História Cinquenta e três desejos - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bandas, Bangtan Boys, Bts, Coréia, Drama, Hetero, Kpop, Kpopper, Morte, Sexo
Exibições 46
Palavras 2.166
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Harem, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bem, eu falei pra maioria que: " posto daqui á três dias", e não saiu como eu planejava. Na verdade nada saiu como eu planejava.
Primeiro: Eu deixei o meu computador em lugar e eu tava em outro.
Okay, escrevi pelo celular (esse capítulo por exemplo é pelo celular)
Segundo: aquele "bendito" bloqueio que não me fez escrever por nada, eu olhava a tela ela olhava pra mim é nada ficava escrito.

Bem, não tô aqui pra reclamar.

Só não quero que me matem.
Partiu lê meu povo

Capítulo 6 - " Por quê a bela adormecida não dormiu mais um pouco?"


VI. "Por quê a bela adormecida não dormiu mais um pouco?"


Quando aqueles sete garotos  entraram, eu em silêncio refletia, eu queria acordar a qualquer momento para o mundo que eu era acostumada. Eu queria sair desse sono extremamente febril, desse episódio de estresse ou do que qualquer coisa que isso fosse, queria regressar á meses atrás, quando Tais estava sorridente e majestosa, não em um caixão de meia tigela, eu queria está despertando em uma mesa com rosto com uma  poça de babá em uma sala de pré-vestibular e comentar com a minha melhor amiga: Menina, eu tive um sonho com o Bangtan bizarro, então voltar a entediante e velho negócio de ser eu.


Mas não acordei, o Bangtan estava a  minha frente e Taís não estava aqui pra enlouquecer, gritar e chorar. Eu teria apenas que fazer o que ela queria para poder honra-la e isso estava saindo deveras superficial . Os sete garotos estavam com olhares confortáveis como se não tivesse pela frente uma exaustiva semana de shows, que provavelmente iriam os esgostar.


Eu apenas estava sentada, com um humor não dos melhores, observando 7 ( que por sinal é o número da perfeição) deuses gregos.

Bem, pelos menos estava cumprindo um desejo de Taís.

—2!1!—Falou Namjoon rapidamente com aquele seu timbre maravilhoso, que somente G-dragon na causa— nós somos o Bangtan— disseram em um som único. Se curvaram lentamente em sinal de respeito, mesmo sendo mais velhos que cada um de nós.


Jungkook, que antes estava olhando somente pra frente, se virou e me encontrou. Seus olhos arregalaram de uma forma bizarramente fofa (afinal, ele era o nosso kookie) e se virou para o Jimin e pareceu sussurrar. Ele parecia intrigado.


Jimin olhou rapidamente. Esses garotos tentando fazer cosplay de flash. E puxou os meninos para sentar no sofá.


Então me pergunto, por que na porra do sofá? Eles querem acabar comigo?


Park Jimin sentou do lado de Jungkook, o jão biscoito sentou do meu lado esquerdo, J-hope sentou do meu lado direito, que estava do lado do suga; jin; V. Namjoon apenas se sentou onde estava disponível onde era uma pequena poltrona vermelha que ficava no canto da sala.


Eu (para um menina comum que estava habituando na Coréia) estava muito “exposta”, afinal o meu pijama ( que eu insistiria não trocar, por causa de não ter aula hoje e iria ficar provavelmente o dia em todo em casa) era bem curto, mal tampava a virilha direito.


Então o olhar da maioria dos garotos (somente tinham eles de garotos, Seiji e Dok-ho aparentemente estavam no quarto fazendo algo) percorreu ao meu corpo.


Daqui à pouco vou me sentir abusada.


Desde de meus pés delicados descalços (algo não muito raro, que surpreende meus pés como ainda continuam macios e delicados), minha panturrilha, coxa à meus olhos e lábios.


Que por sinal estavam cheio de kimchi que provavelmente o fazia ficar mais vermelhos. Eu já estava até me sentindo abusada, crem deus pai.


