História Cherry-Mint Gum - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Vocaloid
Personagens Gumi Megpoid, Luka Megurine
Tags Dlc, Luka X Gumi, Lumi, Lumiiiii, Sério Isso É Mt Dlç, Shipp Luminoso
Visualizações 19
Palavras 2.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Hentai, Lemon, Musical (Songfic), Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Na capa está a visão da Gumi quando ela acorda. Eu adorei esse capítulo, desculpem não ter postado antes, mas eu fiquei sem computador e só agora eu consegui resolver tudo. Vou postar semanalmente a partir de hoje. Acho que é só isso. Podem ler menhas alpacas <3

Capítulo 7 - Her Lover


Fanfic / Fanfiction Cherry-Mint Gum - Capítulo 7 - Her Lover

Você disse que quer liberdade, mas vai ficar se ela lhe prometer o paraíso. Quando um coração acelerado te leva à loucura, quando sonhos se tornam amor em um estado de espírito. O que você perdeu e o que você teve. Quando tudo foi tomado pelo céu” Her Lover - Ally Hills

Uma mulher com um olhar penetrante, que me olhava com mais desejo do que qualquer homem já olhou. Esta foi a quarta Luka pela qual eu me apaixonei. Abri os olhos ainda sonolenta, pensando na garota ao meu lado, que dormia de forma serena, completamente enrolada nas cobertas de ceda. Apreciei a visão maravilhosa da garota em seus únicos momentos nos quais não parecia estar desejando o meu corpo. Passei o indicador pelos seus lábios rosados e lhe dei um selinho carinhoso, antes de me levantar com a intenção de preparar o café da manhã. Mas ao sair de debaixo das cobertas eu notei que estava completamente nua. Corei, lembrando do que fizemos questão de repetir durante toda a madrugada, até o sol nascer.

Meu rosto queimou tanto ao lembrar dos detalhes, que eu quis morrer de tanto constrangimento, mas por mais que tentasse, as cenas não saíam da minha cabeça. Puxei as cobertas da cama e me enrolei nelas, para evitar o contato visual com meu próprio corpo. Mas Luka também estava sem roupa alguma e a situação apenas ficou pior. Saltei com o cobertor na cama e a cobri com toda a pressa do mundo, ficando por cima dela completamente corada. Demorei para me acalmar, talvez por saber que na madrugada anterior eu devo ter adquirido tanta experiência quanto Rin já teve em toda a sua vida... meus pensamentos desapareceram ao sentir o cheiro do shampoo da garota abaixo de mim, hipnotizada, eu me aproximei e afoguei meu rosto em seus cabelos rosados. Ainda nua e por cima da mulher dos meus sonhos, eu fui surpreendida pela sua doce voz.

-Então, gata. - Disse em um tom fraco e brincalhão. - Se queria transar comigo de manhã era só me acordar, se não só você se diverte.

-N-não é isso! ... mas eu... - Desviei o olhar para a direita. - Não me importo se você quiser...

-Ahh! É por isso que eu te amo! - Levantou envolvendo meu corpo com seus braços. - Você é muito, muito, muito fofa.

-Fofa? Como assim fofa? - Perguntei, indignada, eu não sou fofa.

-Não sei explicar... mas eu sempre tenho vontade de te apertar e... - Eu a interrompi com o simples ato de apalpar seus seios.

-Então você também é fofa, olha só, eu sempre tenho vontade de apertar... - Sorri de forma maliciosa e ela pareceu compreender alguma coisa.

-Você não gosta de ser chamada de fofa? - Perguntou, ignorando a minha brincadeira com seus seios, mas eu não parei.

-Sei lá, me faz me sentir mais virgem do que eu já me sinto quando estou contigo... É estranho. No meu grupinho, eu era a que mais transava sabe? Ninguém nunca me achou fofa. - Disse incomodada enquanto fingia que o peito esquerdo estava conversando com o direito.

-Tudo bem, Menta. - Ela levou a mão ao meu rosto de forma gentil. - E então? O que vai querer de café da manhã?

-Macarrão com queijo e xantily! - Disse o seio direito, estranhamente, a voz dele parecia com a minha, só que mais grave.

-Não! eu quero pão com ovo e nutela! - Disse o esquerdo, emburrado. A voz dele também lembrava a minha, só que era mais aguda.

-Hmmm... - Luka pareceu pensativa. - Que tal os dois?

-Ah meu deus! Gumi! Tem uma deusa com ideias brilhantes que não critica seus gostos culinários duvidosos presa no meu corpo! - Disse o esquerdo, olhando para mim, impressionado.

