História Cheerleader - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Chaz Somers, Drama, Mentiras, Romance, Rowan Blanchard, Segredos
Exibições 364
Palavras 3.189
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu gostaria de agradecer todos os comentários e favoritos! Eu adoro vocês, vocês não tem noção.
Não esqueçam de ser as notas finais, tenho uma coisa importante para falar para vocês!

Beijos!

Capítulo 10 - Cheap shot, Bieber


 

Kate Lewis Point Of View

Meu coração palpitava rapidamente e já sentia o suor descendo pelo meu rosto e entre meus peitos. Meu coração batia a cada batida da música alta que soava pelos altos falantes do meu quarto. Apertei o botão para pausar a música e me sentei na cama.

Passei as mãos em meu rosto, tentando tirar todos os resquícios de suor que estavam naquela região, mas não foi possível. Levantei da cama na intensão de entrar no banheiro e tomar banho, mas as batidas em minha porta me fizeram parar no meio do caminho e bufar. Gritei um 'entre' fazendo a pessoa abrir a mesma e entrar. Como eu estava tirando a roupa das líderes de torcida, não dei a mínima atenção para quem estava entrando no me quarto, a partir do momento em que senti o cheiro daquele perfume.

Levantei minha cabeça de imediato e fitei aquele ser na minha frente, que naquele momento estava me comendo com os olhos.

- Perdeu alguma coisa aqui? - Apontei para meu corpo e fui em direção ao closet, pegando um roupão, para que ele cobrisse meu corpo.

- Eu queria conversar com você! - Ouvi sua voz e voltei para meu quarto, parando na sua frente.

- Mas eu não estou afim de conversar com você, então por favor, se retire. - Apontei para a porta e depois segui em direção ao banheiro.

- Você está sendo uma criança, Kate! - Ouvi sua voz se aproximando da porta do banheiro, na qual eu fiz questão de trancar. - Pelo amor de deus, eu quero apenas conversar com você! - Deu um soquinho na mesma.

- Eu não quero conversar com você, Justin! Vai embora, por favor! - Gritei de dentro do banheiro e apenas ouvi ele lascando um soco na porta e depois a porta do meu quarto ser fechada com força. - Parece que não tem geladeira em casa. - Sussurrei para mim mesma e soltei uma risada fraca.

Sentia a água quente descendo pelo meu corpo tirando qualquer tipo de suor dele. Passava as mãos ensaboadas pelo corpo e sentindo o aroma de morango entrar pelas minhas narinas. Depois que minha mão já estava limpa, sem nenhum resquício de sabão, pus minhas mãos em meus lábios e comecei a lembrar do que aconteceu ontem, depois da aula.

Ia pedir para que ele me soltasse, porém não cometi tal ato assim que senti seus lábios encostarem nos meus. Arregalei meus olhos mas em nenhum momento me separei dele, olhei para trás e vi que Lia estava com um sorriso enorme no rosto me fazendo revirar os olhos.

Senti suas mãos em minha cintura me fazendo fechar os olhos e por minhas mãos em seu pescoço. Percebi que ele tinha aberto um sorrisinho durante o beijo por perceber que eu tinha retribuído e andou, com os lábios colados nos meus, até a parede ao lado dos armários. Encostou minhas costas com calma na parede e intensificou o beijo, fazendo meu coração bombear sangue mais rápido.

Suas mãos apertavam minha cintura com força e eu arranhava sua nuca. Estava tão bom mas parecia ser tão errado. Não que eu estivesse cometendo um crime, mas sim por estar quebrando meu orgulho. Eu não estou apaixonada pelo Justin, eu posso sentir algo por ele, um desejo? Talvez, mas eu não sinto nada mais que isso.

Tirei minhas mãos de seu pescoço e as levei até seu peito, o empurrando!

- Não posso fazer isso. - Disse olhando para ele, que estava com os lábios vermelhos.

- Por que não? - Franziu o cenho.

- Porque eu não quero! - Aumentei o tom de voz e sai de perto dele, pegando minha bolsa que tinha caído no chão e andei em direção ao portão de saída.

