História Cheese In The Trap - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Kakashi Hatake, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Colegial, Magia, Romance, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Sasusaku
Exibições 50
Palavras 3.291
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá quanto tempo kkkkkk.
Desculpa, prometo atualizar com mais frequencia.
Boa leitura!
Bjs!

Capítulo 16 - Mordida


 

- Sakura! – Ele gritou – Sakura espera!

Os dois feiticeiros corriam pelas ruas de Verona sem nenhuma direção; Sasuke não enxergava aonde ia, a pouca iluminação da lua que filtrava sobre os telhados das casas e sobre todos os becos não eram o suficiente para fazê-lo se localizar.

Sakura o guiava como se soubesse da cidade com a palma da mão, ela era quente, emanava vida e seus cabelos rosa corriam junto com eles deixando o aroma de cerejeira no ar.

Sinceramente não sabia o que estava acontecendo desde que saíram da boate. Pessoas gritavam nas ruas, mordidas e grunhidos eram ouvidos a todo o momento, chegaram a esbarrar com algumas pessoas no caminho, porém imaginava que a hora mais sombria era uma coisa totalmente diferente daquela baderna de sangue – sugas.

Eles estavam matando por diversão; como Ichigo e Rukia conseguiam fazer parte daquilo?Pensou que os conhecia bem.

- Me ajude! – Alguém enroscou uma mão fortemente contra seu casaco de uma maneira que ele e Sakura tiveram que parar bruscamente.

O Uchiha gelou e pela primeira vez desde que chegaram ali assumiu que estava com medo. Ele já tinha passado por coisas ruins na vida, infelizmente olhando para aquele homem na penumbra descobrirá que os traumas não passavam.

Ele já tinha visto aquilo, aquele olhar quase morto encarando-o; era do mesmo que viu nos olhos da mãe antes dela finalmente definhar para o nada.

Antes do fogo.

Um vampiro sugava sua vida, sangue escorria pelo colar que ele usava. Era de prata com pingente reluzindo na ponta, um crucifixo.

Uma pessoa de fé morrendo por um sem religião.

Seu corpo não se mexia, por que continuava preso naquela cena?!Desejava desesperadamente ajudar e suas mãos pareciam atadas por linhas invisíveis do medo.

Foi quando ela o arrastou para longe; Sakura empurrou o desconhecido de volta para o sugador balbuciando um “não o toque imundo!” antes de voltarem a sua tarefa de andar.

Sasuke se sentiu alarmado, freando os pés no chão com força.

- Hey!Qual é o seu problema?! – Ele gritou virando o rosto dela pra que pudesse encara-lo – O que está fazendo, ficou maluca?!

Sakura que tinha se mantido calada até o momento gerou o contato dando uma visão de seus olhos esmeraldas para ele; tinha algo diferente do usual neles, a garota que conhecia desde pequeno ainda estava lá, porém diferente, algo reluzia nela como uma chama.

- Foi você quem nos trouxe até aqui – Sua voz monotoma como um robô – Você nos colocou na hora mais sombria.

O moreno franziu o cenho pensando no que poderia ter deixado-a assim: Bebida?Drogas na bebida?Sangue?

Sangue!

- O quanto você bebeu daquele líquido estranho?Foi o vinho que aquela vampira de te deu que te deixou assim? – Com uma golpe que aprendeu no swordplay Sasuke virou a mão de Sakura de um jeito que se livrou do toque dela e dominou prendendo seu pulso – E então?Fala!

- Você é muito barulhento – Respondeu no mesmo tom apático – Desse jeito não vai ouvi-los da maneira correta.

- Ouvir quem?Tsc!Garota você tá totalmente fora do seu controle!

- Cala a boca Sasuke!Você... Shannaro você me deixa com ainda mais sede!

- Para de dizer essas coisas estranhas! – Ele passou a mão pelos cabelos nervosamente - Isso foi uma péssima ideia ok?Vamos voltar pro hotel, eu vou te levar pra casa!

- Sasuke – Emendou mudando o tom repentinamente para calmo, ele se atentou a isso enquanto ela subia a mão livre pelo seu rosto e o olhava no fundo dos olhos. O moreno sentiu-se compelido pelo toque dela – Não vamos a lugar nenhum.

