História Chiclé - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags 14×25, Baekhyun, Byun Baekhyun, Chanyeol, Exo, Lemon, Park Chanyeol, Shotacon, Yaoi, Yonnie Sixx
Exibições 589
Palavras 2.317
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


EU VOLTEY COM CAPÍTULO BEBÊS!
Então, oq acharam da ideia loca do casamento ? Gente, eu sei, doeu até em mim mas relaxem que vai tudo se resolver, espero que tenham a famosa paciência.
Enton , eu não tenho muito o que falar, esse capítulo não tá lá essas coisas mas, é a chave para as tretas futuras e altas revelações ...
Da parte de Chanyeol .
Parei com os spoilers
ancjancjncj
ENFIM
EU TAVA OUVINDO O FAMOSO HINO HELLO BITCHES E SO VEM
NAJCNAJC
EU FIQUEI LOCA E COLOQUEI NO COMEÇO
PQ SIM
ME LEMBROU O BAEK AQUI EM CHICLÉ
E PEW
ANCJANC
enfim, vamos ao capítulo..
Não tá betado , só revisado preguiçosamente, então relevem os meus erros escrotos...
Ao capítulo ^^

Capítulo 6 - Indiretamente



 

Meu quadril é justo, justo, justo
Os caras me pedem um tempo, tempo, tempo
Meus lábios são tão deliciosos
Onde eu for estou tão confiante
Quando eu subo no palco estou realmente maravilhosa

 

CL - Hello Bitches 

 

Bater naquela porta nunca fora a pior coisa de minha vidinha lixo - até o momento. Chanyeol e aquele horror de gente pareciam ser surdos . Era isso? Somente ali fora já estava me dando aquele famoso nojo. Respirei fundo e mamãe estava com um sorriso que parecia não se desmanchar com nada nesse mundo. Eu hein.  Pensei bem em meus atos, e , eu não faria nada de imprudente , eu jurei a mim mesmo , enfrente aquele espelho enquanto me arrumava . Talvez fizesse, mas apenas com Chanyeol, eu já tinha em mente , apenas o famoso torcer pra tudo caminhar bem.

Se eu estava conseguindo aceitar o fato de lidar com Luhan de terninho perto do Park ? Tentando. 

Enfim abriram aquela porta, é, abriram .. Era ele, o chinês . Apenas sorri fraco para não ser taxado de ridiculo ou ignorante, afinal, eu era um doce de pessoa . Com a devida reverência eu e mamãe adentramos, eu passei direto , Soohyun tinha ficado para trás falando com o futuro esposo de Chanyeol . Abraços que me deixavam com náuseas assim como as taças de Champanhe nas mãos dos convidados dali, alguns rostos conhecidos aliás . 

— Não parece tão entediante como era pra ser.. —  Sussurrei a mim mesmo e pus os dedos nos bolsos de minha calça jeans . 

Tocava algum tipo de música clássica ao fundo, apenas para dizer que havia alguma música. Sorri parcialmente e como toda criança de quatorze anos , corri até mamãe novamente e com a leve inocência que eu possuía, perguntei:

—  Onde está o Channie-ah? —  Manhoso demais até, mamãe olhou sugestiva para Luhan, esse que tinha um sorriso desafiador - que somente eu percebi isso. Ele tinha ciúmes da relação tão próxima que eu tinha com o Park .

—  Ele ainda está vestindo-se . —  Falou Luhan, agora olhando para minha mãe. Ignorou completamente a minha existência ali, assim como mamãe, e isso me deixou irado , mas preferi esconder isso por detrás de minhas bochechas rosadas . Cruzei os braços e vi ambos irem em direção dos convidados.

Minha mãe como sempre vivendo em fluência da sociedade, era aquele tipo de pessoa que ,sempre faria de tudo para parecer a maior milionária que você respeita . Observando aquele motinho de convidados , me dirigi até o corredor de portas da casa do Park , afinal , estavam tão concentrados naquela conversa idiota sobre casamento que nem sequer notariam . No caminho para o quarto do mesmo - não por tanto tempo - , eu abri um a embalagem de um pirulito e o pus na boca, mesmo de aparelho .