Sem delongas a Sook de um pigarro, atraindo os olhares de todos, J-hope e Jin estavam com um rosto com uma leve coloração, e antes de olhar para Sook, Jin balançou a cabeça parecendo querer se livrar de alguns pensamentos.


Annyeonghaseyo, eu sou a Sook— colocou as mãos no ombro de Naomi— E essa é a Naomi, que por sinal é japonesa.— Deu um sorriso sem mostrar os dentes— Bem, essa que vocês estão sentados perto é a Scarleth ela é intercambista, chegou ontem— informou.


Escaliet— Jin tentou falar e quando percebeu o que ele falou fez uma careta— você veio da onde?—perguntou curioso.


—Bem, vocês já foram pra lá. Eu sou do Brasil.


—Brasil? —V perguntou rapidamente com uma animação que me surpreenderá— Fizemos dois shows lá em março, foi fantástico. Jin Hyung disse pra mim que não vê a hora de comer coxinha novamente— Disse alto devido sua empolgação.


— Vocês não sabem o quanto a gente “sofre”—fiz os aspas com os dedos— quando vocês colocam o nome do nosso país em qualquer coisa.— Disse fingindo estar triste e logo dando uma risadinha.


—Vocês parecem ser muitos novos para estar na faculdade— Disse Yoongi observando, dando de ombros pra que eu disse.


—Bem, o ensino do Brasil termina com 18 anos. E aqui vocês são acostumando em entrar com a idade do Jungkook— Disse observando.


—Meu irmão mais novo estuda comigo período, ele tem dezesseis anos— disse Naomi— Triste, eu tenho 19, me sinto injustiçada.—Disse emburrada, se escorando em Sook.


Seiji andando lentamente e coçando os olhos devido ao sono, ele já tinha acordado, mas ficará na cama até a vontade de levantar bater. Franziu o cenho, pelo jeito ele estava entranhado muitas pessoas na sala. Parou um pouco e forçou seu breve raciocínio, e colocou a mão na cabeça como se dissesse “Kami-sama como eu não lembrei”. Disse labialmente um “Ohayo” com seu legítimo sotaque de Fukuoka, balançou seus cabelos loiros naturais (menos claros do que o do V) e mordeu aquele seus lábios.


Aquele menininho quer me matar, só pode.


—Vocês chegaram cedo, mal são — olhou para seus braços que não tinham nada— Eu não sei, só sei que é muito cedo— reclamou.


—Dez em ponto— Disse Naomi olhando pra tela em seu celular e logo colocando em seus bolsos descoloridos de sua calça skinny.


—Aish, nem passou de onze ainda.— reclamou e foi para cozinha, voltou com o pouco de kimchi que sobrou do meu. Ele se sentou no chão, agradeceu à comido é se deu por vencido logo devorando a comida do prato.


O meu prato de kimchi estava em uma mesinha do centro já que eu já tinha acabado de comer.


Min Yoongi estava olhando para o canto de minha boca, ele olhou mais uma vez e disse:


Scarliet— tentou falar mas saiu errado também, me fazendo ficar brincalhona— O canto esquerdo da sua boca está sujo.


—Sério?—Perguntei, e ele é o Namjoon assentiram.


Passei o dedo para limpar o kimchi pouco apimentado,  o encarei aquele molho delicioso e coloquei na boca o saboreando.


Atitude de primário? Atitude de primário.


Mas por incrível que pareça, e estranho também, os olhares daquelas perfeições em terra estavam totalmente lascivos, suas faces envergonhadas, e suas cabeças estavam áreas como se quisessem tirar pensamentos não bons para o momento. Seiji olhou para mim com seu rosto delicado que estava totalmente corado e sibilou: “noona má” e se focou no kimchi que estava em seu colo. Ele parecia preocupado com aquela região onde estava seu kimchi.


Eu apenas ri, ele estava realmente envergonhado.


Na real, a maioria estava.


—Eu ainda tô parecendo um coringa?— perguntei brincalhona.


Suga que estava meio sonolento discordou com a cabeça e falou por meio fio de voz “Você está maravilhosamente bem” e encostou no ombro de seu dongsaeng Hoseok, fechando lentamente seus olhos.