Alguma coisa mudou dentro de Sasuke.Ele se lembrava dos momentos segundos atrás em que sentiu pena de um homem mordido, mas a emoção estava aos poucos se dispersando de sua mente enquanto sua atenção se concentrava em Sakura e no que ela tinha para lhe dizer, o corpo relaxou, a pressão que sentia pela adrenalina diminuiu.

- Respire – Instruiu ela e ele obedeceu vagarosamente; parecia que tinha colocado fones de ouvidos em suas orelhas, pois não escutava mais a gritaria – Confie em mim, precisamos nos alimentar.

- Nos alimentar?- Repetiu o garoto, tinha a impressão de que até sua língua tinha ficado mole impedindo-o de prosseguir.

Ela sorriu fracamente.

- Você era namorada dele? – Sakura falou com uma garota que ele nem sequer tinha notado que estava ali.

Ela era de estatura baixa, tinha uma pele escura e cabelos ruivos com mexas; estava encolhida no canto da parede se tremendo todinha, com o rosto fixado no garoto.

Sasuke se pós atrás da amiga encarando-a com curiosidade. O que ela iria fazer?

- Por... Por favor não me machuque – Pediu a moça em meio as lágrimas, seus olhos estavam tão vermelhos que quase pareciam sangue, as mãos em frente ao peito.

- Você foi muito descuidada vindo aqui essa noite menina – Sakura respondeu com um leve tom entediado na voz – Não sabia disso?

- Não!Eu não sabia! – Ela cerrou os olhos com força puxando a mesma corrente que vira segundos atrás – Ave Maria cheia de graça...

A rosada soltou uma risada sínica.

- É sério isso?Não vai funcionar.

- E não deixei-nos cair em tentação... Mas... Mas livrai-nos do mal...

- Cansei – Disse uma última vez antes de pular sobre a menina.

Choque atravessou a corrente sanguínea de Sasuke quando em um ato que nem mesmo ele que era habilidoso com batalhas previra.

Sakura pegou a garota ajoelhada e levanto-a com uma força sobre humana do chão!Ele a ouviu gritar pelo feito e os dedos esguios da menina prendendo ao redor de sua garganta, sobre a luz do luar ele viu seus olhos ficando grudados no nada acima, a boca escancarada à medida que a voz ia sumindo, ouviu o último estralo dos tênis da vítima caindo dos pés.

Ele tentou agir, jurou que sim!Mas parecia que seus pés tinham virado lama prendendo-o no lugar como um boneco de cera.

“Não!” Pensou, porém não conseguiu dizer.

Era tarde demais.

A Haruno tinha afundado a boca no pescoço da italiana, sangue guinchou dela e respingou na bochecha dele.

Sasuke sempre vira Sakura como a pessoa mais frágil do mundo; de fato ela era e ele sabia mais do que ninguém, por isso a trouxe para o meio de tudo aquilo, no fundo sabia de que se não estivesse ao lado dele não estaria segura com mais ninguém.

Então por que ela parecia tão invulnerável?Era uma pessoa totalmente diferente ali e nada disso estaria acontecendo se ele não fosse tão estúpido e idiota mostrando a ela um mundo que nunca conhecerá.

- Sasuke – Chamou docilmente, enquanto se perdia em pensamentos a rosada já tinha limpado o sangue nas costas das mãos e colocado à menina de volta no solo, agora ela estava de costas para ele com as mãos jogadas ao lado do corpo sem nenhuma reação, parecia que a alma havia abandonado seu corpo e ela só estava de pé porque Sakura a segurava – Venha...

- Sakura eu não quero isso – Droga!Onde estava sua voz?Parecia que grãos de areia tinham substituído suas cortas vocais.

Com uma cara decepcionada ela abaixou o olhar, piscando seus longos cílios uma ou duas vezes, a figura em volta de perigo e adocicada diversão, passando a ponta do nariz pelo pescoço da garota.

Perigosa.

- Mas temos que fazer – Protestou ela numa voz infantil – Se não, você morre.

- O que? – Sobressaltou – se ele.

Ah Deus!No que tinha se metido?!

Sakura o chamou com o dedo e o garoto obedeceu prontamente chegando perto das duas o suficiente para ver a cor azevinho escorrendo pela pele da vítima.

