História Charmed - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Irene, Kai, Lu Han, Sehun, Seulgi, Yeri
Tags Chanbaek, Encantado, Hunhan, Kaisoo, Seulrene
Visualizações 10
Palavras 8.660
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - O caminho da Floresta sempre muda


A cama onde o jovem príncipe dormia era realmente confortável, diferente da sua em seu castelo. A cama feita de pétalas de rosa deixava um cheiro bom toda vez que o príncipe se mexia, ou quando o Elfo se ajeitava na cama. Os dois dormiram juntos por falta de cama, mas dormiram tão separado que SeHun nem ao menos notou quando o Elfo acordou e o deixou sozinho no quarto escuro.

Quando o sol iluminou todo o pequeno quarto do Elfo, SeHun acordou com os olhos ardendo e a cabeça doendo por causa da noite mal dormida. O jovem príncipe se sentou na cama feita de pétalas de rosa e olhou em volta do quarto, percebendo que estava sozinho e que tudo o que tinha acontecido no dia anterior tinha sido verdade.

Desde seu casamento fracassado, pois sua noiva tinha fugido do mesmo, até ser sequestrado por Elfos, ter sua memória perdida e um beijo trocado. Quando SeHun pensou em levantar viu que Luhan tinha acabado de entrar no quarto com uma pequena sacola na mão, e também totalmente vestido com uma roupa muito bonita.

-Gostou da minha roupa para estar me olhando assim príncipe? – Luhan perguntou olhando suas roupas simples, mas bonitas. – Gosto de flores, mas está vestindo na roupa também. – Sehun disse olhando suas calças leves que o mesmo tinha feito para usar em dias frios. – Bom, acho melhor o príncipe já ir acordando, temos uma longa caminhada até achar o lugar de onde vocês vieram.

-Aonde está minha armadura? – O príncipe perguntou olhando para todos os lados a procura de um objeto enorme e que não sumiria tão fácil.

-Aqui. – Luhan disse chacoalhando a pequena sacola em frente ao seu rosto, vendo SeHun fazer uma cara confusa. – Não se esqueça que está em um reino mágico, então tudo aqui é mágico, até uma pequena sacola. – Ele disse vendo o olhar confuso ainda sobre si. – Bom príncipe, acho melhor se trocar, já estamos atrasados comparados aos outros.

-Outros? – SeHun perguntou olhando confuso para o Elfo de chifres de cervo.

-Acho que sua memória não voltou totalmente. – O Elfo disse mexendo nos chifres. – Sua roupa está aí do seu lado, estou te esperando na cozinha. – Luhan disse saindo do quarto levando a pequena sacola junto. – E bom dia príncipe. – Ele disse por fim o deixando sozinho.

E assim que as três portas, dos três quartos foram fechadas juntas, os pequenos Elfos se olharam cansado. Eles não tinham conseguido dormir à noite por causa de seus pensamentos sobre como eles sequestraram os príncipes. E quando os três acordaram no mesmo horário, antes mesmo do sol nascer, tiveram a grande ideia de como iriam achar o caminho de volta, mas mesmo com esse plano, eles esperavam que os príncipes cooperassem um pouco.

-Eu realmente odeio esses príncipes! – BaekHyun disse caminhando apressado para fora da casa onde morava. – Eu odeio muito eles.

-Baek. – Kyungsoo disse tirando algumas flores que tinhas murchado de seus cabelos. – O dia só começou para você expressar seu ódio assim.

-Me desculpe Kyung. – BaekHyun disse mexendo suas orelhas de raposa. – Mas esse príncipe me irrita. – Ele disse se sentando no gramado verde que era iluminado pela luz quentinha do sol, sendo acompanhado por seus dois amigos. – Se ele me irrita assim, imagina quando ele descobrir que terá que se arrumar que nem nós?

-Meu Deus. – Luhan disse rindo, pensando no seu amigo todo vermelho tentando se controlar para não matar o gigante que dormia em sua cama. – Tenho pena de você Baek.

-Umas penas poderiam ser uma boa ideia, não é mesmo? – Kyungsoo disse distraído em seus pensamentos, enquanto tinha os olhos fechados absorvendo o calor do sol. – Acho que Jongin iria combinar com elas.

-Você está pensando em como arrumar o príncipe? – BaekHyun perguntou rindo vendo seu amigo florido ficar constrangido.

-Eles têm que parecer Elfos, e o príncipe Jongin tem uma cor mais escura do que todos os Elfos que eu já vi. – Kyungsoo disse olhando ainda constrangido para os dois amigos que seguravam os risos. – Eu tenho que pensar mais que vocês para disfarçar ele! Que saco!

-Não se irrite Kung! – Luhan disse vendo o amigo cruzar os braços enquanto se deitava de vez no gramado quente pelo sol da manhã, sua pele estava mais clara do que o normal e as flores que estavam espalhadas pelos seus ombros se abriram mais com o calor que recebiam. – Temos o dia inteiro ainda pela frente.

-Eu não quero mais passar um segundo de minhas vidas com eles. – BaekHyun disse ajeitando seus cabelos. – Não consegui dormir direito por causa daquele idiota gigante. – Ele continuou a reclamar, nem percebendo que os príncipes saiam da casa juntos, todos vestindo somente calças parecidas com a que os Elfos usavam naquela manhã.

-Desculpe, mas eu não sou gigante, você que não cresceu o suficiente. – ChanYeol disse vendo os três Elfos se viraram assustados. Fazendo os príncipes segurarem os risos com as caras engraçadas que os Elfos faziam.

-Olha como você fala de mim! – BaekHyun disse se levantando, já com a cara vermelha e as orelhas tremendo de nervoso.

-Se acalme BaekHyun! – Luhan disse ainda sentado, voltado a olhar para frente, vendo todas as pessoas do reino acordarem aos poucos. – As pessoas estão acordando agora, precisamos arrumar eles e se você continuar a se estressar com ele, nada do nosso plano irá dar certo.

O Elfo com orelhas de raposa respirou fundo, caminhando com passos duros de volta a sua casa, passando pelos três príncipes que acompanharam seus passos, vendo que o mesmo só usava uma calça, igualmente os três.

-Por que só estamos usando calças? – Jongin perguntou, olhando para os dois Elfos deitados na grama, vendo que os mesmos também só usavam calças.

-Vocês irão ver. – Kyungsoo disse se levantando e ajudando o amigo de chifres de cervo a se levantar também. – Mas primeiro iremos comer algo.

 

***

-Vocês estão dizendo que precisamos nos vestir que nem Elfos? – SeHun perguntou enquanto passava uma geleia de fruta pelo pão caseiro que fora servido para o mesmo. – Para que precisamos fazer isso?

-Simplesmente porque vocês são seres mortais, e não é todo mundo aqui que usa a magia para algo bom. – Kyungsoo disse separando algumas penas brancas que tinha achado.  – E mortais como vocês são alvos fáceis para algo bem ruim.

