História Circus for a psycho - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Tartarugas Ninja
Visualizações 25
Palavras 1.230
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Sobrenatural, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Surto part 2


- O Raph geralmente não fica tão irritado assim - Mikey disse surpreso e assustado.

De repente, Splinter saiu do quarto, suas sobrancelhas arquearam de aborrecimento. Ele segurou um telefone em sua orelha e suspirou. 

- Eu pensei que o meu número não estava nas listas públicas - ele murmurou -Não, eu não quero seguro de carro, e não planejo obter nenhum no futuro.

 Ele parou por um momento, e de repente franziu a testa com raiva. 

- Adeus! - Ele disse bastante alto antes de desligar rapidamente. Suspirando, virou-se para enfrentar Leonardo e, rapidamente, seus olhos se arregalaram quando seu olhar piscou para baixo para olhar o pé sangrento de Leo.

- O que aconteceu com você, Leonardo? E onde é Raphael? - O rato exigiu, olhando de Mikey para Leo para Donnie.

- Raph e Leo estavam lutando, Leo ganhou, então Raph ficou louco e esfaqueou o pé de Leo antes que ele fugisse para o quarto - explicou Mikey, sua boca ainda se virou para baixo em uma careta incomum.

- Hmm - Splinter acariciou sua barba pensativamente, seus olhos se estreitando.

- Ele provavelmente simplesmente ficou com raiva. - disse Donatello - O Raph é realmente ... Temperamental. Mas eu nunca imaginei que ele pudesse chegar a esse ponto.

- Pssh, você fala isso pra mim - Mikey disse, revirando os olhos - Ele ta sempre me batendo.

- Ainda assim, ele me esfaqueou - Leo franziu a testa - Isso é um pouco estranho, ate mesmo para ele.

- Um de vocês deve falar com ele - Splinter disse, seu rosto calmo, mas seus olhos revelando preocupação.

- Com todo o devido respeito, Sensei, não seria mais inteligente apenas lhe dar espaço? - Donatello disse, levantando uma sobrancelha.

- Sim, Donatello, às vezes o espaço é o que as pessoas precisam - disse Splinter. -Mas acho que agora mesmo, seria mais sábio falar com Raphael. Sentado sozinho em seu quarto não melhorará as coisas para ele ou para nós.

- Eu não vou lá - disse Leo, se levantando - Ele obviamente me irritou e não quero dar outra razão para ele me atacar.

- Bem, eu não quero entrar lá! - Mikey gemeu

- Mikey, você entra. Você é o mais novo, ele provavelmente não será tão difícil com você - Disse Donatello.

- Sim, certo - Mikey zombou - Se você não notou , ele sempre é difícil comigo!

- Apenas faça isso - disse Donatello- vou ajudar o Leo com o pé ou algo assim.

- Eu não preciso de ajuda, são apenas alguns cortes - disse Leonardo, revirando os olhos - Honestamente, não estou desesperado.

- Boa sorte Mikey! - Donatello interrompeu, piscando Mikey dando um sorriso forçado antes de sair do dojo, Leo mancando atrás dele.

- Serio gente ?! Ele vai me matar! - Michelangelo gemeu. Splinter colocou a mão no ombro de Mikey, seus olhos quase negros e um sorriso puxando seus lábios.

- Raphael é o seu irmão, e ele se preocupa com você. Ele não ira te prejudicar - Splinter disse gentilmente - Você é especialmente bom em acalmar seu temperamento Michelangelo. Eu acredito que você será capaz de ajudar o seu irmão.


Mikey P.O.V

Depois de ouvir as palavras do sensei eu me dei por vencido.

Eu dei um suspiro e me diriji ao quarto do Raph, eu andei pelo corredor com as pernas bambas, eu estava com medo de ser o próximo alvo dele.

Quando cheguei perto da porta dele, antes que eu pudesse bater eu ouvi o Raph converssando com algo ou alguém, então por pura curiosidade aproximei o meu ouvido da porta e fiquei escutando a conversa dele por um tempo.


Mikey ON


Raph P.O.V

Eu estava sentado na minha cama abraçando minhas pernas, como eu pude fazer aquilo ? 

Aquela maltita voz não estava me deixando em paz, ela estava a todo momento ecoando na minha cabeça.

- Por que você me fez fazer aquilo - Pergunto olhando pro nada.

- ( vai me dizer que você não gostou )

- Não ! Eu não gostei ! - Digo com raiva.

- ( vai mentir nos quintos dos infernos ! Eu sei que você gostou de fazer aquilo )

- Eu não quiz fazer aquilo ta legal. Vozinha dos capeta - Digo com ódio nas palavras.

- ( claro que quis fazer aquilo ! Se não, não teria feito )

- Você me manipulou ! - Digo olhando ao meu redor.

- ( não pote a culpa em mim ! Quem atacou o Leonardo foi você não eu ! )

- Mas a culpa foi sua sim senhor - Digo ainda olhando pro nada.

- ( tudo bem, eu posso talvez ter te dado aquele empulso. Mas foi só isso ! Não coloque a culpa em mim ! Não sou responsável pela suas ações, só pelo o que você pensa ! )

- Mas eu tive que pensar antes de fazer aquilo não tive ?

- ( é.... Talvez... Mas deixa isso pra lá ! A culpa não é minha e ponto ! )

- Vai ser impossível conviver com uma voz te contrariando o tempo todo.

- ( eu não estou te contrariando OK ! E não me chame de voz ! eu tenho nome viu ! )

- É qual é ? - Pergunto em um tom meio sinico - Por acaso o seu nome é enche saco.

- ( nossa grosso ! Eu não sou um enche saco ! Eu me chamo nithgmare ! )

- Nightmare ? Jura ? - Eu digo irônico - Isso não significa pesadelo ?

- ( Exatamente )

- Até que combina com você, já que tu me pertupa e me assombra que nem um pesadelo.

- ( isso foi um elogio ? )

- Claro que não idiota !

- ( para de falar assim comigo ! Me trate com mais respeito ! )

- Só no dia em que os porcos voarem !

- ( aceita isso de uma vez ! Se você atacou o Leonardo uma vez, por que não atacaria de novo ? Eu sei que você se sentiu bem fazendo isso ! )

- Sabe o que é o pior de tudo - Digo pensando em algo - É que eu acho que você esta começando a ter razão.

Pera o que eu estou dizendo !? Será que eu to ficando maluco para dizer um troço desses ?

- ( eu sempre tenho razão Raphael, pois eu te conheço melhor do que ninguém )

- Será que isso tem que ser assim ? - Pergunto pensando no que ele tinha me tido noite passada.

- ( será melhor assim Raphael, aceite o seu lado sombrio, vire o maniaco que você nasceu para ser ! )

- Eu não posso - Eu acho que to ficando bibolar, cada hora eu dali uma coisa.

- ( claro que pode ! Aceite ! Vire o assassino que você nasceu para ser ! Vire o pior pesadelo de Nova York ! Aceite os seus demônios )

- Não ! - Eu gritei, eu já não queria mais ouvir ele - Sai da minha cabeça !

- ( nunca irei sair daqui ! Vou te atormentar até você aceitar quem você é ! )

- Cala a boca - Digo quase gritando.

Nesse momento eu escutei alguém batendo na porta, eu me espantei, será que eles me ouviram falando sozinho ?

- Raph você esta bem ? - Era o Mikey, ele estava batendo em minha porta, o que eu devo fazer agora, o que vou dizer a ele ?

E se ele escutou essa conversa ?

O que vou fazer !?

Me ajuda meu Deus !



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...