- Temos que subtrair o veneno em seu sangue – Explicou ela puxando-o pelo ombro de um jeito que ficasse com o corpo colado nas costas da italiana, a rosada se esticou nas pontas dos pés por cima do ombro da mulher entre eles limpando o sangue que respingara no rosto dele com a língua.

Não pode deixar de se arrepiar com aquilo, metade dele foi excitação e a outra foi medo, a saliva dela era gélida, o toque em si era o mais precioso, do que jeito que sempre imaginara quando ele e Sakura finalmente se tocassem para valer.

 – Você acha que podemos escapar dos vampiros tão facilmente assim? – Questionou - Você entendeu tudo errado, Rukia e Ichigo não são seus amigos, eles nos enganaram esse tempo todo!Nós não fomos convidados para uma simples festinha de sexta-feira 13 e eles não estavam sendo gentis conosco por mera educação.

Sasuke soltou uma exclamação. Sakura não estava dizendo a verdade, ela estava tão bêbada.

O garoto tremeu dos pés a cabeça e ela continuou falando.

- Primeiro ele tentou nos envenenar com aquelas bebidas na entrada, não deu certo – Ela mudou de posição passando o queixo pelo dele sentindo a pele macia do rosto – Depois veio aquela mulher, Nina – Pronunciou o nome enojada soltando um pequeno grunhido – Ela queria te matar, mas eu não deixei, eu te salvei, eu te mordi.

Mais um choque. Sasuke se lembrava de ter acordado sentindo uma terrível dor de cabeça, os pontos em seu pescoço latejavam e quando finalmente olhou para Sakura se sentiu alarmado.

- Eu sou como um gato – Sua garota murmurou – Tenho sete vidas.

- Sakura...

- Shh... - Ela pós o dedo em seus lábios – Você não vai morrer, vou te dar sangue, você vai ser como um gato de sete vidas também.

Naqueles momentos antes do grande ato Sasuke Uchiha pode sentir seu coração batendo feito louco dentro do peito, nunca acreditou que pudessem haver coisas mais obscuras do que ele mesmo por trás das sombras e não acreditava que as acharia em Sakura Haruno.

Com o rosto vidrado nos movimentos dela viu quando seus lábios pronunciaram alguma coisa rimada com submissão e abstração, tentou procurar no fundo se sua mente aquelas palavras e encontrou um feitiço para hipnose.

Oh.

Ela pós dois dedos em frente a sua boca.

- Experimente.

No final também havia se tornado uma marionete nas mãos delas não é mesmo?O moreno os capturou rodando a língua vagarosamente descobrindo que havia um líquido salgado meio enferrujado neles.

- Você gostou?Ha, eu sei que gostou.

Ele fechou os olhos tentando apreciar o sabor, teoricamente ela tinha mandado gostar. Era sangue, diferente do que tinham bebido horas antes.

- Eu quero mais – As palavras saíram tão facilmente de sua boca sem filtrar nos pensamentos – Por favor.

Sakura sorriu afirmando com a cabeça.

- Então chegue mais perto – A rosada empurrou sua cabeça gentilmente contra a da menina – Sugue-a.

Rapidamente sua mente começou a trabalhar em como fazer aquilo. Selecionou as cenas do livro de Bram Stroker onde Drácula mordia Mina Murray pela primeira vez; não era nada apaixonante como queria que fosse, porém lá estava ele direcionando a boca para o corpo de uma desconhecida sugando-lhe o sangue como Sakura mandará.

Não era de total ruim, se bebesse da fonte todos os dias iria se acostumar; se seu paladar se adaptasse poderia viver como um vampiro.

 A rosada havia lhe facilitado o acesso, pena que ele não sabia como Sakura havia perfurado a pele da menina, “talvez ela já estivesse mordida” seu subconsciente tentou o convencer, mas lá no fundo sabia que tinha algo errado.

Ele continuou naquela batalha interna até a própria Sakura colocar a mão em sua nuca o aproximando ainda mais dela, saliva lambe o pescoço da presa deles e de repente ambos estavam se alimentando.

Alimentando. A palavra parecia zunir em seus ouvidos como uma bela sinfonia, agora sua garganta queimava deliciosamente como se estivesse ingerindo vinho, ele mexia a boca em sincronia com a dela e ambos desfrutavam daquele contato.

