História Cheerleader - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Chaz Somers, Drama, Mentiras, Romance, Rowan Blanchard, Segredos
Exibições 297
Palavras 3.718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


JÁ DISSE QUE ADORO VOCÊS?!!!!!!???!!! meu deus como eu fiquei feliz ao ler os comentários de vocês me incentivando a continuar com a fanfic! nossa cara, eu adoro cada um de vocês, cada um que favorita e cada um que comenta! eu adoro vocês mesmo! nossa muito obrigada.
eu vou sim continuar com essa fanfic!
e uma noticia ruim é que nesse cap não teve otp massssssssssss no próximo vai ter, e muito!
eu amo vocês
beijão

Capítulo 11 - Let's play truth or dare.


 

Kate Lewis Point Of View

Lia andava atrás de mim batendo os pés e bufando a cada cinco segundos que passava. Já eu, revirava os olhos a cada lufada de ar que ela dava. 

Estávamos indo em direção ao colégio para poder pegar meu carro - que eu tinha deixado lá. - para podermos voltar para sua casa. 

- Você só faz merda! - Revirei os olhos pelo seu comentário ridículo e totalmente desnecessário. 

- Eu não faço merda! - Parei de andar e me virei para ela, para que ela visse que eu estava falando a verdade. 

- Sim, você faz! - Cruzou os braços. - Você viu o que você fez com o Justin a alguns minutos atrás? - Perguntou e eu levantei uma sobrancelha não entendendo o porquê desse sermão todo. 

- Vi. Não me arrependi e faria de novo! - Lhe lancei uma piscadela e voltei a andar, porém ela pegou no meu braço me impedindo de continuar meus passos. 

- Essa não é a Kate Lewis que eu conheço. - Disse apontando para meu corpo. 

- Essa é realmente a Kate Lewis que você conhecia. - Puxei meu braço, fazendo ela me soltar e voltei a andar, porém ela continuou no mesmo lugar. - Se você quiser carona, me segue! Se não, continua ai no meio da rua esperando alguém vir te buscar. - Olhei para ela e ela revirou os olhos e se deu por vencida, vindo em minha direção. 

Chegamos no colégio e procurei meu carro, achando o mesmo e indo em direção a ele. Olhei para trás, tentando achar Lia. Como que ela sumiu assim, do nada? Olhei por todos os lado e não a achava. Revirei os olhos e pensei na possibilidade dela estar dentro do colégio. 

Comecei a andar em direção a porta de entrada do colégio, fazendo o porteiro me olhar e franzir o cenho. 

- Senhorita Lewis, o que faz aqui, no turno da tarde? - Perguntou e agora fui eu quem franziu o cenho, como ele sabe meu sobrenome? 

- Eu estou procurando uma amiga minha. Eu sai e deixei meu carro aqui no estacionamento! - Ele apenas assentiu e me deixou entrar. 

Acelerei meus passos, na intensão de chegar em casa logo. Eu estava morrendo de sono. Procurei ela por todos os lados daquele colégio e não a achava em nenhum lugar. Já estava sentindo minhas pernas pedirem por descanso quando encontro ela de amasso com um garoto do time de basquete. 

- Olha! Eu estava começando a achar que você estava tendo algo fixo com o Chaz, mas acho que me enganei! - Andava em sua direção cruzando os braços. 

- Você não sabe quase nada da minha vida agora! - Disse parando de beijar o garoto e me olhando. 

- Lia, por Deus! Para de querer bancar a durona comigo porque você sabe que não vai conseguir. - Disse e ela apenas assentiu. 

- Eu não estou querendo bancar a durona com você não, nunca tentaria isso! Mas eu apenas quero que você pare e reflita nos seus atos ultimamente. - Disse apontando para meu peito e eu revirei os olhos. 

- Eu cometi algum crime? - Perguntei e ela negou. - Traí alguém? - Negou novamente. - Então, por que eu tenho que refletir no que eu ando fazendo? - Perguntei não entendendo e ela passou as mãos na cabeça, ficando nervosa. 

- Chad, depois nos falamos! - Olhou para ele e ele apenas assentiu. Prendi o riso por perceber que o nome do garoto era parecido com o do Chaz. 

- Chad? Sério, Lia? - Perguntei e ela me olhou e fez um sinal para que eu não contasse nada para o Chaz. - Depois eu quem tenho que parar e refletir nos meus atos. - Dei de ombros e girei meus calcanhares, indo em direção a porta na intensão de ir para meu carro. 

- O Chaz não quis falar comigo depois da sua cena ridícula na sorveteria. - Abaixou o olhar - Eu precisava afogar minhas magoas. - Deu de ombros. 