-Tipo o que? – Jongin perguntou com a boca cheia, recebendo olhares repreendedores dos Elfos.

-Tipo a morte dos três. – BaekHyun respondeu enquanto trazia consigo alguns pedaços de madeira e outra coisa que não foi reconhecido pelos príncipes. – Uma morte bem dolorosa e lenta.

-Não é para tanto BaekHyun! – Luhan disse repreendendo o amigo que mostrou a língua para o mesmo. – Mas a morte é algo bem provável se alguém ver algum de vocês de armadura andando por aí.

Os três príncipes engoliram seco o café da manhã que tomavam, vendo os Elfos trabalharem buscando coisas para disfarçá-los. Luhan corria de um lado para o outro pegando vários tipos de folhas, enquanto Kyungsoo terminava de separar algumas flores e penas. BaekHyun era o único diferente que mergulhava os finos pedaços de madeira em algo, fazendo ChanYeol olhar assustado para a cara feliz que o pequeno Elfo fazia toda vez que mergulhava o pedaço de madeira naquele líquido esquisito.

-Venha cá príncipe ChanYeol. – BaekHyun chamou e se aproximou do mesmo, sentando em um pequeno banquinho de madeira. – Me desculpe se eu acabar estragando seu cabelo. – O Elfo disse começando a prender os pedaços de madeira nos cabelos castanhos do príncipe. – Na verdade eu não me importo de estragar esse seu cabelo sem graça.

-O que você vai fazer no meu cabelo? – ChanYeol perguntou preocupado, vendo que o sorriso do pequeno Elfo aumentava. – Não irá colocar fogo nele, não é?

-Na verdade irei colocar fogo na madeira. – O pequeno Elfo disse tranquilamente vendo que o príncipe o olhava com os olhos arregalados. – Não se preocupe príncipe, eu não gosto nem um pouco de você, mas isso não quer dizer que eu não sei o que eu estou fazendo.

-Você está pondo fogo nisso que está colocando na minha cabeça! – ChanYeol quase gritou, vendo que todos agora olhavam para eles. – Você é idiota!

-Desculpe, eu não sei o significado dessa palavra. – BaekHyun disse terminando de prender os pedaços de madeira no cabelo do príncipe.  – E acho que não quero saber o que ela significa. – Ele voltou a dizer pegando algumas flores e as arrumando, colocando em cima dos ombros do jovem. – Acho que ela pode me ofender de alguma forma. – Ele terminou de dizer arrumando as flores, se afastando um pouco, estalando os dedos, vendo as pequenas chamas se iniciarem nos pedaços de madeira, mas sem queimar nenhuma outra parte.

As pequenas chamas fizeram o rosto do príncipe se iluminar de um jeito diferente, do jeito que BaekHyun imaginava que aconteceria, as flores vermelhas e laranjas ajudaram a destacar o fogo preso em seu cabelo. Se BaekHyun não o conhecesse e o odiasse, ele até que o acharia a pessoa mais bonita daquele reino.

-Acabei Luhan! – BaekHyun disse vendo que o amigo terminava de arrumar o príncipe SeHun e Kyungsoo também terminava de arrumar Jongin. – E acho que nosso plano irá dar bastante certo agora!

 

***

Todos do reino olhavam curiosos para os “seis” Elfos que caminhavam juntos. Estavam muito curiosos, não existiam Elfos tão grandes quantos aqueles, que caminhavam olhando todas as casas que sempre eram dentro de grandes árvores. Praticamente os três novos Elfos viraram a atração daquele dia.

-Nunca fui tão olhado como estou sendo agora. – Jongin disse para ChanYeol que concordou com o mesmo. O mais moreno de todos usava lindas penas nos cabelos e flores azuis por todo o abdômen, deixando sua pele mais morena do que as dos amigos e mais chamativa, atraindo mais atenção para si.

-Não se preocupe. – ChanYeol disse olhando o amigo de cima a baixo. – Pelo menos não é seu cabelo que está pegando fogo. – Ele disse apontando para o cabelo, vendo que as chamas dos pedaços de madeira ainda estavam acesas, e não iriam se apagar tão cedo.

-Não reclame. – Jongin disse olhando indignado para ChanYeol que sorria para ele, enquanto ainda apontava para o cabelo. – Eu tenho penas no meu cabelo, e elas se mexem. – Jongin voltou a dizer, mostrando algumas penas se mexerem, como se tivessem vida própria. – E a minha cor está três vezes mais forte, não gosto disso!

-Pare de reclamar. – Kyungsoo disse virando o rosto para trás. – Sua cor de pele é bonita e as penas combinaram muito com você. – Ele disse vendo o príncipe se constranger. – Me desculpe, ficarei quieto.

E todos voltaram a ficar em silêncio, somente sendo observados por todos os habitantes que olhavam curiosos. SeHun e Luhan caminhavam sozinhos lado a lado na frente, sendo seguidos pelos outros que conversavam entre si.

Já no meio do caminho, uma linda menina apareceu com um leve vestido azul e os cabelos molhados, parando em frente a Luhan e SeHun, fazendo o príncipe a olhar curiosa. Luhan apenas abriu um sorriso, deixando que ela passasse por eles dois e parasse em frente a BaekHyun.

-Disse para você me chamar se acontecesse alguma coisa. – Ela disse irritada vendo que todos os homens a olhavam. – E você não fez isso!

-Não fiz por que nada aconteceu. – Ele disse coçando a nuca, enquanto desviava os olhos da sereia que o olhava irritada. – Nós só estamos resolvendo do nosso jeito.

-Chamando a atenção de todo o reino? – Ela perguntou novamente nervosa, começando a caminhar junto com os meninos. – Vocês só podem ser loucos. – Ela disse revirando os olhos vendo que os três Elfos de verdade apenas deram de ombros. – Vocês já sabem que acabaram chamando tanta a atenção que até a realeza já está sabendo?

-O que? – Luhan perguntou desesperado, se virando de costas e vendo que a sereia não falava uma mentira sequer. – Se eles descobrirem estamos completamente mortos.

-E você acha que eu não sei? – Ela disse nervosa empurrando o Elfo para que ele voltasse a andar. – Se até as meninas estão sabendo, você acha que a realeza não irá saber?

-Estamos ferrados. – BaekHyun disse arrumando a pequena sacola onde carregava a armadura de ChanYeol. – Estamos muito ferrados.

-Se acalme Baek. – Kyungsoo disse vendo que o amigo voltava a ficar vermelho. – O nosso plano irá dar certo.

-Você não viu que ele está dando completamente errado? – BaekHyun perguntou irônico para o amigo que se encolheu, correndo para trás de Jongin que se assustou com o ato. Luhan também correu para trás de SeHun que o olhou assustado e vendo logo em seguida que a sereia corria para trás de uma grande pedra para se esconder. O pequeno Elfo estava mais do que vermelho, e sua respiração estava falhada.