Sangue explodiu na boca dele como uma bomba de chocolate, ele se grudou ainda mais na garota querendo aproveitar até a última gota se pudesse.

Infelizmente durou pouco.

Sasuke começou a engasgar com a quantidade e se obrigou a interromper, quando ergueu o rosto Sakura estava com a cabeça para trás jogada em deleite, ela lambia as bordas da boca com um sorriso maléfico. A outra menina tinha sumido.

Logo as órbitas esmeraldas o encararam de volta, o garoto a imitou com os olhos brilhando de empolgação pelo que tinham feito e deu um sorriso de lado a incentivando para pegar sua mão.

- Como se sente? – Murmurou como se estivessem num lugar que ninguém podia os ouvir.

- Muito bem – Disse de volta – Tem um gosto bom.

- Eu sei! – Ela respondeu entre risadas, dando um tapinha no ombro dele, olhou para os lados e franziu o cenho – Você acha que devemos sair?Hum?Devemos?

O Uchiha balançou a cabeça sentindo-se leve.

- Vou pra onde você quiser ir senhorita Haruno.

Com isso ela o arrastou para longe do caos, seu pé tropeçou na cabeça da menina quase morta – que aparentemente ainda estava respirando – e depois rodaram pelos labirintos daquele lugar.

O gritos foram desaparecendo a medida que se afastavam da zona dos vampiros, ele agradeceu mentalmente por sair daquele inferno se esquecendo do real objetivo pelo qual estavam ali; Verona era um labirinto de escadas de preta amarelo queimada e portas de madeira, o único barulho por muito tempo foram somente os saltos de Sakura e depois subindo por alguns becos passando por ruas iluminadas aqui e ali até passar por um jardim.

O garoto foi despejado contra outro canto sólido cheio de perfurações, soltou um gemido de dor inclinando as costas para longe do material pontiagudo que o tinha furado nas costelas, se machucou de verdade no processo e agora se concentrava para não gritar de dor.

Estavam escondidos sobre uma das várias sombras daquela cidade desconhecida, seu coração batia descontroladamente no peito, absorto do que acontecia a sua volta.

Pela penumbra ele conseguiu ver Sakura se aproximando vagarosamente, seus olhos eram brilhantes esmeraldas e perigosas, ela não parecia fraca – estava longe disso – diferente dele que se tremia completamente como um animal encurralado.

Estranho. Por que estava gostando da sensação?

- O que vai fazer comigo dessa vez – Pediu com uma mão estendida.

O espoco de um sorriso passou pelo rosto da Haruno, que ignorou o braço levantado passando completamente por ele encostando-o de vez contra a parede.

Sasuke pode sentir os galhos de árvore que colidiram contra as poucas partes descobertas de seu corpo; na nuca e nas mãos, emanava cheiro de madressilva e ervas - daninhas em conjunto com pequenos espinhos.

Sakura enroscou uma das mãos na mesma e permaneceu ali como se não surtissem efeito incomodo em sua pele, com a outra ela puxou o queixo dele para cima a inclinando-o por completo naquela armadilha, foi um susto quando um beijo casto foi lançado em seu pomo de Adão.

Ele engoliu em seco abrindo os lábios para a entrada de ar, porém ela não veio ao invés disso a rosada substituiu qualquer traço de respiração dando um pequeno selinho.

- Hey – Chamou-a colocando a mão em seu ombro, os olhos semicerrando automaticamente por uma garota estar tocando as partes sensíveis abaixo de seu rosto – Hummm... Você não pode fazer isso.

- Por que não? – Sakura irrompeu a linha traçada de beijos e por um momento ele quase implorou para que ela continuasse.

- Porque você me odeia – Inventou – E não se é carinhoso com quem você odeia.

Ela riu abafado contra sua camiseta e puxou a gola para baixo dando mais acesso a pele macia, Sasuke arrepiou-se instantaneamente jogou o pescoço para o lado dando ainda mais acesso para aquela boca deliciosa.

- Eu não te odeio Sasuke-kun, eu odeio o que fez comigo.

“Merda” Pensou descontrolado “Ele não usou esse sufixo, ela não usou!”.

- Mas passado é passado – Disse baixinho – E eu estou disposta a te perdoar.

