História Cherry Blossom - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Crystal Reed, Lana Parrilla, Once Upon a Time, Sean Maguire
Tags Outlawqueen, Seana
Visualizações 129
Palavras 1.159
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLÁ MINHA GENTEA!!! Aqui estou eu com mais uma fanfic, culpem a Natasha, a.k.a @belongsory, culpa é todinha dela, que me inspirou essa ideia. E a capa da fic foi ela que fez também! Nat, essa fic é um presente pra você, em agradecimento a tudo que SS significa pra mim. Espero que goste, te amo ♥

Links nas notas finais galera!

Capítulo 1 - Right Here


Okinawa - Japão

1997

X Ambassadors - Unsteady ♪

Seus pés se afundavam na areia branca como se o mundo inteiro estivesse sobre suas costas. Os braços envolviam o corpo estremecido pelo mesmo vento que agitava os cabelos escuros. Queria poder sentir lágrimas trilhando seu rosto, mas elas haviam se esgotado há muito tempo. A única umidade aparente era do mar azul que a cercava. E a tranquilidade daquela água deveria ser suficiente para acalmar a tempestade que a corroía por dentro, mas não era. Estava tão cansada... As pálpebras se fecharam por um segundo, recebendo de bom grado a brisa que lhe tocava o rosto. 

Por um momento, sua mente foi arrebatada por flashes de vinte anos de batalhas. Ainda conseguia ouvir os sussurros carinhosos de sua mãe pedindo para que não tivesse medo, embora ela mesma claramente o possuísse. Admirava a coragem da mulher, que lutara com todas as forças para pôr o que comer no prato de sua filha e criá-la sozinha em uma época onde isso era quase uma ofensa social.

Foi com essa mesma coragem, que aos dezesseis anos Lana começou a trabalhar na mesma casa que sua mãe. Se dobrava em dois para continuar com os estudos e manter a grande mansão da família Ward Laurie organizada. Um calafrio estremeceu seu corpo, e não foi pelo frio. A imagem da soberana Sela Ward dominou seus pensamentos e mais uma vez, Lana sentiu falta das lágrimas. O choro, pelo menos, a libertava de certa forma. Mas seu espírito estava tão cansado de ser massacrado que sentia-se seca por dentro. A chefe sentia prazer em humilhá-la e por muitas vezes foi a razão das náuseas e as febres durante a noite que adoeceram o corpo de sua mãe até, há dois anos, uma pneumonia vencê-la. Lisa fora a mulher mais incrível que Lana conhecera e pensar em sua morte ainda doía profundamente. Talvez sempre doeria. Às vezes que se imaginou saindo pelo mundo, fugindo da saudade da mãe, que aumentava com a convivência na mansão repleta de seu perfume em todos os cômodos, foram incontáveis. Se ainda trabalhava naquela casa, era pela amizade que havia construído com Rebecca, a única filha de Sela e Hugh Laurie, e pelo carinho que tinha pelo homem, que possuía um coração de ouro. Não conseguia entender como Hugh havia se casado com uma mulher tão cruel quanto Sela, mas agradecia aos céus por Rebecca ter puxado o pai. 

Agora, quatro anos depois de ter aceitado fazer parte do inferno que era trabalhar para aquela mulher, ali estava ela, em uma cidade longe demais de sua casa, acompanhando a família em uma viagem de trabalho. Sela e Hugh eram grandes atores e promoviam cursos de teatro por todo mundo. Desta vez, o país escolhido havia sido o Japão. Com uma cultura e um idioma impossíveis de serem compreendidos por ela, Lana se via perdida naquele lugar. O que a alegrava era bisbilhotar as aulas de Ward. Coincidentemente, Lana também tinha o sonho de ser atriz. Aliás, esta era a única coisa que admirava em Sela. A mulher tinha um talento único para atuação, fazendo jus a fama internacional que possuía. Nas horas vagas, Lana estudava técnicas de teatro e até mesmo se atrevia a pedir conselhos para o chefe, obviamente, escondido de sua esposa.

