História Change Of Plans - Capítulo 65


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Brigas, Romance, Sexo
Exibições 150
Palavras 2.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ESTOU FELIZ POR ESTAR CONSEGUINDO POSTAR PELO MENOS UM CAPITULO.

Capítulo 65 - Last day in Atlanta


Katrynna Sullivan's P.O.V

- Ei amor, vamos sair hoje? - Justin propôs e eu sorri empolgada. 

- Vamos, claro. Mais pra onde? - Perguntei arqueando as sobrancelhas.

- Pra boate do Ryan que tal? - Assenti concordando. 

- Posso chamar as meninas? - Fiz carinha de anjo para convence-lo e ele assentiu. 

- Claro, chame todas, vai ser melhor. - Ele falou e eu franzi a testa não entendendo.

- Porque vai ser melhor? - Estava o olhando confusa. Justin desviou o olhar e sorriu nervoso. Ele estava estranho.

- Para você se divertir mais. Vou pra casa me arrumar e depois passo aqui para buscar você. - Assenti e ele segurou em meu rosto e ficou encarando meus olhos e depois selou nossos lábios e sua língua pediu passagem e eu cedi na mesma hora, sua língua explorava cada canto da minha boca com cuidado e carinho, acompanhava sua língua apenas aproveitando o beijo. Ele me puxou mais para perto e aprofundou o beijo, estava tão bom mais tivemos que parar por causa da falta de ar. 

- Eu te... - Ele ia dizer algo mais se interrompeu. - Te...te busco daqui a pouco. - Falou rápido e se virou para sair, mais virou de novo me dando um selinho demorado me fazendo rir. 

- Nossa Justin, até parece que nunca mais vai me beijar desse jeito. -  Falei rindo revirando os olhos. 

- Desculpa por te beijar demais, não vai mais acontecer. - Ele falou irritado e saiu da cozinha revirei os olhos e fui atrás dele. 

- Amor, não foi uma critica. - Expliquei. 

- Vai se foder Katrynna. - Disse bravo e saiu batendo a porta atrás dele. Bufei, como esse garoto é estressado pelo amor de Deus. Corri para o quarto onde liguei para as meninas que concordaram em ir para a boate. Tomei um banho, e comecei a me arrumar. Ouvi a campainha tocar e minutos depois ouvi a voz da Whitney cantando escandalosamente no corredor me fazendo rir. 

- CHEGOU O AMOR DA SUA VIDA. - Ela disse fazendo pose ao entrar no quarto. 

- Não querida, o Justin esta se arrumando na casa dele. - A vi me imitar fazendo careta do espelho. - Idiota. - Rimos.

- E por falar no gostoso do Justin, como anda o relacionamento de vocês? - Whitney perguntou deitando na minha cama. 

- Como sempre. Brigas que acabam na cama. - Rimos. - E como anda o seu com o Chris?

- Não estamos em um relacionamento querida. - Falou ela com tédio. 

 - Aham sei. - Disse não botando fé em suas palavras a fazendo revirar os olhos. 

- Como vamos comemorar o seu aniversario amanha? - Whitney perguntou e eu respirei fundo e me sentei ao seu lado na cama.

- Não sei se vou comemorar. - Falei sendo sincera e ela franziu a testa. 

- Como não garota? Você vai fazer dezoito anos. - Abaixei a cabeça. - Essa não, você vai ter que voltar para o Avaí né? - A olhei novamente.

- Não sou obrigada e não vou voltar, não posso deixar Justin. Ficarei com ele até ele me querer. 

- Ou até você querer ele. 

- Eu sempre vou querer ele né Whitney. - Disse revirando os olhos e me levantando para voltar a me arrumar. 

- Se você já se decidiu, porque não ira comemorar seu niver? 

- Porque eu amo o Avaí e amo a minha família que esta lá. Obviamente vou sofrer. 

- Entendo amiga, é barra mesmo. - Assenti suspirando. - Mais deixe para ficar triste amanha, para que eu possa te animar amanha. Hoje iremos curtir e então podemos imaginar que hoje é a comemoração dos seus 18. - Sorri gostando da ideia. 

- Tudo bem, então vamos descer e esperar meu namorado. - Disse "namorado" com a maior empolgação do mundo fazendo Whitney rir. 

- Até quando vai falar namorado como se tivesse falando pela primeira vez? Já se passaram tantos meses e ainda não caiu a ficha que tu tem um namorado? Ok que com a sua feiura... - Não a deixei terminar e lhe dei um tapa na cabeça a fazendo rir. 

Descemos e ficamos jogando conversa fora esperando Justin que nada de aparecer. O celular da Whitney começou a vibrar e vi seus olhinhos brilhar e um sorrisinho disfarçado formar em seus lábios. 

- Por essa sua cara de bocó, já sei que é o Christian. - Disse rindo e ela me fuzilou me fazendo rir mais. 