—Bem, já que o Suga Hyung está quase capotado e outros também— disse Namjoon tentando sair da sala devido ao seu constrangimento— como vai ser o esquema de quartos?


—Os rappers vão ficar no quarto, que pertence a mim e a Scarleth.—Seiji disse simples, fazendo Namjoon fazer uma cara de leve desespero.


—Não pode trocar, não? Não acho de boa vista de sociedade vários caras, dormirem no mesmo quarto que ela.— Disse incomodado.


—Acredite é mais capaz dela abusar da gente, do que a gente abusar dela— Seiji riu com que acabará de dizer.


—Assim você me ofende, eu sou mais velha, tenha mais respeito.—fingi estar brava.— Então namjoon, incomodado como a presença de uma dongsaeng?


—Só acho errad..—tentou desconversar


—Vamo’ ficar no quarto dela mesmo, já que ela não se importa mesmo.—Falou suga, naquela típica transição entre o estado lúcido para o reino de Morfeu*.


—A vocal line vai ficar no quarto do Dok-ho que ainda está dormindo. Aquilo é igual um bicho panda.—Comentou Naomi, tendo olhares da vocal compreensíveis.


Min Yoongi se espreguiçou e disse bocejando: “Onde é seu quarto?”


—Yoongi, se eu puder lhe chamar assim, é aqui ô— me levantei e fui em direção da porta do quarto. Yoongi apenas assentiu e entrou no quarto logo se jogando na primeira cama que viu.


Voltei a sala é Dok-ho vinha do seu quarto, com uma calça moletom e uma blusa regata já com seus fones, colocou a mão esquerda em seu bolso e com a direita segurou meu ombro perguntando baixo se eles já chegaram.


sim— respondi o mais baixo que pude falar.


—Oh damn— ele falou inglês rapidamente e voltou pro seu quarto em maneira sagaz.


Dok-ho e suas frases repentinas em inglês.


Cheguei na divisa entre a sala e o corredor.


—Bem, Namjoon, você vai querer ir pro meu quarto?— Perguntei ambígua, é claro que eu tinha que dar duplo a frase, afinal, eu sou eu.


Ele negou rapidamente, entendo a ambigüidade da frase, e continuou conversar com um contentamento com Taehyung.


Naomi e Sook estavam na cozinha preparando mais alguma coisas para elas ou para os convidados.


Seiji prestava atenção nas conversas, e bem, eu me sentei no chão do lado dele.


J-hope, Jin e Jimin estavam bem entretidos em uma conversa que a empolgação era quase evidentemente palpável.


Jungkook estava jogando algo em seu celular.


Me aproximei dele, engatinhando até perto de sua perna, Seiji não desviou o olhar enquanto eu estava engatinhando, mas quando parei e sentei perto das pernas de Jungkook ele voltou a sua atenção a conversa de Namjoon e Taehyung novamente.


—Jungkook,— o chamei, fazendo ele pausar o seu jogo e olhar para baixo, onde eu estava. Mas precisamente, do lado de suas pernas. Ele pareceu perturbado e particularmente apavorado com a proximidade que eu estava de áreas que não batiam o sol. Ele murmurou um “ Umh?”— ‘Cê ‘tá jogando o quê?


—Senta aqui ô— bateu a mão onde estava vago no sofá, realmente havia um espaço livre. Me levantei e sentei, ele pareceu um pouco mais aliviado. Olhei pra tela de seu celular— Esse jogo aqui, Suga-hyung que falou para baixar. Eu não sei ler o nome do jogo, tá em outra língua que eu faço sequer ideia.— Ele confessou.


—Você pode me ensinar a jogar, parece ser divertido— Disse brincalhona, afinal, pelo que parece Jungkook é extremamente tímido e parece ter algum receio com garotas.


—Ahh, sabe...meio... Que 'e…


J-hope colocou a mão no ombro esquerdo de kookie— Kookie-ah é bem tímido e parece está envergonhado , às vezes acho que ele tem medo de garotas


—Nada à ver, eu não ficaria envergonhado por um neném.