- Bebida tá ai pra isso, sabia? - Perguntei e ela me olhou com uma sobrancelha erguida. 

- Eu não sou você, que gosta de ficar bêbada ao ponto de fazer algo que nem vai lembrar no dia seguinte. - Botei a mão no peito e fiz cara de dor, como se aquilo tivesse me doído.

- Poderia ter sido um tiro certeiro, mas eu lembrei que não me importo. - Abri um sorriso irônico e ela começou a rir. 

- Já mandaram você ir a merda hoje? - Neguei. - Vai a merda! - Me disse e eu revirei os olhos, soltando uma risada fraca. 

- Tá, agora vamos para casa, estou precisando tomar um banho e me jogar na cama. - Já tínhamos entrado no carro e eu tinha encostado minha cabeça no encosto do banco, fechando os olhos. 

- Não sei se você sabe, mas...- A interrompi. 

- Pelo amor de Deus, não me fala que tem alguma coisa para fazer hoje! Hoje é sexta feira. - Levantei minha cabeça, ficando um pouco tonta por conta da rapidez e a olhei. 

- Exatamente por isso. Hoje é sexta! Vamos nos divertir. - Bufei e apenas assenti. 

- Ok, mas só me acorda quando for para sair, eu preciso dormir! - Disse olhando para ela e ela apenas balançou a cabeça afirmando. 

Liguei o carro e fomos em direção a minha casa. No caminho eu comecei a pensar no que eu tinha feito com o Justin e sua reação assim que eu taquei o sorvete em seu cabelo lindo! Eu não vou para o céu. Abri um mini sorriso, lembrando também do nosso beijo. 

Foi bom? Foi! Mas eu não posso ficar pensando no maior erro da minha vida. Eu não posso me relacionar com ele nem por nada. Eu sou a chefe das líderes de torcida, não posso começar a me relacionar com um garoto da equipe de basquete e também não posso ir contra a minha própria regra. 

Eu sou uma pessoa horrível! 

- Mundo chamando por Kate! - Percebi que o carro estava parado e Lia estralava os dedos em frente ao meu rosto. 

- O que? - Perguntei olhando para ela. 

- Já chegamos! - Apontou para o seu lado da sua janela e eu percebi que era minha casa. Franzi o cenho e apenas assenti, destrancando as portas e saindo do carro. - Você anda muito distraída! - Disse rindo da minha cara e eu apenas bufei. 

- Ah, me deixa! - Abri a porta de casa, dando de cara com meus pais na maior pegação no sofá. - Não sei se vocês sabem, tem a merda do quarto de vocês! - Eles pararam de se beijar e minha mãe levantou, com o batom todo borrado e meu pai com um sorriso sacana no rosto. 

- Você já chegou! - Disse olhando para mim e tentando limpar a boca. 

- Vai no banheiro! 

- Eu vou sim. - Assentiu e mandou um "tchauzinho" para Lia, que estava atrás de mim, tentando segurar o riso. 

- E você, Pai! - Ele me olhou, com uma sobrancelha erguida! 

- Ah vai me dizer que você nunca transou, Kate? - Perguntou e Lia começou a rir atrás de mim. 

- Oi, Tio Marcos. - Acenou para meu pai, que retribuiu o aceno. 

- Pai, as vezes você não parece o meu pai! - Disse indignada. 

- Você nunca transou não, Kate? Você é virgem? Bv também? - Perguntou e Lia já não se aguentava mais em pé de tanto que ria. 

- Para de rir Lia, que constrangedor! - Disse olhando para ela e a mesma tentou parar de rir, mas não conseguiu. - Pai, eu vou sair hoje, não sei que horas eu volto. - Disse olhando para ele e ele apenas assentiu. Mas tinha que ter um comentário ridículo. 

- Só não esquece a camisinha! - Disse e eu peguei uma almofada jogando em sua direção e ele apenas a pegou rindo. 

Fui andando em direção a escada, sendo seguida por Lia, que ainda estava rindo. Entrei no meu quarto e fechei a porta com toda a minha força! Meu pai as vezes não parece o meu pai, ele parece mesmo um irmão que só quer tirar onda com a cara da irmã.  Revirei os olhos e olhei na direção de Lia, que estava ainda tentando prender o riso. 

- Você poderia parar de rir, não poderia? - Perguntei e ela tentou responder, colocando as mãos em sua barriga. 

- Seu pai, é muito engraçado, eu quero ele pra mim! - Disse apontando para a porta. 

