História Chefe - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Amor, Chefe, Romance, Sexo
Visualizações 282
Palavras 783
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura 🌸

Capítulo 32 - Domingo com Ed


Sr. Green

Prometi a meu pai ficar longe de qualquer pessoa que me desvirtue de Lúcia por isso não dei assistência a Megan. Ver ela daquele jeito e descobrir que vou ser pai (pela segunda vez em uma semana) é muito difícil, eu queria correr, abraçá-la e dizer que tudo vai ficar bem mas eu tenho medo de não ficar nada bem e a gente não conseguir ficar junto. 

Eu me pego olhando pela parede de vidro dando um sorriso idiota só de imaginar um bebe com os olhos dela ou com seu sorriso. Ela deve ficar linda grávida, mais linda do que já é. 

Minha mãe me liga me tirando dos devaneios e diz que Lúcia vai jantar lá na casa dela e me chamou para ir. As duas estão mais grudadas do que nunca e parece que virou rotina ir jantar na minha mãe. 

"não magoe ele igual me magoou, vou criá-lo o mais longe possível de você, seu monstro" essas palavras vem na minha cabeça e ficam martelando o dia todo. Antes de sair do escritório vejo que Megan está tomando um café digitando freneticamente e não parou nem um segundo quando eu abri a sua porta. Prefiro não incomoda-lá e vou para o elevador. 

Lúcia: onde está? 

Green: trabalhando 

Lúcia: vem pra casa 

Green: mais tarde te encontro nos meus pais 

Bem, talvez vocês se questionem o motivo de eu nunca ir ver os pais de Lúcia: não me dou bem com eles, seu pai é um velho que caga para ela e sua mãe é uma perua que suga o dinheiro do marido então prefiro não conviver com gente assim. 

... 

Chego em casa e vou direto beber. Tiro minha gravata e começo a beber como se não houvesse amanhã. Quero esquecer dos problemas e parar de pensar no futuro. Doi tanto pensar em um futuro que eu não esteja ao lado da Megan ainda mais agora com ela grávida. 

Megan narrando

Não dormi a noite pensando nas coisas da vida. Quando somos crianças achamos que tudo vai ser um conto de fadas que vamos encontrar o príncipe encantado e seremos felizes para sempre mas nada disso acontece. 

Ed tem me mandado mensagens durante todos esses dias da semana mas sempre tenho inventado uma desculpas para não vê-lo. 

Domingo de manhã ligo para ele e peço para vir na minha casa, na mesma hora ele atende o meu pedido e chega em uns 15 minutos. 

Ed era muito mais que um peguete: ele era amigo e companheiro para as horas difíceis. 

-Meg? - ele fala me abraçando - tá tudo bem? 

-Não - deixo uma lágrima cair - tô grávida daquele traste - falo desabafando 

Ele me conhece bem e percebeu que eu estava na merda.

Ed para o nosso abraço e paralisa, não sabia qual seria a reação dele e isso me deixou com medo. Além do Green ele é a única pessoa que sabe do que tá acontecendo.

-Aí Megan - ele me abraça novamente - vai tudo ficar bem. 

Sentamos no sofá e ele tenta me confortar dizendo que estará aqui pra me ajudar, que se dependesse dele meu filho teria tudo no mundo e várias outras coisas. O apoio que ele tá me dando é sensacional mas ele parece falar com tom de malícia quando se refere a "estar junto comigo" parece que não é no sentido de ajuda parece que é no sentido de ficar comigo mesmo.

-Quer pedir alguma coisa pro almoço? - ele fala pegando o celular

-Não tô sem fome - minto 

Ele não sabe de meus enjoos excessivos e de que estou vivendo a base de café e barrinhas de cereal. 

-Tem certeza? - ele fala - tem um restaurante que tá fazendo macarrão à bolonhesa agora 

Filho da mãe conhece meu ponto fraco. 

-Ok pode pedir - reviro os olhos

A comida chega e enquanto comemos estamos rindo muito. Faz tempo que não tenho uma refeição direito mas sei que a noite vou colocar tudo pra fora. No meio do prato um pouco de molho cai na minha blusa e enquanto eu limpo Ed fica olhando para mim. Ele vai se aproximando aos poucos até me beijar. Eu fico imóvel não é uma coisa que eu esperava ainda mais nesse momento que preciso dele como amigo e não como foda. 

-Ed eu não posso - paro o beijo 

-Qual é Meg - ele revira os olhos - você não está com ele 

-Eu não quero - me afasto um pouco - tem problema? 

-Não - ele sorri - tudo certo - da um beijo na minha testa

Rapidamente voltamos a comer e deixamos esse embaraçoso episódio para trás.


Notas Finais


Gostaria de dizer a todos que a próxima fic já está sendo montada e queria saber se vocês vão ler? Haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...