História Chapeuzinho Vermelho - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Aliem

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Bts, Chapeuzinhovermelhobts, Namjin, Vhope, Yoonmin
Visualizações 142
Palavras 1.320
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Yoo;)

demorou, mas finalmente veio!!

Desculpem qualquer erro:')

Sejam bem-vindos a Chapeuzinho Vermelho.

Capítulo 1 - Estranho


Eu odeio me mudar.

Já é a quarta vez que eu me mudo. Mas dessa vez, graças aos céus, é a última! Uma pena que será com o meu irmão, Taehyung. Não. Eu não o odeio. Só que eu gostaria de morar sozinha. Tem aquele tempo em que o adolescente quer ficar só e, bom, eu estou nesse tempo. Imagina o quão foda seria ter uma casa sem leis e sem ninguém pra te criticar na forma como faz as coisas. Ah, seria divino.

— s/n, mamãe ligou e disse que suas aulas começam amanhã, ok?_bufei. Eu não queria fazer amizades, de novo.

— tá_ me virei, ficando de costas para a ele e ouvi a porta fechar.

Será que vai ser legal? Tenho medo de que aconteça de novo...

Fechei os olhos, me entregando ao sono.


~~•~~


Eu sabia que ainda era cedo, pois não tinha sentido os raios solares na cara, mas já estava claro. Abri meus olhos e pisquei algumas vezes. Tateei meu celular no criado-mudo e olhei as horas.


— 5:45... Aish..._passei as mãos na cara, desacreditando que eu tinha acordado cedo pra fazer absolutamente nada. Me impusionei pra frente, ficando sentada na cama e olhei a janela, que fica na parede que a cama está encostada. Dali, eu tinha a perfeita visão do nascer-do-sol e de algumas montanhas – que agora estão cobertas pela neblina. Logo abaixo, existia vários pinheiros.


— uma floresta..._disse me animando.


Eu não tinha visto na noite anterior por estar já de noite. Não dava pra acreditar. Uma floresta... Bem atrás da minha casa!


Posso chamar de minha... Certo?


Desci as escadas afoita, enquanto vestia meu moleton de modo desajeitado.


Eu estava louca para ir lá.


Abri a porta dos fundos e me arrepiei ao sentir uma leve brisa fria bater contra a minha pele. Fechei a porta e deixo um suspiro escapar depois meus lábios. Pus minhas mãos no bolso do moleton vermelho e impusionei meus pés a caminharem para frente.


Uma floresta no meu quintal... Que inacreditável!


Fiquei observando cada detalhe com os olhos, enquanto eu me aproximava a passos lentos ao meu novo passa-tempo.


Encostei minha mão esquerda na madeira do pinheiro mais próximo. Sorri minimamente.


Eu morava num pequeno interior, na última casa, na qual fiquei morando com meus tios por 7 anos. Eu gostava de lá... Uma pena que tive que me mudar por que eles venderam a casa.


Olhei para trás, insegura. A distância da floresta à minha casa era de, no máximo, 400 metros.


Algo no meu íntimo gritava para que eu entrasse lá. Eu queria ver a floresta por dentro.


Mordi o lábio, receiosa e, a pequenos passos, fui entrando na floresta ainda olhando em direção a casa.


Eu não queria me perder.


Olhei para frente. Dentro, a floresta era bem mais interessante.


Pense em um local grande com vários pinheiros altos de troncos marrons e folha verdes.


— Esse lugar é simplesmente p...

Escuto um galho quebrar.

Meu corpo gela e eu fecho os olhos, virando rapidamente a cabeça para a direção de onde eu tinha ouvido o barulho. Ainda de olhos fechados, o vento começou a brincar com as folhas dos pinheiros, fazendo um barulho, que segundo meu ver, era malditamente assustador. Abri os olhos de leve.

Nada.

Senti a tensão se esvaziar dos meus músculos e os mesmos relaxarem. Olhei para trás e vi a casa de longe. Suspirei aliviada. Eu não estava perdida. Olhei novamente para frente novamente. Argh... Eu quero ir além daqui... Eu quero ver o que tem dentro. Dei um passo a frente e senti algo vibrar no meu bolso da calça. Peguei o aparelho, xingando internamente ao ser que mandou ele vibrar.

Desbloqueei a tela do aparelho celular e vi uma notificação de uma nova mensagem. Era o Taehyung.


Taehyung:Vai mesmo faltar no teu primeiro dia? As vezes duvido que você tem meu sangue.


Olho confusa para a mensagem. Como assim faltar? Desvio o olhar para as horas.


06:50 AM


Justo agora que a diversão ia começar?


Começo a correr de volta pra casa. Aquilo não podia estar acontecendo.


Como a hora foi se passando tão depressa?


