História Cielo Scarlatto - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Katekyo Hitman Reborn!
Personagens Dino Cavallone, Gokudera Hayato, Haru Miura, Kozato Enma, Kyoko Sasagawa, Kyoya Hibari, Lambo, Reborn, Rokudo Mukuro, Ryohei Sasagawa, Tsunayoshi "Tsuna" Sawada, Xanxus, Yamamoto Takeshi
Tags Katekyo Hitman Reborn!, Vampiros, Yaoi
Visualizações 23
Palavras 1.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Ficção, Luta, Violência, Yaoi
Avisos: Drogas, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Capítulo - Esbarrando no destino


Era uma noite silenciosa e calma, Reborn ainda não havia voltado, contudo podia chegar a qualquer momento, afinal ele adorava fazer surpresas( em sua maioria desagradáveis ), por isso Tsuna precisava aproveitar essa oportunidade. A Varia viria busca-lo hoje.

Após arrumar sua mochila com algumas mudas de roupas e um dinheiro para emergências que Reborn sempre deixava com ele, além de algumas economias que juntara, Tsuna pendurou seu cordão, a qual o anel vongola estava preso, no pescoço e desceu calmamente as escadas. 

Antes de sair ainda deixou um bilhete em cima da mesa. 

Suas mãos tremiam, ele sentia que a qualquer momento iria chorar. Tsuna sempre fora muito sentimental e medroso, e embora estivesse criando um pouco mais de coragem, não podia lidar com tudo aquilo. Isto é, a pressão para se tornar o Décimo Vongola, a mudança de país, as expectativas de seu amigos em si, principalmente Gokudera, e as situações perigosas que tudo isso gerava, não só para si como também para seus amigos. 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tsuna caminhava pelo parque vazio procurando por qualquer sinal da Varia, por um momento achara que haviam desistido de ajuda-lo, quando o desespero parecera querer dar sinal de vida Tsuna sentira que não estava sozinho, não sabia porque mas não conseguia para de olhar na direção a sua frente, não havia nada ali além de um espaço vazio, contudo sua Hiper Intuição dizia o contrário.

- Que-quem está ai? - disse exitante. 

- Voooooooooooooooooooyyyyyyyyyyyyy, você está atrasado malditoooo. - disse uma voz que Tsuna reconheceria de qualquer lugar...Squalo. 

- S-s-squalo? - disse Tsuna abismado, ouvira a voz de Squalo, contudo não conseguia vê-lo. Engoliu um grito, para não chamar atenção, quando no momento seguinte no lugar deserto a sua frente surgira pouco a pouco a imagem de um jato com a insignia da Varia pintada em relevo na porta. 

- Co-como?! - disse o garoto surpreso, contudo já tinha uma ideia do que era aquilo. 

- Humpft. Não subestime minhas ilusões - disse outra voz que ele reconhecera como Mammom.

- Kuzo...Você não esperava mesmo que iriamos esperar você em um jatinho num parque a noite sem nós prepararmos não é mesmo? Quer chamar atenção? - disse aquele que tanto assustava Tsuna. 

- Xa-Xanxus-kun...- disse Tsuna engolindo em seco, contudo não podia fraquejar, afinal de contas fora ele próprio que havia pedido ajuda ao mesmo. 

-Kuzo, não temos a noite toda. - disse Xanxus tentando agir o mais frio e distante possível, odiava admitir que estava criando afeto para com aquele pirralho irritante. A única pessoa com a qual admitia, relutantemente, que se importava ou sentia carinho era seu subordinado exagerado, ou como ele chamava ' albino irritante e escandaloso', não que ele se importasse com os exageros de Squalo, na verdade...achava a voz dele perfeita ainda mais em certas situações, onde sua voz era a mais linda sinfonia. 

- Ahh, Gomen! - disse Tsuna entrando no jatinho. Ao entrar e se sentar em uma das poltronas do jatinho não tirara os olhos de suas mãos, nem mesmo quando o mesmo levantou voo, sabia que se olhasse para baixo e visse tudo aquilo que estava deixando para trás iria começar a chorar, talvez até desistir.

Seu comportamento não passara despercebido para os membros da Varia, e por incrível que pareça ninguém o fizera perguntas ou puxara assunto, seja para o ofender ou qualquer outra coisa, sabiam que o garoto precisava ficar sozinho com seus pensamentos.

Tsuna embora muito triste também estava satisfeito, pois pelo menos conseguira se despedir de seus amigos, bem quase todos, mesmo que eles não percebessem, foram simples gestos, como desejar bons jogos a Yamamoto e dizer a Gokudera para ceitar logo o que o mesmo sentia por Yamamoto, pois os mesmos faziam um belo casal. Dizer a I-pin, Lambo e Fuuta que eles eram como irmãos mais novos para ele e até ir passear com eles no parque uma ultima vez, embora sentira que Fuuta desconfiara do estranho clima de tristeza que havia em sua volta. Também ia se despedir de Bianchi mas quando a mesma decidira naquele momento criar uma nova comida, provavelmente fatal, e pedir para o Tsuna provar desistiu no mesmo momento, correndo por sua vida. 