—Mas kookie, ela deve ser apenas um ano mais nova.


—Aish.— Resmungou— Okay, Hobi, eu estou com vergonha, Okay?


Hoseok riu, confirmou com a cabeça e voltou a sua entretida conversa.


—Pode me ensinar? Oppa—Sim, eu ressaltei o oppa, afinal eu não era o bebezinho.— Oppa, Oppa, Oppa.— fiquei repetindo até ele aceitar.


—Aigoo, vem cá ô.— ele despausou o jogo, clicando para cima e para baixo desviando de katanas e arcos e flechas.— Você tem que evitar essas paradas.— ele pausou novamente e entregou para mim com um seu sorriso pequeno naquela maldita boca atraente.


Peguei o seu iPhone (eu ainda queria sair correndo pra ficar com ele) que estava com jogo. Ele despausou. E naquele momento vieram oitenta milhões de coisas na minha direção e eu morri em menos de meio segundo.


Ele riu, colocou suas mãos em cima das minhas e às auxiliou.


Bem clichê, um clichêzão grotesco, mas bem, um clichê bem legal de se acontecer.


Aderi.


Quando conseguimos passar da primeira parte, ele comemorou e pegou seu celular.


—Você conseguiu— ele disse feliz.


—Você jogou pra mim, você que CONSEGUIU— Protestei.


—Tanto faz— deu de ombros rindo. Okay, o maknae perdeu aquela timidez, que nem precisava, pelo fato deu ser “relativamente” mais nova (palavras dele, não minhas).


—”Tanto faz”, qual é? — disse o empurrando levemente fazendo ele se encosta em J-hope.— Eu sei que você estava muito feliz em tocar minhas lindas mãozinhas— ironizei dando algumas gargalhadas.


—Realmente suas mãozinhas, são bem macias— ele entrou na brincadeira.


Hoseok que estava atrás do Jungkook se encostou e sussurrou baixo para Kookie: Sabe que deve...macio... lábios….ruiva.


—Hoseok, da próxima vez fala um tiquinho mais baixo.—Minha voz soou divertida.


—Omo, você ouviu? Miane*.


—Nada, tu acha que eu ligo?— disse tentando fazer aegyo. Ele riu, ficando também mais relaxado.


—Mas realmente, meus lábios são macios.


(...)


Depois que as garotas surpreenderam os membros do Bangtan com seus “dotes” culinários. Eu fui para o meu quarto, mexer no meu computador que estava em cima da minha cama junto com os desejos de…. Os desejos de Taís. Yoongi estava dormindo na minha cama, os desejos dela estavam em cima da cama.


Ai meu cu, hoje que eu tô fudida.


Podia ser com o bias que está na minha cama ou com meu ultimate que está conversando com o Taehyung, mas não, vai ser por causa de um maldito (bendito) livro.



Abri a porta do meu quarto de forma demorada, evitando daquela porta ranger para evitar o máximo de barulho.


Min Yoongi, o ser que exala perfeição até dormindo.


Eu dormindo pareço uma cria de capivara com um pai biológico ornitorrinco. Mas como sempre, “nois” releva.


O livro amarelo estava pro lado da parede era só pegar, somente.


Me aproximei igual uma cobra ( se eu já não for uma): rápida e silenciosa.


Estava quase pegando, meu corpo estava suspenso em cima dele é minha mão estava em direção do caderno de capa amarela, até que Min Yoongi decide acordar.


Por quê a bela adormecida não dormiu mais um pouco?




Notas Finais


Gostaram?
O quê acharam?

Então, o próximo capítulo ( que eu prometo ser em um espaço mais curto de tempo) vai ser em uma visão dos meninos: vocês podem escolher...
Qualquer um, desde de Seiji até J-hope

Espero que vocês não taquem uma peixeira em mim

Então, "ja ne"

SORRY, pelos erros ortográficos.

_--_-_-_-_-_-_-

Morfeu= Deus do sono
Miane= Desculpa para pessoas íntimas ou com posição menor que a sua, seja ela: ( idade, trabalho, posição social)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...