História City of Love - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Erza Scarlet, Gajeel Redfox, Gray Fullbuster, Happy, Jellal Fernandes, Jude Heartfilia, Juvia Lockser, Leon, Levy McGarden, Lisanna Strauss, Loki, Lucy Heartfilia, Natsu Dragneel, Wendy Marvell, Zeref
Tags Adolescência, Adolescentes, Amigos, Amor, Drama, Erza, Erza Scarlet, Família, Gajeel, Gajeel Redfox, Gale, Gray, Gray Fullbuster, Gruvia, Jellal, Jellal Fernandes, Jerza, Juvia, Juvia Lockser, Levy, Levy Mcgarden, Lucy, Lucy Heartphillia, Nalu, Natsu, Natsu Dragneel, Ódio, Paris, Romance, Tragedia, Traição, Treta, Tristeza, Viagem
Exibições 333
Palavras 3.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência, Visual Novel
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Yoo! Tudo bom?
A BOA VONTADE DA TIA LIZ ESTÁ LIGADA!


- Só avisando que a partir de hj vou escrever mais rápido...

- Mas pq?

- PQ EU TO DE FÉRIAS AHUAHUAHUA!

- Ninguém quer saber, agora apresenta logo o capítulo.

- Vc que perguntou... Enfim! Boa leitura ^^

Capítulo 4 - Frogs and Princes


Fanfic / Fanfiction City of Love - Capítulo 4 - Frogs and Princes

               ~ City of Love ~
                          * Capítulo 4 *




 

             [*Lucy pov's on*]



 

- Mas que lindo dia! - gritou Levy, abrindo as cortinas de todas as janelas, enquanto eu e Juvia reclamávamos. - Comprei biquínis para nós enquanto ainda estavam dormindo.

Olhei-a com meus olhos entreabertos, quase fechados, e pude ver seu semblante de petiz zangado por ignorá-la.

- Vocês só sabem dormir, pelo amor de Deus. - reclamou. - Sabe o que eu já fiz? Já fiz o café, arrumei a cama e passei vassoura no apartamento! Um dia eu vou embora, aí sim irão me valorizar.

- Shiw. - disse Juvia, sonolenta. - Tá pior que minha mãe.

- VOCÊ ME MANDOU CALAR A BOCA? - gritou Levy. - Olha que eu vou aí e custuro sua boquinha...!

- SHIW! - exclamou Juvia. - Você vai acordar ela!

Ela...

- Puxa vida, mas que pena, não é? - a baixinha tirou um pequeno altifalante de suas vestes, com um sorriso maroto. Meu sono foi retirado após Levy nos ameaçar de morte.

- L-Levy, não! Se a Erza acordar... Simplesmente morremos.

- Opss! - riu forçado, colocando uma de suas mãos para abafar sua risada. - Tarde demais.

Eu e Juvia tampamos ouvidos o mais rápido o possível, apenas escutando o eco estrondoso do aparelho e vendo Erza cair da cama.

- MAS QUE PORRA?! - ela gritou levantando-se completamente irritada.

É um pouco difícil compreendê-la. A maioria das vezes é um cão raivoso, já em outras é um amor... Bom, quase nunca.

- LEVY, FOI VOCÊ QUE...! - começou séria, porém isso mudou facilmente depois de seus olhos observarem os biquínis. - Que lindo! Vamos para a piscina!

 

 

Após alguns minutos, Levy e Erza já estavam prontas e faziam questão de nos apressar. A ruiva estava usando um biquíni preto - que independente do lugar, sempre está o usando - e seu cabelo está preso em um coque. Já a azulada vestia um vestido laranja desbotado e solto. Carregava consigo dois livros, ainda se escondendo atrás de seus óculos grandes.

- Por que você está de vestido? - questionei amarrando a alça do meu biquíni azul escuro.

- Larga isso. - disse Juvia, terminando de vestir seu biquíni azul claro com detalhes roxos, que mostrava a sua silheta avantajada. Quando terminou, pegou o livro das mãos de Levy, cerrando os olhos.

- Eu não vou entrar na água. - falou ela, recuperando a obra de J.K Rowling.

- Por que não?

- Só não estou muito afim. - respondeu, ignorando nossos olhares preocupados. - Mas está tudo bem! Vamos?

