História Change - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens JR, Mark, Personagens Originais, Youngjae
Tags Got7, Jinyoung, Mark, Markjin, Starter
Exibições 92
Palavras 2.982
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, Slash

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Gente, olha a novidade!!!
Bom, a tag "starter" é um projeto onde cada mês algumas escritoras irão postar os's referentes a algum tema~~ (todas com o mesmo tema haha)
Bom, aproveitem pq eu fiz com muito amor u.u
Desculpa se ficar confusa ;-;
E OBRIGADA A ~PERONNI PELA CAPALINDA, ALÊ, ME ABRAÇA

Capítulo 1 - Starter


Fanfic / Fanfiction Change - Capítulo 1 - Starter

Mark sempre foi uma pessoa quieta, mas ao contrário do que sua personalidade mostrava, ele não gostava de pessoas quietas perto de si. Mesmo que tivesse 11 anos, era uma criança esperta. E, mesmo que não criasse laços, sair da sua cidade, do seu país, para ser mais exato, era algo bastante difícil.

 

Pior ainda era ter que viajar incontáveis horas em um avião para um lugar totalmente novo do outro lado do mundo. Seu destino, Coréia do Sul. Sua animação, zero.

 

O primeiro, de longos três dias, com certeza foi o melhor. Por conta do fuso horário, seus pais o permitiram dormir quantas horas quisesse. Não seria esse o maior sonho de toda a humanidade? Faltar aula, passear e dormir tanto quanto lhe desse na telha? Mark realizou tudo isso, mas mesmo assim sentia-se insatisfeito.

 

O segundo dia foi entediante, pois ainda sentia seu corpo cansado, mas não sentia sono. Anteriormente havia dormido quase 15 horas e dormir para si era algo complicado. Mesmo com pouca idade sofria de caso sério de insônia, vivendo até mesmo a base de comprimidos para que isso ocorresse.

 

O terceiro dia arriscou-se a sair de casa. Não que isso fosse do seu feitio, mas do que adiantava ficar olhando o teto esperando milagres? Andou por toda a quadra, de uma esquina a outra. Não podia negar que o lugar era muito mais encantador do que sua antiga casa, mesmo que essa fosse ainda bem simples. A vizinhança contava com prédios e, além da sua, havia apenas uma casa, que estava bem ao lado da sua.

 

Haviam algumas árvores e a grama era bem aparada. As únicas coisas que lhe incomodava de verdade eram o ar pesado e a quantidade de panfletos, banners e coisas do tipo postas em cada parede dos prédios. Salvas exceções eram sua casa e a do lado.

 

Mesmo que estivesse entediado em casa presumiu que seria menos entediante estar em casa deitado mesmo, porém algo lhe prendeu a atenção. Na escada do vizinho havia um menino sentado. Não parecia mais velho do que si, mas também não parecia tão mais novo. Com alguns passos logo estava de frente para a figura desconhecida. De longe, Mark achava que este estava dormindo, mas a verdade era que se punha a ler algum livro.

 

- Hã… Olá?

 

Mark havia feito aulas de coreano antes de se mudar e, mesmo que não fosse fluente, poderia se comunicar com certa facilidade.

 

- Hm? - O desconhecido levou o olhar até o rosto de Mark. Ele parecia mal humorado, mas não importava.

 

- Eu sou seu novo vizinho, prazer, Mark Tuan.

 

- Ah, sério? - Fechou o livro e levantou. - Então aquela barulheira toda é culpa sua… Bom, de qualquer forma, ninguém perguntou.

 

- Não vai nem mesmo me dizer seu nome? - Mark riu soprado, enquanto perguntava.

 

- Não que eu devesse, ou que eu queira, - Olhou em direção ao mais velho. - mas sou Park Jinyoung. Se me der licença, agora vou entrar.

 

- E se eu não der? Você vai ficar aqui comigo?

 

- Cara de hyung, mas mente de dongsaeng. - Falou baixo, mas o suficiente para que o outro ouvisse. - De qualquer forma, vou entrar.

