História Charlotte High School (INTERATIVA) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 44
Palavras 3.720
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Visual Novel
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem a demora, é que ando estudando para uma prova para um curso, mas caprichei no capitulo para compensar a demora ^^

Boa leitura e espero que gostem <3

Capítulo 3 - Seus quartos e... desentendimentos?


Fanfic / Fanfiction Charlotte High School (INTERATIVA) - Capítulo 3 - Seus quartos e... desentendimentos?

Kopi Men'eki

A diretoria já havia dispensado todo mundo da sala e dado o numero de nossos quartos para irmos nos acomodar, os nossos motoristas já haviam deixado nossas malas em nossos quartos, então como estava sem pressa, decidi passar na lanchonete que eu já havia visto e sabia aonde era, cheguei no lugar, vários alunos estavam comendo, o horário de intervalo dessa escola é diferente para cada sala. "Pelo jeito essa sala deve ser o primeiro ano, posso acabar caindo nessa sala já que não fui definido ainda, tanto faz, isso não é motivo para me preocupar agora, preciso arrumar minhas coisas no meu quarto e descansar, a viajem foi longa daquela cidade para cá, daquele laboratório..." então coloquei algumas moedas na maquina de lanches e peguei um lanche natural de mussarela, o desembalei e mordi, coloquei mais algumas moedas na maquina de refrigerante enquanto mastigava, apertei o botão e peguei uma lata de Pepsi da qual abri e tomei um gole imediatamente, reparei bem nos alunos que estavam comendo pra tentar decorar algum rosto, sem sucesso eu saí da lanchonete, andei dois prédios e cheguei no meu, subi as escadas e sempre olhando pelos corredores procurando quartos com numero 100, pois o meu era o 113 e saberia que estaria perto, quando encontrei andei pelo mesmo até a porta do meu quarto, a abri e quando entrei pra minha surpresa vi algo que não esperava, uma das gêmeas estava apenas de calcinha e sutiã, com a bunda empinada em direção a porta enquanto pegava uma calça na cama.

Seiko Watanabe

Eu havia acabado de sair do banho, imaginava que minha companheira(o) seria um dos que não se apresentaram na reunião e não chegaria hoje, já que todos foram diretos para seus quartos, eu estava apenas de roupa íntima, fui me abaixar para pegar minha calça que estava na cama quando escutei o rangido da porta se abrindo, pensei em ser minha irmã pois ela foi a unica que me viu entrando aqui, me virei para ver, Kopi, meu corpo soou frio, eu nunca havia me mostrado a garoto nenhum, me corei profundamente de vergonha, escondi meu corpo puxando o cobertor da minha cama com tudo e me cobrindo a vergonha passou a ser raiva, eu via o garoto corado parado na porta sem reação e aquilo me irritava mais ainda.
-Erm, bem.. eu não sabia que estaria aqui, me descul... -Ele ia dando uma desculpa, com uma cara de quem viu um fantasma quando o interrompi.
-VOCÊ NÃO SABE BATER ANTES DE ENTRAR??? -Estava enfurecida, eu não esperava um garoto na minha porta, ainda mais comigo nua, foi frustrante.
-Não pensei que haveria alguém aqui, não sabia que você seria minha colega de quarto com tantos alunos nessa escola. -Ele disse entrando no quarto e se dirigindo a cama livre e vendo o papel cujo tinha o numero do quarto
-COMO ASSIM COLEGA DE QUARTO? SERIO QUE ELES JUNTAM HOMENS COM MULHERES??.
-É o que me parece.-Ainda enfurecida me troquei escondida corri em direção dele, tomei o papel de sua mão e vi o numero do quarto, realmente, era 113, ainda encabulada com o ocorrido o empurrei com tudo fazendo o garoto cair deitado em sua cama e derrubar todo refrigerante que estava tomando em si mesmo e molhar suas roupas e sua cama.
-Olha aqui seu imbecil, nunca mais faça isso! aprenda a bater na porta antes de entrar em qualquer lugar, idiota! -Desabafei e saí do quarto, fui em direção ao sei la aonde fazer não sei o que, apenas queria sair dali para processar a ideia de que dividiria o quarto com um garoto o resto do ano, ou melhor, o resto do meu período escolar.

