História Ciúmes H.S (Larry Stylinson ) - Capítulo 34


Escrita por: ~ e ~luana

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Romance
Visualizações 88
Palavras 2.802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 34 - Capítulo 34


Fanfic / Fanfiction Ciúmes H.S (Larry Stylinson ) - Capítulo 34 - Capítulo 34


Harry P.O.V

Assim que vi Louis se trancar no banheiro por causa de birra, fiquei parado como uma estátua encarando a porta.... Como assim " Eu vou dormir no quarto de hóspedes?" Nem pensar vou ficar aqui aonde é meu lugar ao lado dele.

Sentei na cama, olhei de um lado para o outro e os soluços do choros dele não cessavam de jeito nenhum, tentei chamar sua atenção com leves batidinhas na porta, mesmo assim meu menino não para de chorar o que é uma agonia para mim.

- Louis, amor abre a porta por favor, vamos conversar.— Peço com delicadeza, mas como antes fui ignorando.

  Eu não queria fazê-lo chorar, ainda mas trancado no banheiro.

Meia hora se passou e ainda escuto seu choro bem baixinho... Caralho não gosto de vê-lo assim.

- Louis, pela milésima vez abre a porta. Se você abrir eu juro que será diferente, que vou ser uma pessoa melhor daqui pra frente.— Escuto ele bufar, e por um lado não posso dizer nada já que fiz milhões de promessas a ele e nenhum foi cumprida por mim.

" Foda-se preciso beber" Digo saindo do quarto indo na direção da saída, assim que dou conta que Louis não irá sair tão cedo daquele inferno de banheiro. Se ele quer ficar lá agindo com criança não posso fazer nada, já tentei de tudo e ele não quer sair.. então só lamento.

- Harry querido.— Jay me chama me fazendo parar no meio do caminho.— Posso saber aonde você vai a essa hora? o jantar está quase pronto.

- Desculpa tia não estou com fome.— Digo indo até a porta abrindo a mesma.

- Harry, eu ouvi a discussão de você.— Ela fala com a voz baixa e como Louis sei que ela está triste.

- Eu sei, peço desculpas a senhora se disse algo que ofendesse sua casa.— Falo com a cabeça baixa.

- Tudo bem, não precisa me pedir desculpas.. só quero que saiba que Louis te ama e ciúmes só destrói o que lutamos para conseguir.— Disse ela passando a mão em minha bochecha.

- Eu preciso pensar por alguns minutos, mas obrigado pelo concelho.— beijo seu rosto antes de sair sem saber exatamente para onde estou indo a essa hora, mas só quero um lugar para beber um pouco e pensar no que fazer já que estraguei tudo com Louis novamente.

Dirigi por uma dez minutos antes de chegar em um bar até que legalzinho, com luzes coloridas e umas garçonete gostosinhas.

- Oi gato, você vai ficar aí sentado ou vai pedir alguma coisa?— Diz a garota do balcão com um sorriso estampado no rosto.

- Me vê um dose do seu melhor whisky.— Peço olhando seu decote.

- Hum.. com gelo?

- Pode ser.— Digo sorrindo, por que caralho estou sorrindo?

Assim que a garota me serviu fiquei apenas aproveitando a música do ambiente, Louis ia me enforcar se tivesse do meu lado com tanta mulher me dando mole fazer o que se sou irredutível.

....

Não sei quanto tempo estou aqui muito menos quantas doses de whisky já tomei, Mas uma coisa eu sei preciso voltar e pedir perdão ao meu baby por ser um idiota.

Admito que estou com um pouco de medo dele ligar para o meu irmãozinho Zayne e o mesmo acabar contando sobre o que aconteceu com Luke e Louis sair correndo atrás dele estragando todo meu plano de reconciliação.

- E aí gato, meu expediente acaba daqui a mais ou menos meia meia-hora, topa da um rolé por aí.. quem sabe ir para um lugar legal menos movimentado.— Diz a garota do bar pegando na minha mão.

- Eu adoraria, mas meu boy estar me esperando em casa.— Sorrio bebendo o último gole da minha bebida.

- Que pena, eu poderia fazer umas loucuras com você se quisesse.