 

Mark apenas riu ao ver o outro fechar o livro, grosso demais para uma criança estar lendo, colocar embaixo do braço e foi porta a dentro. Naquele momento estava decidido seu passatempo. Encher o saco do vizinho.

 

♡Change♡

 

Todos os dias e em horário diversificados, Mark olhava para a escada em que havia encontrado Jinyoung dias antes, mas esse parecia simplesmente ter desaparecido. Mark até mesmo já havia desistido de encontrar o mais novo quando o menos óbvio aconteceu.

 

Era uma chata e entediante segunda feira, Mark ia começar a estudar, mas por conta do sistema educacional teria que repetir um ano. Não gostava da ideia, chegava até mesmo a abominá-la, mas o que poderia fazer?

 

Era algo realmente estranho, principalmente depois de entrar na sala. Havia cobertores enrolando o alunos, as mesas e cadeiras eram dispostas em duplas e quase todos ainda estavam adormecidos sobre suas mesas.

 

Assim que o professor adentrou a sala convocou Mark para que se apresentasse, coisa que fez sem demora.

 

- Olá, sou de Los Angeles e me mudei faz apenas uma semana para a Coréia. Cuidem de mim, sou Mark Tuan. - A vergonha e a vontade de sentar o fez falar rápido demais, até mesmo o espantando.

 

Os ventos só poderiam estar ao seu favor. A sala tinha apenas alguns lugares vazios e o único que lhe interessava sentar estava na lista. Ao lado estava quem menos esperava, aquele que levantou a cabeça apenas para revirar os olhos ao ouvir seu nome.

 

- Bom, senhor Tuan. Sugiro que vá sentar-se. Sinta-se confortável para sentar em qualquer lugar e ao lado de alguém que possa te ajudar.

 

Deu passos apressados, era constrangedor entrar em uma classe nova, ainda mais de uma turma de apenas garotos. Garotos não são tão receptivo, ainda mais aquele sentado ao seu lado.

 

- Bom dia, Park Jinyoung!

 

O mais novo apenas ignorou, mas não sem revirar os olhos mais uma vez. Só poderia ser um pesadelo, castigo por não ter dormido cedo quando seus pais mandaram.

A aula passou voando para Mark, que buscava disfarçadamente meios de capturar a atenção do seu companheiro de mesa para si. Cutucou, chamou, empurrou e todas as coisas que estava ao seu alcance, mas o outro parecia nem se importar com a sua existência, exceto pela quantidades de vezes que bufou enquanto revirava os olhos.

 

Aquilo só fazia Mark investir cada vez mais em maneiras de aborrecer o mais novo. Sim, aborrecer.

 

♡Change♡

 

Depois de quatro tempos finalmente o intervalo chegou. Jinyoung amaldiçoou os pais do novo colega de todas as “palavras feias” que conhecia, mas desistiu ao perceber que não tinham culpa de ter um filho insuportável. Talvez em parte, mas não completamente.

 

- Jinyoung, Jinyoung. - Esse mantra já durava todo o caminho para a fila do lanche e Jinyoung já totalmente considerava trocar de nome.

 

- O que você quer?

 

- Wow, então você ainda fala! - Brincou, sorrindo. - Estava me perguntando quanto tempo mais você iria me ignorar, mas graças a Deus resolvemos isso.

 

- Claro, claro… - Revirou os olhos pela centésima vez, pelos cálculos de Mark.

 

- Bom, se você não me der atenção eu serei obrigado a usar meu super poder!

 

- De ser insuportável? Olha, você está fazendo isso certo. - Riu da própria piada.

 

- Não, esse é o seu super poder. O meu é te tirar do sério.

 

- ‘Tá, tanto faz. - Ambos saíram da fila do lanche e sentaram em suas mesas.

 

- Você é sempre assim chato ou só quando está na minha presença?

 

- Ah, só com pessoas inconvenientes. Tipo você.

 

Mark se manteve em silêncio. Não que a resposta o houvesse ofendido, como Jinyoung imaginara e se vangloriava, mas sim por perceber que Jinyoung era sozinho.