 Melody

Eu estava a caminho do meu quarto quando escutei alguém chamando meu nome :
-Melody-chan!!! -Um grito distante, olhei para trás e vi Keiko, uma das gêmeas, a que tentou apartar a situação ocorrida na sala de reunião, parei enquanto me lembrava da cena e despertei com um toque no ombro que Keiko me deu, olhei para a mesma e ela parecia cansada, pelo jeito veio correndo atras de mim, voltei minha atenção a ela e então a mesma disse: -Bem... me desculpe por o que houve na sala de reunião, minha irmã... me perdoe.-A mesma se curvou em pedido de desculpas. -Keiko-chan, não precisa se desculpar, eu compreendo sua irmã, ela deve estar num dia difícil, ninguém deve ter se acostumado com a ideia de mudar de cidade, encontrar todos os que possuem dois poderes e servir a um esquadrão secreto tudo isso em dois dias e meio. -digo com um sorriso sincero no rosto, a levantando.
-bem, na verdade minha irmã sempre foi assim, desde pequena, por meus pais e os "amigos" da escola gostarem mas de mim do que dela, e ela cresceu assim, mas não culpo ela, por isso vim eu mesma pedir desculpas.-Ela se levantou mas continuou olhando para o chão.
-Esta tudo bem eu não a culpo por isso, você é uma irmã muito boa sabía?, mas deixando esse assunto de lado, estou indo para o meu quarto arrumar minhas coisas, pode me ajudar? depois eu lhe ajudo e vamos comer algo.-Sorri novamente para Keiko, que assentiu para mim e fomos para meu quarto.
-Seu quarto é esse? que coíncidência, o meu também.-Keiko diz enquanto entra olhando o numero do quarto e o numero em seu papel.
-Sério? que bom, podemos deixar eles a nossa cara.-Disse já empolgada para começar a organizar nosso quarto. após alguns minutos arrumando nosso quarto, Keiko quebra o gelo perguntando sobre a reunião
-Melody-chan?
-Pois não?-Digo me virando para Keiko. -O que você achou da reunião, digo, você esta completamente de acordo com termos que arriscar nossas vidas e liberdades para salvar a escola?
-Olha, no começo achei a ideia meio estranha, mas no caminho para cá o motorista me explicou algumas coisas, e acho que vale a pena sim, a diretora teve um passado bem pesado, com seus irmãos Yuu e Shunsuke, que deram até a ultima gota de seus suores para salvar a si mesmo e a essa mesma escola, isso quando ainda nem haviamos nascidos ainda, e agora, é a nossa vez, eu me sinto mal por saber que a gente capturada por esses cientistas que sofrem, dias após dia, noite após noite, e me sentiria pior ainda sabendo que eles pretendem capturar mais gente e não fazer nada. -Abaixei minha cabeça e meus cabelos cobriram meus olhos, quando meu olho lacrimejou, virei-me de costas para Keiko, a lagrima caiu solitária, mas logo me recompus, sequei a lagrima e fiz uma expressão determinada, pensei comigo mesma "Ainda é muito cedo para chorar, há muita coisa para enfrentar, não posso desabar agora"
-Faz sentido, você... bem, é uma pessoa muito boa também.-Olhei para trás e vi Keiko com um sorriso contente por estar comigo ali. -Vamos comer algo? podemos terminar isso amanhã, o que acha?-Assenti, peguei minha bolsinha com algumas moedas e saímos em direção a lanchonete, que vi no percurso para cá.