Desliguei a ducha e sai do box, me secando e pegando o roupão de novo, pondo ele no corpo e saindo do banheiro logo em seguida. Assim que saí do banheiro dei de cara com o Justin sentado na minha cama, olhando para um ponto fixo e a porta fechada.

- A propósito, eu tenho sim geladeira em casa! - Desviou o olhar do chão e virou para mim.

- Como que você... - Me interrompi. - Eu não me importo! - Dei de ombros e entrei no closet, pegando um babydoll e um lingerie e pondo no corpo, voltando para o quarto.

- Você pode, por favor, me ouvir? - Perguntou e eu neguei com a cabeça, indo pegar minha roupa de líder de torcida e jogando no cesto de roupa suja. - Por Deus, Lewis! Você é a pessoa mais insuportável desse mundo. - Disse me olhando e passando as mãos na cabeça nervoso.

- Posso conviver com isso. - Dei de ombros novamente e me apoiei no batente da porta e o olhando com uma sobrancelha erguida. - Eu já falei que não quero conversar com você, ainda tenho que terminar a coreografia das líderes de torcida e tenho coisas mais importantes para fazer do que ficar conversando com você. - Lhe lancei uma piscadela e fui em direção a porta, porém ele pegou meu braço e me puxou para perto dele.

- Você, antes de fazer isso tudo, vai me ouvir e vai entender o por que de eu querer te beijar e de me aproximar tão de repente. - Olhei para sua mão que estava prendendo meu braço e olhei para seu rosto, ele entendeu que era para me soltar e assim ele fez.

- Eu não quero te ouvir e nem quero entender o por que de você ter se aproximado de mim e para mim, aquele beijo, não aconteceu! - Vi seu olhar de decepção mas ele não perdeu a pose de machão.

- Não era isso que seu corpo estava dizendo. - Disse se aproximando de mim.

- Meu corpo pode dizer uma coisa, mas minha cabeça e meu coração dizem outra coisa que é completamente diferente! - Me afastei dele e ele me puxou novamente para perto dele.

- Para de se fazer de difícil! - Não deixei ele terminar.

- Eu não me faço de difícil, eu sou difícil! - Dei uma pausa. - Eu não quero ficar perto de você, Justin! - Puxei meu braço, fazendo ele me soltar.

- Por quê? - Olhou para dentro dos meus olhos.

- Primeiro: Você mentiu para mim, você disse que não estava tendo nada com ninguém, mas sim, você estava tendo algo. - Disse olhando para ele. O mesmo ia protestar, mas eu não deixei. - Segundo: Tudo bem, Justin. Eu agradeço por você ter me ajudado com o trabalho mas não vai passar disso. - Disse olhando no fundo dos olhos dele, ele soltou uma risada irônica e eu levantei uma sobrancelha para ele.

- Você acha que eu queria algo a mais? - Perguntou. Eu assenti com o cenho franzido e ele continuou rindo da minha cara. - Lewis, você é a pessoa mais ingênua do mundo! - Passou as mãos na cabeça e depois me olhou rindo.

- Então, o seu plano, era me levar para cama e depois pouco se foder para mim? - Perguntei, levantando uma sobrancelha.

- Foder, eu já estaria te fodendo. - Me lançou uma piscadela e eu prendi o riso.

- Você sabe que foi uma piada super ridícula, não sabe? - Perguntei e ele revirou os olhos e foi para perto da porta.

- Você ainda vai me ouvir, e quando me ouvir, vai voltar abanando o rabinho para mim. - Abriu a porta e saiu.

- Não sonha muito alto, o tombo pode ser grande! - Gritei e ouvi um "Não ligo" sendo gritado do outro lado da porta do meu quarto.

Balancei a cabeça, na intensão de tirar tudo aquilo da minha cabeça.

[...]

Entrei no colégio e fui em direção ao ginásio, para que eu pudesse mostrar para a equipe minha coreografia que tinha criado durante a noite, porém meus olhos estavam quase fechando. Eu não dormi essa noite por conta da coreografia, não dormi por conta da conversa com o Justin e não dormi por ter muita coisa na minha cabeça.

