História The Checkmate - Cameron Dallas - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Cameron Dallas, Zooey Deschanel
Personagens Cameron Dallas, Personagens Originais, Zooey Deschanel
Exibições 292
Palavras 1.352
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 34 - Extra 2



Voltei com mais um!


Olhei para Cameron que saiu do banho fazia pouco tempo, as crianças tinham ido para a casa da avó Ruth enquanto nós teríamos um curto espaço de tempo para comemorar nossos 5 anos de casamento.

— Sabe que vou te foder até não aguentar ficar em pé.

Me arrepio com suas palavras e continuo o encarando como se anciasse o momento o qual ele pularia em cima de mim e me fizesse sua como todas as noites quando temos certeza que nossos bebês estejam dormindo.

— Não precisa ser tão obsessivo assim — Rio baixo.

— Preciso sim, caso contrário você estaria sendo estuprada pela Harry ou transando com o seu antigo vizinho, Luke — Ele debocha me fazendo gargalhar, me viro para o outro lado cortando nosso contato visual. Odeio quando ele fala do Harry.

— Não ouse virar as costas para seu marido, Lissa. Não quero ser obrigado a dar imã de Christian Grey,  Baby.

— Tchau, Cam.

— Por favor, Lissa. Quero tanto te foder que meu pau já lateja por você.

Bufo e me viro de volta, ele está no pé da cama. Dou um sorriso e o puxo para mim fazendo-o cair por cima. Ele já [adorooo😨] está duro e posso saber que está pensando a mesma coisa do que eu, sinto seus lábios gélidos entrarem em contato com minha pele juntamente com algumas gotas.

Seu sorriso é perceptível para mim, ele tem estado muito ocupado esses últimos dias e algo me diz que eu posso deixar os dias dele melhores do que já são. Ele cola nossos corpos como se fôssemos oxigênio e gás carbônico, um precisa do outro.

— Eu te amo tanto, Babe — fazia tempos que ele não me chamava assim, meu coração se derrete conforme os beijos trilhados ao meu pescoço. — Eu amo nossa família...

Dou um sorriso.

— Eu amo você também, Cam.

Então nossos lábios se encontram como se não conseguíssemos respirar, ele me atacou com voracidade e quem disse que não gostei? Me sinto a Anastácia de 50 tons de cinza, sério mesmo.

Ele tira meus shorts e aproveita minha posição para me beijar mais um pouco antes de entrar dentro de mim, ele me penetrou com toda a força que não foi possível conter um grito. Ele leva seus braços aos meus e os prende a cima da minha cabeça, seus lábios vão para meus seios médios e mordem minhas mamas como um bebé procurando leite.

— C-Cameron...

Ele gosta quando eu gemo seu nome, ele gosta quando eu o beijo, ele gosta quando tomamos banho juntos. Cameron gosta de tudo que faço junto a ele, esse boboca.

Estou tão feliz, queria poder esfregar essa felicidade na cara da mocreia da Angel Patel. 


☆ ☆ ☆


Eu estava lendo algumas cláusulas quando a porta de meu escritório se abriu batendo na parede. Ergo os olhos. Jeremy Bieber e seu filho.

— Ambrose — Ele sorri falsamente e olha para o pirralho — diga parabéns ao meu filho, ele completou 7 aninhos. Quando ele completar 14 vou oferecer a primeira puta que ver.

— Não é assim que se educa uma criança — berro. — idiota.

— Mas o filho é meu, eu edição como bem entender.

Revirei os olhos e fiquei no pequeno que pareceu alheio a situação que apenas brincava com o que parecia uma vagina de plástico e um pênis do mesmo material.

— Vai corromper a criança — cruzei os braços voltando a olhar para ele.

— Não tem problema, como ele será o rei dessa porra de cidade se não  foder com as putas?

— Putas! — gritou o pequeno Justin. — Eu quero foder putas.

Vou até ele e me ajoelho.

— Por quê?

Ele se confunde todo e pensa por alguns segundos, depois me olha e responde:

— Porque vou ser o rei.

— E quem será a rainha?

Novamente ele pensa um pouco e me olha sorrindo safado, me assusto por uma criança dessa idade saber o que está fazendo.

— Você.

— Justin, ela é casada e tem filhos — responde Jeremy sorrindo ao provocar.

— Mas eu quero ela! — e bateu o pé no chão.