Yusuke Takeda

Após sairmos da sala de reuniões eu passei em frente a lanchonete e vi varias garotas comendo, tinha garotos também, mas eles não me importavam nem um pouco, as meninas eram gatas, o que me fez lembrar que os quartos daqui são para dois e alguns para três pessoas. "Caraca imagina só dormir num quarto com uma gata, ou melhor DUAS GATAS, e gostosas, ah como eu queria a Kerolline aqui, mas não vamos nos limitar, pelo visto aqui tem varias gatinhas e eu posso........"
-Hey cara, seu nariz ta sangrando. -Estava perdido em meus pensamentos quando um garoto me alerta sobre meu sangramento, chacoalho minha cabeça para afastar os pensamentos e corro para o banheiro limpar meu nariz. Após limpa-lo, eu subo até meu quarto, vejo o numero dele e antes de abrir a porta digo a mim mesmo.
-Certo! é hora de conhecer minha companheira de quarto, tomara que seja linda igual a Kerolline. -Então abri a porta fazendo o maior charme possivel.

Kuron:Yosh!

Yusuke:QUEEEEEEEEEEEEEE?????? -O garoto estava sentado em uma das camas ja acomodado, lendo um livro e acenou quando me viu entrar.

-O que houve, parece que viu uma fantasma? -Questiona Kuron para mim, que estava totalmente decepcionado,com queixos caido e olhos totalmente brancos, esperava uma garota, e das lindas como companheira, não um moleque, do qual eu já vou ver todo dia.
-Não... nada, eu estou bem.-Abaixei a cabeça e os braços e fui em direção a minha cama.
-Decepcionado? -Questiona o garoto virando a folha de seu livro.
-Com o que exatamente?-Viro minha cabeça para vê-lo.
-Esperava uma garota não é mesmo?
-C-Como sabe disso?
-Você fala um pouco alto de mais Azulado.-Quando ele disse isso me recordei de ter dito a mim mesmo na porta, algo que agora ja esta muito distante da minha realidade.
-Tá, podia estar mas o que você tem a ver com isso?? -O questiono com arrogância.
-.... -Recebo um silêncio como resposta, começo andar pelo quarto para conhece-lo abro a porta ali e rapidamente vejo que é o banheiro, decidi que precisava de um banho. pego uma peça de roupa em minhas malas.
-Eu vou tomar banho, se por acaso Yuno procurar por mim, pode pedir para que ela espere um pouco? -Pode ser. -Eu o encarei por alguns segundos, estranhei o fato de ele ser bem silêncioso, fui para meu banho.

 Quando entrei no banheiro, passei a repara-lo por alguns instantes, tinha um espelho de rosto em cima da pia, outro de corpo inteiro um pouco mais a esquerda, o vaso sanitário, e no final do banheiro, um boxe de vidro um pouco escuro e um chuveiro de parede. Tranquei a porta, desamarrei meu cabelo, fazendo o cair todo e imediatamente comecei a me despir, tirei minha camisa e só então reparei que estava soando, passei a mão sobre meu abdômen, meus dedos subiam e descia a cada "bloquinho" da minha definição, em seguida parei com o dedão forçando minha calça para baixo, mostrando um pequeno pedaço da minha cueca vermelha, terminei de tira-lo, e me pus em frente ao espelho de chão, reparei em meu corpo, pois era todo definido, e em seguida foquei no volume que estava no centro de minha cueca, era alto, as garotas com quem tive relações disseram que era um pouco grande para o meu tamanho e minha idade, algumas até duvidavam da minha idade pelo tamanho do meu membro, enfim o despi também, lembrei do que as garotas falavam dele e sinto uma leve vibração naquela região, sinto meu membro endurecer pouco a pouco, então antes que meus pensamentos me levasse a algo além, balancei a cabeça para afastar os pensamentos e fui até o box, entrei e o fechei, liguei o chuveiro com o aquecedor desligado, a água gelada escorrendo pelo meu corpo me relaxava, olhei para cima e deixei a água escorrer bater em meus olhos e escorrer pelo meu pescoço, meu abdômen até meu membro, na qual cada gota fazia um logo caminho do seu inicio até seu fim para começar a pingar, após relaxada e ter diminuído a ereção, ligo a aquecedor e esquento a água, deixa a bem quente, após alguns minutos, o banheiro já esta todo neblinado com o vapor, eu sento-me no chão, encolho minhas pernas até meu peito, e as prendo com meus braços, afundo minha cabeça nos mesmos deixando a água escorrer pela minha cabeça e toma-me uma expressão séria e preocupada.
-Esquadrão extra... como será que Yuno reagiu a isso? será que ela vai ficar bem, não consigo nem imaginar algo acontecendo com ela... -Abaixo mais ainda minha cabeça olhando para o chão e me desliguei um pouco me afundando em meus pensamentos.