Esbarrei em alguém - coisa que ultimamente eu ando fazendo até demais -, depois ouvi seu murmuro da pessoa.

- Vamos procurar um oftalmologista, ta precisando! - Lia deu dois tapinhas no meu ombro e eu apenas assenti.

- Não me enche, eu não dormir e não estou disposta. - Disse me sentando na arquibancada, sendo acompanhada por ela.

- Vai na sorveteria hoje? - Perguntou e eu neguei. - Como assim?! - Aumentou o tom de voz e eu empurrei sua cabeça pra longe de mim.

- Para de gritar, doente. - Ela apenas riu e eu revirei os olhos.

- Como assim você não vai na sorveteria? - Perguntou com um tom baixo.

- Simples, eu não vou! - Revirou os olhos e eu fiquei olhando para ela com uma sobrancelha erguida.

- Ok, se você não está disposta, por que veio pra aula? - Disse me olhando e entrelaçando suas mãos e apoiando sua cabeça nelas.

- Eu criei uma coreografia para a competição internacional de líderes de torcida e tenho que mostrar hoje para vocês. - Disse dando de ombros e pegando meu celular.

- Mas hoje é sexta, não tem treino. - Disse como se fosse obvio e eu assenti.

- Eu sei, não sou burra. Mas eu preciso mostrar pra vocês essa coreografia hoje! - Ela abriu os braços em forma de rendição e assentiu.

- Tranquilo então, mas você vai para a sorveteria no fim das aulas! Vê se fica tranquila nas aulas de química e história, você já criou muito problema com eles. - Me lançou uma piscadela e eu assenti, revirando os olhos.

Ficamos conversando sobre o que tinha acontecido ontem e eu quis mudar de assunto assim que o indivíduo tinha entrado na quadra para treinar com o time de basquete. Hoje seria o dia deles treinarem, um dos motivos de eu ter escolhido mostrar a coreografia para as meninas.

Desci as escadas da arquibancada e me posicionei no meio da quadra, fazendo com que os garotos olhassem para mim com uma sobrancelha erguida e o cenho franzido.

- Você sabe que não tem treino das líderes de torcida, não sabe, Lewis? - Um garoto do time de basquete perguntou e eu apenas assenti.

- Sim, mas hoje vai ser das líderes de torcida! - Afirmei, sentindo Lia vir para meu lado e apenas me dar soquinho na barriga.

- Vai sonhando, Lewis! - Justin riu e começou a quicar a bola no chão e ir em direção cesta.

- Não sou que nem você, Bieber! - Lhe lancei uma piscadela e ele parou de correr e veio na minha direção, tirando a blusa bem na minha frente, mostrando todos os seus gominhos maravilhosos.

Golpe baixo, Bieber

- Nem me conhece e acha que pode se comparar a mim. - Se aproximou.

- Nunca, em toda a minha vida, eu me compararia a uma pessoa tão baixa como você. - Minha voz foi falhando conforme ele foi se aproximando de mim.

- Não foi isso que você achou quando me beijou ontem no corredor. - Disse me olhando com um sorrisinho ridículo no rosto e várias pessoas começaram a murmurar.

- Você é tão covarde que não tem nem coragem para admitir que quem me beijou, foi você! - Apontei para ele, fazendo Lia soltar uma gargalhada por conta da cara que Justin fez.

- Tentando esconder, Lewis? - Disse se aproximando mais. Antes que eu pudesse responder, Lia interrompeu a conversa.

- Ela não ta tentando esconder nada, mas alguém aqui sim. Não é mesmo, Bieber? - Perguntou e eu ri.

- Não tenho nada para esconder, nada! - Me lançou uma piscadela e chamou os garotos para treinarem. - E a propósito, a quadra hoje é nossa, não sua! - Abriu um sorrisinho convencido e começou a jogar com os garotos.

Revirei os olhos e girei meus calcanhares e comecei a andar em passos rápidos em direção a sala onde eu ia ter aula agora.