- Pode ficar com ele, ele é todo seu! - Soltei um riso fraco e me sentei na cama. 

- Você tem que tomar banho! - Lia disse se recuperando. 

- Eu sei

- Mas você já está deitando! - Afirmou. 

- Eu sei! 

- Para de ser porca. - Me puxou para fora da cama. 

- Para de ser chata! - Levantei da cama, tirando minha roupa, ficando apenas de lingerie. 

- Amiga, se eu fosse homem eu te pegaria, mas te pegaria de jeito! - Disse olhando para meu corpo e mordendo os lábios. 

- Você é estranha! - Ela apenas assentiu e depois soltou um riso fraco. 

- Ok, mas vai tomar banho! - Disse, se deitando em um lado na minha cama, e pegando seu celular e começando a mexer no mesmo. 

Entrei no banheiro, depois de ter pego tudo que eu ia precisar, tirei minhas roupas íntimas, jogando-as no cesto de roupas, ligando a ducha e entrando debaixo da mesma. 

Comecei a refletir em tudo que eu tinha feito até agora em relação ao Justin! Sim, eu fui uma filha da puta, jogando o sorvete em cima de seu cabelo, mas ele também provocou. Por que todo mundo fica colocando a culpa em cima de mim e simplesmente esquece de tudo que ele anda fazendo? Eu realmente gostaria de saber o porquê. 

Peguei o shampoo e comecei a esfregar em meu cabelo, massageando minha madeixas loiras e ainda pensando no que anda acontecendo com os meus sentimentos desde o dia em que o Bieber decidiu vir me ajudar com o trabalho do colégio. Eu deveria ter impedido sua aproximação desde o inicio. 

Lavei meu cabelo, tirando qualquer resquício de shampoo do mesmo, pegando o condicionador e fazendo a mesma coisa. Assim que já tinha passado tudo e já estava sentindo meu cabelo macio, desliguei a ducha, depois de lavar meu corpo, e peguei a toalha. Passando por todo o meu corpo, sentindo o mesmo ficar seco. 

Sai do banheiro, dando de cara com uma Lia, esparramada em minha cama e dormindo. Revirei os olhos e soltei uma risada fraca, indo em direção ao closet. Pegando uma calça de moletom soltinha com uma regatinha branca. Pus minhas roupas íntimas e logo em seguida coloquei as roupas que tinha pego para mim. 

Voltei para o quarto, me olhando no espelho e penteando meu cabelo. Eu não podia dormir com ele molhado, então peguei o secador e comecei a secá-lo. Depois de longos minutos, dentro do banheiro, secando o meu cabelo. Guardei o secador e voltei para o quarto, passando as mãos em meu cabelo seco. Empurrei Lia para o lado, ouvindo a mesma resmungar e me deitei. Tentando pregar os olhos. 

[...] 

Acordei com um barulho horrível de algo apitando, abri apenas um olho, vendo Lia, sentada na minha penteadeira, se maquiando e toda arrumada. 

- Só vou te perguntar uma vez, onde você encontrou essas roupas? - Perguntei, me sentando na cama e coçando os olhos. 

- No seu armário. - Disse, passando rímel. 

- Imaginei! - Olhei para ela, me levantando e indo em direção ao meu closet, pegar alguma roupa. - Aonde nós vamos? - Perguntei e ela parou de passar o rímel me olhando. 

- Para a casa do Chaz! - Disse me olhando com um mini sorriso. 

- Você só pode estar de sacanagem! - Olhei para ela. - Vocês brigaram, você pegou outro garoto e ainda vai para a casa dele? - Perguntei e ela revirou os olhos. 

- Poderia ter tirado a parte em que eu peguei outro garoto. - Balançou a cabeça, voltando a se olhar no espelho. - Mas ele já tinha nos convidado, e não vai estar apenas ele lá. - Deu de ombros. 

Não respondi e voltei para dentro do closet, tentando achar alguma roupa. Peguei um kimono jacket azul de lã, um short cós alto e uma gargantilha fofa. Saí de dentro do closet, com a roupa em meu corpo e me olhei no espelho, fazendo Lia parar de se maquiar e olhar para mim com a boca aberta. 

- Você sabe que é apenas uma resenha na casa do Chaz, não sabe? - Perguntou e eu apenas assenti. - Assim você vai tirar o foco dos outros garotos de mim, amiga! - Afirmou, apoiando a cabeça em seu braço erguido. 

- Dá um tempo, Lia! - Soltei uma risada fraca e ela apenas revirou os olhos e voltou a se olhar no espelho. - Mas que não seria nada mal eu pegar alguns meninos. - Disse abrindo um sorriso malicioso fazendo a mesma se virar para mim com os olhos arregalados. 