- Cala a boca. - Ela disse irritadinha e atendeu. - Estou aqui na casa da Katy...estou esperando o atrasado do Justin...COMO ASSIM O FILHO DE UMA MÃE JÁ ESTA AI? - Olhei incrédula para Whitney que estava com uma cara nada boa.- Mais é um sem noção mesmo esse cara em. - Ela bufou- Tudo bem, já estamos indo. - Desligou e me olhou. - Seu namoradinho esqueceu que tinha que vir te buscar, agora vamos de táxi. - Whitney contou e eu fiquei muito irritada. Tenho certeza que o idiota não esqueceu, só esta fazendo isso por birra. Bufei e me levantei saindo de casa com Whitney que só reclamava, não podia falar nada, pois ela estava certa. 

Chegamos na boate e já estava lotada e som era para estourar qualquer tímpano. Subimos para a area vip e apenas Ryan, Angel e Nolan estavam lá. Cumprimentei todos e sentei ao lado da Angel. 

 - Viu o Justin? - Perguntei e ela negou com a cabeça. Bufei e me levantei me encostando na grande janela de vidro onde dava para ver todo o primeiro andar da boate. Olhei tudo em volta e então consegui ver Justin, Chris e Chaz sentados em um sofá e vadias dançando pra eles. Senti meu rosto queimar de raiva. Desci em disparada esbarrando em todos que me insultavam, mais não estava ligando. Cheguei ali e fiquei com os braços cruzados só esperando que ele notasse a minha presença. Vi a vadia que estava dançando para ele enquanto ele sorria maliciosamente pra ela, se aproximando. A vagabunda se inclinou para frente deixando seus seios na cara do Justin que mordeu os lábios, fazendo meus olhos marejarem e então abri minha boca chocada ao ver aquela filha de uma puta tomar os lábios dele e ele retribui o selinho demorado. A puxei com tudo pelo cabelo a fazendo cair no chão de bunda. - PORQUE FEZ ISSO COMIGO? - Gritei sentindo minhas lágrimas escorrerem por minhas bochechas. Justin me olhou com indiferença.

- Já que eu não posso te beijar, tem muitas ai que podem me deixar fazer isso, ou até tomar a iniciativa como você viu agora. - Neguei com a cabeça incrédula ao ouvir aquilo. 

- Não estou acreditando que esta fazendo isso por birra. VOCÊ É UM GRANDE IDIOTA, NA VERDADE EU SOU A IDIOTA AQUI, EU ACREDITEI QUE VOCÊ ME AMAVA. - Gritei apontando o dedo em sua cara. Ele se levantou.

- Não esta satisfeita? Então vai emborra. - Falou ele com toda a calma do mundo. Neguei com a cabeça. 

- Pensei que tinha mudado. - Enxuguei as lágrimas o olhando com raiva. Ele riu pelo nariz.

- Eu nunca vou mudar, nasci assim e vou morrer assim então se não gosta de mim como eu sou vai pra merda. - Iria lhe acertar um tapa na cara, mais ele segurou minha mão. - Experimenta me bater cadela, eu juro que parto ao meio. 

- Por que você mudou de uma hora pra outra? Por que esta fazendo isso? - Tentava olhar em seus olhos, mais ele não olhava nos meus. 

- Eu cansei dessa vida de namoradinhos. Você é boa na cama, mais eu quero brinquedos novos. Se quiser ficar comigo mesmo eu fodendo com outros, tudo ok. Se não, me esquece. - Me larguei brutalmente da sua mão e o olhei com desgosto. 

- Eu nunca mais quero te ver na minha vida. - Falei chorando e ele gargalhou.

- Você me ama, logo logo esta correndo atras de mim. Tenho certeza que vai dar a desculpa de ir visitar meus irmãos para poder me ver. - Se gabou e eu neguei com cabeça.

- Não, eu vou voltar para onde nunca deveria ter saído e nunca mais vou olhar para essa sua cara nojenta. Eu te odeio. - Disse por fim e sai correndo dali. 

- Esta tudo bem moça? - Alguém me perguntou quando eu sai da boate, mais não reparei quem era. Apenas fiquei ali chorando e acenando para os táxis que passavam mais não paravam por estar com pessoas dentro. 

- KATY. - Ouvi vozes femininas me chamarem, mais continuei a fazer o que estava fazendo sem se importar. 

- Amiga. - Whitney ficou em minha frente e eu a abracei com força 

- Me tira daqui por favor. - Implorei. 

- Eu levo vocês. - Ouvi a voz do Chaz. Fui abraçada com Whitney até o carro do Chaz, enquanto Angel passava a mão em meus cabelos. 

 

Justin Bieber's P.O.V

E então Katy saiu correndo e  chorando. 

- Vai chamar as meninas para ir atrás dela. - Mandei Chaz que saiu correndo. 

- Ei amorzinho, que tal voltarmos de onde paramos? - A vadia que estava dançando disse e eu a empurrei de perto de mim. 

- Sai daqui vagabunda. - Ela bufou de raiva e saiu. Me joguei no sofá e apoiei meus cotovelos no joelho e escondi meu rosto nas mãos. Então é isso, acabou, acabou tudo, eu deixei o amor da minha vida ir emborra, para sempre. 