- Dá para você se acalmar? - Perguntou puxando meu braço para que eu parasse de andar.

- Eu tenho aula agora, não posso me atrasar. - Continuei andando.

- E desde quando você liga para isso, Kate? - Perguntou parando de andar, me fazendo parar de imediato.

- Eu não estou bem hoje, Lia. Por favor, tem como você considerar? Só hoje? - Perguntei e ela assentiu, mas me puxou para um abraço, não retribui e continuei do mesmo jeito que estava.

- Dá para você me abraçar ou está difícil? - Ri e retribui o abraço. - Muito obrigada! - Riu e se afastou de mim. - Mas você vai hoje na sorveteria depois do colégio, mesmo que tenha que ser amarrada, você vai! - Me mandou um beijo no ar e saiu correndo sem me dar tempo para protestar, apenas assenti e comecei a rir.

Fui em direção a sala e entrei na mesma, revirando os olhos dando de cara com o professor de História, ele olhou para minha cara e apontou para a porta atrás de mim.

- Você não frequenta mais as minhas aulas, Lewis! - Disse tranquilamente e eu ri, indo em direção a última cadeira. - Eu estou falando sério! - Continuou falando enquanto eu percorria a sala para sentar na cadeira.

- E eu por algum acaso disse que não era sério? - Levantei uma sobrancelha e me sentei na cadeira.

- Saia! - Aumentou o tom de voz e eu continuei rindo.

- Você acha que engrossando e aumentando o tom de voz vai me fazer me sentir ameaçada? - Perguntei, apoiando o cotovelo na mesa e minha cabeça em minha mão.

- Não estou te ameaçando nem outra coisa, só estou pedindo que você tenha uma atitude civilizada e tenha a educação que seus pais te deram e se retire da minha sala! - Apontou novamente para a porta. Olhei ao redor e a turma toda estava admirando aquela mini briga e esperando a minha resposta.

- Meus pais me deram educação sim, mas eles também me ensinaram a usá-la com quem merece. - Lhe lancei uma piscadela e todo mundo da sala começou a gritar um "uh" para ver o que o professor ia responder, ele não respondeu nada e fez com que a aula continuasse.

[...]

As aulas acabaram e não aconteceu nada demais além daquela minha briga com o professor de história. Encontrei com Lia na saída do colégio e agora estamos indo em direção a sorveteria. Deixei meu carro no estacionamento do colégio, já que a sorveteria é a três quadras daqui.

Um carro parou ao nosso lado e o vidro do passageiro foi abaixado e Chaz apareceu dentro daquele veículo, porém quem estava dirigindo era Justin. Revirei os olhos e continuei a andar, porém eles nos acompanhavam.

- Querem carona? - Justin perguntou.

- Pra que? Deus me proporcionou duas lindas pernas para que eu pudesse andar, para que eu iria ficar pegando carona com idiotas? - Perguntei levantando os ombros e ouvi Justin bufar e tirar o óculos.

- Sabe o que é isso? - Chaz começou a falar e Lia tampou os ouvidos para não ouvir. - Isso se chama amor! - Revirei os olhos e Lia começou a rir da cara de sonso que Chaz fez.

- Isso não se chama amor, e sim preguiça de andar! - Disse apontando para Justin.

- Não entendi! - Lia virou para mim e eu apenas ignorei.

- Vocês vão entrar ou não? - Chaz perguntou e Lia assentiu.

- Diz apenas por você Lia, eu vou a pé! - Disse e Lia apenas assentiu e entrou no carro, me deixando sozinha.

Que amiga maravilhosa é essa que eu tenho!

Revirei os olhos e continuei andando. Porém Justin continuava me seguindo com o carro.

- Entra logo! - Chaz afinou a voz e eu me fiz por vencida e fui em direção a porta de trás, porém Chaz abriu a porta de onde ele estava sentado. - Senta aqui, Kate! - Revirei os olhos mas não protestei, estava cansada demais para protestar algo.