 

- Você tem quantos anos?

 

- Tenho 10 e você? - Sua preocupação estava voltada completamente para o sanduíche e a caixa de leite que ganhou como lanche.

 

- Onze… Você sempre come sozinho? - Deitou a cabeça sobre seus braços, deixando o lanche de lado.

 

- Unhum. - Gesticulou com a cabeça, já que sua boca estava ocupada.

 

- Entendo.

 

Mark nem mesmo notou quando Jinyoung terminou de comer, sua mente estava apenas observando como o mais novo era só. Quando morava na América, sempre foi cercado de pessoas e não imaginava como era ser sozinho. Jinyoung despertou a atenção do mais velho quando arrastou sua cadeira para levantar.

 

- Bom, você ainda não comeu. Mas eu vou para a sala, tudo bem? - Era a primeira vez que sorriu para Mark e isso era estranho.

 

- Hã? Ah, espera… Eu vou com você. - Levantou rapidamente para acompanhar o mais novo.

 

- Você não vai comer? - Suas sobrancelhas grossas juntaram-se como uma só.

 

- Temos aula agora. - Deu de ombros.

 

- E daí? Pular refeições não é certo.

 

Jinyoung pegou o sanduíche e o leite do mais velho, entregou para ele e saiu andando. Mark sorriu, talvez Jinyoung não fosse tão chato.


 

♡Change♡

 

As aulas seguinte Mark aproveitou para dormir, ainda não havia se acostumado totalmente ao horário dali. Assim que acabaram as aulas sentiu seu braço ser cutucado.

 

- Ei, já acabou. Você vai ficar ai?

 

- Hm? Já? - Espreguiçou-se, ainda na cadeira.

 

- Unhum.

 

Os dois caminharam em silêncio, ambos absortos em seus pensamentos, chegando até mesmo a ser confortável. Jinyoung sempre foi sozinho para a casa e ter uma companhia não lhe foi de todo desagradável. Para Mark, apesar do silêncio, também não foi desconfortável, já que não era de muitas palavras.

- Chegamos. - Jinyoung se pronunciou assim que pisou em frente a sua escada. - Obrigado.

 

- Wow, parece que temos uma pessoa educada por aqui. - Riu. - Não precisa agradecer… Mas precisa pagar.

 

Jinyoung deixou o sorriso em seu rosto sumir.

 

- O que você quer? - Mark o viu se tornar sério, havia falado algo errado?

 

- Faz um pouco de aegyo. Você é tão novo mas passou 70% do seu dia comigo e estava sempre com essa carranca.

 

- Ah.. Isso.. - Jinyoung abriu seu sorriso novamente. - Talvez você não seja tão chato.

 

- Não vai fazer? - O mais novo já havia virado para ir embora.

 

- Não, agora tenho que cuidar do Youngjae.

 

- Quem?

 

- Meu irmão. Até amanhã, hyung.

 

♡Change♡

 

Jinyoung tinha um irmão mais novo, isso não era nada demais, pois estava acostumado a ter que cuidar dele. Sempre que abria a porta o mais novo vinha animado até si, era o momento em que sentia que nada poderia o fazer mal.

 

Seus pais, apesar de bastante amorosos, passavam a maior parte do tempo trabalhando. Seu pai viajava a negócios e sua mãe voltava às 10h para sair novamente 6h e Jinyoung quem ficava com seu irmão. Banho, comida, até mesmo as tarefinhas de casa, ele quem ajudava.

 

Depois que tomou banho foi ter a sua conversa diária com Youngjae. Desde que este nasceu que era obrigado a ouvir sobre o dia do irmão, isso já virou uma rotina de 5 anos. Na verdade, mesmo que não entendesse ainda grande parte do que Jinyoung dizia, Youngjae gostava de deitar e adormecer no colo do mais velho enquanto este lhe contava histórias.

 

- Aí ele ficou o tempo todo perto de mim, Jae. Desde o dia que ele apareceu aqui na escada que eu o achei insuportável. Ele chamou meu nome umas cinquenta vezes só durante o lanche! Deus, eu achei que ia enlouquecer. Você entende, Jae? - Assim que olhou para Youngjae percebeu que ele dormia. - É, acho que você não entende. - Sorriu soprado.

