História Chiquititas (Gay) - 1 Temporada. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chiquititas
Personagens Beto, Felipe "Mosca", Paçoca, Rafael "Rafa", Rubens "Binho", Tobias Ramos (Tomás Ferraz)
Exibições 303
Palavras 1.235
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Slash, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Os três garotos (Binho, Mosca e Rafa) se alojam no porão do Orfanato Raio de Luz, para Mosca aquilo significava o fim de suas diversões sexuais, mas para o Rafa não...

Capítulo 4 - No Porão.


P.O.V. Rafa

 

Vir para o porão do orfanato em que a Pata está é algo bom, temos abrigo protegido do frio, comida acessível que é a melhor parte e proteção contra o Paçoca e qualquer outro que represente perigo, mas tem os seus defeitos. Antes de virmos para cá, eu e o Mosca fizemos sexo duas vezes, forma as melhores experiências da minha vida, foi tudo tão prazeroso, mas agora que estamos aqui, é arriscado fazermos isso, e o Mosca nunca me deixa esquecer, ele vive me lembrando que estamos com o Binho tempo todo e que se saíssemos para algum outro lugar pra fazer isso o Binho desconfiaria, e que não poderíamos fazer isso de noite, pois o Binho poderia acordar e nos ver. Mas eu não aguento mais, e foi isso que levou a cometer aquela ação.

Nessa noite, não consegui dormir, fiquei morrendo de tesão me lembrando de mim e do Mosca transando, mas fiquei ainda mais excitado em pensar na possibilidade de ser o ativo, em nossas duas únicas vezes eu fui fodido por ele, então a curiosidade cresceu dentro de mim, eu queria muito experimentar isso.

Eu olhei ao redor: o Binho parecia dormir profundamente, ele deitava longe de mim e do Mosca o que facilitava as coisas, Mosca também estava dormindo e não muito longe de mim. Se eu quisesse mesmo fazer aquilo teria que ter coragem de arriscar e claro, seria mais fácil de convencer o Mosca a fazer isso se de inicio eu passasse a ideia de que faríamos sexo como das outras vezes, sem inverter nossas posições.

Eu me aproximei do Mosca, sorte minha que a claridade da rua que entrava pelas janelinhas não deixavam o porão em repleta escuridão, eu poderia vê-lo. Quando cheguei do lado dele, abaixei cuidadosamente a bermuda dele junto com a cueca, e então comecei a masturbá-lo, mesmo dormindo, o Mosca respondia bem os estímulos e logo seu pau estava ereto.

Depois eu me aproximei do mesmo com minha cabeça pretendia chupá-lo, eu sabia que com aquilo o Mosca acordaria e tinha que estar preparado para qualquer que fosse a sua reação.

Quando o engoli, Mosca ainda não acordou, mas segundos depois ele despertou.

Mosca = Hã? O que...? Ra-Rafa?!

Ele estava prestes a gritar então eu rapidamente tapei a boca dele com minhas mãos e fui para perto dele para sussurrar, eu tinha que ter cuidado para não acordar o Binho.

Rafa = Shhh... Você vai acordar o Binho com esses gritos – eu soltei ele.

Mosca = Você está louco Rafa? Já conversamos que não podemos mais fazer isso, é perigoso, o Binho está logo ali.

Rafa = Ele ta dormindo profundamente, não vai acordar, e outra, eu não to mais aguentando de tesão, to com tanta saudade disso. Vamos lá, você já ta todo excitado mesmo.

Ele ainda não parecia disposto a concordar com isso, então eu faria mudá-lo de opinião. Voltei para seu pênis que estava semi-ereto e voltei a chupá-lo, Mosca soltou alguns gemidos abafados.

Como eu sentia saudade daquele pênis, mas hoje eu não mataria a saudade de tê-lo dentro de mim, eu queria experimentar algo novo.

Rafa = Então Mosca? Já fiz em você, poderia fazer o mesmo comigo?

 Mosca = Tudo bem, eu faço, mas lembre-se que o Binho está aqui, nada de barulhos.

Eu me sentei no chão já sem bermuda e com meu pênis para fora latejando de excitação, Mosca veio com sua boquinha e começou a chupá-lo. Ele subia e descia com a boca gentilmente enquanto sua língua fazia um ótimo trabalho.

