História Chapeuzinho Vermelho - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford, Personagens Originais
Tags Ashton, blake, Chapeuzinho Vermelho
Exibições 16
Palavras 1.077
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá!

Me perdoe pelo dia e pela hora, tive motivos de última hora e só deu pra postar agora. Próximo capítulo expluco tudo certo.

Boa leitura!!

Capítulo 9 - Pequena Aventura


Fanfic / Fanfiction Chapeuzinho Vermelho - Capítulo 9 - Pequena Aventura

Eu estava decidida que iria curtir a vida e não cair na tentação chamada Ashton Irwin. Levantei da cama me arrependendo e voltando para debaixo das cobertas quentinhas, senti algo se esfregando em minha perna e era Lessie miando e querendo carinho, fiz carinho na bola de pelos que eu tanto amava e acabei adormecendo novamente.

 

-Blake? - ouvi uma voz me chamando

 

-Hum - resmunguei

 

-Acorde e venha tomar café -era a voz da minha mãe

 

-Deixa eu dormir mais - falei

 

-Chegou uma carta de Nova York - falou - Algo relacionado a curso

 

Abri meus olhos me sentando rapidamente na cama e senti um sorriso maior que minha face surgir. Eu queria aquele curso tanto quanto queria dormir nesse dia frio. Lembro que fui até Nova York e passei uma semana com meus avós para fazer a prova, meu avô me levou e me buscou em plena quarta feira, isso um mês antes do natal do ano passado, e minha avó avisou que o presente que ela queria era eu passar naquele curso, pois ela sabia o quanto eu gostava daquilo mesmo achando que não seria a melhor profissão para mim. Fotografia era tudo para mim, eu amava tirar fotos assim como amava desenhar.

 

- Ah meu Deus - exclamei -Será que eu passei? - eu estava muito feliz

 

-Se arruma e desce a carta está lá em baixo

 

Minha mãe tinha essa mania de querer fazer algumas coisas em família, e eu sabia que essa seria uma ocasião, Alice Oliver nunca deixaria eu abrir isso sozinha. Jamais. Vesti uma calça jeans clara, e uma blusa de manga longa branca, um moletom vermelho e uma touca da mesma cor, calcei uma bota e peguei o celular saindo do quarto

 

-Me dá a carta - falei assim que entrei na cozinha

 

-Primeiro tomar café - minha mãe falou

 

Ela não queria que eu fosse para longe, minha mãe queria que eu continuasse aqui ou se fosse para estudar fora que eu estudasse direito ou engenharia. Mas essa era a vontade dela e não a minha.

 

-Alice, dê a carta para a menina - meu pai falou -Pare com isso

 

Ela me entregou a carta e eu corri para sala para abrir a mesma e um sorriso gigante brotou em meus lábios, eu havia passado, eu tinha conseguido passar, só precisava enviar por email algumas fotos tiradas por mim e eles iriam avaliar, como um teste te aptidão para ter certeza se eu era boa para merecer a vaga que fora me dada

 

-Passou? -meu pai perguntou

 

-Sim - respondi pulando em seu colo de felicidade -Só preciso mandar algumas fotos para eles como um teste de aptidão - falei

 

-Parabéns querida - minha mãe falou

 

-Obrigada - a abracei também - Vou sair mais tarde -avisei - Preciso tirar as fotos logo

 

-Use o carro e por favor longe da floresta - meu pai me alertou

 

-Sim senhor

 

Eles saíram e eu fui tomar café e logo em seguida arrumar o que iria precisar, peguei uma mochila e coloquei minha tão preciosa máquina, carteira, fones de ouvido e uma luva para não ter as mãos congeladas.s em saber ao certo onde iria e acabei indo a montanha de esqui, andei tentando achar um ângulo bom para deixar a foto perfeita e quando achei bati a mesma foto duas vezes, voltei para o carro e comecei a pensar no meu próximo destino enquanto dirigia ouvindo uma música qualquer na rádio. Me lembrei da cachoeira que havia na floresta e que nessa época ela congelava e ficava linda, sem pensar duas vezes peguei a câmera e pendurei no pescoço, vesti as luvas e mais uma blusa de frio que encontrei no carro, saí do carro e passei correndo pelo guarda que prestava a atenção em outra coisa e quando tive a certeza que ele não podia me ver parei de correr e comecei a andar em passos rápidos. Quanto mais rápida eu fosse, mais rápido sairia dali.

 

Andava sempre atenta olhando para os lados, e logo o arrependimento começou a bater. Não iria voltar agora, eu iria até o fim. Bons fotógrafos fazem coisas meio absurdas por uma foto e eu estava fazendo a minha loucura. Dei mais alguns passos e a trilha acabou, agora seria eu e a lembrança do local onde ficava a cachoeira. Segui pelo lado direito e fiquei feliz ao ver de longe o lago congelado.

 

-Está linda - falei para mim mesma assim que avistei a cachoeira que não era nem tão grande nem tão pequena

 

Tirei várias fotos de vários jeitos e inclusive algumas fotos minhas com a cachoeira de fundo, fotos essas que eu tinha que ser cuidadosa e não deixar ninguém ver. Comecei de novo o caminho de volta e quando estava na metade ouvi vozes e algumas risadas e antes que eu pudesse raciocinar o que era ou quem poderia ser, quatro animais gigantes passaram correndo pela minha frente e um deles eu reconheci por se tratar de um animal com olhos verdes brilhantes, senti minha respiração falhar, e minhas pernas fraquejarem, meu coração poderia saltar para fora a qualquer momento. Sem mais pensamentos sai correndo seguindo a trilha que me levaria de volta até meu carro e quando cheguei na saída da floresta o guarda não estava, sendo assim entrei no carro sem ser notada.

 

Dirigir com as vistas embaçada por causa das lágrimas até uma cafeteria que não costumava frequentar muito, mas suas guloseimas eu sabia que eram ótimas. Estacionei o carro e sai do mesmo sem olhar para os lados e adentrei a mesma caminhando até o balcão e sendo atendida rapidamente

 

-Olá - disse a moça - O que vai pedir? - perguntou

 

-Oi - respondi - Vou querer em primeiro lugar uma garrafinha de água - falei e analisei o cardápio mais uma vez - Um cappuccino de chocolate e um pedaço de bolo de banana - falei

 

Ela anotou tudo e disse que não iria demorar muito, paguei tudo e peguei a garrafinha me sentando em uma mesa afastada e colocando o fone de ouvido, nem as fotos que havia tirado eu estava querendo ver nesse momento.


Algo me dizia que mais alguma coisa iria acontecer, eu estava sentindo uma sensação estranha e não era a de culpa por ter ido a floresta e me arriscado dessa forma, era uma sensação diferente, de descoberta, uma mescla entre o bom e o ruim.


Notas Finais


Comentem se gostaram. Bjuus de brigadeiro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...