- Sim!

 

 

            [*Cupid pov's on*]



 

As quatro garotas pararam, perplexas, olhando para aquelas pessoas perfeitas, com silhuetas perfeitas. Embora esse sentimento fosse fugaz para Lucy, Erza e Juvia, para Levy não. Sua mente ficou perturbada com toda aquela perfeição... Que sabia que nunca alcançaria.

- Vamos entrar na piscina! - gritou Juvia, animada. Esse ânimo não era por nada, pois a garota era amante de água.

- Eu não. - suspirou Lucy, deitando-se na espreguiçadeira e colocando seu óculos. - Preciso de um sol. Estou mais branca do que você.

A azulada fez um pequeno bico e voltou seu olhar para Erza, que parecia procurar por algo.

- Erza, vamos...?

- Vou pegar alguns drinks. - ela ignorou, saindo o mais rápido o possível.

A mesma fez um bico, novamente, e voltou seu olhar para Levy, que parecia mais séria.

- Nem insista, não vou entrar de jeito nenhum. - disse ela, abrindo seu livro.

- Pff...




 

"Sério? Estamos aqui por que? Se fosse pra tomar um bronzeado era só dar uma de Ícaro e sair voando em direção ao sol, não é?" dissera Juvia, se corroendo por dentro. "Entrar na piscina sozinha é tipo... Morrer sozinha!"

Ela tentou a qualquer custo convencer Lucy, mas ela parecia estar preocupada com outra coisa. Essa "outra coisa" seria um garoto loiro e lindo que trocava olhares com ela.

- Quer parar de prestar atenção naquele garoto e me notar? - pediu. - Hey, Lucy!

Juvia observou o trio de garotos: o loiro que parecia provocar Lucy com seus olhos, um moreno que apenas encarava seu livro e outro garoto de cabelos brancos que, mesmo por alguns instantes, parecia estar olhando para ela.

- Tem um olhando muito pra você. - cantarolou Lucy.

Ela não pôde se conter e virou seu pescoço de maneira brusca, de novo, tentando ver melhor o albino que a olhava. Seus olhos cruzaram com os dele, mas sua timidez fez questão de desviar o olhar.

- Vai lá falar com ele. - sugeriu a loira, olhando-a esquisito.

- Que cara é essa?

- Só vai! 

- Vou falar o que, então?

- Que tal "oi, eu vi que você tava me olhando, então vamos dar uns pegas?"

- QUE? - gritou. - ERA PARA ISSO SER UM TIPO DE AJUDA?

- Juvia, por acaso eu tenho cara de pegadora experiente? - perguntou ela. - Eu nem beijei pela primeira vez!

- Hm... a Erza tem cara de pegadora. - comentou a azulada e Lucy apenas concordou, apontando para onde Erza estava sentada.

Juvia caminhou até lá, com passos tímidos e inseguros, e percebeu que ela estava conversando com um garoto de cabelos azuis escuros...

"É incrível ver ela se aproximando de alguém tão rápido depois que Simon a deixou." pensou.

- Erza! - a chamou em tom baixo, um pouco envergonhada.

- Hm? - a mesma olhou como se dissesse "O que você quer, desgraça?".

- É que... Bom.... - começou. - Tem um garoto ali que... Bom...

- Seja direta. - ordenou indiretamente.

- Eu achei um garoto bonitinho que estava olhando para mim e eu quero chamar a atenção dele.

- Por que você não começa a falar com ele? - perguntou Jellal, intrometendo-se na conversa.

- Eu começaria a tremer. - respondeu ela, já sentindo seu coração acelerar aos poucos. - E a gaguejar, depois provavelmente vomitaria meu café da manhã nele e...

- Você não é um pouco pessimista? - perguntou com um sorriso brincalhão.

- Juvia não é pessimista! - cruzou seus braços, disposta à ignorá-lo. - Talvez um pouco, mas não é isso que Juvia está tentando dizer.

- Ela trocou o pronome por Juvia?

- Ela faz isso quando está nervosa. - esclareceu Erza. - Enfim, você poderia fingir que está se afogando. Ai o tal cara vem e faz respiração boca a boca.

Juvia a encarou com dúvidas, mas logo um enorme sorriso se abriu em seus lábios.

- Obrigada, Erza!