-Claro que não, seu idiota, ela está presa no meu corpo! - O Direito discordou de forma rude.

-Sinto muito, meus caros peitos, mas eu só quero ficar presa no corpo dessa garota aqui. - Luka disse me puxando para o seu colo e me dando um selinho. - O que acha? Vamos ficar grudadas assim?

-Tipo um chiclete de menta-cereja? - Perguntei.

-Tipo um chiclete de menta-cereja! - Assentiu e nós duas sorrimos.

Eu nunca estive tão apaixonada por uma pessoa quanto estou por Luka Megurine, seu corpo me enlouquece, sua voz me tranquiliza, seus cabelos me hipnotizam, seus olhos me encantam, seus lábios deixam minha mente em branco e sua personalidade me deixa ainda mais apaixonada. Suas respostas são sempre o que eu mais quero ouvir, e isso me satisfaz tanto quanto me assusta, uma vez que ela só está fingindo. Luka está me usando. Isso significa que ela não gosta de mim de verdade e essa é a única coisa que me impede de escolhê-la. Ah sim! Len! Me castiguei mentalmente por demorar tanto para lembrar de sua existência, mas sinceramente, eu devo esquecê-lo em alguns minutos.

Eu e Luka ficamos mais um tempo na cama, paquerando uma a outra. Quando a fome bateu, nos vestimos e fomos ao mercado, comprar os ingredientes para cozinhar minhas duas iguarias favoritas. Ela parecia animada para experimentá-las, ou talvez só estivesse fingindo. Nós dançamos no meio do mercado, enquanto cantávamos palavras aleatórias, e quando alguém encarava a cena horrorizado, ela dizia que nosso talento era tão impressionante que eles estavam se afastando para procurar algo para nos gravar. Mas infelizmente nossa diversão acabou quando um dos funcionários do mercado nos pediu para parar. Tsc. Invejoso!

-Sabe qual o nome daquilo? - Perguntou a garota de cabelos rosados quando saímos do local. Ela estava agitada. - Dor de cotovelo!

-Pensei a mesma coisa! Nosso talento era demais para o orgulho dele! - Assenti com a cabeça várias vezes.

-Sim! - Ela se animou! - Você foi a segunda garota que teve coragem de dançar e cantar comigo no meio do mercado!

-Quem foi a primeira? - Perguntei fingindo ciúmes, mas Luka ficou muda e quando eu encontrei a resposta, os ciúmes que eu fingia se tornaram reais. - Miku?

-É. Rin te contou alguma coisa sobre a história? - Ela encarou o horizonte enquanto trocava a sacola de compras de uma mão para a outra.

-Bem pouco. Sobre como você se apaixonou por ela e parou de transar com todas as garotas que via pela frente, mas você também fez isso por mim certo? - Não tenho certeza do motivo, mas eu senti que tinha que confirmar.

-Não. É diferente. Miku foi a única garota que eu já amei... e eu nunca vou amar ninguém de novo... - Disse fria, como deixando claro que era impossível. Eu parei de andar.

-Ah. Ok, então. - Soltei as compras na calçada com o choque e me virei, caminhando a passos pesados na direção oposta a dela.

Não olhei sua expressão, apenas me afastei, fervendo de raiva. VÁ FICAR COM A PORRA DA MIKU ENTÃO! Era a frase que eu planejava gritar se ela tentasse me parar. Mas conforme eu ia me afastando, mais o medo de que ela me deixasse ir embora, cresceu. Olhei para trás desesperada, e vi uma Luka que ainda não tinha visto, ela bagunçava os próprios cabelos com raiva, então gritou, nenhuma palavra em específico, foi apenas um potente e sonoro grito, que mesmo eu estando à vários metros de distância, fui capaz de ouvi-lo perfeitamente. A rua estava vazia, mas eu não acho que ela teria deixado de gritar, só porque haviam pessoas por perto. Ela olhou na minha direção ao notar que eu a encarava, mas eu fechei a cara e continuei andando, dessa vez os passos apressados chegaram aos meus ouvidos e eu senti mais alívio do que nunca quando ela me abraçou. Esquecendo por completo o motivo da minha raiva.

-Eu não posso amar outra garota... mas eu não quero sair de perto de você. Me perdoa, Chiclete? - Ainda incomodada, mas não tanto, eu a encarei.