O sonho de Sela era que sua única filha trilhasse seus passos na carreira de cinema, mas Rebecca odiava atuar. Portanto, quem lhe ajudava a ensaiar as peças de teatro da faculdade de artes era Lana. A morena tentava, de todas as formas, tornar divertido algo que Rebecca odiava, dividindo com a amiga aquilo que era seu sonho. Quase tudo o que ganhava naquela casa, guardava para um dia conseguir pagar seus estudos. 

Respirando fundo, Lana parou de andar. Permitiu-se observar a paisagem e deixar que ela afastasse de sua cabeça os pensamentos que a incomodavam. Havia acabado de ser humilhada por Sela outra vez, apenas por ter cogitado assistir as aulas do curso que ela estava promovendo. Mesmo sabendo que a intenção da mulher era magoá-la, não conseguia não se afetar pelas palavras duras que diziam que ela não tinha talento algum, que não havia nascido para aquilo que tanto amava fazer. 

- Eu vou provar que eu sou capaz. - Murmurou para o vento, pedindo em silêncio que ele guardasse sua promessa. 

Richard Marx - Right Here Waiting ♪

Tirada de seus pensamentos, Lana ouviu uma música tocar não muito longe de onde estava. Virou o rosto para procurar a direção de onde vinha o som e avistou a varanda de uma grande casa na beira da praia. Curiosa, moveu o corpo para mais próximo do lugar, logo avistando um piano de cauda preto sendo tocado por um homem. Não conseguia ver seu rosto, mas os dedos ágeis pareciam fazer mágica sobre as teclas do instrumento. Fechou os olhos outra vez e seus ouvidos foram agraciados pela voz aveludada, que cantava uma letra desconhecida para ela. Um sorriso surgiu no rosto de Lana, enquanto a tranquilidade que estava a horas procurando se espalhou por seu corpo.

Sem conseguir se conter, andou mais alguns passos para a lateral da propriedade, esperando avistar a fisionomia daquele que instigava tanta paz com sua música. Quando seus olhos finalmente o encontraram, a respiração da jovem ficou presa e o corpo paralisou. Não deveria ser muito mais velho que ela. Os cabelos eram loiros e os olhos estavam fechados, mas algo lhe dizia que eram claros . Mas o que lhe chamou mais atenção fora o sorriso de canto que perpetuava seus lábios enquanto cantava. Ele era esplendorosamente lindo.

- Lana... - A voz de Rebecca lhe arrancou de seu transe. Olhou para a ruiva, que se aproximava a passos largos, e então voltou a admirar o jovem cantor. - O que está fazendo na frente da casa dos Maguire?

- Maguire? - A morena perguntou quando a outra estava mais próxima. - Este é o nome dele?

- Dele quem, sua maluca? - Rebecca parou ao lado da amiga a esticou o pescoço, notando, então, o que tanto prendia a atenção de Lana. - Oh, aquele é Sean Maguire. Extremamente problemático, melhor ficar longe dele, vem... - Afirmou, puxando-a pelo braço.

- Calma, Bex, problemático porque? Ele me parece... - Lana suspirou, sem conseguir tirar os olhos do garoto. 

- Nem ouse terminar essa frase. - O tom autoritário da ruiva fez Lana rir. Rebecca possuía inúmeras qualidades, mas juízo não era uma delas. Para estar falando aquilo, algo sério deveria acontecer com o jovem que tanto lhe prendera a atenção. - Vamos, Lana, mamãe já está enlouquecendo com sua ausência. - Enfim concordando em suspiro cansado, Lana seguiu Rebecca, olhando para trás uma última vez, a tempo de ver o jovem cantar a última frase da música, olhando diretamente para ela.

"O que quer que aconteça, ainda que machuque meu coração, estarei bem aqui esperando por você."

 


Notas Finais


Unsteady: https://www.youtube.com/watch?v=V0lw3qylVfY
Right Here Waiting: https://www.youtube.com/watch?v=S_E2EHVxNAE

Twitter pra ser amiga @wonderfulmac , twitter pra spoiler de fic @amandam_fanfics

Comentem ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...