E acho que não foi difícil para nenhum dos príncipes perceber que o pequeno tinha um grande problema com a raiva. E quando ele começou a gritar e seu pequeno rabo de raposa aparecer, todos perceberam que o menino estava mais animal do que humano. Os príncipes se olhavam assustados para aquilo que estavam vendo.

-EU NÃO ACREDITO QUE ISSO ESTA ACONTECENDO. – BaekHyun gritou andando de um lado para o outro, procurando algo para bater. – TINHA QUE DAR CERTO! ERA ISSO QUE TINHA QUE ACONTECER MAS SEMPRE TEM QUE DAR ERRADO. EU ESTOU COM TANTA RAIVA! – Ele voltou a gritar caminhando em direção a ChanYeol que era o único que não estava escondido. – SAIBA QUE TUDO ISSO ACONTECEU POR SUA CAUSA, SEU GIGANTE BURRO! – Ele gritou para ChanYeol que continuou parado somente o olhando enquanto o baixinho batia em seu peitoral com toda a raiva que estava sentindo.

O príncipe estava tão assustado que nada fez no começo, mas assim que ouviu o pequeno Elfo gritar aquelas palavras de raiva para ele, o próprio príncipe começou a ficar com raiva do pequeno que estava começando a machucá-lo com os socos que dava em seu peitoral.

O príncipe irritado segurou com força os pulsos do Elfo que se assustou com o gesto do maior, se encolhendo com a força que o príncipe apertava seus pulsos, o machucando. As orelhas de raposa agora estava para trás, mostrando o medo que o pequeno Elfo tinha adquirido do grande príncipe que ainda olhava com raiva.

O rabo de raposa que tinha aparecido no Elfo tinha desaparecido e seus pequenos olhos estavam ficando embaçado por causa das lágrimas que apareciam. Todos os outros que estavam escondidos antes, apareceram vendo uma cena que nunca tinham visto em suas vidas, e até os príncipes se assustaram vendo a raiva que os olhos do amigo transmitiam.

-ChanYeol. – SeHun o chamou, mas foi ignorado pelo mesmo que via as lágrimas do pequeno Elfo escorrer pelo seu rosto, apertando cada vez mais forte os pulsos do mesmo. – Park ChanYeol! – SeHun chamou mais uma vez, vendo o amigo piscar aos poucos, percebendo o que estava acontecendo. – Largue o garoto.

E assim ChanYeol fez, largando o garoto e colocando as mãos no rosto, tentando entender o porquê de tanta raiva ter dominado o seu corpo, ele nunca fora assim. E olhando para o pequeno homem a sua frente, que derramava lágrimas de dor enquanto segurava os pulsos, seu coração falhou uma batida, ele se sentia culpado, e com toda a razão ele deveria se sentir assim.

-Você está bem Baek? – Luhan perguntou se aproximando do mesmo que chorava olhando aquele que tinha o machucado.

-Me deixa. – BaekHyun disse nervoso chacoalhando a cabeça. – Me deixa. – Ele disse mais uma vez largando os pulsos e jogando a pequena sacola em cima do príncipe ChanYeol antes de sair correndo, em uma direção totalmente diferente da onde eles deveriam ir.

-Olha o que você fez! – Luhan disse irritado olhando para ChanYeol que ainda olhava para a direção que o pequeno Elfo tinha ido. – Agora você estragou tudo de vez! – Luhan disse nervoso, ainda apontando dedo para ChanYeol que tinha os olhos arregalado para o caminho que BaekHyun tinha tomado. E nem Luhan e muito menos os príncipes esperavam quando o amigo saiu correndo na mesma direção que o pequeno Elfo tinha ido deixando todos confusos e mais ferrados do que estavam. – Agora estamos todos mortos mesmo! – Luhan esbravejou jogando sua sacola para longe, vendo que SeHun corria atrás da mesma. 

-Eu vou atrás deles. – Wendy, a sereia que até fora esquecida pelos homens, se pronunciava pela primeira vez depois do ocorrido. – Qualquer coisa Kyung, você sabe como me encontrar. – Ela disse correndo na mesma direção aonde o príncipe e o pequeno Elfo tinham ido, deixando quatro homens, totalmente diferentes uns dos outros, sozinhos e agora completamente perdidos, pois a floresta estava começando a mudar.

 

***

-Vocês poderiam explicar o que fazem não é mesmo? – Jongin perguntou quebrando o silêncio que reinava entre os quatro homens que caminhavam pela floresta. – Eu só ouvi falar de vocês por causa das histórias que minha mãe contava, não achavam que eram reais e muito menos que eram assim. – Ele acrescentou olhando de cima a baixo o Elfo que andava a sua frente, e quando o mesmo percebeu o olhar em cima de si virou irritado para ele.

-Somos Elfos Jongin. – Kyungsoo disse ainda com a cabeça virada para trás, vendo os dois príncipes andarem lado a lado. – E somos diferentes assim porque somos Elfos guardiões e não Elfos guerreiros como devem pensar que somos.

-Elfos guerreiros são mais altos e fortes que a gente. – Luhan acrescentou a fala de Kyungsoo, que voltou a olhar para frente. – Assim como vocês, mas acho que eles devem ser mais bonitos. – Luhan disse olhando para trás vendo os dois príncipes se ofenderem com aquilo. – Me desculpe, mas é verdade. Elfos tem que ser bonito, isso é uma qualidade, assim como seus poderes e habilidades em luta, bem diferentes de nós, guardiões.

-E o que tem de diferença em ser um guardião e um guerreiro? – SeHun perguntou olhando as costas do Elfo em sua frente que estava coberta com algumas rosas brancas.

-Guerreiros são as pessoas que lutam pelo seu povo, não é mesmo príncipes? – Luhan perguntou, não podendo ver a reação dos dois que estava atrás de si. – Acho que saberiam disso, mas já que não sabem, guardiões são bem diferentes de guerreiros pois eles só têm a função de proteger. – Ele disse olhando para o amigo ao seu lado que arranca uma flor que murchou em seu cabelo. – E é isso que somos. Nós apenas protegemos a entrada do nosso reino, para que seres como vocês não entrem aqui.

-E como Wendy falou que a realeza descobriu que seres como vocês estão entre nós. – Kyungsoo disse respirando fundo. – Bem provável que não teremos mais essa função aqui no reino.

-Por que? – Jongin perguntou, curioso demais para se aguentar, enquanto arrancava uma pena de sua cabeça.

-Se pegarem vocês, ou simplesmente descobrirem que esse boato é verdade, eu, Kyungsoo e BaekHyun estaremos mortos. – Luhan disse olhando as grandes árvores escuras que levavam o mesmo para, provavelmente, o lugar de onde os príncipes vieram. – E serão os Elfos guerreiros que irão nos matar.

-Por que motivo? – SeHun perguntou olhando distraído para a costas do Elfo em sua frente.