- Tenho certeza que sim.— Sorrio.— como eu disse antes já tenho alguém que faça tudo que eu quero.— Digo sorrindo olhando para o copo em minha mão e claro que não pude deixar de notar a garota mordendo o lábio inferior para me provocar.

- Se você diz, então cadê tal pessoa que não está lhe fazendo companhia nessa noite tão fria?

- Está me esperando aquecendo minha cama agora mesmo.— Respondo.

Não estou qui para ficar de conversinha com nenhuma garota de bar, por mais que a tal garçonete seja bem avantajada em certos quesitos com peito, coxa e bunda meu Louis ganha de 10x0 em qualquer mulherzinha.

A garota se debruça no balcão anotando algo no guardanapo olhando diretamente nos meus olhos.— Me liga se mudar de ideia, ou se sua cama estiver gelada.— Diz ela piscando e saindo rebolando para chamar minha atenção.

Não sei se dou risada ou choro com esse tipo de situação, não que esses tipo de coisa não aconteça frequentemente pois vamos e convenhamos eu sou um cara bonito pra caralho. Não estou querendo me gabar, mas com esse corpo com esses olhos e meu sorriso não vou negar que sou atrativo demais.

Sorrio e coloco uma nota de $100 no balcão, sigo em direção ao carro alugado em poucos minutos estou na porta da frente da tia Jay, estaciono e para minha sorte a luz da sala estar acesa o que quer dizer que não vou precisar acordar ninguém. Por outro lado se for o Louis fodeu, como vou explicar esse cheiro de bebida do meu hálito.

Toco a campainha sutilmente para só chamar atenção de quem está na sala, assim que escuto passos leves sei que não são do meu menino e um certo alívio percorre todo meu corpo.

- Oi cunhadinho, foi se divertir sem o Louis?— Charlotte pergunta me dando passagem para eu entrar.

- Mais ou menos, mas falando em Louis cadê ele?— Pergunto pois não quero ser surpreendido com uma Carranca infernal na sala.

- Relaxa cunhadinho, Louis já está dormindo minha mãe deu uma aspirina pra ele.

- Porque?

- Porque você é um idiota que só faz meu irmão chora, eu gosto de você Harry, gosto muito mais cara deixa de ser bundão e para com essa porra de ciúmes não está vendo que isso está prejudicando vocês.

- Quem pediu sua opinião?— Falo indo em direção às escadas.

- Se você fosse meu namorado eu já tinha te dado um pé na bunda a muito tempo.

- É mesmo... Então que bom que nunca pensei nessa possibilidade.— Digo sorrindo.

- O teu lance é pau não pepeca.— Diz ela sorrindo de volta.

- Meu lance é só o pau do seu irmãozinho.— Lotte sorrir me mostrando o dedo do meio.— agora sei da onde Louis está aprender essa  mania feia, vou ter que falar com a tia Jay.

- Cala boca Harry, tenta fazer as pazes com meu irmão não aguento mais ele triste por causa de você.

- Pode deixar, vou tentar fazer isso agora.

Subo abrindo a porta do quarto sorrateiramente para não o acordar. Eu deveria me sentir envergonhado por estar chegando tão tarde, mas ver meu garoto ali deitadinho com seus cabelos jogando no travesseiro me senti ainda mais apaixonado.

Fiquei parado em pé de frente para ele, e não me contive tirei minhas botas, minhas roupas fiquei apenas de boxer e deitei ao seu lado envolvendo meus braços em seu pequeno corpo.

- Me perdoa amor eu sou um complemento idiota.— sussurro em seu ouvido e me surpreendo quando o mesmo se aconchegou ainda mais em meus braços.

[...]

Louis POV

Não sei como dormir tão rápido, estou em dúvidas se o comprimido que minha mãe me deu ontem era realmente aspirina, eu não lembro de muita coisa depois disso. Só lembro que deitei na cama com os olhos vermelhos e inchados de tanto chorar e apaguei quase em imediato.

Acho que eu chorei ainda mais quando saí do banheiro e minha mãe disse que Harry tinha saído sem falar para onde ia, não que isso importasse, mas pensei que ele estaria sentado na minha cama esperando eu saí dizendo o quanto me ama.