- Você vai pegar alguém mesmo? Tipo, sério? - Perguntou se levantando. 

- Você quer que eu te explique como se pega alguém, amiguinha? - Perguntei e ela me olhou com uma sobrancelha erguida. 

- Eu não sou burra! - Bufou e entrou na minha frente para se ver no espelho. 

- Acho que alguém esqueceu aquela famosa palavra "licença" - Dei ênfase na palavra licença fazendo a mesma rir e me olhar pelo espelho. 

- Desde quando eu tenho que ser educada com você? Pelo amor de Deus, né Kate! Eu te conheço a quatro anos. - Disse gesticulando e eu comecei a rir da cara que ela tinha feito. 

- Vamos logo! - Puxei ela para fora do quarto. - Mentira, eu tenho que passar um batom e escovar os dentes! - Disse e ela apenas assentiu, indo se sentar na cama para me esperar. 

Entrei no banheiro e comecei a procurar minha escova de dente, gritei Lia perguntando onde que estava minha escova e ela disse que não sabia. Revirei os olhos e comecei a procurar por todos os armários daquele cômodo e por fim achei, escovando logo em seguida. 

Sai do banheiro, indo em direção a minha penteadeira e peguei um batom nude, passando logo em seguida em meus lábios. Não passei mais nada além disso. Me levantei e fui em direção a porta, sendo acompanhada por Lia. 

- Chaz está perguntando onde estamos! - Disse lendo algo no celular me fazendo revirar os olhos. 

- Pergunta se alguém já mandou ele ir à merda! - Lia começou a rir enquanto teclava algo em seu celular. 

- Ele disse que já, e tinha sido você! - Ela lia algo em seu celular enquanto eu tentava me lembrar quando tinha sido que eu tinha mandado ele ir à merda! 

Desci as escadas dando de cara com minha mãe mexendo no computador, ela ouviu nossos passos pela escada e olhou para nós, abrindo a boca em um grande formato de "o". 

- Vocês estão maravilhosas! - Disse, nos olhando de cima a baixo. 

- Obrigada, mãe! - Abri um sorriso fraco enquanto Lia ia agarrar minha mãe. - Lia, estamos atrasadas. - Olhei para o relógio no meu celular e pegando a chave do meu carro. 

- Aproveitem a festa, meus amores! - Me lançou um beijo no ar e eu apenas retribui mandando outro. Saí de dentro de casa indo em direção ao carro. 

Entrei no mesmo, esperando Lia entrar, porém a mesma estava mexendo no celular. Bati na buzina, fazendo a mesma se assustar e entrar no carro.

Não perguntei o que ela estava fazendo até porque não era da minha conta, apenas liguei o carro e acelerei até o local onde iria ser a festa. Liguei o rádio do carro e estava tocando uma música desconhecida por mim, mas não por Lia. Ela cantarolava alguns trechos da música enquanto mexia no celular. 

- Ok, sei que não é da minha conta, mas o que você faz de tão interessante nesse seu celular? - Perguntei 

- Como você mesma disse, não é da sua conta! - Olhei para ela com uma sobrancelha erguida mas logo em seguida voltei a olhar para a estrada. 

- Vai se foder! - Dei um mini soquinho no volante. 

- Eu vou, e muito essa noite! - Abriu um sorriso malicioso e eu fiz cara de nojo. 

- Amiga, não quero saber se você vai ter relações sexuais com alguém hoje não. - Disse ainda com a cara de nojo e ouvi sua risada fraca. 

- Estou falando com o Chaz! - Disse dando de ombros. Apenas levantei minhas sobrancelhas rápido e não falei mais nada. 

Entrei na rua onde o Chaz morava e já dava para ouvir o som alto que vinha de sua casa. Os vizinhos devem reclamar muito com os pais dele. Assim que cheguei perto de sua casa e estacionei no único lugar em que tinha. Desci do carro, sendo acompanhada por Lia. 

Enquanto andávamos para perto da entrada, alguns olhares eram direcionados para nós, apenas ignorei e continuei andando. Eu poderia estar maluca ou com algum problema de vista mas que assim que eu coloquei os pés dentro da casa de Chaz, Mark estava do outro lado daquele cômodo, que assim que me viu, puxou ninguém mais ninguém menos que Alice e deu-lhe um beijo nela. 

Eu me importo? Claro que não, infelizmente ele acha que sim. Única coisa que eu gostaria de saber era, o que ele está fazendo ali. Pelo que eu lembre, Chaz não é nem um pouco amigo de Mark para ficar convidando-o para suas festinhas em casa. Minha cara emburrou na hora e eu comecei a procurar Chaz por todo lado da casa. 