Jeremy deu um passo para frente e algo em mim ensiste em dizer que ele já tinha cronometrado cada diálogo que eu e Justin trocamos agora a pouco.

— Mas pode ficar com uma das filhas dela.

— Como é?! — explodo. — deixe minhas crianças fora dessa merda, eu quero você longe delas senão...

— Você não manda em mim, e você terá que ceder uma de suas filhas — Ele me corta — está no contrato que só podemos governar até 18 anos, já se passaram 5, temos 13 anos para juntar sua filha com meu Justin.

— E qual delas?

— Não sei, Justin irá escolher quando chegar a hora.

— Não — digo me sentado — Por favor, minhas pequenas preciosas não.

— Relaxe, preciso mesmo que façamos isso. É a única solução caso não queira Nash como o novo chefe da ICC.

Congelo, Nash é um péssimo lidar de negócios e seria um péssimo gângster se contar pela sua maneira de agir e sorrir por qualquer medra que vê na frente.

— Só me prometa que vai mesmo cuidar da escolhida, por favor.

— O que você acha Justin?

— Eu vou poder foder a boceta dela? — Ele pergunta, nunca quis bater numa criança mas agora há indícios de eu querer de repente.

— Não — digo — vocês se casarão mas não poderá encostar nem se quer um no outro.

— Você estragou a coisa. — reclamou Jeremy. — ela seria uma espécie de puta fixa.

— Não chame minha filha de puta seu... — sou interrompida por uma cabeça que entra pela porta, essa não. Cassie — oi meu amor.

— Mamãe, Nash está chorando — ela disse normal, alheia a tudo como sempre — Ele tentou roubar aqueles negócios de papel e fumaça que a vovó bota na boca e bati nele.

Sinto um indício de riso de Jeremy, Justin não tira os olhos de minha pequena Cassandra.

— Você bateu nele? — perguntou o pequeno para minha filha. — ele só ia fumar.

Ela se vira para ele.

— O que é fumar?

— Não sei, papai disse que é colocar esse negócio de papel na boca e arrotar fumaça — ele responde dessa vez alegando para Jeremy, ele sorri e olha para mim antes de perguntar a minha Cassie: — quer ser minha mulher?

Então Jeremy explode em risos e berros estranhos que quase me fizeram rir junto a ele, por que Justin tinha que escolher justo ela? Que era tão frágil quanto as outras?

— Lamento, Jus. Cassandra não...

— Aceito — Cassie diz sorrindo para ele e oferecendo um pirulito que ganhara de Robert antes de entrar.

Justin sorriu e abraçou Cassandra de lado apertando-a contra seu corpo pequeno e magro mas ainda era possível ver alguns músculos e tatuagens — de mentira, acho que daquelas que vem no chiclete — em seus braços e pernas.

Justin ela muito lindo para sua idade, choquei-me.

— Não — É a única coisa que sai de meus lábios.

Cassandra me olha, dessa vez ela me mostra uma expressão desejosa algo que ela, nunca, tinha mostrado antes na minha frente.

— Eu quero casar com esse menino.

— É — disse Jeremy gargalhando feito uma iena engasgada com a própria língua — ela concordou, a menos que queria seu filho...

— Eu já entendi — digo.

1...

2...

3...

4...

5...

6...

7...

8...

9...

10...

— T-tudo bem — sinto as lágrimas teimarem a nascer em meus olhos. Filho da puta. — Cassie, você vai me perdoar?

Ela me olha e sorri murmurando um "Siiiiiiiim, mãe".

Assim que chegamos em casa corro para Cameron e digo tudo o que aconteceu. A única maneira de acabar com isso é fugindo da cidade.

Nos mudamos para bem longe, para um lugar onde nem Jeremy nem seu filho possam nos achar.

— Ele não vai encontrar Cassie.

Certo. Ele nunca vai encontra-la.










Mas e se Cassie encontrar com ele?


Voltei com mais um extra!

Nem acredito no que acabei de escrever, resolvi mudar a história da Checkmate - Justin Bieber e consequentemente a maioria das coisas a respeito da nossa Cassie dodói e frágil.

Acho que vou mudar a opção dela ser a Kaya, vou será que coloco a Fernanda Vasconcellos? (Ela é linda pra caralho, vey).

O que acham do capítulo? E da mudança de planos?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...