-Por que vocês simplesmente invadiram um lugar que não queria nenhuma guerra. – Uma voz doce disse atrás dos dois príncipes que se assustaram, parando de andar e se virarem para trás, vendo a bela menina loira e com olhos claros que sorria docemente para eles. – E olhando agora para vocês, seria uma pena se isso acontecesse.

-O que você está fazendo aqui? – Kyungsoo perguntou passando pelos dois príncipes que olhavam encantados para a menina linda que sorria docemente para os dois. – Vocês não podem andar por aqui.

-Na verdade são vocês que não podem andar por aqui. – Ela disse calmamente, se aproximando de SeHun, que a olhava encantado. – Vocês é que estão em área proibida, não eu.

-Do que você está falando? – Luhan perguntou nervoso afastando a menina do príncipe que retribuía os sorrisos que a mesma lançava para ele. – Não estamos em área proibida.

-Estão sim. – Outra voz disse passando por trás dos Elfos, parando em frente a Jongin que olhou fascinado para a menina ruiva que sorria para ele. – Não conseguem sentir o cheiro de água escura? – Ela disse passando levemente a mão pelo abdômen do príncipe que não tirava os olhos da mesma.

Os dois Elfos fecharam os olhos podendo sentir o cheiro azedo que era as águas escuras, mostrando que estavam sim em local proibido, mas eles nem sabiam como tinha chegado ali. E enquanto isso acontecia, as duas mulheres sorriam e seduziam os dois príncipes que já estavam enfeitiçados pelas mesmas. E assim que Luhan abriu os olhos e viu que os dois príncipes tinham sumido, o desespero pareceu tomar conta de seu corpo.

-Aonde eles estão? – Kyungsoo perguntou olhando ao redor, desesperado, vendo que o cheiro de água escura ficava mais forte a cada instante que passava. – Mas que merda! – O Elfo disse arrancando pedaços de flores de sua cabeça e enfiando em suas orelhas, fazendo o mesmo com o amigo que começava a ficar perdido por causa do cheiro forte que incomodava seus narizes.

Uma risada feminina foi ouvida pelos dois Elfos, que estavam com os ouvidos tampados, fazendo uma sensação ruim passar pelos corpos dos dois. E eles seguiram o cheiro forte da água até conseguirem chegar ao lago escuro e sem vida aonde habitavam sereias da pior espécie. E lá também estavam os dois príncipes, que entravam na água, sendo puxados pelas duas sereias que começavam a mostrar seu lado mais feio para eles, que por causa do feitiço, não viam diferença nenhuma.

Os dois Elfos se olharam antes dos mesmos pularem na água e tentarem nadar até as sereias, mais sendo impedidos por outras sereias que estavam somente olhando o trabalho que as outras faziam. E enquanto as outras sereias seguravam a força os dois Elfos, os príncipes afundavam aos poucos dentro da água negra.

Luhan foi o que mais lutou, se soltando assim que conseguiu bater em uma das sereias com os seus chifres, a machucando, fazendo-a largá-lo e livre para nadar até os dois príncipes que começavam a se afogar aos poucos, e  percebendo o que estava acontecendo, se desesperando mais ainda.

-Acho que você chegou tarde demais pequeno Luhan. – A sereia com os cabelos loiros disse mostrando suas presas, enquanto sua cauda balançava dentro da água, fazendo a mesma se movimentar mais rápido para acelerar o processo de afogamento dos dois príncipes que se debatiam debaixo da água.

Kyungsoo conseguiu se soltar das sereias nadando o mais rápido que conseguia, parando em frente a sereia ruiva que sorria ele. Mas o Elfo não teve mesma reação que Luhan de ficar parado, Kyungsoo pulou em cima da sereia que se assustou, afundando junto com o mesmo, que batia com toda a sua força nela, afundando cada vez mais na escuridão que era o lago negro.

Luhan vendo aquilo, acabou indo para cima da outra sereia que apenas mostrou suas garras, avançando nele. Mas Luhan não lutou, ele simplesmente beijou a sereia que teve toda a sua força absorvida para si, que nadou em direção a SeHun para tirá-lo de dentro da água. E quando fez isso, jogando o príncipe para fora do lago, ele estava acordado, todo machucado por causa da força que fora usada a água em cima do mesmo.

Os dois ficaram se encarando, até ouvirem um barulho horrível vindo de dentro do lago, mostrando que algo de ruim tinha acontecido. Luhan voltou para dentro do lago, nadando desesperado para perto do amigo que estava mais branco do que o normal e com as flores morrendo em sua cabeça. Jongin ainda estava debaixo da água, mas não fazia mais nenhum movimento, mostrando que o mesmo estava desacordado.

Luhan não sabia o que fazer, olhando desesperado para o amigo que sangrava em sua frente e o príncipe que afundava cada vez mais no lago negro. Um barulho de alguém entrando na água acordou Luhan que nadou até Kyungsoo.

BaekHyun nadava fundo, alcançando Jongin que estava sem cor e com os olhos fechados. E assim que conseguiu levar o outro para a superfície sentindo o ar encher seus pulmões, viu o caos que estava tudo ao seu redor. Luhan tentava colocar Kyungsoo, que sangrava muito, para fora do lago, e SeHun estava tonto demais para pensar em ajudar.

O pequeno Elfo que segurava Jongin em seus ombros, que já estavam doendo, nadou até uma borda do lago, colocando Jongin nele, e vendo que o príncipe que antes tinha um moreno lindo na pele estava branco, como se tivesse perdido toda a sua vida. Joy e Yeri apareceram para ajudar BaekHyun, que tinha se encontrado com as mesmas no meio do caminho enquanto fugia para algum lugar, tentando usar suas vozes para chamar o príncipe desacordado.

Enquanto Luhan tentava achar o corte de Kyungsoo, nem percebeu que Wendy e ChanYeol estavam ao seu lado, tentando tirar Luhan de cima de Kyungsoo. O Elfo estava tão desesperado vendo um amigo seu machucado que não conseguia fazer nada direito. E quando Wendy segurou suas mãos, afastando o mesmo de Kyungsoo, Luhan começou a chorar, derramando lágrimas brilhantes por todo o rosto.

-Não se desespere Luhan! – Wendy disse vendo que o Elfo a olhava. – Você sabe que se você se desesperar tudo irá dar errado.

-Não vê o que está acontecendo Wendy? – Luhan perguntou olhando o amigo que estava com um corte feio em suas costelas. – Já está dando tudo errado. – Luhan disse derramando mais lágrimas, se desesperando mais ainda.

-Não está adiantando! – Joy gritou do outro lado do lago, fazendo todos a olharem, menos ChanYeol que ainda arranjava um jeito de cobrir o corte, para fazer o sangue azul parar de escorrer. – Ele não está voltando Baek! – Ela disse começando a chorar, desesperada por causa que o príncipe não voltava.