Kuron Orijinaru

Já havia feito 1 hora que o azulado entrou no banho, e de onde estava pude ver vapor saindo pela fresta em baixo da porta, imaginei que ele pudesse ter dormido la dentro, então fui até la e dei 3 batidas na porta.
-Azulado? -Alguns segundos depois escuto o chuveiro se desligando e a porta de correr do box se abrindo, me certifiquei que ele estava vivo então, voltei para minha cama, aonde abaixei, peguei meu tênis e o vesti, coloquei uma camisa branca e uma jaqueta, pois minhas roupas estavam soadas então as coloquei para lavar, arrumei meu cabelo basicamente e então ouvi a porta do banheiro se abrir, Yusuke saiu dali, junto com uma cortina de fumaça de uma densidade enorme.
-Porque bateu na porta? aconteceu algo? -Questionou o azulado terminando de secar seu cabelo.
-É que já havia feito uma hora que estava no banho, pensei que podia ter dormido lá.
-Caraca uma hora?? -Diz o garoto espantado. -Pra mim não tinha se passado nem 20 minutos.
-É, enfim, vou descer para comer algo, você vem?.-O garoto assente, corre até o espelho, prende seu cabelo e sem seguida saímos para comer.
-Eu sei aonde fica a lanchonete.
-Também sei, mas não é disso que eu quero falar com você.
-Não sabia que você queria falar comigo.
-Mas quero, e aposto que todos daquela sala também querem.-Yusuke passa a mão no cabelo com ar de cansaço e olha para o outro lado
-Sobre meu poder né? fica tranquilo não pretendo ler a mente de ninguém aqui. -Então parei na frente dele, com as mãos ainda nos bolsos e o corpo reclinado.
-Quem pode nos garantir isso? eu te conheço a menos de 2 horas, não posso confiar em você. -Então encaro o freneticamente.

Narrador

-Olha, isso você quem decide, não posso te forçar a confiar em mim, agora se você chamou, para querer me intimidar aqui, falhou. -Yusuke então andou para frente e Kuron não saiu do caminho, por consequência o azulado trombou seu ombro em Kuron, e imediatamente sem se virar segurou sua mão do seu colega e falou
-Yusuke takeda, eu posso não ter essa habilidade que você tem, mas a minima suspeita, que você esteja usando alguém do esquadrão, eu acabo com você. -O azulado então se solta de Kuron e pega o colarinho do mesmo, segurando-o com força e o prende na parede.
-ESCUTA AQUI QUEM VOCÊ PENSA QUE É? HEIN?! PORQUE ACHA QUE PODE ME AMEAÇAR ASSIM SEM NEM ME CONHECER? -Kuron apesar de ter se enfurecido, entendeu o garoto e não revidou, o azulado viu que ele estava em silêncio então o soltou, abaixou a cabeça numa altura que seus cabelos cobriram os olhos, então ele fechou o punho com toda força, saiu dali.

