História Cinderela (Camren Version) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Lauren Jauregui, Lucy Vives, Normani Kordei
Visualizações 56
Palavras 934
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Cinderela (Camren Version) - Capítulo 1 - Prólogo

CAMILA POV

- Mija 

- Papa - corri de encontro ao meu pai que me abraçou apertado, não nós víamos a lista menos uma semana, ele teve que viajar a negócios, o que eu entendia perfeitamente, isso se fazia necessário para que as coisas se mantessem em perfeita ordem 

- Aqui está minha querida - ele me estendeu a rosa vermelha viva com muitas pétalas e com detalhes impecáveis 

- Papa, você sempre a encontra, ela é linda, obrigada - mais uma vez fui de encontro ao seu corpo envolvendo em uma abraço que foi muito bem recebido.

- Eu moveria montanhas pra trazer seu pedido hija - sorri acariciando a rosa, e então minhas duas irmãs Verônica e Lucy saíram de casa.

-PAPI, PAPI, trouxe os nossos vestidos? - elas pulavam euforicamente

- Claro, meus amores - ele retirou duas embalagens estendendo em sua direção o que causou gritinhos animados nas duas e fez que elas corressem e volta para casa para que provavelmente pudessem se vestir.

Eu ao contrário de minhas duas meias irmãs preferia coisas simples, como uma rosa para que pudesse guarda com carinho dentro dos livros e sempre lembrar da mamãe, que era o principal motivo para eu ser amante desse tipo de flor. 

- Como tem ido a colheita, hija?

-  Está bem papa, conseguimos colher bastante trigo essa semana, o que nos rendeu um bom retorno

- Isso é ótimo, querida - ele segurou minhas mãos e depositou um beijo nelas, enquanto isso minha madrasta saia de casa

- Querido - ela lhe deu um beijo casto nos lábios

- Ahm... É eu já vou indo - peguei minha cesta na qual havia colhido morangos e logo adrentei em casa. Alexa era uma mulher de beleza impecável, porém era rude e gostava de esbanjar riqueza em tudo que tivesse oportunidade, suas filhas não eram diferentes, viviam para luxo e poder, acredita que elas fizeram o papa comprar dois carros? um pra cada meia irmã, o que ao meu ver é algo totalmente desnecessário.

Subi as escadas e vi de longe que ambas estavam vestidas com seu vestido novo, me escorei na porta observando.

- Qual é, Karla? Vai encarar de longe? Entra logo - Lucy disse.Entrei pedindo licença

- O que achou irmãzinha? Fiquei boa nesse vestido novo? - Verônica disse

Acontece que as duas escolheram cores fluorescentes que quase cegavam os meus olhos mas limitei em dizer 

- Nossa ficou muito bonito, caiu super bem em você

- Eu sei disso - ela respondeu confiante rindo 

- Porque usa esses vestidos Karla? Você precisa de um pouco mais de cor, olha esse seu cabelo, está tão seboso que posso usar para fritar batatas fritas Ambas riram 

- Ei, isso não é verdade, eu os lavei e minhas roupas estão limpas!

- Não mais - elas passaram por mim e bagunçaram todo o meu cabelo criando um verdadeiro nó. Bufei frustada sentando em frente a penteadeira, dando um jeito naquele estrago, quando escutei batidas na porta

- Pode entrar

- O almoço está na mesa querida - meu pai disse e eu devolvi com um sorriso

- O que houve?

- Nada papa, apenas ajeitando - ele assentiu fechando a porta 

Suspirei, bati em meu vestido e me dirigi a sala de jantar

- Karla, você vai querer 2 ovos? Ah não pera, a Verônica pegou todos -  e mais uma vez elas deram aquelas risadas finasz a qual eu precisaria engolir a fim de evitar confusões

- Não vai se sentar, Karla? - minha madrasta disse seca

- Vou, apenas lavar as mãos 

- Quem olha assim até acha que é limpa - Verônica cochichou para Lucy e ambas riram

- SILÊNCIO - minha madrasta gritou assustando a todos - É melhor começarem a comerem - e meu pai olhava com negação para todas 

Me sentei a mesa e vi que tinha apenas o básico, o que tinha de conteúdo minhas irmãs fizeram questão de não deixar sobrar, vi papa me encarando com um olhar triste e logo me passou um bife inteiro.

- Papa eu...

Ele fez um sinal com os dedos e eu sorri susurrando um obrigada. Após o almoço decidi caminhar no jardim, amava qualquer tipo de contato com a natureza, sentei no banco que continha ali e fiquei olhando ao redor quando senti alguém se aproximar

- Tudo bem, querida?

- Sim papa, não se preocupe.

- Sabe, eu disse para elas não lhe tratarem assim!

- Eu sei, mas sabe que é difícil, e eu estou bem, você está em casa e eu não posso deixar nada me abalar depois disso

Ele sorriu e me beijou a testa 

- Eu não vou deixar que lhe tratem assim

- Papa, porque ainda está com ela? Ela é tão rude, tão grossa, ela apenas quer seu dinheiro!

- Eu a amo filha

Eu sabia que deveria aceitar a decisão do meu pai, mas na minha mente não se passava o que meu pai fez para merecer uma mulher tão desse porte como Alexa. Suspirei

- Tudo bem papa

- Mas, podemos conversar e resolver tudo, o que acha?

- Seria bom - Sorri 

- Prometo que vou tentar, agora tenho que voltar para o velho escritório, tenho alguns e-mails para responder, aparece lá para o café, vou adorar a hora do chá

Dei a uma risada, quando eu era pequena eu adorava fazer com ele e com a mama a hora do chá, tomávamos café juntos na minha xícara de plástico, me peguei sorrindo pro nada 

- Sente falta dela, não é?

- Com toda a minha vida 

- Eu também querida, eu também ele me beijou a testa e eu me permiti ali me aconchegar em seus braços, e eu sei que enquanto ele estivesse ali nada poderia me machucar.


Notas Finais


Paro ou continuo?
O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...