-Só me promete que a próxima vez que você falar que me ama, vai ser de forma sincera. - Disse esperançosa. Eu não acredito que estou sendo tão trouxa ao ponto de criar expectativas nesse romance.

-Prometo. - Respondeu. - Mas não faz mais isso, por favor, não vá embora, nós temos que ser um chiclete de menta-cereja e isso não funciona sem a menta.

-Sinceramente. - Eu disse séria, cansei de sentir ciúmes sozinha, de sentir medo de perdê-la sozinha. - É por causa desse seu amor pela Miku que eu tenho medo de terminar com o Len... que garantia eu tenho de que você não vai me largar quando cansar de mim? Você só está me usando!

-Não! … quer dizer, sim... mas... - Ela parecia confusa. - Eu não acho que vou cansar tão cedo de você, eu só... quero ficar contigo para esquecer tudo o que aconteceu, então eu não... eu não...

-Eu não estou entendendo!

-Eu não quero que você vá embora, mas tenho medo de que se ficar com você eu comece a te amar mais do que eu amava a Miku! - Gritou e o meu coração acelerou, ela tapou a própria boca ao terminar de falar, e me encarou com um olhar dolorido.

Eu senti que ia enlouquecer, que ia saltar em cima dela e beijá-la até não conseguirmos mais respirar. A sinceridade em seu tom de voz me acalmou e me agitou ao mesmo tempo, os sonhos e esperanças que eu tinham foram alimentados e eu tive certeza por um breve instante: Eu amo Luka Megurine. O desejo de ser correspondida era imenso, eu cheguei a desejar a morte da Miku para que eu fosse a única garota que ela pudesse amar. Eu fiquei mais um tempo parada antes de perder o controle a saltar nos seus lábios. O beijo mais desesperado que já tive. O beijo que clamava, implorava por amor. Eu necessitava do seu corresponder, e ao sentir a língua dela entrar em minha boca, parte dessa necessidade se supriu.

Eu não contei quantos minutos ou horas passamos na rua, mas quando terminamos claramente havia se passado muito tempo. Pegamos as compras, notando a sorte de nenhum dos ovos ter quebrado quando eu soltei a sacola. Uma das vantagens de não ser alta, Rin no meu lugar se sentiria mais feliz do que eu me senti. Voltamos para sua casa e deixamos as compras na cozinha. Eu me preparei para o momento mais “master-cheff” da minha vida e enquanto Luka arrastava o sofá para a entrada da cozinha, com a intenção de assistir ao programa, eu simulava os comerciais de produtos que ninguém compraria.

-Seus peitos falam demais? Compre o sutiã-amordaçador! - Era o último comercial.

-Acho que eu preciso de um desses... - Disse Luka pensativa.

-Não precisa não! - Disse o esquerdo debaixo do sutiã. Luka levou a mão até ele e … ai meu deus... - Oh... não... isso é sexy demais para a apresentadora do programa suportar, espere, espere! - Implorou o pobre seio, preocupado comigo.

-Ah sim. - Ela sorriu maliciosamente. - Pode continuar

-Sejam bem vindos ao... CULINÁRIA DUVIDOSA com Gumi Master-Cheff! - Após isso eu simulei a música do programa com algumas sílabas sem sentido. - Vamos ao primeiro prato.

A melhor risada do mundo saiu dos seus lábios e eu desejei que ela me amasse como eu amo ela. Ser correspondida era tudo o que eu queria, porque de que adianta tê-la para mim se apenas eu me importo? Felizmente parece que não é como se ela não sentisse nada por mim, ela se desesperou tanto quando eu quase fui embora... ela falou que tinha medo de que pudesse me amar mais do que amava a outra, então eu tenho chances, mas... ela pode estar mentindo de novo... E essa visão de não poder amar ninguém mais do que amava aquela garota... Eu queria que tivesse sido comigo. Eu invejei tudo o que as duas viveram e desejei que a garota de cabelos azuis nunca tivesse existido.

Uma mulher com um olhar penetrante, que me olhava com mais desejo do que qualquer homem já olhou. Esta foi a quarta Luka pela qual eu me apaixonei.

E você não amaria amá-la? E lá vamos nós de novo, você pergunta quem será sua amante? Apenas é certo que você deveria entregar a forma como você se sente. Pois nunca na vida você encontrará outra mulher entregue pelo vento”


Notas Finais


Musica citada nesse capítulo: https://www.youtube.com/watch?v=QHZCGBJ1xDU
Espero que tenham gostado, por favor digam oq acharam nos comentários.
Nos vemos segunda que vem.

Bye~~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...