História Circo da morte - Capítulo 4


Escrita por: ~

Exibições 96
Palavras 679
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Falha elétrica


 

Há um lugar, nas sombras, onde os medos e as memórias do passado se escondem. Onde o desespero, a dor e sede de vingança reinam, sugando cada pingo de felicidade de qualquer infeliz que tiver o desgosto de ir até lá. 

E lá estão os animatronics... Sobre um palco, que esconde suas personalidades, esconde suas dores, seus desesperos e suas desesperanças. Esconde o mundo deles. 

Porém, é o que dizem... A esperança é a última que morre. Mas não era só a esperança de sair de lá, mas também a esperança de se vingar. Vingar por tantas noites de dor, pelos amigos perdidos, pela vida feliz que tanto desejavam. 

O desejo de vingança permanece... E ele nunca acaba. 

___Circus Gallery, 12:00 da manhã___

-Vamos encorajar a Baby a ir ao palco! - disse o guia do mecânico/guarda noturno. - Aperte o botão vermelho para ativar o choque. 

O guarda noturno apertou o botão. Só que Baby já não aguentava mais aquilo. Não queria mais sofrer. 

E não, o botão não funcionou.

Não funcionou pois Baby sabotou a energia. Foi, durante o dia, até a Ballora Gallery para desativar parte da força (a parte da força que faria os choques funcionarem). 

Agora, se ele quisesse fazer a energia voltar a funcionar, ele deveria ir até a Ballora Gallery e ligar manualmente. 

-Parece que houve algum problema elétrico - disse o guia do guarda mecânico/guarda. - Vou tentar ligá-lo para você, só terá que aguardar alguns instantes. 

A luz se apagou completamente. Baby percebeu a tensão do guarda noturno ao ficar no escuro. Se ela quisesse manipulá-lo, deveria começar a falar com ele... Naquele exato momento. 

Mas uma coisa a impediu. Ela não conseguia falar com ele... Memórias estavam inundando sua cabeça mecânica.

FLASHBACK ON

-Papai deixou todas as outras crianças brincarem com ela... Por que ele não me deixou também? Papai, você não a tinha criado só para mim? 

-Não, filha. Vá brincar perto dos outros. 

___algumas horas mais tarde___

-A pizzaria já fechou. - anunciou um homem, entrando na sala onde estavam os animatronics em manutenção.

-É. - disse outro homem, que estava encurvado sobre o seu animatronic preferido: a menina ruiva de olhos verdes com maria chiquinhas. Usava uma chave de fenda para arrumar um pequeno erro dentro de seu endoesqueleto. 

-Certamente, você atingiu um alto nível tecnológico com esses robôs. - disse o homem próximo da porta, encostando-se na parede. - Principalmente com esta... Esta aí. Mas há escolhas de design... Que me deixam curioso. Ela pode dançar, pode cantar, pode encher balões com as pontas dos dedos. Ela aceita pedidos de música, e pode até fazer sorvete. Com todo o respeito, mas não eram dessas escolhas de design de que eu estava me referindo, Sr. Afton. 

"Além disso, você sabe dos perigos da inteligência artificial".

FLASHBACK OFF

-Não consegui restaurar a energia. Agora você deve ir até a Ballora Gallery para chegar à sala de controle e restaurá-la manualmente. - anunciou o guia do guarda noturno. - o aconselhável é que você vá e passe o mais rápido possível, para não perturbar Ballora. 

O mecânico/guarda noturno saiu da sala de controle da Circus Gallery e se dirigiu à sala de controle central (no meio da Ballora Gallery e do Funtime Auditorium). 

Ballora estava sentada no palco, batendo os pés distraidamente. Pelo o que a voz pré gravada disse, a energia caiu, e o mecânico deverá passar pela sua galeria até a sala de força. 

Sala de força... Isso lembra-a eletricidade. É, energia. Energia... Elétrico. Choque elétrico. 

Se ele chegasse à sala de força, ele conseguiria voltar a dar choques neles. 

E Ballora não iria permitir isso. 

Ballora chamou Funtime Freddy, que se dirigiu até a Ballora Gallery. 

-Funtime Freddy... Caso ele consiga chegar até a sala de força, esteja lá para impedir. - pediu Ballora. 

-Claro, pode deixar. 

Funtime Freddy se dirigiu até a sala de força, preparando-se para pegar o guarda noturno caso ele chegasse lá. Por mais que eles não quisessem sair de lá como Baby, eles tentariam impedir os choques à todo custo. 
 


Notas Finais


Só uma perguntinha, vcs gostariam de ter shipps nesta fanfic? Caso queriam eu coloco, caso não queiram eu não coloco. (Não, não, caso vcs não queiram eu coloco). Aidkeidkalfondduwidjsksk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...