História Charles XVII - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags America Horror Story, Delírios, Mistério, Sobrenatural, Terror
Exibições 2
Palavras 537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Saga, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Meu teclado nao esta muito bom, terminarei esse cap. em breve.

Capítulo 3 - Os Sudder's


1860 - Antiga Tula - Itália.

 Amanhecer.


O sol cintilava brandamente nas gotas cristalizadas de orvalho, incapaz de derreter o fino gelo, uma densa neblina cobria grande parte de Tulia, o centro e metade do bosque proximo ao velho cemitério, ha mais de seis  meses ela se estabeleceu ali, grande parte das plantaçoes haviam morrido, pela insuficiencia de sol, alguns habitantes da colonia foram embora, preferiram deixar sua terra para viver um sonho possivelmente melhor, em algum lugar que não esteja... amaldiçoado.. como este... 


Uma tipica comuna italica, afastada de maquinas e fabricas, possuia apenas um mina ao sul da colina atraz do cemitério, antes de chegar na parte seca e rochosa, donde antigamente retiravam agathas e azuritas, parte de seus habitantes trabalhavam ali, eles eram basicamente regidos e governados pelo medo, por ameaças de seu governante, a igreja, cujo havia espalhado boatos macabros, sobre os estranhos acontecimentos nas redondezas, cabras mutiladas, o estranho clima, pragas atacando plantações, crianças desaparecidas, entre outras coisas, eles diziam ser obra de bruxas, demonios, quase toda a população acreditou, uma mente sem conhecimento é facil de manipular.


A igreja tinha um metodo bem persoasivo de comandar, tipico, onde se monstrava para o povo ser uma entidade benevolente, compreensível que segue as leis divinas, na realidade ele são capazes de cometer qualquer crime, até mesmo homicídios e torturas, tudo em nome de Deus. No mundo sempre existiu e existira pessoas ruins e tolas, eles só precisam de um bode expiatório para justificar seus atos imprudentes e errantementes abominaveis, normalmente usam sua ideiologia/religião . 


Tula em sua extensão era parcialmente plana, possuia cerca de duzentos habitantes, expalhados em casas de pedra e madeira, com bosques e montanhas rochosas ao redor, o centro da comuna se estendia em uma ampla avenida de pedras, que se originava a cerca de mil metros na entrada da comuna, que desembocava de uma trilha de terra que cortava bosque a dentro,  a arquitetura local era rustica, sendo a maioria de pedras empilhadas, na parte central em frente a igreja havia uma cruz feito da mesma rocha que as casas, uma mansão toda tedalhada em madeira e pedra se destacava a direita da igreja, a residencia de Georgiu Valet, um senhor gorducho, careca de barbas branca que se extendia até o umbigo, nem de longe aparentava ter seus quase 66 anos, e a sua frente, do outro lado do patio, uma mansao semelhante, Tulho Augustus Valet, irmão mais "novo" de George, ele tem 57 anos, alto e esguio, palido, a falta de gordura era invisível, os ossos de seu rosto eram marcantes demais para se iguinorar, sua cabeleira escura com imensas entradas em forma de M, rivais desde o primeiro fechamento da mina que abriram enquanto eram jovens ainda. 


55 anos atrás.


- George! - um senhor calcasiano de estatura mediana e forte chamava do campo, proximo ao riacho.

- Sim papa! - Um garoto de um pouco mais de um metro, magrelo de olhos negros como os cabelos ondulados, com roupas rasgadas sai de dentro da pequena cabana de madeira escura, ele segurava  e batia nas plantas com um bastão em forma de ponto de interrogação.

- Destrua tudo mesmo... Menino tolo... Venha logo! - o homem dorridente o chamou com a mão, 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...