História Chase vs Jackson - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Percy Jackson & os Olimpianos
Tags Frazel, Jasiper, Percabeth, Solangelo
Exibições 173
Palavras 2.499
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Sejamos todos gratos a Coca-Cola, ao Avicii e ao Conrad porque me deixaram inspirada e com brilho nos olhos, hoje to só amor.

Capítulo 26 - Lasanha com Coca-Cola


Fanfic / Fanfiction Chase vs Jackson - Capítulo 26 - Lasanha com Coca-Cola

Percy Jackson

 

Por que quando está bom o tempo passa depressa? A última semana de aula antes das férias de inverno voou e foi uma das melhores do ano, não teve para ninguém, maravilhosa. As notas saíram, eu, Annie, Jason e Nico ficamos empatados com as melhores notas da escola, fazer o que se a inteligência estava no sangue da família? Somos os melhores e fim. Em casa foi só comemoração, claro que meu pai ficou muito orgulhoso e minha mãe fez questão de fazer lasanha e também cupcakes azuis, chamei todo mundo para se reunir em casa na sexta-feira à noite para isso. Quando falo todos, não falo apenas de meus amigos, até mesmo Zeus, Hera, Hades e Perséfone foram.

Eu e meus amigos nos reunimos em meu quarto enquanto a comida não ficava pronta, em ocasiões especiais minha mãe dispensava a ajuda da empregada, isso fazia tudo demorar mais, só que para compensar tudo ficava bem mais gostoso.

-Gente deixa eu focar em algo para vocês. -Todos nos viramos para Liam, que foi a desculpa para Annabeth poder vir. O menino já era parte do grupo e para tornar isso literal o colocamos no nosso grupo no wpp. -Estamos de férias porra. -Ele gritou essa última parte e nós o acompanhamos empolgados. Antes de retornarmos as conversas banais, Nico ligou o rádio em um volume consideravelmente alto, mas dá licença, nós podiámos tudo naquele dia.

-Por falar nisso, quais são os planos? -Píper perguntou enquanto se olhava no espelho vestindo uma jaqueta minha, senti que seria roubado.

-Só tenho planos para semana que vem, vou para Dubai com meu pai. Ele falou que depois que voltarmos estou livre para sair com vocês se quiser. Melhor acordo da década. -Falei empolgado.

-Minha mãe queria que eu fosse, papai não deixou. -Annabeth falou sem graça.

-Aí sim em Jackson, vai curtir festinhas em Dubai e sem a Annie, boa, menino. -Leo falou tirando onda com minha cara, fazendo Annabeth revirar os olhos. -Eu pretendo passar as férias em casa trancado em meu laboratório.

-Só não se esqueça que vai comigo passar o natal na casa do meu pai em Los Angeles. -Calipso acrescentou para um Leo que encolheu um pouco.

-Passar o natal com o sogro? Se ferrou em Leo. -Jason fez questão de tirar sarro do nervosismo do menino que não era muito chegado ao sogro. -Eu vou suavemente passar o natal aqui, mas antes disso vou para a África surfar um pouco.

-Quem vê pensa que tu sabe ficar em pé em cima da prancha. -Nico falou deixando um Jason emburrado. -Eu vou em um show da Iron que vai ter na Alemanha junto com meu pai.

-E os dois palhaços vão me deixar para trás. -Hazel reclamou. -Pelo menos a Perséfone me convidou para ir com ela para New York.

-Relaxa, maninha, nós voltamos para o natal.

-Nossas, família de ninguém aqui vai ficar junta durante as férias? -Annabeth perguntou.

-O meu pai não vai tirar férias, então a minha também não vai. -Will falou, desviando um pouco a atenção do celular.

-A minha passaria se tu não tivesse resolvido viajar com as meninas. -Liam falou para a irmã fazendo todo mundo gritar “toma essa”.

-Se fecha, Liam. -Annie retrucou.

-Posso saber onde as coisas lindas irão? -Perguntei afinal Annabeth ainda não tinha me falado nada dessa bendita férias.