Peguei minha mochila – que eu havia deixado no sofá da sala na noite anterior, pra ficar mais fácil – e fui na geladeira. Vasculhei tudo lá dentro com os olhos numa velocidade assustadora.


— esqueci que você vinha e não fiz as compras. Pega_ele me dá 20 reais_compra seu café da manhã na escola. Chegue aqui as 16:00 em ponto. Não se preocupe que hoje eu cozinho. Não traga ninguém pra essa casa_revirei os olhos e fui caminhando até a porta enquanto ele falava_e não fale com estranhos!


- tchau Taehyung!_Fechei a porta e bufei. E eu pensando que ele era legal.


~~•~~


Eu olhava para os corredores e o maldito papel amarelo na minha mão.


Não tinha ninguém nos corredores. Eu estava fodidamente atrasada.


Dois minutos de pura correria depois, eu acho minha sala. Arrumo minha postura – eu queria passar um boa impressão, pelo menos – e giro a massaneta.


Ah, aquela sensação de que seu estômago está embrulhando e seu corpo trava, perdendo todas as forças quando o olhar da sala inteira se dirige a você.


— pois não?_o professor fecha o livro e vem até mim.


Vamos s/n. Boa impressão.


Sorri meio incomodada com os olhares e olhei para ele.


— eu sou a aluna nova... A que se transferiu semana passada..._o tom da minha voz foi tão baixo, que suspeito que ele não tenha escutado.


— ah, sim, sim... Kim s/n certo?_concordei_ pode entrar... Seja bem-vinda a Busan._ele dá o espaço para que eu entrasse.


— alunos, essa é a Kim s/n. Ela entrou no meio do ano, então por favor, alguém passe o conteúdo a ela. Pode se sentar_ele me deu um sorriso gentil e apontou para a última cadeira, do lado de uma vazia. Me reverenciei a ele e fui me sentar.


Senti meu estômago embrulhar de novo com aqueles olhares.


Aja naturalmente. Aja naturalmente.


Me sentei, dando graças aos céus por não ter vomitado na sala – como fiz da última vez.


Quando o professor ia dar continuidade na aula, um garoto praticamente arromba a porta.


Parabéns s/n! Você não foi a única a se atrasar!


— Jeon Jungguk! O que significa isso?_o professor fechou o livro com a feição brava.


Desviei o olhar para o garoto. Ele estava com um moleton preto aberto, com uma camisa branca por dentro. Sua mochila tinha alguns rasgos e era preta também. Sua calça era jeans preta e seus sapatos...


— por quê está descalço, sr. Jeon?_o professor olhou para ele.


O garoto olhou para seus pés e os fitou por um tempo surpreso.


— eu esqueci_a turma cai na gargalhada, exeto eu, o professor e o garoto.


— silêncio!_brandou furioso e deu um suspiro, suavizando sua face_sr. Jeon, por favor... Melhore! Eu sei que você pode ser melhor que isso!_disse como um pai que dá concelho ao filho_eu gosto muito de você, filho, e confio em você.


— desculpe_foi tudo que o garoto disse.


— pode se sentar_disse o professor.


Apenas suspirei e comecei a arrumar minhas coisas. Ouvi passos vindo em minha direção e, de sosláio, olhei pra frente.


Era ele.


Seu rosto estava com pequenos arranhões, na sombrancelha, uma na bochecha e perto da boca. Sua pele era branca. Seus olhos era bem redondos, mas puxados. Seus cabelos estavam desgrenhados e maltratados. Ele soltou um suspiro e olhou para mim.


Não surte. Não faça nada! Aja naturalmente!


Ele se sentou ao meu lado e eu suspirei sultilmente.


A aula seguiu normalmente até a hora do intervalo. Eu estou na sala, sozinha, me preparando para sair.

— ei_escuto uma voz atrás de mim e travo o andar.

Argh! Respire... Respire...

— sim?_minha voz saiu fraca e fina.

Aquela era mesmo minha voz?

Me virei de vagar e vi ele.

Jungguk.


Notas Finais


Bom gente, é isso .^.

Espero que tenham gostado*-*

Vou logo dando alguns avisos:

Infelizmente, eu sei da data da próxima postag;-;. Eu sou uma pessoa muito compromissada, mas juro que não demoro:)

Essa é minha primeira ABO. Peguem leve comigo u.u

Pode haver de ter algumas coisinhas diferentes no decorrer da fic em relação ao ABO, mas logo aviso:

O universo é meu. Pode ter SIM – e vai ter – alguma coisa ae que eu vou adicionar.

A história pode parecer um pouco diferente do conto, mas vai ter suas semelhanças também. Não se preoculpem:3

ⓐⓝⓝⓨⓔⓞⓝⓖⓗⓐⓢⓢⓔⓨⓞ!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...