Entrei no carro e olhei de soslaio para Justin, que tinha aberto um sorrisinho de lado e aumentado o volume da música. Bufei e encostei minha cabeça na janela, vendo tudo do lado de fora passar como se fossem borrões.

Justin virou a esquerda e deu de cara com a sorveteria. Estacionou o carro em algum lugar e saiu do carro, vindo na minha direção para abrir a porta. Assim que ele abriu a porta, eu passei reto por ele sem agradecer nem nada.

Não pedi para ele tentar ser cavalheiro!

Entrei na sorveteria e fui em direção ao balcão, fazendo meu pedindo e indo me sentar em alguma cadeira. Esperei os três fazerem seus pedidos e peguei meu celular, analisando a coreografia que tinha criado. Eu gravei para conseguir gravar os passos e depois mostrar para todas as garotas da equipe.

Vi que Justin estava vindo em minha direção com dois sorvetes em sua mão, um era meu e outro era dele. Ele me entregou e sentou ao meu lado.

- Obrigada, mas não pedi para você buscar nada para mim! - Disse olhando para ele com um sorriso cínico no rosto e peguei o sorvete e comecei a comê-lo.

Chaz e Lia vieram em nossa direção e eu abri um sorriso pequeno para Lia. Ela me olhou com o cenho franzido e eu olhei para meu lado, como se estivesse apontando e ela assentiu.

- Justin, tem como eu sentar ai? - Perguntou e eu olhei para ela com uma sobrancelha erguida como se estivesse perguntando "É sério?"

- Não, por quê? - Perguntou e eu bufei, me encolhendo na cadeira.

- Tenho que conversar com a Kate! - Disse apontando para mim.

- Ok, mas tem outra cadeira ao lado dela. - Disse apontando para a cadeira ao meu lado e se eu fosse de desenho animado, eu estaria com a cara toda vermelha - De raiva -.

- Mas me conte, Bieber. Como é beijar Kate Lewis? - Tinha que ser o Chaz.

- Não interessa, Chaz! - Aumentei meu tom de voz, fazendo algumas pessoas olharem para nossa mesa.

- Ele não perguntou para você, Lewis! - Bieber olhou para mim. - E é horrível, além dela beijar mal, ela não tinha escovado o dente. - Arregalei os olhos e pensei em uma coisa maravilhosa para fazer, para que ele pagasse por essa mentira.

- Sabe uma coisa? - Ele negou e eu mandei ele levantar, ele o fez. - Seu cabelo está muito lindo hoje, sabia? - Ele assentiu e abriu um sorriso. - Mas ele ficaria melhor com mais uma coisa.

- O quê? - Perguntou, com uma sobrancelha erguida.

Uma coisa chamada - Joguei o sorvete todo do meu pote, em cima do seu cabelo. -, sorvete!


Notas Finais


Vamos para a notícia ruim! Eu não sei, realmente, se vou continuar com a fanfic! Não é por conta de poucos comentários ou coisa do tipo, mas sim porq eu não estou gostando da minha escrita nem do rumo que essa fanfic está tomando! Eu tenho um monte de ideias para essa fanfic, mas não consigo colocá-las no papel.

Eu vou começar a escrever outra fanfic - se eu conseguir e se eu tiver tempo também -, que uma amiga minha está pedindo muito para que eu escreva e poste ela! Ela se chamará "Por trás da sua pele" eu cheguei a postá-la aqui, mas não sabia como continuá-la mas agora eu sei.

Eu estou bastante triste por ter que me separar dessa fanfic, eu ainda estou pensando se vou parar de escrever ou não. Também ando sem tempo para escrever os capítulos, esse era o último capítulo que eu tinha pronto, até tentei começar o "12" mas não consegui.

Espero bastante que vocês me entendam! Estou bastante triste por ter que me desapegar dela mas é isso. Vou pensar direitinho e caso eu não vá continuar com ela, eu posto um capítulo aqui dizendo tudo.

Adoro vocês e está mais um capítulo grande e foi um dos mais engraçados que eu escrevi, eu adorei! Sim, enrolei um pouco no rumo dele mas eu gostei bastante. Um beijo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...