A embalagem foi ao chão mesmo , não estava ligando. Eu acho que hoje era meu dia de sorte, a porta de seu quarto estava aberta , e quando entrei eu tive a melhor das surpresas. Chanyeol estava finalizando o nó de sua gravata cinzenta , enfrente ao espelho , também arrumando as mangas de seu paletó , fodidamente lindo.

—  B-baek? —  Ele estava surpreso, afinal. 

Retirei o pirulito de minha boca em um provocativo 'ploc' e, eu diria que Chanyeol estava nervoso, assim como ele ficava sempre que me tinha em sua casa nas minhas noites solitárias. Sorri e, apenas tranquei a porta detrás de mim.

—  Por que não esperou lá fora com sua mãe? —  Ele ainda arrumava cada detalhe de sua roupa. Sempre com seu senso de perfeição visível . 

Sorri um tanto insinuativo e passei o doce por meus lábios, sentando em sua poltrona, a mesma poltrona daquele dia. Ainda intocada desde tal acontecimento . Mesmo eu me sentindo um puto de um sujo , eu tinha boas lembranças dali, afinal ...

—  Não sorria assim garoto ..—  Ele falou entredentes , me encarou e respirou fundo em forma de desculpas a si mesmo , e a mim . Eu entendi bem o seu olhar mas, a vontade de matar ainda me possuía. Talvez aos poucos, dependerá de sua sorte , Park.

—  E por que não , Channie-ah..—  Devolvi em forma de sussurro, minha voz manhosamente rouca, do jeito que eu sabia que ele se arrepiava. —  Adorei a sua decoração .. Que inusitado , esse noivado .. Eu já pressentia mas, fora muito rápido , para minha surpresa, é claro.. —  Fali sabiamente . Chanyeol apenas foi até a penteadeira de madeira que havia ali e, passou seu melhor perfume. O perfume.

Concentração .

A angústia queria me consumir mas, ao mesmo tempo eu me recriminava por culpá-lo de algo. Eu tinha medo do jeito severo que Chanyeol possuí, tão intimidante de uma forma que me deixará com hesitação e temor em suas palavras . As futuras palavras, afinal essa situação inteira era uma coisa grandiosamente ridícula . Revirei os olhos com sua falta de resposta ,ou sequer a educação de olhar nos meus olhos.

—  Por que não olha pra mim? Nem nos meus olhos?

Perguntei por fim , me ergui daquela poltrona e batendo os pés eu fiquei frente a frente com ele, mesmo que com minha baixa estatura, minha cabela estava erguida o suficiente. Ele franziu o cenho e encarou meus lábios com o pirulito entre eles, durante um segundo apenas. Eu formiguei por completo mas , quando sua voz me respondeu fora meu dilúvio interno .

—  Da última vez que olhei foi um erro.

Minha boca abriu-se em um perfeito O , ele realmente disse isso?

—  Está dizendo que fazermos amor foi um erro?

—  Eu diria uma foda. —  Falou , voltando a olhar-se no espelho. Meus olhos se encheram e eu realmente não entendi o porque mas, eu senti aquilo .

—  Idiota. —  Sussurrei . —  Insensível .. —  Uma enxurrada de tapas meus foram distribuidos por suas costas e pra falar a verdade,ele era um muro contra mim. Realmente uma parede que atrapalhava minha vida. —  Babaca... Te odeio! —  Minha voz saiu embargada demais, e me castiguei por isso , Chanyeol me olhou , incógnito aliás, eu queria socar aquele rosto lindo. 

—  Entende a gravidade da situação ? —  Falou sincero . 

—  Eu entendo sim, você é um ...—  Me segurei e , guardei minhas queixas. Estava puto , bem mais que ele aliás. 

—  Eu , Park Chanyeol , vou casar com Lu Han . 

—  E eu fui um erro. Correto . —  Ele assentiu aquela droga mesmo sem ser uma pergunta. Agora estava tudo esclarecido.

