História Chrysanthemum - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Suga
Tags Min Yoongi, Oneshot, Park Jimin, Suga, Sugamin, Yoonmin
Exibições 14
Palavras 703
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Poesias, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa Leitura Amor!!!

Capítulo 1 - Capítulo único


 

Com a chegada da primavera, vinha junto a memória daquele dia, imagens ainda vivas em sua mente. Era como se tudo aquilo não pudesse se apagar, parecia que estava preso em sua mente para todo o sempre, como aquela promessa que havíamos feito antes da tempestade cair sobre nossas cabeças. 

O nosso amor era como um fio vermelho, um que ninguém nunca poderia cortar, separar ou arrebentar, apesar da aparência frágil, que ele aparentava ter, que o nosso casamento aparentava ter, porém, éramos mais fortes que qualquer ventania, ou assim pensávamos.

Mas, então aquele dia chegou para mudar tudo...

Quando descobrimos sobre a minha doença, eu mudei drasticamente, era como se aquele Jimin sorridente tivesse morrido, ou então, eu só tivesse sido enterrado e a camada de concreto por cima, me impedia de sair. E com isso, aos poucos, aquilo que costumava ser quente, esfriava rudemente.

E em cinco meses, nosso casamento se resumia em brigas e mais brigas, porque aquilo veio para nos destruir, enquanto me matava e te feria junto. 

O nosso casamento durou, durou até que a morte nos separou. Eu sei que se você pudesse, voltava a três anos atrás, só para descobrir a tal doença que, como o vento leva as folhas secas, me levara para longe de você.

E agora você está aqui, encarando aquela lápide, com o meu nome e o ano em que nasci até o ano em que eu morri. Seu rosto se encontra mais pálido que o normal, mas a sua beleza, ah, Yoongi, como você continua belo, apesar dos anos, e esse terno preto, perfeitamente alinhado ao seu corpo, o deixa extremamente sexy.

Mas, em seus olhos, antes carregados de um brilho de paixão e uma pitada de orgulho, agora a tristeza e o vazio dominam. 

“Por favor, não desista! Você precisa lutar até o final, porque, apesar do breu dessa noite, você sabe que pela manhã, o sol vai aparecer.”

Então, você corre em direção aquele caixão de concreto onde o meu corpo sem vida fora enterrado, caindo de joelhos sobre aquele chão e desabando em lágrimas. 

— Você era o meu sol, Jiminie, e você não estava lá naquela manhã. Você disse que o sol ia aparecer, mas ele havia sido enterrado...

Me perdoe Yoongi... - eu dizia, mesmo sabendo que você não ouviria, e eu te abraçava, mesmo sabendo que você não sentiria, por amar você. 

— Você era meu sol... - você chorava enquanto murmurava repetidamente essas mesmas palavras, e ao seu lado, naquela terra escura e recém molhada, estava um buquê de crisântemos brancos, as minhas flores favoritas, porque, para mim elas eram como a nossa relação: simplista, verdadeira, tranquila e perfeita.

Eu queria poder mudar essa cena de tristeza e desespero para uma em que nós estivéssemos deitados sobre a grama verde do nosso pequeno quintal, aproveitando o momento um do lado do outro, aproveitando o carinho que você com certeza faria, já que você tinha uma mania de sempre estar com suas mãos quentes envolvendo as minhas frias. Aproveitando aquilo que chamamos de amor.

Você uma vez me disse que ficar sem mim era como viver sem respirar, eu espero que me perdoe por faze-lo viver com essa dor, mas, você precisa viver, viver por nós dois, e eu sei que você é forte o suficiente para faze-lo, meu amor

Então, ao deixar aquele buquê sobre o caixão de concreto, você se levantou, recompondo-se, e caminhando em direção a saída daquele lugar tão mórbido. 

Espero que você viva bem e por longos anos, e então, um dia, Papai do Céu o trará para cá, onde ficaremos juntos a toda eternidade. Também espero que ele não o traga para cá por causa de alguma doença, como a mim, e sim como sempre sonhamos. 

Morriamos juntos um ao lado do outro, enquanto estaríamos a repousar. 

“No caso concreto do crisântemo branco, existe a crença da verdade e sinceridade. De acordo com o taoismo, o crisântemo é um símbolo de simplicidade e perfeição. Como é uma flor típica do Outono, também significa tranqüilidade e é visto como um mediador entre o céu e a terra, a vida e a morte.” - A Simplicidade e Perfeição do Crisântemo, 
Jardim de Siguta

 


Notas Finais


Me perdoem por esse final, eu não trabalhei bem nele, como eu gostaria.

Essa OS é, primeiramente, dedicada ao meu tio Gil, agradeço a Deus por me proporcionar memórias que jamais serão esquecidas, eu te amo muito e sempre irei lhe amar, eu gostaria tanto que o senhor pudesse ler essa OS, mas Papai felizmente o levou. Espero que me perdoe pelas brigas com a Clarinha e por ser um bebê chorão.

- Sua Eterna B.

E, a você, caro leitor, por ter lido essa pequena OS, espero que tenha gostado e entendido a história deles, e a mensagem que eu quis passar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...