-Eu já falei que vou para a África. -Jason falou fazendo todo mundo lhe olhar sem entendê-lo. -O que foi gente? Ele perguntou onde as coisas lindas iriam, deduzi que eu era uma delas. Não sou? Que absurdo.

-Comeu palhacitos, amor? -Píper perguntou finalmente saindo de frente do espelho, ainda com minha jaqueta. Já era. -Vamos fazer um cruzeiro para o Brasil, graças a meu sogrinho lindo.

-Relaxa que voltamos para o natal, Percy. -Annabeth falou deitando-se em minhas pernas.

-E, só para você saber, Percy, seu pai nos chamou para passar o natal com vocês. -Reyna falou.

-Chamou “nós” quem? -Perguntei sem entender.

-Eu, Hylla e o Arthur. -A menina respondeu e eu fiquei extremamente surpreso. -Eu sei… É estranho. Imagina, seu pai e minha irmã já ficaram e ela vai vir passar o natal na casa onde mora ele, a mulher e os filhos.

-Meu Deus… Cadê a normalidade das nossas famílias? -Perguntei inconformado já imaginando o climão que ia ter.

-Relaxa, gente, o tio Poseidon convidou meu pai também, aliás que o natal será na nossa casa da praia. -Hazel falou com cara de tédio. -Vocês são desinformados.

-Como eu não sei disso também? -Nico perguntou encarando a irmã.

-Tudo um bando de desinformado, tio Zeus também foi chamado. -A morena respondeu. -E Apolo também, Annie, não é por nada não, mas você está muito fodida. Ele achou que era uma boa ideia convidar o pai da namorada do filho, assim você viria já que você no caso não tem mãe.

O silêncio reinou enquanto todos viraram para Annabeth que tinha cara de quem viu fantasma. Sabiámos que essa mentira, uma hora ou outra, iria dar merda, apenas esperávamos que demorasse mais um pouco. Comecei ficar mais preocupado do que já estava quando ela começou a empalidecer, corri para a cozinha pegar um copo d’água e aproveitar para chamar minha mãe, ela saberia o que fazer. Ela me acompanhou sem entender nada, mas deixou Hera encarregada de olhar a lasanha no forno.

-Mãe temos um problema. -Falei assim que entramos no quarto, mas não parei, fui direto dar a água para Annie.

-Deixa eu adivinhar, descobriram que Apolo foi convidado para o natal da nossa família? -Minha mãe perguntou recebendo olhares sérios. -Sabia que não iam ficar bem quando descobrissem, mas não consegui impedir seu pai, Percy, sinto muito. Frederick também será convidado, por causa de Liam, e porque seu pai nunca teve nada contra ele, apenas contra sua ex. A família de todos será convidada, isso inclui Apolo, não só por você, Annabeth, mas por Will também.

-Ai meu Deus, estamos muito ferrados, Percy. -Annabeth colocou a cabeça entre as pernas escondendo seu rosto de desespero.

-Ei, Annie, relaxa. A gente acha uma solução. -O consolo não veio de mim, veio de Frank, que era de quem ela precisava, afinal eu era o problema e não sabia uma solução.

Vi minha mãe deixar o quarto de fininho, ela não poderia fazer nada, estava de mãos atadas. Assim como todos naquele quarto. Escorreguei pela parede oposta a Annabeth apenas assistindo Frank, Reyna e Will tentando acalmá-la, vi também que Píper mantinha suas engrenagens a todo vapor tentando achar uma solução para o problema enquanto vinha junto com Jason sentar ao meu lado.

-Já sei. -Píper gritou após alguns minutos em silêncio. -Annie, você pode dizer que vai estar viajando, assim não precisa vir.

-Ainda assim, vai ser suspeito Pípes, o senhor Chase vai estar aqui. Imagina se Poseidon resolve perguntar como está a filha dele? -Will falou.

-Mas ele sabe que a Annie se passa por filha do seu pai, Will, eles só teriam que mentir um pouquinho. -Pípes acrescentou, elas estava um pouco desesperada.