Os dois observaram a mesma saindo de perto deles dando alguns pulinhos de ansiedade.

- Ela vai mesmo fazer isso? - sussurrou Jellal.

- É a Juvia. - riu.

 

 

 

 

A azulada caiu na piscina propositalmente, fingindo estar perdendo seu fôlego.

Lucy observou a situação da qual sua amiga estava e deu um leve tapa em sua cabeça, pois sabia que Juvia nunca se afogaria, principalmente em uma piscina rasa.

O garoto de cabelos prateados correu até a piscina, a salvou e, finalmente, selaram seus lábios tão desejados um pelo o outro... Ou pelo menos foi isso o que Juvia pensou.

 

... Essa é a cidade do amor, onde finais felizes e casais felizes não existem. Muito menos príncipes encantados...

 

O moreno segurou Juvia em seus braços frios e carregou-a até uma espreguiçadeira, fazendo a respiração boca a boca, que logo virou o beijo que ela tanto "lutou" (no caso, afogou) para ter.

Mas, no fundo, sabia que algo estava muito errado. Sabia que, o gosto daquele beijo não era doce e sutil, era amargo.

Ela abriu seus olhos e apenas conseguiu enxergar as pequenas gotas de água que caíam dos fios de cabelo escuros do garoto.

 

" - Hey hey, moça. - um cliente me chamou e fui atender ao seu pedido - Posso pedir uma noite?

O jovem responsável pelos lindos olhos azuis escuros e cabelos negros levemente bagunçados me encarava com um sorriso estampado em seus lábios. Um sorriso encrenqueiro. Eu simplesmente tentei desviar meu olhar, mas por algum motivo não consegui, estava vidrada em seus olhos azulados cujos me lembravam riachos de calmaria."

 

Entretanto, se não existem príncipes... Existem sapos.

 

Juvia empurrou Gray para trás e, com o seu mesmo ar de timidez de sempre, começou a gaguejar.

- N-N-Não era v-você. - murmurou  enrolando-se na toalha ás pressas e saiu de lá o mais rápido o possível.

- Juvia... - disse Lucy, vendo a azulada indo embora. - Levy, vamos atrás dela. Levy...? - a mesma olhou para todos os lados, procurando a baixinha. - MEU DEUS, A GENTE PERDEU A LEVY. ISSO QUE DÁ TOMAR CONTA DE UMA GAROTA COM 1,57 DE ALTURA!

 

 

 

              [*Levy pov's on*]

 

 

 

 

Senti minha orelha esquerda queimar e ficar mais vermelha. Devem estar falando mal de mim. Eu estou perdida e fico pensando em coisas como orelhas! Foco, Levy, foco.

A medida em que deixei meus pensamentos infantis de lado, fui persuadida por outros um pouco mais pesados.

Todos eram altos e possuíam silhuetas incríveis e desejáveis. Todos estavam alegres. Todos aparentavam ter muita auto-estima. Todos me olhavam de soslaio, ignorando minha existência... Talvez por que eu sou tão pequena e... Uma tábua?

- Com licença, você viu uma loira, uma ruiva e uma azulada com uns peitões? - perguntei para o nada, literalmente. - Eh.

Aquela multidão, por algum motivo, me fez sentir supérflua. Eu tentava esconder isso, dando alguns sorrisos envergonhados, como se estivesse me acomodando áquela situação, mas não tinha como. Não tem como e nunca haverá como.

Independentemente de quanto tempo passe, eu sempre serei eu. A mesma... A mesma pequena garota de sempre que só é boa em uma coisa.

Uma súbita tristeza me tomou, mesmo que várias pessoas felizes estivessem ao meu redor. Encarei meus pequenos pés encaixados nos chinelos número 35 e cruzei meus braços, esperando meus olhos trêmulos pararem de lacrimejar, mas fui pega de surpresa quando senti uma gota quente cair em meu pé.

 

Por que eu não posso me sentir à vontade com quem eu sou? Por quê?

 

Meu pulso foi puxado abruptamente enquanto fui arrastada para perto da piscina. Arranjei uma forma de limpar o excesso de lágrimas no canto de meu olho e comecei a me debater.