 

Youngjae, para Jinyoung, era a criança mais linda e fofinha da face da terra. De qualquer maneira que olhasse, ele era precioso demais para esse mundo. Seu rostinho não negava em nada sua pouca idade. Tinha a certeza que teria para sempre a carinha de neném. Ele tinha muitos sinais pelo corpo e às vezes Jinyoung os contava, era seu melhor passatempo. Youngjae tinha cabelos castanhos e sempre em formato tigelinha, o que particularmente o deixava uma graça. Jinyoung carregou o mais novo até a cama e o deitou, pegando seu livro preferido para reler. Aliás, fora o único livro que já releu. O pequeno príncipe.


 

♡Change♡


 

Algum tempo havia passado, poderia se dizer que Jinyoung e Mark realmente tornaram-se próximos. Descobriram várias coisas um sobre o outro, até mesmo que faziam aniversário no mesmo mês, assim como Youngjae. Para Jinyoung nada parecia ter mudado nos últimos meses, mas Youngjae, mesmo que não compreendesse muito bem, percebeu que seu irmão cada vez menos insultava Mark e que cada vez mais falava deste. Pelo menos até pegar no sono. Já para Mark, Jinyoung havia mudado completamente. Sorria com tanta frequência que nem mesmo era mais capaz de contar quantas vezes o fazia. Ir até a casa um do outro havia virado costume e Youngjae sempre os acompanhava.

 

- Jae, mamãe ‘tá chegando. - Jinyoung gritou para o irmão que estava deitado no sofá, muito quieto para o horário. - Por que ‘tá caladinho assim, neném?

 

Jinyoung se aproximou do irmão, notando que este suava. Suava frio, mas não havia febre. Tentou acordá-lo mas também não deu certo. Jinyoung entrou em desespero, mas sentiu seu corpo relaxar por dois segundos ao ouvir o click da porta sendo destrancada, era sua mãe.

 

- Queridos, mamãe chegou!

 

A jovem senhora se espantou ao ver aquela cena incomum. Jinyoung correu até si com o rosto banhado em lágrimas enquanto falava coisas desconexas.

 

- Youngjae. Ele, não sei. Mãe, salva ele!!

 

Mesmo sem entender o que o filho falava, sabia que havia algo de errado com Youngjae e, ainda com Jinyoung abraçado a si, dirigiu-se até o sofá deparando-se com a situação do seu filho mais novo. Pegou o mais novo no colo e colocou no carro. Jinyoung não conseguia assimilar o que lhe era dito, apenas seguiu as ordens.

 

- Vá para a casa dos vizinhos, peça desculpa e fique lá até eu voltar. Você entendeu? Consegue fazer isso? - acenou com a cabeça. - Ótimo, mamãe ama você. Vai.

 

Jinyoung sentiu-se pesado, mas fez o que sua mãe pediu. Ficou aliviado ao ver Mark abrindo a porta e o abraçou, voltando a chorar. O americano lhe perguntava o que estava acontecendo, mas o mais novo não conseguia responder, só quando se acalmou frente aos pais do mais velho. Explicou o que aconteceu e as  coisas que sua mãe lhe falou, sendo logo permitido que ficasse por ali.

 

Os pais de Mark disseram para que acalmasse Jinyoung, até mesmo o fazendo dormir e que caso houvesse notícias acordariam Jinyoung. O americano subiu a escada apoiando o amigo que estava em meio choque. Estava se preparando para dormir, quando ouviu a campainha, então deitou Jinyoung consigo.

 

- Você não ‘tá cansado, Nyeong? - Negou, mesmo que seus olhos demonstrassem o oposto. - Não quer falar?

 

- O Youngjae. - Fungou mais uma vez. - Mark, eu machuquei ele? É que eu demorei de botar a comida dele, né? Eu ‘tava brincando com ele, mas eu botei depois.