 E é claro antes de sua mãe ir dormir dissera a mesma que a amava muito e que sentia muito por não ser o filho que ela esperava, ao que mesma respondera: ''Tem razão Tsu-kun, você não é o filho que eu esperava....é muito melhor'' - dissse fazendo Tsuna ficar a ponto de chorar, e teria feito se sua mãe não tivesse lhe dado um beijo na testa e ido dormir. 

 Além da sua mãe Kyoko e Hana, junto com o irmão de Kyoko, foram os mais difíceis, pois Tsuna sentira que haviam notado algo estranho quando agradecera por serem ótimos amigos, tanto que Ryohei ainda o disser :'' Ei Sawada, falando assim parece até que está se despedindo...ao EXTREMO'' - disse em tom mais sério, mas sem perder o habito de dizer 'extremo' ao final de tudo. 

O único a qual não havia se despedido havia sido Hibari, pois o mesmo havia ido viajar sem dizer nada, contudo soubera pelo vice-presidente do conselho estudantil que ele havia ido visitar seu avô fora do país. 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Tsuna fora despertado de seus devaneios pelo som do jatinho pousando. 

- Ahn..já chegamos?! - Havia passado tanto tempo assim desde que começara a pensar em seus amigos?!

- Tenho um amigo na cidade, ele disse que não se importa de deixar você ficar na casa dele.

- Sé-sério? Arigato!! Mas..bem...onde estamos? - disse o garoto confuso. 

- Estados Unidos. Existem poucos mafiosos por aqui e pouco contatos da Vongola, provavelmente é um dos últimos lugares onde vão o procurar, até porque...pelo que soube seu inglês é uma merda, bem... passar mal Kuzo. - disse Xanxus o empurrando para fora do jatinho e antes que o garoto pudesse contestar estava de cara no chão, massageando suas bochechas. - IIItteee.

- Obrigado...mas onde é que... - quando fora perguntar para onde devia ir já não havia mais jatinho ao seu lado exceto um bilhete com uma chave, aparentemente chave de uma casa. No bilhete não dizia nada, exceto o que parecia ser um endereço. 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Já haviam passado-se dois meses desde que Tsuna havia 'desaparecido' ou melhor fugido. 

Seus amigos estavam preocupados, mas Reborn, que havia mentido para Nana que Tsuna estava viajando com seu pai, os assegurava que ia dar tudo certo, e que sentia que isso iria ser bom para o garoto, um tempo para si, e que logo ele iria vir correndo de volta, contudo aceitando ser o Décimo Vongola. 

Na verdade nem Reborn tinha certeza de nada, embora sua intuição o dissesse que tudo ia dar certo e que Tsuna estava bem, o fato da Vongola não ter conseguido nenhuma informação a respeito da localização do garoto era demasiado preocupante. Contudo, já tinha uma ideia de quem o havia ajudado a fugir, ele com certeza não conseguira tal coisa sozinho, existiam poucas pessoas que conseguiam sair do radar da Vongola, ou tirar pessoas dele, e mais poucas ainda que Tsuna conhecia. 

Ainda assim, decidira dar tempo ao tempo e deixar o garoto livre, pelo menos por enquanto, afinal talvez ele e Iemetsu realmente tivessem exagerado e botado um peso demasiado grande para o garoto carregar. 

Tsuna só tinha quinze anos, bem, agora dezesseis considerando que ontem fora seu aniversário. 

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 Já faziam dois meses que Tsuna estava morando em Nova Iorque, os costumes, cultura, fuso-horário e idioma foram difíceis no inicio, contudo por incrível que pareça ele conseguira se acostumar rápido, na verdade seu inglês era tão bom, que se não fossem as palavras, e palavrões, que soltava de vez em quando, quando se machucava ou deixava algo cair, em japonês todos diriam que era um americano mesmo. 

Trabalhava em um supermercado perto da sua casa e nas horas vagas passeava pela cidade. 

 Havia saído do trabalho faziam alguns minutos, estava caminhando distraído, como sempre, quando esbarrara em alguém. Estava prestes a pedir desculpas quando ouvira algo em uma voz conhecida que o fizera congelar. 

- Olhe por onde anda, herbívoro - disse a figura a sua frente vestindo um terno negro e o olhando com aqueles olhos intensos, tão intensos  que sempre deixavam o garoto paralisado, em sua maioria das vezes de medo. 

 


Notas Finais


Yooo minna-san, desculpem pela demora, é que estou escrevendo outras fanfics, ao mesmo tempo, e fica difícil atualizar todas, até porque duas falam sobre personagens que fogem, meu deus eu amo fugas, e não quero que fique algo 'idêntico' por isso tava sem ideias para esse capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...