Rafa = Ei Mosca, já está bom.

Mosca = Ok... Olha Rafa... O que você quer afinal? Que fiquemos alternando em sexo oral até... Gozar? Porque isso é meio complicado, ficaríamos todos melados e acho que sexo anal ta meio fora de questão, poderíamos fazer barulho de mais e acordar o Binho.

Rafa = Esquenta não Mosca... – Disse eu tirando minha roupa.

Eu rapidamente pego o Mosca e deito de bruços sobre o colchão e o seguro fortemente contra ele para que não escapasse.

Mosca = Rafa?! Enlouqueceu?! O que está tentando fazer?!

Rafa = Shhh... O Binho... Bem Mosca.... Eu estava a fim de tentar algo diferente, estar na sua posição ao menos uma vez, e agora realizarei esse desejo. Relaxa Mosca...

Mosca estava praticamente vestido ainda, somente sua bermuda abaixada deixando sua bunda exposta, e isso já era o suficiente. Eu comecei a penetrar o Mosca, ele parecia tenso, mas mesmo assim, aquilo não parecia ser inédito para ele, menos mal para ele.

Eu fui tirando a bermuda dele por completo para deixá-lo mais confortável enquanto eu experimentava aquela maravilha de cuzinho. Mosca e eu tentávamos gemer o mais baixo possível para não acordar o Binho. Eu mal estava acreditando que estava fazendo aquilo, era maravilhosa a sensação.

Mosca estava cooperando com a situação, embora perecesse não gostar, não por não estar sentindo prazer, na verdade ele parecia adorar, seus gemidos exprimiam isso, ele só parecia não gostar devido aos riscos.

Em certo momento nós dois estávamos quase igual à nossa primeira vez só que trocados é claro, eu estava deitado sobre o Mosca, nós dois imóveis, somente o meu quadril se movia representando minhas investidas no seu ânus.

Eu já estava no meu máximo, quando de repente, senti uma sensação diferente, era a sensação de que eu iria gozar, sempre que eu tinha feito aquilo tinha sido em uma masturbação seja por minhas mãos ou pelas mãos do Mosca e nunca dentro de alguém, já que essa era minha primeira vez. Acabei gozando dentro do Mosca... Ele não gostou.

Mosca = Rafa! Você gozou em mim?! Seu estúpido! – Puxa eu nunca havia visto o Mosca tão zangado, e isso porque ele deu gritos sussurrando.

 

P.O.V. Mosca

 

O Paçoca já havia dito sobre a sensação de ter esperma dentro de si não ser das melhores, ele estava certo, incomoda bastante, ele disse que poderia ter feito isso comigo em todas às vezes só por vingança pelas nossas antigas desavenças, mas como gostou de mim, me deixou livre dessa, mas agora, o Rafa foi descuidado e cometeu esse erro, que droga! Sabia que daria algum problema se nós transássemos aqui no porão, e sinceramente, tô afim de dar o troco.

Rafa = Me desculpa Mosca, foi um descuido meu, eu não queria...

Mosca = Sei que foi um erro seu, mas foi um erro desde o momento que você me acordou, agora vou ensinar a você a não cometer mais essas loucuras idiotas, fica de quatro!

Rafa= Que?

Mosca = Que foi? Você não queria sexo? Agora vai ter, e fique quieto para não acordar o Binho.

 

P.O.V. Rafa

 

Puxa! O Mosca estava mesmo irritado, me mandou ficar de quatro pra ele... E logo começou a enfiar seu pênis em mim, mas desta vez fazia com muita força, e fazia de propósito, tive que me controlar para não gritar de dor, infelizmente, o Mosca podia fazer aquilo por mais tempo que eu, e minutos depois ele fez o que eu imaginei que faria... Ele gozou dentro de mim, depois vestiu sua cueca e bermuda e voltou a se deitar com uma cara de zangado, e agora eu sei porque ele ficou tão incomodado por eu ter gozado dentro dele...

Antes de dormir ele disse que antes do sol nascer, iríamos até a tal casa em que tomávamos banho.


Notas Finais


Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...