 

Falava tudo com urgência, seus olhos voltavam a derramar ainda mais lágrimas. Mark deitou e abraçou o mais novo que recuou um pouco.

 

- Você não tem culpa, Nyeong.. Você nem sabe o que aconteceu, em primeiro lugar.

 

- Mark, - Se rendeu ao abraço, trazendo-o para mais perto de si. - ele estava comigo, claro que fui eu. Eu devia ter cuidado mais dele.

 

- Não foi, Nyeong. - Sua mão acariciava os fios negros do mais novo. - Confia em mim?

 

Mark ergueu o rosto pequeno e redondo de Jinyoung para que ele olhasse para si. O rosto do mais novo corou e seu coração acelerou, assentiu para concordando logo em seguida.

 

- De-desculpa. - Desviou o olhar, mas seu rosto ainda estava quente.

 

- Tudo bem, Nyeong. - Depositou um selar na bochecha do mais novo. - Vamos dormir? Eu prometo que não vou te largar.

 

O sorriso de Mark preencheu a visão de Jinyoung e seu coração acelerou mais ainda. Sem dizer nenhuma palavra, concordou com a cabeça, sorriu e virou de costas para o mais velho, se afastando, mas logo sentiu o peito de Mark colado à suas costas.

 

- Eu já falei, eu não vou te largar.

 

Jinyoung se permitiu relaxar, era extremamente confortável estar ali e finalmente sentia-se calmo.

Talvez o poder de Mark não fosse te tirar do sério.

Talvez fosse te trazer aquela sensação boa.

Talvez ele não fosse tão idiota..

Só talvez

Jinyoung gostasse de Mark.

 

♡Change♡

 

Assim que acordou, o abraço de Mark não estava mais ali. Sua cabeça começou a latejar pela memória do que aconteceu na noite passada.

Youngjae

O desmaio

O peso em suas costas

E o abraço de Mark Tuan.

 

Pela primeira vez em muito tempo sentiu-se vulnerável, sentiu que precisava do americano consigo e só quando foi abraçado pelo mesmo percebeu que estava chorando.

 

- Jinyoung-ah.. Calma, não gosto de te ver chorando.

 

- O Youngjae… Mark… - Mark riu soprado.

 

- Ele está bem, está em casa. Eu só não deixei ninguém te acordar, você parecia tão cansado.

 

Jinyoung desvencilhou-se dos braços do mais velho e correu para sua casa. Mark não o seguiu, sabia que ele precisava daquele tempo.

A conversa com sua mãe não foi nada fácil, seu irmão tinha uma doença chamada hipoglicemia. Era causada por mau funcionamento de uma glândula, muito comum em criança. A única parte boa era que para manter os níveis de açúcar seria bem fácil, já que teriam que seguir algumas regras como alimentá-lo em horários fixos e dar sempre algo doce e suco de frutas. Era realmente um alívio, já que descobriram cedo.

 

♡Change♡

 

- Obrigado, hyung… Por cuidar de mim, sabe? Se preocupar e essas coisas.

 

- Wow, Park Jinyoung está mesmo agradecendo?

 

Jinyoung revirou os olhos, mas se permitiu rir.

 

- Yah, se não quiser é só me devolver.

 

- Eu sou seu hyung, não use “yah” comigo, Jinyoungie~

 

- Yah~~- Falou de forma fofa. - Markie yah~~

 

O sorvete que tomavam era de limão, ambos sabiam o que era um bom sorvete. A brisa da tarde era totalmente oposta ao dia quente que enfrentaram e todos estavam agradecidos por isso.

 

- Sabe, Jinyoung… Você mudou tanto. - Mark falou após um longo silêncio.

 

- Culpa sua… - Falou baixo. - Obrigado por entrar na minha vida, hyung. De verdade.

Mark segurou na mão de Jinyoung, fazendo-o corar e o coração acelerar.

Jinyoung decidiu naquele momento que o poder do mais velho era esse.

Fazer seu coração vibrar.

 


Notas Finais


Foi isso~~
Caso queira participar do projeto, é so falar cmg <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...