Me levantei e subi para o meu escritório, ao chegar no comodo comecei a quebrar tudo que tinha ali enquanto as lágrimas molhavam o meu rosto. 

 - QUE ISSO DREW, PARA CARA. - Ryan disse me segurando e eu me soltei brutalmente dele e me sentei em uma cadeira que estava em pé. Colocando as mãos nos rosto e soluçando enquanto chorava. 

- EU A MANDEI EMBORRA, EU A DEIXEI PARTIR E NUNCA MAIS VOU VÊ-LÁ.  - Lamentei chorando. 

- Porque fez isso cara? Você ama aquela garota. - Ryan disse e eu respirei fundo e o olhei. 

- É por isso que eu não posso a afastar da família e é porque a amo que não posso deixar que a minha profissão a atinja. Não me perdoaria se ela morre-se nas mãos de um dos meus inimigos porque ela é meu ponto fraco cara. - Desabafei

- Mais mano, vocês se amam, e iram sofrer muito separados. - Neguei com a cabeça.

-Ela não vai cara, no Avaí ela vai viver rodeada pela família, amigos, até o emprego dela ela vai ter de volta. Logo a Katy nem vai mais lembrar de Atlanta, nem vai mais lembrar de mim. Vai ser melhor assim. 

- Não sei pra quem. 

- PRA ELA CARALHO, OU ACHA QUE ELA MERECE VIVER CERCADA DE SEGURANÇAS, VIVER LONGE DA FAMÍLIA, DO SEU PAIS, POR EGOISMO MEU? - Ryan nada respondeu, apenas abaixou a cabeça. 

- A Katrynna te disse que sta sentindo falta do povo do Avaí? - Neguei com a cabeça respirando fundo e enxugando as lágrimas. 

- Não, hoje estávamos em sua casa, ai depois de transarmos eu fiquei com fome, desci para fazer um sanduíche, e quando subi ela fala via Skype com uma amiga dela de lá e então eu ouvi a conversa e...

- E tirou suas próprias conclusões e agiu por impulso como sempre. - Ryan me interrompeu para me criticar. Bufei e me levantei.

- Liga pra Angel para saber como ela esta. - Pedi e assim Ryan fez. Depois ele desligou. 

- Mal né cara, e você conseguiu, ela vai voltar pro Avaí. - O nó da minha garganta voltou. 

- Vou pra casa. Até mais cara. 

- Fique bem mano, e vê se pensa direito, não é justo com vocês essa separação. - Assenti e sai do escritório. Desci as escadas, sai da boate e entrei no meu carro onde esmurrei o volante enquanto corria pra casa. 

Katrynna Sullivan's P.O.V

Abri os olhos tomando um pequeno susto ao ver todos os empregados, Angel, Whitney e minha mãe estavam me olhando sorrindo.

- FELIZ ANIVERSARIO KATY. - Eles gritaram soltando confete e minha mãe estava com um bolo em suas mãos. Eu tentei sorri, de verdade, nem que sai-se um sorriso falso, mais eu não consegui. O que deixou todos sem graça. 

- Obrigada. - Respondi com desanimo. 

- Vamos cantar parabéns, desligue a luz Yvone. - Minha mãe disse e Yvone fez o que ela pediu. Começaram a cantar parabéns e de vez de eu sorrir, eu chorava, eles pararam no meio. - É...pessoal...

- Vamos gente. - Yvone interrompeu minha mãe e todos saíram do quarto, só ficando a minha mãe. 

- O que foi meu amor? - Ela perguntou preocupada. 

- Eu quero emborra daqui. - Disse entre soluços e ela me abraçou e ficou acariciando meus cabelos até eu me acalmar. 

- Porque quer ir emborra?  - Ela perguntou me fazendo me controlar para não chorar mais. 

- Eu terminei com o Justin. - Disse rápido e engoli um soluço.

- Mais daqui a pouco vocês voltam. - Neguei com a cabeça. 

- Não tem volta. Tem como você resolver tudo para que amanha mesmo posso estar voltando pra casa? - Ela arregalou os olhos surpresa e então respirou fundo e assentiu. 

- Tudo bem. Vou para a empresa resolver tudo. Arrume suas malas e aproveite o dia para se despedir dos seus amigos. - Assenti e então ela saiu do quarto. Me levantei chorando, tomei banho chorando e comecei a arrumar minhas coisas chorando. 

- Podemos ajudar? - Angel disse entrando no quarto com Whitney. Assenti enxugando as lágrimas. 

- Eu sei que não é da minha conta, mais você ira emborra quando? - Whitney perguntou e eu respirei fundo parando de dobrar minha calça e me sentei com elas na cama. 

- Vou amanha. - Elas me olharam surpresas e tristes. - Vou sentir saudade de vocês. 

- Também vou sentir a sua. - Angel disse chorando

- E eu também. - Whitney não estava diferente da Angel. 

- Chega de chorar gente, é meu ultimo dia em Atlanta e eu quero aproveitar. - Elas assentiram e nós trés nos abracamos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...