- O que você está fazendo? - gritei sem ao menos olhar para a pessoa. Olhei para cima, tipo bem para cima mesmo, e vi o garoto prédio. Seus olhos avermelhados estavam cerrados, como se ele quisesse perguntar "onde estão suas amigas". - Ah, é o prédio.

- É Gajeel! - bufou, irritado. - Você se perdeu de suas amigas, criança?

- Haha.- forjei uma risada, tentando não mostrar meus olhos. - Bom, sim... Eu to procurando elas.

- É por esse motivo que você está chorando?

Meu coração acelerou no mesmo instante. Como ele podia jogar na minha cara algo assim? ELE NÃO TEM SENTIMENTOS?

- Uh? Eu não estava chorando... Aquilo eram só os restos de gotas d'água da piscina. - disse arrumando alguns fios de cabelo que atrapalham minha visão.

- Eu observei você desde a hora em que entrou aqui e sequer tirou seu vestido. - afirmou ele, inclinando-se em minha direção. - Então desembuxa logo e diz porquê estava chorando?

Mantive-me em silêncio, incomodada com sua frase tão repentina. Como ele não percebeu que eu realmente estou triste por causa...

- É por que todo mundo aqui tem muito corpo comparado ao seu? Porque você é uma tábua? Não se preocupe com isso e entra logo na piscina.

Meus lábios entreabertos e surpresos tremeram por alguns instantes, porém não consegui me recompor. Será que ele não entendia que eu ficava horas me olhando no espelho, achando que estava ridícula? Que nenhuma roupa ficava bem em mim? Que ninguém jamais gostaria de mim?

- Eu sou feia mesmo, você tem problemas com isso? - perguntei afinando minha voz. Ele começou a rir escandalosamente. - S-Shiw! Você é louco?

- Tire a roupa.

- A-A-AHN?

- Agora.

- Eu consegui desabafar e você, ao invés de me aconselhar, pede para tirar minha roupa?! - gritei inflando minhas bochechas.

- Você não vai conseguir entrar na piscina assim.

- Mas eu não vou entrar na piscina.

- Por que não?

- Você ainda não entendeu? Todo mundo aqui é maravilhoso e olha isso! Eu tenho 1,57cm, meu corpo é pior que resto de maçã e minha cara... Nem vou terminar de falar.

- Você que sabe.

- Sei o que...? - fui carregada até a piscina e quando Gajeel chegou na borda começou à ameaçar de me jogar na piscina. - NÃO, GAJEEL, NÃO SÉRIO. ME SOLTA! EU NÃO SEI...

- Se é assim que a criança deseja. - fui solta dentro da piscina, aos gritos. Não consegui pegar ar e... Outro detalhe: eu não sei nadar.

Senti meu corpo voltar à superfície enquanto tentava recuperar fôlego - mesmo ainda engolindo muita água - e pedir socorro.

Algum ser de luz me puxou para cima, e logo agarrei minhas pernas em seu abdômen. Comecei a tossir como nunca, apoiando meu queixo no ombro de... De quem?

- Gajeel?

- Quer parar de tossir em minha orelha?! - perguntou ele me colocando na espreguiçadeira.

- Q-Qual o seu problema? - reclamei olhando para o minhas vestes e meu livro completamente molhado. Desisti de dizer algo a ele, já que o mesmo levaria como uma brincadeira. - Eu não deveria ter vindo para cá...

Estava prestes a sair do local, mas meu pulso foi puxado abruptamente o que me fez olhar para trás.

- Não importa quanto elas tenham corpo. Você só precisa ser você, e assim será a mais linda.

Meu corpo estremeceu no mesmo instante e fui incapaz de me controlar. Soltei uma pequena risada, com uma imensa vontade de abraçá-lo.

- Do que você está rindo?!

- Até que você não é tão idiota quanto eu pensei.

 

 

 

 

            [*Lucy pov's on*]

 

 

 

 

Alguns minutos antes...

 

Sentei-me no banco do bar para pedir uma limonada, mas o garçom estava ocupado demais para me atender. Estou um tanto solitária, já que Erza está conversando com Jellal, Juvia foi para o apartamento e Levy está "perdida".

Você perdeu sua amiga e o que você faz? Pede uma limonada, óbvio.

- Eu gostei de você. - disse o loiro de lindos olhos azuis, que não tirava os olhos de mim, apoiando-se no balcão de forma súbita.