Também concordei, mesmo que estivesse estranhamente doendo. 

—  Só tenho duas perguntas para você Chanyeol , e... Eu só quero sua resposta com toda a sinceridade que me oferece. —  Um falso sorriso brotou em meus lábios rosados, e , Chanyeol insistiu em visar seu relógio.

—  Tem dez minutos.

—  Só preciso de um .

Fui direto e, continuaria sendo.

—  Você realmente ama LuHan ? —  Ele sorriu , ironico demais, eu juro que não entendi . Assentiu devagar , me deu permissão para a próxima, já com os olhos marejados demais.

Assim o fiz.

— Porque me tirou de dentro daquela boate?

Nossos olhos se chocaram em ânsia .Nossos olhares se prenderam durante segundos e mais segundos, pareciam até mesmo horas , era horrível a sensação. Se eu pudesse morrer - levando ele junto - eu escolheria tal, mais fácil que encara-lo , de sua forma tão severa. O que ele responderia era a minha maior curiosidade , mas ele continuava calado , com o cenho franzido, apenas me encarando . Aquilo doía, na realidade eu já estava vermelho de raiva e angustia .

— Chanyeol ? — Eu mirei a porta, era a voz de mamãe. De repente uma dor no peito me consumiu, não por medo , mas por nervosismo e arrependimento . De tudo. 

Park Chanyeol , você me paga! 

A vontade de subir em cima daquele poste e lhe quebrar a cara ainda era tão grande que eu senti minhas mãos coçarem e minhas unhas afiarem. Mesmo que não tivesse o famoso nexo , eu queria fazer tudo aquilo, talvez assim ele provasse de minha dor sentimental nem que fosse na física . Eu sempre fui vingativo , vingativo e meio , mas na medida do senso do ridículo .

— Baekkie está com você , Chanyeol? — Era realmente Soohyun e , olhei cúmplice para o Park em minha frente, quando ele foi até a porta, devagar, passando por mim e deixando seu cheiro . Fechei os olhos e respirei fundo, teria que melhorar minha faceta, mamãe confiava em mim .

Será que Chanyeol era um Narcisista de fato ? Que morte horrível ! 

Inspirei e vi a porta ser aberta por fim , agora já com o chiclete - que a poucos segundos era um lindo pirulito de cerejas - na boca, fiz uma pequena bola rosada. Mamãe sorriu como se me condenasse, seria amedrontador se eu tivesse meus sete anos.  Caminhei devagar quando Chanyeol deu espaço para que eu passasse e , ficou a fitar o chão. Meus passos eram lentos e provocativos , e pelas minhas costas eu senti seu olhar queimar. 

— Eu só estava conversando com o Channie-ah , mamãe .

Afirmei mascando o chiclete e olhando dela até o Park . Esse que negou devagar e disfarçadamente.

— Ótimo amor m as, eu realmente queria falar com o Chanyeol, lhe dar os parabéns pelo noivado.. — Ela sorriu direcionada a Chanyeol, esse que sorriu e, eu só tive vontade de vomitar sobre aquela comida toda na sala de jantar bem decorada. Talvez eu estivesse pensando um pouco rude mas, se eu não ia armar o meu barraco então eu estava no direito de ao menos estourar a garrafa de champanhe na cara rebocada daquele chinês, não estava?

Irene riria comigo mas aquela idiota resolveu sair com o priminho justamente hoje. Revirar os olhos seria meu trabalho rotineiro essa noite, até o momento em que Chanyeol me respondesse eu não estaria sossegado o suficiente.

 

[ .  .  . ]

 

Onze da noite.

Exatas onze horas e eu ainda estava sentado naquele sofá, o jantar já tinha ocorrido e , insistiram para que eu não tomasse do vinho o sequer do champanhe , e o que resultou ? Isso mesmo, eu, Byun Baekhyun  , me submeti a tomar refrigerante, isso foi o cúmulo . Mas prometi a mim a distancia de bebidas alcoolicas ,sendo assim ficou tudo bem. Meu rosto descansava sobre os meus dedos, e eu era o único sentado naquela festinha ridícula, todos em pé, conversa vai e conversa vem , alto demais para meus pobres ouvidos, e minha cabeça cheia demais - de duvidas . 

