. Estranho.

   Em outra ocasião, eu continuaria aquele flerte, mas tudo que fiz foi ouvir a voz da razão e ir até ela medir sua temperatura de maneira desajeitada, afinal, nunca tinha feito aquilo antes.

   — Você está muito quente! — Eu disse alarmado.

   — É porque você está aqui comigo! — Ela disse animada, e eu arregalei os olhos. O que estava acontecendo? Lucy fica com febre e quem tem os delírios sou eu?

   — Luce, eu vou encher sua banheira com água morna. — Disse lembrando das instruções que meu irmão deu antes de sair. — Isso vai abaixar sua febre, segundo ao Zeref. — Completei, tentando ignorar as mãos dela entrando por debaixo de minha camiseta.

    — Mas não estou com febre Natsu!!! — Exclamou ela. Seu estado mais parecia da vez em que ela apareceu bêbada. — Só estou com frio. Me esquente! — Falou com um biquinho.

    Por Kami! Que provação!

    — Claro que está com frio, isso porque você está com febre. — Falei, suspirando cansado. Aquilo era um teste psicológico. — Enfim, vou fazer o que tenho que fazer. — Conclui, indo até o banheiro.

   Minutos depois, a banheira estava cheia, e água morna. Fui em busca de Lucy, e sobre muito protesto dela, consegui que ela entrasse na banheira, e quando recuperou a razão que tinha perdido em minutos, a deixei aproveitar seu banho, instruindo que ela não demorasse muito ali para que não piorasse.

   Sai do banheiro com a sensação de ter esquecido algo, e quando escutei o barulho de porta se abrindo, e um cheiro de queimado, me desesperei, saindo correndo de novo até lá embaixo.

   — Natsu, querido, que cheiro se queimado é esse, e por que não está na escola? — Escutei Layla perguntar enquanto entrava em casa, mas a ignorei ao ir até a cozinha e ver a panela com a sopa, totalmente, queimada.

   — Não acredito que queimei uma sopa instantânea. — Falei incrédulo.

    — Natsu? — Escutei Layla me chamar com doçura em sua voz, e ao ver a panela e o cheiro de queimado, logo pediu uma explicação.

   Fui o mais breve possível, e ela me repreendeu por não tê-la chamado mais cedo. Me desculpei, e em seguida ela pediu licença, subindo para ver a filha.

   Uns vinte minutos depois, Layla desceu, e quando me viu, deu um suspiro cansado, mas em seguida um sorriso de lado.

    — Ainda não estou satisfeita com isso, deveria ter me ligado imediatamente, não só você, mas Zeref também. — Disse com severidade, e eu assenti. — Porém, devo agradecer por ter cuidado de Lucy. — Concluiu, e eu dei um sorriso grande com animação.

   — Isso quer dizer que- — Fui cortado por ela.

   — Isso quer dizer que estou agradecendo, apenas isso mocinho. — Layla falou cortando todo o meu barato, mas claro, não deixei que aquilo me abalasse. Dei um beijo na bochecha dela, e disse:

   — Tudo bem! É uma questão de tempo conquistar sua aprovação, acredite! — Eu falei lançando uma piscadela. — Bem, vou ir ver a Luce, ok? E pode deixar que já limpei a cozinha.

   — Ela está dormindo, não a acorde e deixe a porta aberta! — Layla gritou, e eu gritei "Ok!", indo até o quarto de Lucy mais uma vez naquele dia.

   Chegando lá, a vi dormindo com um sorriso no rosto. Provavelmente, Layla deveria tê-la mimado até que dormisse.

   Me contentei em sentar na ponta de sua cama, e velar seu sono. E quando eu estava quase cedendo, e dormindo ao lado de Lucy, a escutei murmurar:

   — Obrigada, Natsu... — E assim, voltar a dormir.

   No fim, mesmo sendo trabalhoso, cuidar dela, valeu a pena.

   Luce é meu tesouro, e eu sempre o protegeria.

Notas Finais


Bem, eu deixei o textão por último para não cansar :p
Esse não foi o primeiro headcanon que fiz de TM, já postei um na página Nalu Brasil, e outros eu enviei a @ryuukaji, porém não os postei por ter relação com a terceira fase ;D
Enfim, Troublemaker pra mim não é só uma fanfic, sério. Ela tem um enorme significado para mim, pois graças a ela, deve-se boa parte da minha aproximação com a Bear (ryuukaji), uma pessoa que em pouco tempo (seríssimo), se tornou um serzinho muito precioso na minha vida. E ver o projeto dela crescer, ver a escrita dela amadurecer a cada capítulo, nossa, isso não tem preço. Troublemaker é uma realização dela, mas tenho tanto orgulho que adotei a fanfic em meu coração.
Essa história me trouxe vários sorrisos, várias emoções (tipo raiva do início, porque, por Kami! Como eu xinguei o Natsu no começo! Haha), e o melhor, me trouxe uma grande amiga ❤
Waifu (só minha tá? 👀), acho que você tá cansada de me ver falando isso, mas eu sinto tanto orgulho de você! Vê que de pouco a pouco você vem dando continuidade a seu sonho, e espero estar do seu lado para vê-lo se realizar, porque você merece e muito!
Esse headcanon, assim como o outro que te enviei ontem a noite, é para homenagear esse longo ano de um projeto que ainda não foi finalizado, mas que conquistou muita gente.
Parabéns pelo 01 aninho de Troublemaker ❤❤❤
E fico feliz que tenha gostado do meu simples presente ^^
E aos leitores dessa fanfic maravilhosa, que leram até aqui, espero que tenham gostado, e os agradeço por estarem acompanhando a Bear por todo esse tempo! 😊💕

Link de Troublermaker: https://spiritfanfics.com/historia/troublemaker-4826924

Beijos, Bella 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...