- Bom, eu percebi isso desde quando você estava me olhando do outro lado da piscina. - comentei rindo.

- Acho que deixei um pouco claro, não? - riu.

- Deixou sim.

- Mas você não deixou claro. - disse ele, passando as mãos em seus cabelos dourados enquanto exalava um perfume de príncipe encantado "desencantado". - Sting.

É claro que não jogaria na cara que ele aparenta ser mais um dos milhares garotos lindos que não passariam de uma paixão frugal.

- Hm... Eu sou misteriosa. - comentei. - Prazer, sou Lucy.

- Saiba que eu gosto de garotas misteriosas, Lucy. - disse ele aos risos, me deixando um pouco intrigada.

Ele deve gostar de qualquer tipo de garota, na verdade...

- Você quer sair com a gente para o centro da cidade? - perguntou Sting, me tirando de meu acento confortante e me levando para a mesa em que seus amigos estavam.

- A-Ah, é que eu estou com minhas amigas e...

- Não se preocupe... Não vai durar nem meia hora.

Ele começou a segurar meu pulso um pouco mais forte, desviando das pessoas paradas em frente à piscina.

- Sting, escuta, eu realmente não posso.

No mesmo instante o loiro parou de caminhar e voltou seu olhar para mim, aproximando-se cuidadosamente de meu rosto.

- Você não quer?

- Eu quero, mas minhas amigas estão...

- Você não quer mesmo.

- E-Eh, não é isso. Podemos marcar algum outro dia, não é? - disse tentando desviar o assunto, mas ele pareceu não acreditar em mim.

- Você promete? - perguntou ele, brincando de fazer pequenos círculos em meu pescoço com seu dedo indicador. Concordei e logo um sorriso safado abriu-se em seus lábios. - Então me de um beijo.

- OI?

Sting agarrou minha cintura e puxou-me para mais perto de si, tentando retirar um beijo de mim. Ele foi rejeitado com sucesso e eu, ainda com o meu sorriso envergonhado, separei nossos corpos.

- Quem diria que o próprio Sting Eucliffe foi rejeitado por alguma garota. - disse uma voz vinda atrás de mim.

Quando olhei em direção de onde a voz vinha me deparei com um par de olhos ônix e um sorriso sarcástico.

Voltei meu olhar para Sting e me assustei. Seus olhos, antes fofos e amigáveis, tornaram-se raivosos, o que me fez afastar aos poucos.

- O que você está fazendo aqui, Natsu? - perguntei.

- Sabe, há uma grande diferença entre eu e você, Sting. - começou ele, chegando um pouco mais perto do loiro. - Eu consigo pegar quem eu quero, inclusive ela.

 

"Por mais estranho que seja ter cabelos rosas, era impossível dizer que o garoto não era bonito. Ele era lindo.

Notei que o rosado olhava fixo para meus lábios e seu rosto aproximava-se morosamente do meu.

- Dragneel's costumam ser pervertidos? - perguntei colocando a minha mão em sua cara, evitando o beijo.

- Você diz isso, mas estava quase me beijando também. - o sorriso vencedor surgiu em seus lábios novamente."

 

- Você é idiota? Não ouviu que ela aceitou sair comigo? - riu Sting.

- Não vou deixar, até porquê Lucy é minha ficante. - disse Natsu, com seu ar superior. - Minha. - repetiu e segurando minha mão e saiu me puxando para fora do lugar abruptamente, sem pensar em mais nada.

Estava completamente perplexa e irritada, mas também estava tremendo. Não entendia o porquê de seus olhos esverdeados me colocarem contra a parede, me deixando tão inferior a ponto de não conseguir reagir.

 

Quem é você, Natsu?

 





*LEIAM AS NOTAS FINAIS*


Notas Finais


O que acharam do capítulo? Não? Comentem! ^^

*Gente, eu queria saber se esse tipo de narração fica boa. Tipo "Lucy pov's on" e depois "Levy pov's on". Ou vcs gostariam que eu fizesse a Lucy narrando tudo, já que o foco da fic é Nalu?*

~*~

NOSSA, PQ SERÁ QUE ESTOU SENTINDO UM CHEIRINHO NALU NO PRÓXIMO CAPÍTULO?
~ Beijocas de Paçocas ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...