O mais engraçado é que acabei de acordar com os braços de Harry envolta de mim e nossas pernas entrelaçadas. O sol brilha entre as brechas da cortina deixando a pele leitosa do cacheado ainda mais bonita, me fazendo o admirar por segundos.

"Porra Harry o que você faz comigo homem?"

Me mexi na tentativa de sair sem acordar o maior, só que seus braços apertaram ainda mais meu quadril e seu rosto foi parar no meu pescoço, em questão de segundos me deixando meio sem saber o que fazer.

Tentei sair mais uma vez é nada, Harry estava me fazendo de ursinho Pooh em seus braços longos.. só pode ser isso.

- Harry!!— chamei seu nome baixinha, por mais que eu queira ficar aqui sentindo seu corpo junto ao meu eu não posso estou apertado para mijar..— Hazza acorda.— tentei mais uma vez e o puto não se mexeu músculo.— caralho Harry acorda estou apertado para ir ao banheiro.

E nada.. puta que pariu.

- vou mijar na cama, se você não me soltar.— Digo e vejo um sorriso divertido em seu rosto.

- Desculpa amor não resisti de te ver se contorcendo todinho igual uma minhoca.— Diz ele rindo e não pensei duas vezes em dar um soco em suas costelas.— Aí ai ai doeu amor.— diz ele gemendo enquanto saio da cama correndo até o banheiro.

- foda-se, o próximo vai ser no saco.— Digo já dentro do banheiro.

- Que horas são?

- Horas de você levantar a bunda do meu colchão e ir para o quarto de hóspedes.

- Hum.., quem acordar 6 da manhã para ir ao banheiro?

- Pessoas normais que dormem cedo e não ficam batendo pernas por aí enchendo o cu de cachaça.

- Quem disse que bebi?

- Pode parar Harry, o cheiro de álcool está impregnado em você e principalmente nos meus lençóis.

- Para de bobeira e vem deitar agarradinho comigo, vou fazer um carinho em você.

- Olha bem pra minha cara e vê se estou com humor para transar com você depois do seu ataque de ciúmes ontem.— Digo o encarando com os cenhos estreitos é cara de quem está realmente decepcionada.

-  Eu já te pedi desculpas Louis, o que você quer que eu faça, me diga? Depois de tudo que te contei a primeira coisa que você faz é tentar falar com meu irmão e perguntar sobre aquele  idiota do Luke.— falo com a voz um pouco elevada.

- Primeiro fala baixo não estamos na sua casa, segundo sim eu ia perguntar sobre ele pois acho estranho Luke não te me ligado, terceira eu ligo para quem eu quiser, não preciso te pedir autorização— Falo com os braços cruzados enquanto Harry continua jogado na minha cama olhando diretamente para mim.

- Hum..

- Hum? É só isso? Dá para ver que você nunca me deu o devido valor.— falo mesmo sabendo que estou fazendo drama.

- Eu posso ter feito muita merda, mas você não pode dizer que não te dei valor o suficiente.— Diz ele com o timbre da voz firme.

- Hum... Não vou discutir com você a essa hora, ainda mais com esse cheiro de bar impregnado em sua pele.

- Você não vai me fazer tomar banho às 6 da manhã néh?

- É exatamente isso que eu vou fazer, e depois trocar minha roupa de cama.— Puxo seu braço fazendo-o levantar.

- Você é mal comigo.— Harry às vezes consegue ser fofo fazendo carinha triste.

- Sou mal mesmo, A partir de hoje eu que mando nessa porra.— Falo convicto, já que  Harry não vai me deixar viver minha vida sem ele, resolvi seguir os conselhos da minha mãe quando disse que se eu quiser mudar o comportamento de Harry eu tenho que começar por mim... Então é isso vai ser tudo a minha maneira, se ele não gostar foda-se. Agora vai do jeito que eu quero.

Assim que escuto o barulho do chuveiro aproveito para trocar toda a roupa de cama, pego as roupas do cacheado do chão e faço igual àquelas mulheres casadas que enfia a mão nos bolsos dos maridos para ver se acha algum podre.

- Ashley?— Digo assim que desembrulho um guardanapo que estava na jaqueta do Harry.