- É mesmo? – Desafiou o moreno com a sobrancelha erguida – Como?

- Assim.

Quando Sakura voltou para cima pressionou os lábios tão fortemente contra os deles que quase se sentiu febril pela intensidade do momento, ele a viu de olhos fechados e aos poucos foi se integrando também.

Ela tinha um gosto doce como o perfume que usava – não, Sakura Haruno não usava perfume, ela era naturalmente cheirosa daquele jeito, exalava uma flor de verdade -.

Sasuke subiu a mão até a cintura dela procurando apoio, inconscientemente a apertou puxando mais para perto, encaixando uma perna entre as dela, a garota gemeu rodeando os braços ao redor do pescoço dele.

Era assim, a rosada cabia perfeitamente no contorno de seus braços, desejava ter feito isso quando ainda eram bem jovens, quantas vezes durante seus quinze anos Sakura precisou de apoio e ele não estava lá para segura-la desse jeito?De longe ele a observou, enquanto os outros iam crescendo e ganhando experiência, Sakura ia ficando para trás, se fechando para o mundo e criando uma barreira entre ela e uma vida normal.

Não tinha problema, a partir de agora ele a ensinaria tudo!Não era como se estivessem começando do zero, era mais como... Continuar do ponto onde pararam.

Não eram mais as crianças que costumavam ser. Ao invés de aprenderem feitiços as poções mágicas poderiam trabalhar seus lados humanos!Nos toques, com beijos e carícias...

Isso o fez aprofundar o beijo. Deslizar a língua para dentro da boca dela e chupa-la ainda mais; Sakura imitou seus movimentos e ele riu baixinho lembrando-se de que ela nunca havia beijado alguém além dele mesmo.

- Espera – Tentou cortar o contato de seus lábios afastando-a com as mãos em sua cintura, Sakura protestou dando um grunhindo apertando-o na nuca – Haruno hey...

- Me deixe te beijar – Protestou ela fazendo um biquinho com os lábios oferecendo-se na ponta dos pés.

- Temos tempo pra isso – Sasuke mordiscou-a antes de prender seu rosto entre as mãos – Me deixe olhar pra você.

A luz mesmo que fraca ressaltava os traços finos em seus cílios e sua testa de marquise, as bochechas estavam coradas e a boca inchada; ela parecia verdadeiramente com uma ninfa, ninguém no mundo bruxo era comparável com Sakura.

- Você lembra de quando tínhamos sete anos? – Ele acariciou sua bochecha com carinho fazendo-a suspirar – A casa de gelo na árvore?

Sakura franziu o cenho, mas afirmou que sim com a cabeça.

- Como poderia esquecer?Você tentou usar elementos da natureza para construir a casa, mas somente magos podem fazer magia com água, fogo, ar e terra – Ela deu um sorriso – Durou uns trinta segundos até que eu caísse lá de cima.

Sasuke soltou um  “hm” e prosseguiu.

- Você começou a fazer amizade com aquelas gêmeas da sua vizinhança Cathy ou Kath eu não me lembro – Ele torceu o nariz – Elas colocaram na sua cabeça que você tinha que ser mais feminina e gostar de coisas como Barbie e My Little Poony, disseram que passava muito tempo comigo e que eu estava te mudando – Ele continuou – Um dia minha mãe foi visitar a sua e te vi assistindo aquele desenho estúpido de novo, você estava tão animada que me disse que queria um castelo de gelo.

- Então você me levou lá pra fora e bolou um feitiço pra fazer meu castelo – Sakura riu criando o mesmo efeito nele.

- Naquele tempo eu achava que se realizasse seus desejos você voltaria pra mim – Confessou com a voz tristonha – E quando seu pai morreu eu vi a oportunidade perfeita de me aproximar novamente.

- Oh – A soltou – Não precisava fazer isso, havia outras maneiras.

- Você realmente acha que eu iria andar atrás de você na escola? - Sakura bufou dando sua resposta – Ambos somos orgulhosos.

- Mas estamos aqui agora, juntos – A rosada pressionou seus dedos – Vamos encontrar as respostas juntos também. Temos que encontrar Geovani Aresco.

- Então não precisam procurar mais longe – Disse um homem surgindo das sombras – Olá sou Vladir Drácula ou como sua geração conhece: Geovani Aresco.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...