-Essa é a questão, Píper, mentir durante um conversa é fácil, mas a mentira teria que ser sustentada por uma noite inteira e ainda vai ter bebida, algo pode escapar de um dos dois, são humanos afinal. -Falei ainda mais desanimado.

-Eu sei uma solução. -Nico falou sentando-se em minha cama. -Uma solução bem suicida.

-Quer dinheiro para falar ou vai falar logo? -Píper estava começando a se alterar.

-Vamos ter que contar a verdade para o tio. -Nico só podia ter enlouquecido. -Essa mentira não tem mais como se estender. Gente é natal, é época de perdoar e se acertar. Pode ser uma chance de tudo ficar certo de vez. Uma hora vão ter que correr esse risco.

Se eu achava que tava na hora de internar meu primo? Achava. Se eu também achava que ele tinha razão? Com certeza. Se eu conseguia admitir isso? Aí você veja bem… Muito risco. Meu pai iria pirar um pouco, ou muito. Mesmo com os pais separados ela continuava uma Chase. Foi esse pensamento que me trouxe uma moeda para ter em vantagem com meu pai, talvez nem tudo estivesse perdido.

-Gente… Atena não é mais uma Chase… É isso. -Falei expressando meus pensamentos.

-Em linguagem de humanos, por favor, Percy, para que a gente entenda o que diabos quer dizer. -A delicadeza veio da parte de Reyna.

-Meu pai odeia Atena e por isso odiava o sobrenome Chase, mas agora ela não é mais uma Chase e ele até chamou o senhor Chase para passar o natal com a gente. Talvez eles não odeie a Annabeth ao saber que ela é uma Chase.

-Percy, você é brilhante. É por isso que é meu melhor amigo. -Píper me abraçou animada, falei que ela estava se alterando.

-Eu ouvi isso aí, McLean. -Nico falou enciumado. -Mas hoje eu perdoo, eu sei que nos outros dias você prefere eu.

-Vou chamar o tio. -Píper falou já se levantando para chamar meu pai, ela tava pirada.

-Píper não… -Annabeth começou a falar, mas a menina já havia saído. -Estou pronta.

Levantei do meu lugar e fui até ela a puxando para um abraço forte. Acariciei seu cabelo tentando acalmá-la e passar uma segurança que eu não estava tendo. Annie escondeu o rosto em meu peito e ficou em silêncio com a respiração pesada.

-Ei Annie… Olha para mim. -Ela levantou o rosto com os olhos começando a ficar vermelhos. -Ele não vai fazer nada com a gente. Estamos cercado de pessoas que nos apoiam.

Lhe dei um beijo rápido e nos separamos no exato momento em que Píper voltou trazendo meu pai que estava com cara de quem não estava entendendo nada. Senti Annie apertando minha cintura com força antes de se soltar de mim e sentar na beira da minha cama. Meus amigos saíram do quarto, bando de desgraçados porque deixaram Annabeth e eu ainda mais nervosos, mas deu para ver que eles se mantiveram perto do quarto, por debaixo da porta.

-O que aconteceu com vocês dois? -Meu pai nos olhou desconfiados. -Não aprontaram nada de mais né?

-Pai, nós precisamos conversar. E o assunto é sério. -Falei me sentando ao lado da Annie e segurei a mão dela.

-Só me diz logo que essa menina não está grávida. -Ele falou isso com uma ponta de desespero e deixou eu e Annie bem envergonhados.

-Não. Meu Deus, não estou grávida. -Ela falou apressada.

-Graças a Deus, acho que nada pode ser mais chocante que isso então parem de enrolar e falem logo, ainda temos que ir jantar. -Ele encostou-se na parede em frente a minha cama.

-Pai, pelo amor de Deus não pira e nem… -Eu comecei a falar.

-Eu sou uma Chase, meu nome na verdade é Annabeth Chase e não Solace. -Annabeth falou me interrompendo, ela falou tão rápido que quase não deu para entender, mas soube que meu pai entendeu quando ele nos olhou com olhos arregalados e boca aberta.

