História Chuva - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bleach
Personagens Byakuya Kuchiki, Orihime Inoue
Tags Amizade, Byahime, Byakuya, Byakuya Kuchiki, Chuva, Orihime, Orihime Inoue, Romance
Visualizações 28
Palavras 1.008
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Finalmente pude atualizar, ufa! Tenho nem o que falar. Apenas... Enjoy

Capítulo 4 - Boring Rainy Day


Mais um dia se passava chovendo, e embora Inoue Orihime realmente amasse a chuva de todo seu coração. Já faziam quatro dias que aquele belo aguaceiro não dava trégua, e junto com o frio que o vento gelado trazia, veio o tédio de não poder sair para não ficar doente, embora ela tenha dado uma escapada para andar ate o lago da mansão Kuchiki, o que resultou numa preocupada  Rukia dando uma curta “palestra” sobre os perigos da ruiva ficar debaixo da chuva e do vento frio. – realmente, nada que a ruiva já não soubesse. – E infelizmente a desculpa mais conhecida da ruiva, aquela dela não adoecer facilmente, não colou pra cima da morena baixinha.

Orihime achava engraçado o fato de uma mulher adulta de vinte e sete anos, formada, diplomada, CEO de uma bem sucedida empresa,  que praticamente se sustentou sozinha desde os doze anos, como ela. Levar bronca de uma baixinha, de pele clara, belos olhos ametistas e curtos cabelos negros, que aparentava não passar dos dezenove anos de idade. Durante a pequena “palestra” da sua amiga irritada, a ruiva quase não  fez questão de esconder seu riso, o que só deixou a baixinha mais irritada do que antes.

Vendo que o tédio não passaria tão cedo naquele dia frio e úmido, a ruiva tentou de tudo pra ocupar a mente. Leu alguns livros na grande e silenciosa biblioteca da mansão, no entanto as palavras bem posicionadas para criar uma bela historia não conseguiram prender sua atenção. Jogou xadres contra si mesma. – fazia isso a muito tempo, como não possuía amigos na infância, teve que aprender a se entreter sozinha. – mas eventualmente o jogo foi perdendo a graça. Ate mesmo pensou em tentar puxar conversa com alguém, todavia os servos eram muito ocupados e as únicas outras pessoas na mansão eram alguns anciãos Kuchiki, que não eram nem um pouco sociáveis, com exceção talvez do avô de Byakuya. Por fim, a ruiva acabou por desistir disso tudo, ate que uma idéia, que claramente tiraria seu tédio, veio a sua cabeça.

Resolveu que iria treinar, seria uma maneira de passar o tempo sem ter que morrer de tédio.  Então a ruiva pôs-se a andar em direção a seu quarto. Passou quase correndo pelos corredores ate chegar a porta do seu próprio quarto, foi direto ate o cômodo onde estavam suas roupas, estava em busca de um dos seus kimonos brancos de karate, a extensa faixa preta, que simbolizava que a delicada mulher estava no nível mais alto de habilidades daquela arte marcial. Procurou num canto um aparelho preto, seu celular, e seus fones de ouvido igualmente pretos. Não tardou a vestir as roupas brancas, pegou o celular e os fones e foi em direção antiga sala de treinamento que estava localizado numa área mais distante do resto da mansão.

Chegando na grande sala vazia, abriu um lado das grandes portas duplas de madeira escura, entrou logo em seguida. Não querendo perder muito tempo, empurrou a parte aberta com o pé esquerdo e seguiu caminho ate os equipamentos de treino que estavam guardados num armário no canto direito do final da sala. –  A mulher de compridos cabelos cor de cobre não notou que a porta não fechou completamente, deixando um vão de uns vinte e cinco centímetros aberto. – Foi ate o tal armário no final da sala, deu um olhada e pegou o único equipamento utilizaria, as luvas pretas de tekko. – ela não sabia, mas aquelas luvas pertenciam a ninguém menos que Kuchiki Byakuya, ele as usara quando ainda era o explosivo adolescente que treinava incansavelmente para se tornar o próximo líder do clã Kuchiki.  –  Botou os fones nos ouvidos, deu play na musica e começou o alongamento antes de realmente dar inicio ao treino.

Como não tinha mais uma pessoa com ela, a sua sombra teve de fazer o papel de adversário. Aos poucos a adrenalina foi tomando conta do seu corpo, e a musica animada que escutava ajudava no processo. – ao contrario do que muitos pensavam, Inoue Orihime não gostava de pop, embora, é claro, houvesse uma ou outra que era impossível não gostar. Mas a realidade era que ela adorava rock, o som da guitarra, baixo e bateria atraia a ruiva, as letras hora melancólicas, hora divertidas, enviava uma dose de animação ao corpo dela. – Tudo isso fazendo o ótimo trabalho de fazer o tédio ser totalmente esquecido pela ruiva. Alias, fazendo tudo ser esquecido por ela.

A ruiva ficou tão centrada em derrotar seu inimigo invisível, que não notou que as horas foram passando, passando ate que o fim tarde chegasse. Também quase não notou a presença de alguém a observando de longe. Instantaneamente ficou envergonhada, pois por causa da musica que estava no volume maximo em seus fones de ouvido, sabia que não ouvia o quão auto estava sua voz. Essa minha mania idiota de cantar em voz auta. Pensou a ruiva, que mentalmente ela se deu um tapa.  Parando seus movimentos para ver que a observava, foi pega de surpresa por ver que, quem a observava era seu, quase sempre estóico amigo, Kuchiki Byakuya.

- Byakuya-san? Chamou uma vez, chamou mais duas vezes. Não houve resposta. Foi só então que ela notou o olhar sem foco dele.” Ele esta pensando... Será que me ouviu cantar? Kami, espero que não” . Fazendo o mínimo possível de ruídos que conseguia, andou ate o homem recostado na porta, chamou novamente o nome dele balançando a mão direita na frente do seu rosto. Riu divertida quando ele finalmente saiu de seu mundo particular. Então uma idéia diferente e interessante passou pela cabeça da ruiva. Perguntar se ele gostaria de treinar com ela. “Por que não? Pode ser divertido

- Byakuya-san, gostaria de treinar comigo? – Perguntou.

- Sim. – Foi a resposta, ela não esperava que ele realmente aceitasse sua proposta, isso a surpreendeu. Ela escondeu muito bem a surpresa que queria estampar seu rosto. Mas por fim, sorriu para a resposta dele.

 

“Sim, isso parece que ira ser muito divertido.” Pensou contente por finalmente ter um oponente.


Notas Finais


No proximo capitulom pov do Byakuya-bo!
Gente, me chamem de louca, mas vou lhes confessar uma coisa. EU NÃO CRIEI ROTEIRO PRA ESSA HISTORIA! Ta saindo tudo na louca. Nem sei como vai ser o final também. Será que o casal maravilha vai ficar junto? Depende do que sair da minha cachola na hora. Me sinto melhor com essa confissão kkkkkkk
Enfim... Até o próximo capitulo. Tchau!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...