—  Onde está minha mãe?

Fora uma pergunta a mim mesmo , me estiquei em busca de enxergar ela em meio aqueles médicos, advogados e etc. Nada tão importante ao ponto de me força a memória. Nem sequer tive sinais dela , eu queria avisar que já ia embora quando senti alguém sentar do meu lado.  Não era mamãe para minha sorte e também não era o cretino insensível. Mais um suspiro e eu previ que teria mais horas de puro tédio ali , meus doces já tinham se evanescido . 

Iria embora sem realmente avisá-la .

 

Já do lado de fora - foi um sufoco passar por aquelas silhuetas ditas tão importantes . - eu tranquei a porta sorrateiramente. Não queria ir para casa então decidi andar pelo prédio, fazia anos que eu não visitava o terraço ,esse que tinha um lindo jardim montado, mas agora era de noite, mal daria para ver o brilho das rosas ou sequer dos lírios. Fiquei parado enfrente o janelão do fundo do corredor . Aquela hall era apenas de minha mãe e do Park. Isso foi o que facilitou nossa aproximação . Faziam anos , e parecia que tinha ocorrido ontem.

Muitos anos aliás. 

Senti passos detrás de mim, eu conhecia aqueles passos, definitivamente,  e eu temi a aproximação. 

—  Porque não já foi para casa?

—  Porque isso te incomoda tanto , Park Chanyeol? —  Perguntei virando apenas minha cabeça, apenas para lhe observar de rabo de olho, realçando cada vez mais meu delineado , encarando seus olhos escuros. Ele estava lindo naquela roupa social, eu amava Chanyeol de terno . Sempre amei . —  Você tem uma festa de noivado para estar.. —  Sarcástico o suficiente para ele notar minha angustia reprimida .

— Porque faz questão de tocar nesse assunto pirralho ? Como se você se fortalecesse em destruir minhas barreiras! —  Chegou bem mais próximo e , eu arrepiei . Com um fio de voz eu o respondi, não a altura, não o que eu realmente queria.

—  Vai ver é isso mesmo , Chanyeol . —  Ele engoliu em seco. —  Quanto mais você cede mais eu te amo , Park. —  Ele não mostrava reação alguma, e aquilo doía. Finalmente me virei e lhe encarei , novamente com os olhos cheios, a garganta parecia querer fechar e, minha cabeça inclinou , durante segundos. —  Porque me tirou daquela boate? —  Sussurrei . —  FALA ALGUMA COISA, POXA! —  Gritei batendo o pé, vi Chanyeol apenas fechar os olhos encarando a sua realidade, ou a nossa. 

Era covarde o suficiente, eu amava um covarde. Que horrendo . 

Já não me reconhecia mais, eu era quem fazia a revolução .

O adolescente de quatorze anos com a cabeça mais maduramente pensante. Errado Byun, erradíssimo . 

—  O que você quer que eu fale?! Porque não para de me fazer perguntas difíceis , Baekhyun?! Porque você não pode ser um adolescente normal de quatorze anos?!

—  Como se eu te empatasse de viver . —  Sorri em meio a uma solitária lágrima que desceu em minha bochecha, essa que limpei rapidamente com a costa de minha mão esquerda , desviando meu rosto de seu olhar tão faminto . Pesado demais. 

—  Você faz isso , indiretamente . 

—  uh.. —  Suspirei . —  Eu v-vou embora. 

—  Baekhyun.. —  Chamou-me e, ergui meu rosto.


Notas Finais


GENTE OBRIGADO PELOS FAVS ATÉ AQUI, EU CHOREI DE EMOÇÃO
SERION
AI DEUS
Sem o drama, agora vai..
Isao amor, você gostou ?<33
espero que sim..
Enfim ,foi isso , até o próximo ><


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...