Lucas Trompieri

Entrei no meu quarto ainda não tinha ninguém, e não era a toa, eu fui o primeiro a sair da sala, arrumei minhas malas em cima de uma das camas, peguei uma muda de roupa fui tomar banho, me despi e entrei em baixo da ducha, a água escorrendo pelo meu corpo era confortante, me fazia sentir a eletricidade correndo pelo meu corpo, em volta as minhas veias depois de um tempo tendo aquela sensação me senti "chocado" (Autor: asuhdaushduh entenderam?? chocado choque kkkk ta parei.) desliguei o chuveiro e quando saí, vi a albina na outra cama do quarto.
-Olá Yuno, você é minha companheira? -Yuno então olha para mim, devia estar raciocinando o fato de um homem no mesmo quarto.
-Sim.
-Seja bem vinda, vamos ser ótimos companheiros e vamos nos divertir bastante!
-Ok. -"que secaaaa" me surpreendi com a resposta da Albina, pelo visto vai ser trabalhoso conquistar a confiança e intimidade com ela, pendurei minha toalha e comecei a arrumar minhas malas, ela ficou olhando aquilo, com uma cara de nada, eu continuei fazendo até terminar e então questionei
-Vai.. arrumar suas coisas? -Medi cada palavra para não soar rude ou ignorante.
-Pode me ajudar? -Ela então levantou o rosto para mim, pedindo ajuda com os olhos, sorri para a mesma
-Sim eu ajudo. -Então comecei a ajuda-la, até pegar uma pequena bolsa e na tentativa de abri-la vi apenas um pequeno pedaço de tecido e raciocinei que era as roupas intimas, então vi a Yuno me olhando com uma cara de palhaço assassino, uma cara de que me mataria se eu abrisse o zíper da bolsa mais 1 centímetro, rapidamente fechei a bolsa e a soltei, o rosto dela voltou ao normal.
-Alí, continue por aquela mala. -Uma mala um tanto grande, mas nela havia mais eletros do que roupa, como um notebook, varios outros acessorios para o mesmo, e uns 3 celulares.
-Você é alguma traficante? -A mesma após ouvir minha pergunta riu.
-Não, não sou nenhuma traficante, é apenas meus itens de pesquisa e etc...
-Sim, um celular pra avisar a boca, o outro pra avisar os fogueteiros um pessoal e o computador pra procurar os helicopteros policiais no céu né? -Dito isso ela riu mais ainda
-Para, é apenas minhas coisas, mas eu daria uma boa traficante. -Eu ri, então voltamos a arrumar as coisas

Yuno estava tão focada no que estava fazendo que não quis incomodar, depois de uns minutos terminamos e sentamos na cama, ela pegou uma garrafinha de água e passou a beber, quando acabou pegou algumas roupas no seu armário pessoal e foi em direção ao banheiro para tomar um banho
-Ei, acho que mereço um agradecimento não acha? (Risada sem graça) -A albina olhou para mim, e com "um coração enorme e boa vontade" respondeu:
-Obrigada. -"poxa como ela é seca em suas palavras, sera que é só comigo? ela não gostou da ideia de eu ser o colega de quarto?" pensei enquanto via ela se virando e entrando no banheiro, peguei meu celular para mexer pois não havia nada para fazer, comecei a jogar alguns jogos mobile, estava tão vidrado no jogo que sem querer deixei vazar um pouco do meu poder e com isso a eletricidade entrou dentro do aparelho e o mesmo estourou, apagando na hora.
-Aaaaah (suspirei) que droga, já é a terceira vez no mês. -Suspirei decepcionado comigo mesmo, coloquei o celular no chão, me deitei na minha cama, apoiei minha cabeça na minha mão esquerda e fiquei olhando para a direita, após alguns segundos fechei a mesma e pude ver os pequenos raios de eletricidade. -Preciso treinar mais, posso acabar falindo de tanto destruir celulares e computadores. Yuno saiu do banho com a toalha na cabeça pois o cabelo ainda estava meio úmido ela andou até sua cama e sentou na mesma virada pro meu lado, ela olhou para o celular e em seguida viu minha mão e a eletricidade a envolvendo fracamente.