Yeri olhou preocupada para o príncipe que não respirava. Ela era a mais nova dali, e não sabia o que fazer, e quando começou a apertar o peito do príncipe, tentando reanima-lo viu que BaekHyun arregalou os olhos, acabando de ter uma ideia.

-Não fale nada Baek. – Ela disse ainda apertando o peito do príncipe. – Apenas faça. – E assim BaekHyun fez, pegando uma folha e colhendo uma lágrima da sereia que chorava desesperada, correndo logo em seguida para pegar a lágrima de Luhan, misturando, fazendo as duas lágrimas se tornarem uma água roxa, que era uma das mais difíceis cores de se conseguir naquele reino.

E quando o mesmo voltou correndo para onde o príncipe desacordado estava, colocando a pequena quantidade de água em sua boca, vendo que a pequena sereia ainda massageava o peito dele. Wendy olhava surpresa para BaekHyun, que via a cor do príncipe voltar aos poucos, assim como os batimentos de seu coração. A magia que tinha acabado de fazer era uma das mais difíceis, pois quando uma sereia e um Elfo choravam ao mesmo tempo, no mesmo lugar, e pelo mesmo motivo, as duas lágrimas poderiam recuperar, ou até mesmo salvar, aquela pessoa pelo qual choravam.

E Wendy fez o mesmo que BaekHyun, mas dessa vez acrescentando algo que só as sereias tinham o poder de usar, que era as águas claras, que curavam qualquer pessoa que precisasse. E assim aplicando as lágrimas e a água em cima do corte aberto de Kyungsoo, suas flores voltaram a se abrir, mostrando que aquela não era a sua hora de partir.

 

***

 

ChanYeol carregava Jongin, que estava acordando aos poucos, nas costas e BaekHyun carregava Kyungsoo, que estava fraco demais, os dois andavam na frente, sem olharem um para o outro. Atrás se encontrava Luhan, Joy e Wendy, que conversavam baixinho. Wendy tentando acalmar os outros dois que ainda fungavam baixinho, desesperados demais por tudo estar dando errado, e por último, SeHun e a pequena sereia Yeri, caminhavam lado a lado sem se falarem.

E o clima estava muito estranho entre eles, entre todos eles. Alguns estavam com medo de que algo ruim acontecesse naquele exato momento, ou alguém aparecesse e estragasse o plano perfeito mais uma vez. Todos estavam confusos, mas por incrível que pareça, SeHun e Yeri, eram os que estavam mais perdidos, principalmente quando se tratava de seus pensamentos.

SeHun ainda estava com a cabeça doendo por causa do quase afogamento que tivera, mas isso não significava que sua cabeça doía somente por isso, e quem dera que fosse. Ele estava preocupado demais com sua família, principalmente com sua mãe, que tinha brigado com o mesmo para não fazer essa viagem louca atrás de sua noiva fugitiva. Ele estava preocupado com os outros reinos, que os dois amigos deixaram na mão de companheiros para poder ir junto a ele. Estava perdido, sua mente estava perdida, ainda se perguntava como tinha parado naquele lugar que existia somente nos contos que ouvia de sua mãe.

Já a pequena Yeri se preocupava com aquilo que tinha acontecido a momentos atrás. Ela não queria ter visto, muito mesmo queria ter se envolvido. Yeri lembra muito bem quando fora transformada em sereia, e lembra também em como sentia saudades da mãe, já falecida, mas mesmo assim ela não queria aquela transformação para mais ninguém. E assim que Seulgi apareceu desesperada de mãos dadas com uma linda mulher, ela sabia que aquilo que a sereia pediu fora quase um suicídio para a linda garota que segurava a mão.

E enquanto os dois estavam perdidos em pensamentos e uma grande poça estava ao lado da trilha que andavam, em nenhum momento a sereia pensou que seria puxada para dentro, e SeHun muito menos pensou que estaria sendo levado junto. Um barulho de água enchendo os ouvidos de todos, e o desespero das duas sereias ao verem sua mais nova tinha desaparecido, junto com o príncipe mais jovem.

E enquanto o desespero tomava conta do lado de cima, o príncipe e a sereia eram puxados para baixo, para dentro da poça, mais especificamente para dentro de um grande rio. SeHun se debatia, desesperado por estar tendo seus pulmões novamente cheios de água, e a sereia se transformava aos poucos, nascendo uma grande cauda roxa e seus cabelos castanhos crescendo mexas roxas. Mas Yeri não soltava o braço do príncipe que ainda se debatia, sua cauda era puxada por mãos nada delicadas, fazendo uma forte queimação percorrer todo o seu corpo.

E os dois eram cada vez mais arrastados para dentro do rio, SeHun perdendo a consciência aos poucos, vendo que o lugar para onde era levado era diferente de todas as vezes que já mergulhara no rio perto de seu palácio, sendo que aquele lugar era completamente lindo. E Yeri, que sentia a força que a pessoa usava para puxar sua cauda diminuía, a fazendo respirar direito dentro do reino que entrava.

SeHun começou a ficar cada vez mais tonto dentro da água quando viu um lindo castelo, o mesmo feito por todas as coisas marinhas que ele não fazia ideia que poderia ser usada para ser um castelo, e quando seus olhos se fecharam, perdendo quase que completamente sua consciência, que sentiu seus pés encostarem em um possível chão e lábios doces encostarem no seus.

E assim que Yeri beijou SeHun o mesmo arregalou os olhos, sentindo todo o ar possível entrar em seus pulmões. A mesma sereia nem se importou para o príncipe que estava aliviado por não ter morrido, ela só estava preocupada com quem tinha trazido ela para casa, de um jeito nada delicado.

-Desculpa se te machuquei. – A pequena sereia ouviu a voz doce de sua antiga amiga soar atrás de si, e quando se virou, viu que Seulgi estava lá, seus cabelos com as pontas amarelas e a grande cauda amarela também, mas vê-la ali não causou nenhum tipo de sentimento bom no coração da pequena sereia. – Mas não achei outro jeito de conversar com você.

-Pare de pedir desculpa! – Yeri disse nervosa, cruzando os braços abaixo dos seios e fechando a expressão assim que viu a bela mulher atrás de Seulgi. Mas a mesma estava assustada demais com algo que nem ligava ao menos para olhar para Yeri que a olhava com raiva. – Depois do que você pediu, você não tem o direito de pedir mais nada, nem desculpa. – Yeri disse brava, mas olhando diretamente para a bela mulher atrás de Seulgi, fazendo a pequena acompanhar seu olhar e cair em SeHun, que olhava a mesma surpreso.

-O que está fazendo aqui? – Seulgi perguntou ignorando Yeri que olhava confusa para o príncipe e para as duas mulheres a sua frente. – Como veio parar aqui SeHun?

-Eu que pergunto. – Ele disse fechando a cara, caminhando sem dificuldade, até Seulgi que balançava sua cauda, ficando da mesma altura que o príncipe, protegendo Irene que se escondia atrás de si. – Desde quando é uma sereia? E desde quando conseguiu enfeitiçar a minha noiva?