Não posso negar que fiquei com uma raiva que consumiu todo meu corpo, segurei a porra do choro ao ouvir o barulho da porta do banheiro se abrir.

- Já tomei banho posso deitar agora?— Diz ele com a toalha nos ombros e um sorriso de covinhas.

- Que porra é essa Harry?— A irritabilidade em minha voz é nítida.— responde e para de fica me olhando com essa cara.

- É um guardanapo com um número de uma garota.— Diz ele simples e minha vontade é de fazê-lo engolir essa papel.

- E quem é essa garota?— mantenho a voz irritada.

- Sei lá é só uma garota do bar, não é importante.— Harry se deita na cama pouco se importando com o que estou o tão da minha voz.

- Não é importante, então por que esse número estava no bolso da sua jaqueta?.— jogo a jaqueta em cima dele  por causa do seu sorriso debochado.

- Você fica tão lindo quando está com ciúmes.— Harry diz pegando minha mão puxando meu braço fazendo eu cair por cima dele.

- Me larga, ou vou fazer você se engasgar com esse papel.

- Bem que você podia me fazer engasgar com outra coisa.— Harry aperta meu pau me fazendo bater em seu braço.

- Me larga seu babaca.

- Primeiro me dá um beijo depois te largo.

- Vai lá pedir beijo a garota do bar, aposto que ela vai adorar.— Tento fugir do seu aperto, mas como sempre Harry é mais forte que eu.

- Se eu quisesse ela eu não estaria aqui com você, estaria?— Diz ele com seu sorriso, mas só de imaginar Harry com outra pessoa é como se a minha sanidade não existisse me dando vontade de matar os dois.

- O que você quer Harry? Porque sinceramente eu não sei.— Tentei deixar meu corpo bem relaxado em cima do dele.

- Eu quero você.— Responde ele olhando em meus olhos e por mais que eu não queira acreditar sei que Harry estava sendo sincero.— Eu amo você Louis, e quando disse que não posso viver sem você é porque realmente não posso.

- sei, mas fica se esfregando com a garota do bar você sabe né.— Digo irônico.

- Do mesmo jeito que você está aí todo putinho com esse pedaço de papel insignificante, eu fico pior toda vez que eu penso em alguém te tocando. Caralho você é meu só meu não modo possessivo mas sim porque eu te amo.

Toda vez que Harry me diz isso eu não sei o que falar, a não ser sincero para ele.

- Eu também te amo Harry.

- Então amor volta para mim, vamos começar do zero.— Harry fala suavemente com os olhos brilhantes.

- E o Luke?

- Foda-se o Luke, pensa na gente, no nosso amor.

- Eu quero voltar com você Harry, ainda mas depois de conversar com a minha mãe ontem.— Falo e Harry me olha com a sobrancelha arqueada.

- E qual concelho a tia Jay te deu?— pergunta ele curioso.

- Disse que se eu realmente te amo de verdade, eu não posso simplesmente deixar os obstáculos tomarem conta da situação.

- Então Louis, segue os concelhos da Johannah.— Harry sorriso acariciando meu rosto com as pontas dos dedos.

- Deixa eu resolver esse minha história com Luke, aí depois a gente fala sobre isso.

- Não...você só saí dessa cama depois que voltar a namorar comigo e se reclamar só depois que aceitar meu pedido de casamento.

- Casamento?— Digo rindo alto.

- É casamento, mas isso é mais lá para frente primeiro eu me contento em ser seu namorado outra vez.— Harry me gira me deixando por baixo do seu corpo pesado.

- Eu quero que você me prometa que vai mudar, não é tentar e sim mudar de verdade. Pois não quero mais promessas vazias.— Sei que não é certo o que vou fazer agora, mas tudo relacionado a mim tem Harry no meio sem contar que eu o amo.

- Eu prometo.

- Então eu volto a namorar com você, mas uma só deslize acabou.— Não tenho dúvidas que Luke vai ficar chateado comigo, mas ele vai ter que intender que meus sentimentos pelo Harry é mais forte que a razão, e o loiro vai ter que compreender que  nossa história acabou, que não existe Louis e Luke e sim Larry Stylinson.







Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...