Yuno Takeda

Quando saí do banho, percebi que Lucas estava encabulado com algo então fui ate minha cama e sentei olhando para ele, não pude deixar de notar um celular no chão, apagado e meio estufado e sua mão fechada com a eletricidade a envolvendo, sem pensar muito pude concluir que ele teria destruído o celular, e também que ele não possuía 100% o controle de seu poder.
-Você é instável com seus poderes. -disse ainda secando meu cabelo, o garoto me olhou de canto de olho, e então respondeu:
-Esta tão na cara assim?
-A situação entrega.
-Fala do celular né? acredita que já é o terceiro no mês? -Me levantei e fui até o criado mudo no qual Lucas guardou meus eletros, peguei um de meus celulares e andei até o mesmo.
-Aqui, pode pegar. -Lucas se sentou e recebeu o celular, olhou para mim e me questionou com os olhos. -Não o quebre, ou me pagara um novo. 
-S-Sim, obrigado Yuno-chan, mas porque fez isso por mim?
-Não confunda as coisas, com celular você tem o que fazer, sem ele você iria ficar me irritando no tempo que estivermos juntos, então foi um favor a mim mesma. -Fui bem objetiva e realista na minha ultima frase, bem... talvez realista não, acharia injusto eu ficar com 3 celulares e deixa-lo sem nenhum, afinal, a culpa não é dele.
-Ah sim, contudo, obrigado. -Ele se curvou em minha direção para me agradecer, sussurrei um breve "uhum" e me dentei na minha cama, peguei meu notebook e comecei umas pesquisas. -Yuno-chan, vou ao refeitório, quer que eu te traga algo? -Olhei para o garoto e ele estava pondo um casaco, pensei rapidamente e o respondi:
-estou sem fome. -Voltei o foco as minhas pesquisas, ele sorriu, acenou e então se retirou do quarto em direção ao refeitório.

Narrador

Enquanto isso na entrada do colégio, um garoto ranco, alto de cabelos castanhos e olhos que brilham um azul elétrico.  mostra um crachá na portaria e sem hesitar o porteiro e os seguranças permitem sua passagem, ele entrava acompanhado de um cachorro, um Beagle, o qual fez um dos seguranças se pronunciar:
-Desculpe, animais que veem de fora da escola não são permit..... -Um outro segurança o dá uma cotovelada.
-Xiu, você sabe com quem esta falando? ele é um dos Extras. -O primeiro segurança então se da conta da situação e se cala, curva-se em direção ao garoto
-A diretora o aguarda, seja em vindo a Charlotte High School e tenha um ótimo período escolar. -Os Extras de fato tem vantagens em alguns lugares por serem os "especiais" e isso não seria diferente na escola de Charlotte.
-Diretora? tudo bem. Vem café vamos fazer uma visita a Ayumi-sama. -Tsutsukakushi Ryūki e seu Beagle marrom e branco chamado de café com leite, ou simplesmente café, vão em direção ao prédio da diretora. 

Chegando em sua sala, o moreno bate 2 vezes na porta da diretora, que ergue a cabeça e então o contempla por alguns segundos.
Ayumi: Tsu-Kun, como estou feliz de te ver, pensei que não chegaria hoje. -O garoto que antes estava encostado na porta, após a diretora se levantar o mesmo toma sua postura e se curva para a mesma
-Também estou feliz de te ver novamente Ayumi-Sama. -O mesmo se levanta e então entra na sala e vai até a mesa de Ayumi. -Cheguei atrasado para a reunião? 
Ayumi: Muitíssimo, os outros já estão em seus quartos, e você terá de ir para o seu também, sua apresentação sera amanha, junto com a apresentação do poder de todos os integrantes.
-Que legal, estou empolgado para conhecer meus companheiros. -Ayumi então entrega um papel com o numero de seu quarto e o garoto se dirige até o mesmo.

 


Notas Finais


Olaaaa galera, só vim pedir uma coisinha, se tiverem tempo, deem uma olhada nas fichas de seus colegas, para vocês ficarem cientes de suas aparencias e entenderem melhor suas personalidades caso eu não consiga deixar muito bem aparentavel, e tambem saber de seus poderes.

Obrigado por ler e espero que tenha gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...