-Eu nunca joguei um feitiço de sereia contra Irene! – Seulgi disse nervosa, vendo que SeHun não se importava com a pouca distância que os dois tinham. – Nunca joguei e nunca irei jogar.

-Não consigo acreditar em você. – Ele disse, empurrando a sereia que foi levemente para o lado, dando passagem para SeHun e Irene ficarem cara a cara. – Não acredito que fingiu tudo aquilo para no final fugir com outra mulher. – Ele disse olhando de cima a baixo a mulher que amava, vendo perfeitamente o vestido de casamento rasgado. – Uma mulher, essa mulher. – SeHun apontou para Seulgi que estava ao lado do mesmo. – Que fosse com outro rei, um mais rico, mais com uma mulher, que por acaso era minha empregada! Jesus, Irene!

-Olha como fala com ela SeHun. – Seulgi disse tentando se aproximar, mais sendo impedida pelo príncipe que olhava com raiva para sua noiva, que ainda usava a aliança de noivado, feita somente para ela.

-Eu amava você. – O príncipe disse olhando seriamente a jovem dama a sua frente, que tinha os cabelos bagunçados e flutuando por causa da água. – Eu ainda amo se quer dizer. – Ele disse mais uma vez se aproximando, e vendo que a dama não reagia, ficando parada, como sempre ficou. – Nunca pensei que no dia mais especial da minha vida, a mulher, a única que eu amei, fugiria, principalmente com uma empregada minha.

-Desculpa. – Irene disse fechando os olhos enquanto sentia o príncipe se aproximar mais da mesma. – Mas eu não poderia me casar com alguém que eu nunca amei de verdade, príncipe. – Ela disse abrindo os olhos, vendo que o príncipe tinha os olhos vermelhos. – Se me conhecesse de verdade, saberia que eu nunca estive apaixonada, não quando eu estava com você. E me desculpa por isso. Mas no dia que o conheci no baile, conheci Seulgi, e meu coração simplesmente acelerou, e não foi pela dança perfeita que tivemos juntos, mas sim por um simples esbarrão, que no final acabou com risadas e meu vestido sujo.

-Por favor não continue. – SeHun disse sentindo lágrimas escorrerem de seus olhos, se misturando com a água doce que os cercava.

-Você se apaixonou por mim naquele dia. – Irene disse ignorando totalmente o pedido de SeHun. – E naquele mesmo dia eu me apaixonei por uma mulher, mesmo sendo uma coisa totalmente errada, eu acabei me apaixonado por uma pessoa totalmente errada, mas eu acredito mais no meu coração do que em minha mente. – Ela continuou dizendo olhando diretamente para os olhos escuros de seu noivo. – E foi por esse motivo que eu fugi, príncipe. Fugi porque acredito mais em meu coração do que em minha mente, que mandava eu ficar para aquele casamento. – E assim que a jovem dama terminou de falar, lábios cobriram os seus, conhecidos lábios, mas não os que amavam. E assim que SeHun largou a sua ex noiva, começou a correr para qualquer lugar que o tirasse de perto daquela que tinha feito seu coração em pedaços.

E ficando somente Yeri, Seulgi e Irene, as três se olhando, confusas por verem o que tinha acontecido. Mas quando a pequena sereia Yeri arrancou seu colar, retirando dele somente um pequeno pedaço da alga marinha roxa que mantinha a mesma viva, e como já havia falado antes, a cor roxa era especial tanto no reino dos Elfos quanto no reino das Sereias, e Yeri sendo a única sereia a ter conseguido essa cor, quando tirou um pouco de sua vida para dar a outra pessoa, não se preocupou que quando o efeito atingisse a alma de Irene, isso a matasse, como provavelmente iria acontecer, ela realmente não se importou.

A única coisa que importava para a pequena sereia que nadava correndo atrás do príncipe era que quando o mesmo saísse daquelas águas, ela tivesse conseguido tirar a memória da jovem dama que despedaçou o coração do mesmo. E como Wendy gostava de dizer, sereias podem ser más quando querem, mas também podem ser realmente boas quando são tocadas no coração.

E assim que Yeri alcançou SeHun que já tinha desistido de correr, uma felicidade tomou conta da pequena, que sorriu para ele antes de fechar seus olhos e depositar um beijo no mesmo. Bom por que sereias dentro da água conseguiam usar seus poderes de qualquer jeito, principalmente com beijos.

 

***

A pequena Yeri usava toda a sua força para tirar o jovem príncipe de dentro do pequeno rio que conseguiu achar no meio das águas. Ela não conseguia sentir a presença das outras sereias, e estava começando a ficar desesperada, pois estava totalmente perdida.

O ambiente era totalmente diferente de onde estavam antes de cair nas águas. A floresta escura e fria, deixando tudo muito assustador para a pequena que estava sentada ao lado do corpo desfalecido do jovem príncipe. Ela nunca tinha estado naquele local, e tudo indicava que aquele não era um lugar muito calmo.

A pequena sereia tirou esses pensamentos da cabeça, começando a chamar o príncipe, que ia acordando aos poucos pela sua voz doce, estava quase que colada ao rosto do príncipe, com medo de qualquer movimento que aparecia ao seu redor.

-Minha cabeça. – SeHun disse abrindo os olhos, sentindo o corpo gelado e molhado. – Aonde estamos? – Ele perguntou, vendo a sereia suspirar aliviado vendo o mesmo se sentar.

-Não faço a mínima ideia. – Ela disse sincera, olhando ao redor, vendo que as árvores se mexiam. – E não gosto nem um pouco desse lugar. – Ela disse olhando um arbusto que se mexia de um jeito estranho. – Você sabe lutar, não é mesmo? – Ela perguntou, recebendo a afirmação do príncipe que a olhava confuso, mas também assustado com a movimentação estranha perto deles.

-Mas tem um problema. – Ele disse passando a mão pelo cabelo agora natural. – Não tenho nenhuma arma para lutar. – Ele disse, vendo a pequena sereia fazer uma careta e correr em direção a água, colocando somente uma das mãos, tirando uma enorme espada, maior que a do príncipe, de dentro da água. – Como conseguiu fazer isso?

-Vários reinos são cercados por essa floresta, no final sempre jogam coisas no rio. – Ela disse arrastando a espada, jogando a mesma ao lado do príncipe que a pegava com uma incrível facilidade. – Mesmo isso sendo errado, pessoas fazem isso e são as sereias que na maioria das vezes tem que limpar.

O príncipe se levantou, empunhando a espada nas mãos e indo em direção ao arbusto que não parava de se mexer. Yeri acompanhou o mesmo, mantendo uma considerável distância, vendo o príncipe abrir o arbusto e vários brilhinhos invadirem sua cara, o fazendo cair sentado, largando a espada tentando tirar aqueles brilhos de sua cara.

