História Chaos and Fear = My Daddy - Capítulo 4


Escrita por: ~ e ~KimHina9000

Postado
Categorias Slender (Slender Man)
Personagens Personagens Originais
Tags Creepypastas, Romance, Slenderman, Sobrenatural, Terror
Visualizações 9
Palavras 924
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Magia, Mistério, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Cap narrado pela nossa querida Kaye :3
Boa leitura!!

Capítulo 4 - Jealous


Kaye:

Estava vendo o filme da minha vida, refletindo sobre tudo. Refletindo sobre o como eu sou, sobre a minha personalidade... Fiz certo em deixar o Noah? Será que ele sente a minha falta? Por que estou me perguntando isso? Aish...

Desde a última vez em que nos vimos, eu e Toby nos aproximamos bastante. Ele é meu melhor amigo aqui.

Levantei-me da cama e andei um pouco pelo quarto. A porta foi aberta por Toby.

-Seu pai tá chamando. - Ele avisou e eu assenti.

Saí de meu quarto e caminhei até a sala de meu pai. Bati na porta e adentrei.

-Aqui estou. - Digo e vejo Jackie ali também.

-Sente-se. - Papai falou e apontou para a cadeira ao lado de Jackie.

-Pode começar. - Jackie disse.

-Enfim, eu estava pensando em dar um trabalho para as duas. O que acham de serem proxys? - Perguntou.

-Claro! - Jackie disse sorrindo.

-Não tenho certeza.. Eu sei lá... Matar não é a minha praia. - Falei e abaixei a cabeça.

-Certo, não vou obrigá-la - Nosso pai disse e olhou para minha irmã - Jackie, seus tutores serão o Toby e o Jeffrey. Irei avisá-los e então começarão amanhã mesmo.

-Okay. - A mesma respondeu alegre.

-Kaye, tem certeza? Você sabe manipular as pessoas, e isso pode te beneficiar sendo uma proxy.

-O mal não me satisfaz. Sou uma pessoa de bem.. E como sabe disso? - Pergunto.

-Eu conheço minhas filhas melhor que qualquer outra pessoa. - Falou o mesmo e piscou, pelo menos eu acho que ele piscou..

Eu e Jackie saímos da sala e caminhamos lado a lado pelo corredor.

-E aí? - Jackie perguntou.

-Sinto falta do Noah. Acha que o que eu fiz foi certo? - Pergunto.

-Não sei. Mas se você tivesse trazido ele, acho que não daria muito certo.. - Falou e riu um pouco.

-Tem razão. O papai poderia matar ele. - Falei e comecei a olhar fixamente para o chão.

-Perdeu algo? - Disse minha irmã ao perceber meu olhar.

-Não... Apenas tentando pensar. - Digo e continuo com o olhar preso ao chão.

-E olhar para o chão ajuda? - A mesma disse com um tom irônico.

-Não. - Digo e rio, ela ri junto.

-Partiu ir para a balada? - Perguntou depois de um tempo rindo.

-Nope. - Respondi.

-Aish! Dona certinha... Você não é nada santa, só para avisar. - Falou e eu ri.

-Avisar por que, se eu já sabia? - Eu disse e me direcionei a meu quarto.

-Tenho medo de você, sua louca! - Jackie gritou do corredor. Eu ri e respondi:

-Sua psicopata! - Gritei de volta.

Entrei em meu quarto e peguei um caderno acima da cômoda.

Fiz o que costumava fazer quando estava inspirada. Escrever músicas.

I Have Fear:

"The Chaos running in my veins, the rain falling.

The tears running in my face. I have fear, I have fear.

But I need carry on... I will carry on..

All my problems go out. I put in my head that I'm safe. I'm safe.

And the fears that haunt me in the dawn, in the dark.

I know, We know, The insanity comes slowly. But I have fear, I have fear of the monster that lives inside me"

Parei de escrever quando vi algo na janela. Fui até a mesma e a abri.

Fui surpreendida por um garoto moreno ao qual eu conheço muito bem.

-N-Noah? C-como achou a mansão? - Pergunto.

Noah não responde e sela nossos lábios. Correspondi de primeira.

Quando nos afastamos, Noah me abraçou.

-Depois que acordei do seu nocaute, segui as pegadas de vocês. O cheiro do seu perfume estava por todo o lado, então chutei que você tivesse passado por lá... Parei aqui. - Ele sorriu e deu um beijo em minha bochecha.

-Meu pai vai te matar. - Falei e ri.

-Foda-se, eu não ligo. Eu te amo, seu pai que aceite. - Ele responde roçando seu nariz no meu.

-Você é maluco. - Dito isso, ele me pega no colo e joga na cama.

Eu ri, pelo menos até o momento em que Noah se jogou em cima de mim.

Até que ele é leve...

-Seu palito! - Falei dando um soco de brincadeira no ombro dele.

-Aí! Doeu, porra! - Ele exclama massageando o local.

-Mas eu nem pus força, seu fracote! - Tá certo, agora eu peguei pesado..

-Você vai ver o fracot-

A porta é aberta.

OW carai, o Toby vive no meu quarto, não é possível... De hora em hora esse maluco abre a porta.

-Estou atrapalhando? - Toby pergunta sem expressão.

-Está. - Noah diz frio. Eu bato nele.

-Respeito é bom, Noah Scott. - Digo empurrando ele para o lado.

-Foi mal. - Noah abaixou a cabeça.

-Enfim... O que foi Toby? - Pergunto ao mesmo, que esperava na porta.

-Queria te fazer companhia, mas vejo que já está acompanhada. Desculpe atrapalhar. Estou saindo. - Toby saiu do quarto com uma feição nada legal.

-Quem é esse cara, Kaye? - O garoto sentado em minha cama pergunta sem expressar interesse.

-Ticci-Toby, um amigo. - Falei ainda pensando na cara de Toby.

Eu me dedico aos estudos, principalmente a psicologia. Eu sei tudo, inclusive decorei um livro inteiro. Foi assim que aprendi a manipular e também, decifrar olhares e expressões.

-Ah, um amigo...? Não está mentindo,está? - Noah perguntou não acreditando no que eu disse.

-Por acaso você está com ciúmes? - Perguntei o encarando.

-Vai dizer que só sentiu ciúmes em mim? - Ele me questiona incrédulo.

-O que quer dizer?

-Quero dizer, que eu não era o único com ciúmes aqui. - Explicou.

-Está insinuando que o Toby estava com ciúmes? - Desta vez, eu quem estava incrédula.

-Sim, estou. - Completou.

Aquilo foi o suficiente para a sanidade baixar. Toby é meu amigo e eu não aceito que digam esse tipo de coisa sobre ele.


Notas Finais


Tradução da música (não vão encontrar a música no YouTube, por que fui eu quem escrevi. Só avisando): "O caos correndo em minhas veias, a chuva caindo.
As lágrimas correndo em meu rosto. Eu tenho medo, eu tenho medo.
Mas eu preciso continuar... Eu vou continuar...
Todos os meus problemas vão embora. Eu pus em minha cabeça que estou salva. Estou salva.
E os medos que me assombram na madrugada, no escuro.
Eu sei, você sabe, a insanidade vem devagar. Mas eu tenho medo, eu tenho medo do monstro que vive dentro de mim."

Se algo estiver errado me avisem, pois eu escrevi a música sem dicionário ou Google tradutor então... algo tem que estar errado.

Enfim, será que o Toby estava com ciúmes mesmo? Naum sei.

~ScorpiiSTG~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...