Annabeth abaixou a cabeça escondendo o rosto com as mãos e eu me levantei mexendo no meu cabelo, nervoso. Meu pai permaneceu em silêncio olhando de mim para ela, mas ele não gritou e nem me bateu, o que eu deduzi que era um bom sinal. Confesso que me assustei quando ele fechou os olhos e sorriu de lado, como se estivesse satisfeito com algo, isso me fez ofegar e com isso Annabeth levantou o rosto para me olhar e também ofegou ao ver o sorriso de meu pai. Imediatamente ela se levantou e colocou-se ao meu lado, esperava o pior, assim como eu.

-Percy… -Meu pai deu um riso leve antes de abrir os olhos para nos encarar. -Por quanto tempo você achou que conseguiria mentir para mim?

-Não sei. -Respondi firme, mas ainda com medo da reação dele.

-Eu já sabia que você é uma Chase, senhorita. -Annabeth o olhou sem entender. -Por isso convidei seu pai e Apolo para o natal, claro que eu gosto deles, mas primeiramente eu queria saber se conseguiriam mentir mais na minha cara. -A voz dele estava tão neutra que eu não conseguia pensar em nada. -Descobri quando vocês estavam no Alasca.

-E não ficou bravo comigo por namorar a filha de Atena?

-Fiquei, na verdade fiquei bem inconformado.

-Mas mesmo assim o senhor não fez nada. -Annabeth falou, sem entender nada.

-Por que eu faria? Não serei burro como meu pai foi, e não, eu não vou explicar o porquê de ele ter sido burro. Eu não fiquei feliz por você me trair do jeito que fez, Percy, você traiu minha confiança, mas eu tive o mar para me fazer entender o porquê fez isso e a sua mãe, é claro. Também sei que ela e Zeus sabem disso desde o princípio, eu fui o único burro que não reparei na semelhanças entre as duas, ou simplesmente me recusei a ver.

-E o que vai fazer agora que eu mesmo te contei a verdade? -Perguntei simples.

-Na verdade quem falou foi a Annie, mas enfim. O que vou fazer? Vou sair e vou comer a lasanha maravilhosa que minha mulher está preparando, assim como vocês. -Olhei para Annabeth que apenas olhava para meu pai sem acreditar. -Vocês não estão pondo fé na minha calma perante a situação né?

-Nem um pouco, senhor. -Annie respondeu por nós dois.

-Vou ser direto, meu pai já me proibiu de ficar com uma pessoa porque não gostava da família dela e isso deu merda, eu não quero o mesmo para o meu filho, mesmo que para mim tenha dado tudo certo no final, afinal estou com uma mulher maravilhosa e tenho três filhos ótimos, eu não quero criar um ciclo. Não farei nada para impedir vocês dois, porque tenho senso, só peço para que nunca mais, Percy Jackson, você minta para mim, dentro ou fora dessa casa. Entendeu?

-Claramente, pai, eu prometo que não farei mais isso. -Falei finalmente sorrindo ao entender que meu pai realmente tinha aceitado.

-E não é só porque eu aceitei que Atena fará o mesmo, continuem tendo cuidado. -Ele falou e nós assentimos. -Agora vamos, o resto da família está esperando para jantarmos.

Ele saiu do quarto e eu puxei Annabeth para um beijo, eu precisava de um beijo, só para ter certeza de que tudo aquilo realmente estava acontecendo mesmo, ter certeza de que ela estava ali. Senti ela sorrindo contra minha boca, quebrei o beijo e a abracei rodando no ar ao mesmo momento em que nossos amigos invadiram o quarto gritando e aplaudindo.

-Okay, okay, agora vamos comer. -Nico falou após um abraço grupal.

Saímos do quarto, todos conversando alto e animadamente, tudo finalmente estava certo, sem mais mentira naquela parte de nossas vidas. Usamos a sala de jantar, afinal era a única que poderia sustentar tudo aquilo de gente, e terminamos nossa semana da melhor maneira possível, com lasanha, Coca-Cola, amigos, família e cupcakes azuis.


Notas Finais


O que acharam? Me perdoaram pelo mês inteiro sem postar?
Beijos da Cla <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...