Assim que encontrei, ele estava sentado no sofá com duas garotas sentadas no "braço" do sofá, com um copo em sua mão. Lia, soltou uma lufada de ar, assim que viu as mãos de Chaz, que estavam na cintura de cada garota. Ela teve a intensão de sair de perto de mim e dele, porém segurei seu braço e falei bem baixo em seu ouvido. 

- Lembre-se que você pegou o Chad hoje! - Lhe lancei uma piscadela e ela apenas balançou a cabeça e foi em direção ao mini bar que tinha ali. 

Fui em direção ao Chaz, só depois olhando quem estava naquela rodinha, e por incrível que pareça, Justin estava entre eles. Puxei Chaz pela gola da camisa e ele franziu o cenho assim que fiz tal ato. 

- Por que diabos a porra do Mark está aqui? - Perguntei e ele continuou com o cenho franzido. 

- Pelo que eu saiba, a casa é minha, convido quem eu bem entender! - As palavras saíram emboladas por conta do tanto de bebida que ele tinha ingerido. Revirei os olhos assim que senti o bafo de álcool. 

O joguei novamente no sofá e fui em direção ao mini bar que tinha. Peguei uma garrafa de vodca e bebi ela pelo galo e pura. Senti ela descer rasgando e fui para o meio da pista, começando a me movimentar conforme o ritmo da música.

Encontrei Lia no meio da pista, com uma garrafa na mão e beijando um cara desconhecido por mim. Comecei a rir do jeito que ela estava beijando o garoto e fui em sua direção, pedindo desculpas por ter interrompido o beijo dos dois e a puxei, para dançarmos juntas. 

[...] 

Meus pés não estavam mais aguentando nem um movimento, eles estavam arrasados. Já nem sabia mais onde meus sapatos estavam. Nesse exato momento, eu estava sentada no sofá, encarando Lia beijar Chaz. Revirei os olhos por estar de vela e por não ter pego ninguém. Isso mesmo, eu não peguei ninguém e estou completamente inconformada. 

Não foi por não ter nenhum pedido, mas sim por conta daqueles malditos olhos caramelados. Sinceramente, eu não sabia nem o por quê de eu estar assim. Teve hora em que eu estava à centímetros da boca do garoto e quando eu olhava em seus olhos, via os olhos dele. Eu não sei que porra esse garoto está fazendo comigo, mas tenho certeza que não estou gostando. 

Chaz conseguiu ficar com Lia depois de muita conversa e muita bebida. Agora, eles pararam de se beijar e Lia foi chamar alguns garotos que ainda estavam na casa de Chaz. A maioria das pessoas já tinham ido embora, algumas estavam espalhadas pela casa, caídos e bêbados. Não sabia quantas horas eram mas tenho certeza que estava quase amanhecendo. 

Lia voltou com Ryan e Chris - que também eram amigos de Justin e Chaz. - e com o dono dos olhos caramelados que estão me provocando vários pesadelos à noite. Revirei os olhos assim que seu olhar se encontrou com o meu. Direcionei meus olhos para minhas unhas e comecei a tirar o esmalte que estava nela. 

Depois de um tempo, mais duas garotas chegaram e uma delas incluíam Alice. 

- O ar ficou ruim agora! - Sussurrei mas parece que foi um pouco alto fazendo com que Alice me encarasse por um tempo. - Perdeu alguma coisa aqui, pata seca? - Perguntei, fazendo a mesma erguer uma sobrancelha. 

- Está falando comigo? - Perguntou e eu soltei uma risada fraca. 

- Se a carapuça serviu, posso fazer nada! - Apontei para seu corpo e a mesma veio em minha direção na intensão de me bater, porém Justin segurou a mesma. 

Continuei sentada no meu lugar, com as pernas dobradas. Estava um tédio, as duas garrafas de vodca que eu tinha bebido tinham acabado. Olhei para Chaz e para Lia, que me lançou uma piscadela e abriu um sorriso malicioso, me fazendo franzir o cenho. 

- Vamos animar isso daqui! - Chaz disse se levantando, pegando uma garrafa vazia no chão e colocando no centro da sala. - Vamos brincar de verdade ou desafio. - Abriu um sorriso malicioso. 


Notas Finais


sim sim sim i know! não teve partes do otp massssssss em compensação no próximo cap vai ter muito!!
um beijo e eu amo muito vocês! cada um de vocês.
xoxo, vic


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...