-Incrível como elas atacam mesmo não sendo uma ameaça. – Um homem disse ao lado da sereia fazendo a mesma pular no lugar de susto e correr para perto do príncipe. – Meninas se acalmem, é somente uma sereia e um Elfo. – O homem disse, fazendo os brilhos se afastarem de perto de SeHun, que tinha os cabelos bagunçados e o rosto cheio de brilho.

Os quatro brilhos que antes cegavam SeHun e tentavam arrancar seus cabelos, se tornaram belas mulheres assim que chegaram perto do homem, que por acaso tinha grandes e bonitas asas caídas nas costas, usava uma roupa inteira feita de plantas, que bem provável eram da região e orelhas bem pontudas.

As quatro meninas que estavam bem atrás do mesmo usavam roupas parecidas, mas bem mais femininas que a do mesmo, e todas possuíam asas coloridas, assim como seus cabelos que tinham cores diferentes.

-Desculpe se lhe assustei pequena sereia. – O homem disse sorrindo docemente para Yeri que sorriu de volta com a beleza do mesmo. – E desculpe minhas meninas por terem deixando-o assim. – O homem disse se referindo ao Elfo que se levantou, pegando a espada consigo. – Mas acho que o senhor assustou minhas meninas com essa espada. – Ele disse apontando, fazendo SeHun esconder a mesma atrás de si.

-Desculpe. – SeHun disse, olhando atentamente para as meninas que estavam atrás do homem que encarava curioso para os dois. – Vocês são fadas? – SeHun perguntou olhando novamente para o homem que tinhas os olhos mais claros que a mais limpa água.

-Somos. – O homem disse olhando de cima a baixo o príncipe, que ainda olhava as meninas. – E acho que o senhor não é um Elfo. – Ele disse olhando SeHun nos olhos, antes de se aproximar, mas sendo impedido pela sereia que se colocou entre os dois. – O que está querendo esconder sereia? – Ele perguntou passando as mãos incrivelmente geladas no rosto de Yeri que se encolheu com o toque. – Sabe que se descobrirem que um humano está aqui, principalmente desse lado, não é somente ele que morre.

 

***

-Não acredito que cai nos encantos de uma sereia. – O homem dizia enquanto entrava dentro da enorme árvore, que era toda iluminada pelos próprios brilhos de todas as fadas. A sereia e príncipe acompanhavam o mesmo, sendo que SeHun era cutucado em quase todos os lugares, pelas fadas que ficaram pequenas novamente. – Como pude ser tão burro.

-Não podia deixar o senhor matar SeHun. Já lhe expliquei. – Yeri disse passando seu braço entre o do homem que sorriu . – Tenho que tirá-lo daqui, mas não sei nem onde estou. – Ela disse com a voz doce, fazendo os olhos do homem ficarem escuros.

-Pare de usar sua voz contra mim. – Ele disse tirando o braço da pequena sereia de seu, caminhando nervoso até uma grande sala. – E eu não posso ajudar vocês. – Ele disse parando em frente a uma grande mesa. – Tenho que fazer a coisa certa.

-Por favor! – Yeri disse parando atrás do mesmo. – MinSeok, eu lhe imploro! – Ela disse vendo o homem se virar para ela, indignado pela mesma ter falado seu nome, mesmo sendo proibido. – Eu me perdi, e você sendo o chefe das fadas deveria me ajudar, não me denunciar para o rei. – Ela disse se ajoelhando no chão, vendo que o homem arregalou mais os olhos. – Eu sei que esse lado é proibido para as sereias, mas por favor me ajude!

-Não posso Yeri! – Ele disse nervoso, abrindo as grandes asas brancas, quase transparentes, e cruzando os braços, vendo que SeHun tentava se livrar das suas melhores meninas. – Deixem ele em paz. – MinSeok disse nervoso, fazendo as pequenas fadas se afastarem do príncipe. – Agora você levante, não tem como mudar minha ideia.

-Não! – Ela disse mais uma vez, se arrastando para mais perto do homem que a olhava nervoso. – Eu lhe imploro, finja que nunca estivemos aqui e nos tire desse lado. – Ela disse se agarrando a blusa, feita de algumas plantas, do homem. – Eu não quero morrer.

-Ninguém quer morrer Yeri. – MinSeok disse afastando as mãos da sereia de sua blusa. – Agora levante. – Ele disse caminhando para trás da grande mesa.

-Não irei levantar até o senhor dizer que irá nos ajudar. – Yeri disse nervosa, puxando SeHun consigo, fazendo o mesmo cair de joelhos no chão. – Iremos ficar aqui, até que nos ajude.

-Já disse que não posso Yeri! – Ele disse irritado, jogando algumas coisas em cima da mesa, assustando a sereia que se encolheu. – Não posso deixar um ser como ele em nosso reino! Simplesmente eu não posso!

-E eu não quero mais ficar nesse lugar. – SeHun disse pela primeira vez desde quando tinha chegado aquela casa. – Nos tire daqui, prometo que mais nenhum ser humano pisa nessa floresta, pelo menos ninguém de meu reino. – O príncipe disse olhando diretamente os olhos claros do homem.

-As coisas não são tão fáceis assim. – MinSeok disse saindo de trás da mesa. – Como eu gostaria que fosse fácil, que você simplesmente voltava para o seu reino e deixasse o nosso reino de vez. – MinSeok disse, parando em frente ao príncipe, ajoelhado à sua frente, se agachando, ficando da mesma altura que o mesmo. – Não posso simplesmente tirar vocês do lado escuro da floresta, não posso fazer isso sem descobrirem.

-Olha quem é você! – Yeri disse se levantando. – Você é uma das pessoas mais importantes desse reino, foi o único que ficou com o seu trono depois da morte de nosso rei. – A sereia dizia, sendo observada pelos dois homens ainda abaixados. – É o único que eu confio. Foi você que me transformou, mesmo sendo proibido. – A sereia disse, com a voz de choro evidente. – Não faça isso pelo rei, MinSeok. – Ela disse deixando uma lágrima roxa escapar de seus olhos. – Faça isso por Luhan.

-O que Luhan tem a ver com isso? – MinSeok perguntou, se levantando do chão, se aproximando da sereia que tentava segurar o choro.  – Luhan não pode ter a demência de ajudar um humano.

-Você me ajudou quando eu era humana. – Yeri disse irritada, batendo o pé no chão enquanto outra lágrima escorria por seu rosto. – E você sabe que Luhan tem o coração maior do que qualquer outro. – MinSeok se aproximou da mesma que se afastou. – Principalmente depois que o rei morreu.

-Mas mesmo assim. – MinSeok disse se aproximando de novo da mesma que se afastava a cada passo que o homem dava. – Ele é diferente de mim, te ajudei, pois, eu era muito novo, assim como você, e agora não posso cometer outro erro. – Ele disse parando de andar assim que as costas da menina se chocaram com a parede de madeira da casa. SeHun se levantou, preocupado com a cena que via.

-Quer dizer que me transformar foi um erro? – Ela perguntou, deixando as lágrimas roxas caírem livremente sobre o seu rosto. – Quer dizer também que ajudar Luhan foi um erro? – Yeri disse aproximando seu rosto do de MinSeok. – Quer dizer que tudo de bom que já fez nesse reino foi um erro?

-Olhe como fala comigo! – MinSeok disse nervoso, abrindo suas asas enquanto a sereia enxugava as lágrimas. – Não tem o direito de falar assim. – Ele disse, seu rosto ficando vermelho, assim como seus olhos ficam negros, iguais as águas escuras.

-Eu posso falar do jeito que quiser. – Yeri disse sorrindo para o mesmo. – Me deu a cor mais poderosa desse reino, tenho o direito de falar com você do jeito que eu quero. – Ela disse se aproximando mais de MinSeok que tentava ao máximo segurar a sua raiva, bom ele tentava. SeHun vendo o que acontecia se aproximou dos dois, preparado para interferir qualquer hora.

-Já que tem a cor mais poderosa, porque não a usa para tirar esse ser da floresta? – MinSeok perguntou, se afastando da sereia. – Não posso ser o mesmo de antes, são as leis, e se desobedecer uma delas, sou morto. – Ele disse se acalmando, tirando o vermelho de seu rosto e o negro de seus olhos. – E como você mesma disse, eu também não quero morrer.

-Ninguém irá saber. – Uma voz masculina disse, fazendo todo se virarem para o lugar da onde vinha a mesma. – Não deixarei. – O homem vestido todo de preto disse, com as suas asas negras, e bem diferentes das de MinSeok, e dois chifres enormes em sua cabeça. – Assim como você não deixará que nenhuma de suas fadas fofoqueiras espelhe mais merda do que elas espalham.

-O que está fazendo aqui? – MinSeok perguntou, caminhando apressado até a pequena sereia que olhava curiosa para o homem que via pela primeira vez. – Não pode entrar na minha parte, muito menos em minha casa. – MinSeok disse parando em frente à sereia, que bufou por ter sua visão tampada. Enquanto SeHun apenas olhava confuso tudo o que acontecia. – Saia daqui Kris! – MinSeok disse vendo o homem se aproximar de SeHun.

-Então é você que fede? – Ele perguntou a SeHun, que arregalou os olhos, antes de levantar o próprio braço para sentir seu cheiro. – É, você realmente é o humano. – Kris disse sorrindo de lado, arrumando suas roupas antes de se aproximar de MinSeok que protegia com o corpo a pequena sereia. – Vai me esconder essa sereia até quando?

-Por que está me escondendo? – Yeri perguntou, empurrando de leve o corpo a sua frente, podendo ver o ser extremamente alto que a olhava admirado.

-Agora posso ver como suas criações são realmente perfeitas, por isso ficou com o lado brilhoso. – Kris disse admirando a sereia que sorria para a beleza do outro. – E voltando a o que discutiam, eu posso ajudar esses dois a saírem do lado escuro, mais preciso de um favor seu antes. – Kris disse sorrindo para MinSeok que o olhava com raiva.

-E o que seria? – MinSeok perguntou respirando fundo. – O que quer dessa vez?

-Preciso que crie outra fada. – Kris disse sorrindo para a sereia que olhava curiosa para o mesmo. – Mas dessa vez perfeita.

-Para que precisa de outra fada? – MinSeok perguntou, enquanto ia em direção a SeHun que ainda olhava aquela cena com uma careta no rosto. – Não lhe dei várias ontem mesmo?

-Todas com o brilho fraco! – Kris disse se aproximando da sereia, passando de leve as mãos pelo seu rosto. – Preciso do brilho delas para poder trabalhar no que me mandaram.

-E o que mandaram o senhor fazer dessa vez? – MinSeok perguntou chegando perto de SeHun e cheirando o mesmo. – Yeri, ele caiu nas águas negras? – MinSeok perguntou, olhando para a sereia que olhava admirada para as enormes asas negras de Kris. A pequena sereia nem ao menos abriu a boca para responder, balançando a cabeça para cima e para baixo em uma confirmação enquanto passava os dedos entres as penas grossas das asas de Kris. – Kris, se afaste da menina, não quero uma sereia minha na parte negra da floresta.

-Tudo bem. – Kris disse sorrindo, se afastando da menina que balançava a cabeça tonta, cada vez mais que Kris se afastava da mesma. – Mas esse humano precisa de um banho, agora. – Kris disse parando ao lado de MinSeok que ainda olhava atento para o príncipe. – Antes que outros possam sentir. Sabe que cheio da escuridão acaba atraindo seres delas.

-Eu sei. – MinSeok disse sorrindo para o mesmo. – Precisamos devolver ele para Luhan, antes que o mesmo surte. – Diisse virando o príncipe de costas. – Ele não para de pensar nele.

-Como sabe disso? – Kris perguntou olhando o ser brilhoso. – Não consigo enxergar o que você consegue.

-É só prestar mais um pouco de atenção que sentirá a presença dele. – MinSeok disse soltando uma leve risada, virando novamente o príncipe, fazendo o mesmo ficar cara a cara com os dois. – Ele tem a mesma energia que o pai.

-Não consegui conhecer o pai de Luhan. – Kris disse rindo. – Mataram eles antes.

-Me empresta umas roupas suas, acho que ele irá se sentir melhor com suas vestes do que com as minhas. – MinSeok disse, ainda analisando o príncipe. Kris sorriu para o mesmo, antes de um corvo aparecer dentro da casa de MinSeok, assustando a pequena sereia que ainda estava distraída demais com seus pensamentos.

-Peça para separar algumas roupas minhas e trazerem para cá. – Kris disse para o corvo, vendo o mesmo voar para fora da casa. – Como vai fazer para não deixar as memórias dele fugir? – Kris perguntou sorrindo, vendo o desânimo na expressão de seu companheiro.

Acho que vou ter que fazer isso do pior jeito. – MinSeok disse, puxando SeHun para mais dentro da casa, ouvindo Kris rir ao fundo, deixando o ser brilhoso irritado e o príncipe mais confuso do que estava.

 

***


Notas Finais


~postei e sai correndo~
Brincadeiras a parte, vim pedir desculpas pela demora e também pela próxima demora...
Já vou adiantando que vou demorar para postar o próximo capitulo.. ~desculpazinha~
Mas eu realmente espero que vocês tenham gostado...

Bom eu imaginei o MinSeok bem a Sininho do Peter Pan e o Kris tipo a Malévola mesmo... Não posso fazer nada, minha cabeça é louca assim mesmo. E tirando que sempre tem que dar merda, e sempre com os mais novos...
Não juguem a Yeri, ela é um amor, mais é novinha demais pra não se meter em confusão,mais eu adoro ela!

Próximo capitulo é por acaso o último...
Então vejo vocês depois..
Até!!!
Bjss,Mari!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...